Entrevista: A rede de conexões culturais de Ivana Bentes

A frase que reverbera dos lábios da amazonense Ivana Bentes é a dita em maio por uma mineira irmandade do rosário: “Nós somos ponto de cultura há mais de 120 anos”. O maior reconhecimento dos centros de manifestações e artes populares e o envolvimento em rede são os principais conceitos que a atual secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do MinC quer fortalecer ao longo de sua gestão.

A doutora e teórica em Comunicação alarga as práticas de compartilhamento faz anos, principalmente enquanto diretora da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro entre 2006 e 2013. Na segunda metade desse período, sensibilizou-se ainda mais com políticas públicas, quando a instituição em convênio com o ministério se tornou em Pontão de Cultura Digital.

> Confira as 23 propostas apresentadas na Caravana da Cultura em Santos
> Entrevista com ministro da Cultura Juca Ferreira
> Entrevista com secretário de Políticas Culturais, Guilherme Varella

03“Olha, foi uma ação muito intensa e decisiva para mim, principalmente. Nós abrimos a UFRJ para todos os pontos do Rio, fizemos edital de ocupação dos equipamentos para mais de 300 grupos, demos visibilidade ao tema da cultura digital, softwares livres e demais discussões em torno da tecnologia”, recorda-se a ligeira acadêmica interligando uma recomendação. “É necessário que as universidades públicas e instituições de ensino que já tenham sua infraestrutura bem instalada criem uma relação mais fluída com os movimentos culturais”.

Inquieta, Ivana me conta linkando olhares com todos no terraço do Instituto Arte no Dique. “Nas últimas gestões do MinC, foi deixada de lado a política de participação. A gente quer restabelecer o diálogo com todos”. Por isso, visitou dez estados nos últimos quatro meses, principalmente os da região Norte e Nordeste. “Os Pontos de Cultura são a política mais capilar do Brasil. Dos 27 estados, todos têm pontos. Ao todo, são 4 mil espaços e nossa meta é alcançar 15 mil até 2020. Em cada município que visito tem, teve ou terá um ponto”.

Ela ainda relaciona que a iniciativa foi abarcada recentemente pela Lei de Cultura Viva sendo ação permanente do governo, enquanto ainda o Bolsa Família se vê contra a maré de legislações. Mas mesmo otimista, reconhece que essa navegação ainda está à margem do ideal. Muitas redes de pontos de cultura que visitou estão desarticuladas, já que o convênio federal dura dois anos.

02“Bem, dizer que apenas recurso público não dá sustentabilidade a esses centros não é verdade, mas ele qualifica e muito”. Um exemplo é o próprio Arte no Dique, um dos primeiros beneficiados pelo financiamento federal e, em seguida, a credibilidade rendeu patrocinadores para manter seus cursos de percussão, audiovisual, artes cênicas, moda e educação ambiental.

Para Ivana, projetos de crowdfunding podem até dar um start nas ações, os empresários também precisam se sensibilizar mais sobre a responsabilidade cultural, porém, a sustentação de parte dos empreendimentos artísticos precisam de políticas de financiamento contínuas. “Claro que existem muito mais pontos com qualidade do que recursos federais. Então nós temos que aumentar tanto o orçamento do MinC, quanto incentivar outras políticas e ações colaborativas”, afirma a secretária.

Na versão 2015 do programa Pontos de Cultura, ela vislumbra incentivar que os centros contemplados também precisem se articular juntos, trocar metodologias e experiências entre si e ofereçam mais serviços. Assim já anunciou antes de cruzar o céu de Brasília que, em junho, serão baixados três editais. Um em apoio a ações de mídia livre junto ao audiovisual com o Ministério das Comunicações; outro é um edital de redes de pontos de cultura – “porque quanto se está preocupado em articular em rede, você se torna um ser político” -; e o terceiro edital é específico para preservação das identidades indígenas.

*Lincoln Spada

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s