Interatividade Cultural oferece oficinas de fotografia, DJ e desenho na ZN

Por Prefeitura de Santos

Quem deseja dar os primeiros passos nas artes visuais e na música eletrônica têm uma boa oportunidade. Já estão abertas as inscrições para as oficinas gratuitas de fotografia, desenho e DJ, no Centro Cultural da Zona Noroeste (Av. Afonso Schmidt s/n, Areia Branca), oferecidas pelo projeto Interatividade Cultural.

A parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Nacional de Arte (Funarte) dispõe de 20 vagas para a oficina de fotografia, a cargo do fotógrafo Fabiano Ignácio. Para oficina de DJ, ministrada por José Doval Damásio, são mais 20 vagas. Por fim, para os encontros de Desenho e Pintura estão sendo oferecidas 50 vagas.

Os interessados dever se dirigir ao Centro Cultural da Zona Noroeste, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h, munidos de original e cópia do RG e do comprovante de residência, além uma foto 3×4. Para os menores de idade é exigida também a apresentação dos documentos do responsável legal. A idade mínima para as oficinas de fotografia e DJs é de 12 anos. Já os alunos de Desenho e Pintura devem ter, no mínimo, 7 anos. Informações: (13) 3202-3568.

Biblioteca de Cubatão exibe de comédias nacionais a filme de Jabor

Informações da Prefeitura de Cubatão

O cinema nacional marca presença no mês de junho na Biblioteca Municipal de Cubatão (Av. 9 de Abril, 1977), a partir do programa estadual Pontos MIS, gerido pelo Museu da Imagem e do Som de São Paulo com apoio municipal. As sessões gratuitas ocorrem às quintas-feiras, das 15h às 17h. Confira a programação:

> 6/mai – ‘Mato sem cachorro’ (Classificação: 12 anos)
Comédia | Dir. Pedro Amorim | Com Bruno Gagliasso, Leandra Leal, Danilo Gentili, Enrique Díaz
Deco e Zoé se conheceram quando ele quase atropelou Guto, um cão que desmaia toda vez que fica animado. Após dois anos, Deco leva um pé na bunda de Zoé, que leva Guto e arranja novo namorado. Revoltado, Deco pede apoio de seu primo para retomar o cachorro.

> 13/mai – ‘A Suprema Felicidade’ (Classificação: 16 anos)
Drama | Dir. Arnaldo Jabor | Com Marco Nanini, Jayme Matarazzo, Ary Fontoura, Mariana Lima.
Rio de Janeiro, 1945. Aos 8 anos, Paulo comemora com os pais o fim da segunda guerra. Quando jovem, Paulo se distancia do pai, mas é compensado pela cumplicidade do avô, que o inicia na boemia carioca. Inseguro e inquieto, o rapaz questiona de modo onírico fatos da vida, como relações parentais e uma paixão por uma dançarina.

> 20/mai – ‘Sinfonia da Necrópole’ (Classificação: 10 anos)
Comédia | Dir. Juliana Rojas | Com Luciana Paes, Germano Melo, Adriana Mendonça.
Em São Paulo, a rotina do aprendiz de coveiro Deodato muda quando uma nova funcionária chega ao cemitério. Juntos, devem fazer o recadastramento dos túmulos abandonados, mas estranhos eventos fazem o aprendiz questionar as implicações de se mexer com os mortos.

Confira a programação da 3ª Semana da Cultura Caiçara de Praia Grande

Por Prefeitura de Praia Grande

Neste sábado (25/mai), a partir das 19h, começa a 3ª Semana da Cultura Caiçara de Praia Grande, uma grande festa que celebra os costumes e tradições dos povos que, originalmente habitam nosso litoral. De 25 a 31/mai, a Cidade conta com diversos eventos gratuitos alusivos ao tema.

A abertura acontece sábado (25), às 19h na Praça Portugal, com a apresentação da DanceDaf – Arte em Movimento, e do grupo Impuros do Fandango, tocando o ritmo tradicional caiçara e colocando todo mundo pra dançar.

A programação segue no domingo (26), com atividades no Portinho de Praia Grande, das 9 às 18 horas. Feira de Artesanato e Gastronomia Especial, passeios de barco, visita ao Museu Ambiental, brincadeiras e apresentações musicais e teatrais recheiam a programação para todas as idades.

De 27 a 31/mai, o Palácio das Artes apresenta as exposições “A Arte, o Meio e Nós”, na Galeria Nilton Zanotti, e “Nossas Vivências Caiçaras”, no Museu da Cidade. A visitação acontece das 14 às 17h30. A mostra “A Arte, o Meio e Nós” é uma reunião de trabalhos desenvolvidos pelos alunos das oficinas de Artes Visuais do Palácio das Artes.

O encerramento da festa será no dia 31 na Avenida Costa e Silva, com a Sexta Musical Especial Caiçara. A apresentação Ciranda Caiçara abre a noite às 19h, seguido de intervenção artística e show com a dupla Ricardo & Rudimar.

Cultura Caiçara

Os caiçaras são os habitantes tradicionais do litoral das regiões Sudeste e Sul do Brasil, formados pela miscigenação entre índios, brancos e negros. A base cultural do caiçara é formada pela pesca artesanal, agricultura, danças e artesanato. A preparação dos alimentos também chama a atenção, com a utilização da farinha e do peixe como base para os pratos.

Circuito Cultural Paulista leva teatro gratuito do Barracão Cultural até SV

Por Prefeitura de São Vicente

A tradicional Praça 22 de Janeiro, no bairro do Gonzaguinha, será transformada em palco pelo Circuito Cultural Paulista neste sábado (25/mai). Com entrada gratuita e livre para todos os públicos, o teatro de rua “A Condessa e o Bandoleiro” será apresentado a partir das 16h no local. Em caso de chuva, a apresentação será dentro do Espaço Cultura, nas dependências da praça.

Uma condessa entediada com a nobreza, que sonha em viver aventuras, tem seu caminho cruzado com um temido bandoleiro, que vive no limite do perigo. Repleta de danças e musicalidades da cultura nordestina, o espetáculo une estas duas divergentes histórias de vida de forma lúdica que divertirá munícipes de todas as idades.

O espetáculo é da Cia. Barracão Cultural. Trata-se de um núcleo de criação e produção, criado em 2001 pela atriz e produtora Eloisa Elena e o músico e produtor Dr Morris, para viabilizar projetos e desejos artísticos próprios e autorais. Ao longo destes 18 anos, vários outros profissionais se juntaram a equipe da Barracão, constituindo um núcleo de trabalho permanente que conta com diferentes espetáculos em repertório.

Realizado pelo Estado de São Paulo, por meio da Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA), o Circuito Cultural Paulista tem apoio da Prefeitura Municipal de São Vicente e de sua Secretaria de Cultura (Secult).

História nacional sob ótica feminina pautará encenação ‘Caminhos da Independência’

Por Lincoln Spada

Alcançando a sua 15ª edição anual, a encenação cubatense ‘Caminhos da Independência’ terá o protagonismo feminino como pauta narrativa de sua próxima montagem. Previsto para setembro, o espetáculo realizado pelo Teatro do Kaos terá como destaque a perspectiva da então imperatriz Maria Leopoldina sobre o ano de 1822.

“É importante essa releitura histórica, precisamos dar cada vez mais voz e espaço para as mulheres”, explica o idealizador do evento e diretor do Teatro do Kaos, Lourimar Vieira. “As principais funções para a concepção da obra serão assumidos por artistas mulheres, como também o destaque do novo elenco será a intérprete da imperatriz”.

Diretora teatral Miriam Vieira

Já estão confirmados os nomes de Miriam Vieira e Dione Carlos para a direção e a dramaturgia da futura edição. Nos palcos desde os 13 anos, Miriam já participou da produção de encenações, atuou e dirigiu inúmeras companhias cênicas da Baixada Santista, como Cia. Pernilongos insolentes pintam de humor a tragédia, Coletivo Sanatório Geral e a Cia. Cenicomania. Atualmente, dirige a peça em cartaz ‘Benjamin – o Filho da Felicidade’.

Por sua vez, a atriz carioca Dione é radicada em São Paulo há 21 anos, tornando-se uma das expoentes da dramaturgia teatral paulistana nesta década. Formada pela SP Escola de Teatro, tem seus textos encenados por variados coletivos, como Club Noir, Cia. do Mofo, Cia. Livre e Teatro Mínimo.

Dramaturga Dione Carlos

Prevista no calendário oficial da Cidade (Lei nº 2.848/03), a temporada do 15º ‘Caminhos da Independência’ será com quatro apresentações gratuitas na primeira semana de setembro, alcançando mais de 500 espectadores no Teatro do Kaos. Com acessibilidade para pessoas com deficiência, o teatro contará com sessão com áudio-descrição e intérprete de libras.

O projeto ‘Caminhos da Independência’ é uma iniciativa realizada pelo Teatro do Kaos com o Governo Federal via Ministério da Cidadania e Secretaria Especial da Cultura. O Grupo EcoRodovias através da Ecovias patrocina o evento por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A encenação também tem apoio da Prefeitura Municipal de Cubatão.

Cerca de 120 troféus são preparados para o próximo Fescete

Por Lincoln Spada | Imagem: Cláudio Vitor Vaz

As míticas máscaras do teatro gregos são rememoradas nos contornos dos troféus do novo Fescete – Festival de Cenas Teatrais. Cerca de 120 troféus estão sendo preparados para a 23ª edição do evento, prevista entre 13 e 28 de junho. O autor das obras é Chico Melo, que renova a parceria com o Tescom, realizador do festival.

Entre as ruas santistas, mal se dá em quilômetro a distância da escola teatral ao Atelier Oficina 44, onde o maranhense Chico fundou e atua há 22 anos. Aos 50, coleciona emoções nas artes, em uma trajetória profissional como artista plástico, escultor e restaurador.

“A primeira oportunidade para criar troféus partiu de um convite do saudoso Toninho Dantas (ex-coordenador do Festival Santista de Teatro), para que criasse peças diferentes do que se conhecia tradicionalmente, que fossem coloridas”, destaca o escultor. Junto do seu xará, Chico Telles (1943-2016), produziu obras para diversos festivais, a maioria em segmentos culturais, como audiovisual, artes cênicas e literatura.

Existe um apreço do autor em cada etapa da criação e produção de um troféu como uma escultura. “É desafiador desenvolver uma obra temática, sintetizar uma ideia, em seguida, pensar em técnicas e materiais para a sua concretização”, define Chico. Por fim, mãos à obra, um esforço no trabalho braçal do artista. “É sempre compensador vê-lo pronto. O mais lindo de toda essa histórica é quando chega às mãos dos jovens, que participam do festival”.

Com concurso literário e mostras estudantis, de monólogos e teatro adulto, o Fescete é uma realização do Tescom, em parceria com a Prefeitura Municipal de Santos. Tem o apoio do SESC Santos e TV Tribuna com o patrocínio do Porto de Santos (Autoridade Portuária de Santos) via Lei de Incentivo à Cultura. Realização: Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal. Informações: www.fescete.com.br.

Acesse a programação da 3ª Semana da Cultura Caiçara de São Vicente

Por Lincoln Spada | Foto e informações: Márcio Barreto

Amparada pelas Lei Municipal nº 3.312/15 e Lei Estadual nº 16.290/16, a 3ª Semana da Cultura Caiçara de São Vicente acontece entre os dias 27/mai e 1º/jun, com extensa programação gratuita. As comemorações contam com lançamento de livros, apresentações musicais, batalhas de rap caiçara e trilhas.

Formada pela união do indígena, do europeu e do africano, a cultura caiçara ajudou a formar a identidade da cultura nacional através de suas festas e crenças, saberes e fazeres. Segundo o curador Márcio Barreto, “olhar para quem somos e nos valorizarmos, é um modo de compreender nossa identidade coletiva, enquanto povo, história e desdobramentos”.

De acordo com o secretário-adjunto de Cultura de São Vicente, Paulo Eduardo Costa, “a Semana da Cultura Caiçara terá extensa programação e é importante para a valorização de cultura ancestral, elemento de ligação para a Região Metropolitana da Baixada Santista”. Outras cidades da região vem comemorando a data, como Santos, Guarujá e Praia Grande.

Homenageada da 3ª edição

A homenageada da atual edição será a jornalista Rosana Valle, que retratou diferentes territórios e comunidades do litoral paulista nas últimas décadas. Rosana iniciou a carreira na TV Mar e, desde 1993, atuou na TV Tribuna. Ali, foi produtora, repórter, apresentadora e editora-chefe de programa. Entre 2000 e 2018, apresentou o ‘Rota do Sol’. Foi professora universitária de 2006 a 2009 (Unaerp) e hoje é deputada federal.

A semana é uma realização do Coletivo Caiçara, do Imaginário Coletivo de Arte, da Prefeitura de São Vicente via Subprefeitura Área Continental e Secretaria de Cultura, do Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente (IHGSV) e da Academia Vicentina de Letras, Artes e Ofícios. Confira abaixo a programação na íntegra

27/mai (segunda-feira)
> 19h | IHGSV (R. Frei Gaspar, 280, Centro) | Abertura com artistas, autoridades e pesquisadores da Região;
> 19h30 | IHGSV | Sarau Caiçara | Com o coletivo Percutindo Mundos o pianista Vitor Rodrigues, Rogério Baraquet, os escritores Flávio Viegas Amoreira, Regina Alonso, Teresa Teixeira, Madô Martins, Deise Giannini, Academia de Letras e Ofícios de São Vicente e convidados.

28/mai (terça-feira)
> 16h | Oficinas Culturais Professor Oswaldo Névola Filho (R. Durval do Amaral, 72, Catiapoã) | Bate-papo ‘A identidade caiçara’ sobre identidade e território na música caiçara;
> 17h | Oficinas Culturais | Apresentação dos alunos do polo local do Projeto Guri.

29/mai (quarta-feira)
> 14h | Na rede municipal de ensino do Humaitá | Escola Caiçara | Palestra e apresentação teatral sobre cultura caiçara, com ênfase ao estímulo à leitura.
> 18h | IHGSV | Lançamento de livros ‘Pessoa doutra margem’, de Flávio Viegas Amoreira, ‘Poesia mínima’, de José Eduardo Lima, ‘Memória na pele’, de Bartolomeu Pereira Souza, ‘A desmemória e seus outros nomes’, de Márcio Barreto, ‘Balaio do trepeça’, de Odair Dias, e ‘Pequenice’, de Madô Martins;
> 18h30 | IHGSV | Roda de Leitura | Com textos caiçaras interpretados por Camila Angela, Flávio Viegas Amoreira e convidados;
> 19h | IHGSV | Cine Caiçara | Curtas-metragens ‘História oral da gente de Santos’, de Dino Menezes, ‘O homem que voava com os peixes’, de Gael Mota e Rachel Munhoz, ‘O caiçara experimental’ de Neio Mustafa;
> 19h30 | IHGSV | Debate ‘A cultura caiçara e seus desdobramentos na brasilidade’, com Christina Amorim, Flavio Viana, Edson Santana do Carmo e Márcio Barreto;
> 20h | IHGSV | Apresentação musical do Quarteto Caiçara.

30/mai (quinta-feira)
> 21h | The Family Vintage Bar (Av. Mal. Deodoro, 1047, Vl. Valença) | Cozinha Caiçara | Convite a R$ 50 | Encontro gastronômico com música ao vivo.

31/mai (sexta-feira)
> 18h | IHGSV | Encontro de Rap Caiçara | Com Pira VDC, Syro Damassaclan, Mel MC, Douglas Drez, Percutindo Mundos;
> 20h | IHGSV | Homenagem às personalidades caiçaras da região.

1º/jun (sábado)
> 9h | Itaquitanduva (Japuí) | Passeio pela trilha do Parque Estadual Xixová-Japuí que leva à uma das poucas praias selvagens da região, Itaquitanduva, frequentada, principalmente, por surfistas. Saída: Centro de Visitantes do Parque. Com Danilo Alves (Projeto Surfe Raízes);
> 9h30 | Itaquitanduva | Café da manhã comunitário;
> 11h | Itaquitanduva | Surfe Raízes | Oficina sobre história e prática do surf e sua relação com a cultura caiçara;
> 12h | Itaquitanduva | Ação Ambiental | Coleta de resíduos sólidos e plantio de sementes nativas.

Plataforma virtual sobre o fazer cultural no Estado de São Paulo.