Todos os posts de Lincaos

Jornalista, ator e cineasta, assessora festivais de manhã, escreve em jornais diários à tarde e aceita farras à noite.

Relembre cinco ideias do secretário da Cultura Prof. Fabião Nunes

O político sem panfletagens, Fábio Alexandre de Araújo Nunes fez carreira no Poder Público levando o seu estilo de professor descolado de Ciências em discursos didáticos e projetos voltados à sustentabilidade na plenária santista. Há três décadas em salas de aulas, a sua alcunha mescla a credibilidade e ética esperada de um docente e o jeito popular por seus trajes largos: Professor Fabião (PSB).

Com a simpatia dos estudantes jovens e dos ambientalistas, o biólogo já nasceu nas urnas como vereador em 2000. Era um dos primeiros nomes da Câmara em 2004 e 2008 apenas gastando a sola do tênis e cartões pedindo votos a eleitores em potencial. Fabião semeou a trajetória no Legislativo, brotou a oportunidade de assumir a Secretaria do Meio Ambiente de Santos (2010-2012) e colheu mais de 20 mil votos na corrida à Prefeitura de 2012. Longe das plenárias no último biênio, cresceu a quase 30 mil votos como candidato a deputado estadual no ano passado, ainda assim, insuficientes para exercer o mandato.

06Como diz sua colega de partido, Marina Silva, o político “perdeu ganhando” nos dois últimos pleitos. Em 2012, foi a “zebra” ao estrear em terceiro lugar numa eleição que contava com um herdeiro de um ex-prefeito, dois ex-prefeitos e um representante da Administração de 70% de aprovação. No ano passado, consolidou-se como o quarto nome mais votado em Santos, atrás apenas de dois ex-prefeitos e o então presidente da Câmara. Ou seja, Fabião seria o único nome a fazer frente para o atual chefe do Executivo, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB).

Seria. Nesta terça-feira, Professor Fabião assumiu a Secretaria da Cultura de Santos, definindo de vez a entrada do PSB à gestão do tucano e, provavelmente, a sua reeleição. Mas se engana quem pensa que o robusto e barbado político figure apenas como a “noiva” de uma aliança partidária. Como vereador e prefeiturável, ele frequentou muitas sessões, encontros e festivais artísticos, como também propôs leis e iniciativas para o segmento cultural. Segue então cinco ideias que o atual secretário já publicou nestes anos.

Semana de Mostra de Artes Plásticas

Enquanto vereador, Professor Fabião propôs em 2006 a Semana de Mostra de Artes Cidade de Santos, “com a finalidade de proporcionar aos artistas plásticos da cidade ou nela radicados a divulgação de suas obras” a ser realizado anualmente, em meados de janeiro. A ideia seria de que o evento fosse realizado na própria Câmara Municipal, ocupando o espaço deixado pelas saudosas Bienais de Artes Plásticas em Santos.

Mosaicos nas escadarias dos morros

04Já no ano de 2009, ele apresentou na Câmara um projeto de colorir as escadarias dos morros de Santos com mosaicos. Não deixa de ser um projeto para revitalizar a Cidade. Na época, ele justificou a iniciativa por ter visto uma matéria da National Geographic, que “a escadaria mais original do mundo (…) tem 215 degraus e 125 metros de comprimento e mais de 2.000 azulejos diferentes, trazidos de 60 países. Trata-se da escadaria de Santa Tereza (Rio)”. Adepto às artes visuais, o atual secretário compõe a equipe de grafiteiros do projeto Vias Vivas, que ocupa ruas de São Vicente.

Passe livre estudantil nos museus

03Em 2006, o então vereador desejou criar, por meio de compensação de impostos a institutos culturais, a abertura dos museus pagos da Cidade – Museu do Mar e Marítimo, agora também há o Museu Pelé e a Bolsa do Café – para os alunos da rede pública de ensino. O seu argumento aos dois primeiros espaços é que “sabemos que estes estabelecimentos culturais são de extrema importância para a divulgação das riquezas do mar, mas que sem a venda de ingressos, tais locais não poderiam fazer face às despesas que possuem”.

Cursos de capacitação para gestores

Como prefeiturável em 2012, o plano de governo do Professor Fabião tocava muito mais no assunto de criar cursos de capacitação para gestores culturais do que de formação artística. Assim, planejaria que os produtores e companhias artísticas fossem auto-sustentáveis e movimentassem a economia criativa – aliás, conceito que a Prefeitura deseja como prioridade segundo A Tribuna neste ano. Na Cidade, há cursos eventuais sobre o tema na Oficina Cultural Pagu e Pinacoteca de Santos. Em Cubatão, o projeto Vara para Pescar. Tornar uma ação desse gênero como permanente é uma meta.

Transferência da sede da Secretaria da Cultura

05Se os outros secretários sempre foram questionados sobre transferir ou não a sede da Secult do atual prédio do Centro Cultural Patrícia Galvão, o Professor Fabião afirmou em pleno debate eleitoral no Cine Roxy há dois anos como promessa de governo. Entendemos que ele irá orquestrar o plano da atual gestão, mas não soaria como surpresa se a reforma no centro programada para este ano mude o endereço da secretaria a depender de sua vontade.

*Lincoln Spada

 

Grupos Artísticos de Cubatão passam por reestruturação

A Secretaria Municipal de Cultura imprime um novo olhar sobre os Grupos Artísticos de Cubatão e promove mudanças significativas em seus comandos a partir desta quinta-feira (8). Banda Sinfônica, Programa Banda Escola – BEC e Grupo Rinascita passam a ter novos regentes e coordenador.

A decisão de reestruturar os Grupos Artísticos vai ao encontro à uma nova tendência no meio musical erudito, que abrange a modificação nos comandos de tempos em tempos, novas formulações para escolha de regentes, resgate das características originais das formações musicais, de acordo com Roberto Farias, coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão. Para ele, “a proposta é inovadora e um desafio mas se faz necessário neste momento. Nossa ideia é sempre promover a excelência artística das equipes e o compromisso com o trabalho”.

> Confira entrevista com o maestro Marcos Sadao

Depois de 12 anos frente à Sinfônica de Cubatão, o maestro Marcos Sadao Shirakawa deixa o comando da Banda. O estilo ímpar de conduzir o Grupo, divulgando novos repertórios e realizando espetáculos de qualidade inquestionável foi a marca registrada de Sadao neste tempo. Quem assume interinamente o cargo é o regente-assistente, Ulysses Damacena.

02“A Banda Sinfônica de Cubatão deu um salto de qualidade nesse período. Por conta do valioso trabalho do maestro Sadao, a equipe manteve a referência de qualidade que Cubatão conquistou ao longo dos tempos no aspecto musical e na difusão de repertório específico para bandas sinfônicas. Espetáculos como ‘Queen Sinfônico’, ‘Sheherazade’, ‘Concertango’, ‘Quadros de uma Exposição’, entrem muitos outros, merecem ser lembrados sempre”, comentou o secretário de Cultura, Welington Borges, isso, sem esquecer as parcerias com os Demônios da Garoa, Raíces de América, presença de regentes estrangeiros como o húngaro Laszlo Marosi.

O próximo regente da Sinfônica deverá ser escolhido por meio de um processo seletivo, sem indicações, de acordo com Farias. Haverá seleção de currículos, provas e a garantia de dois anos de atuação do profissional. A renovação desse período dependerá do desempenho do regente, de acordo com Farias. “Já realizamos essa ação de busca em outro cargo, o de transcritor musical. O resultado foi bastante positivo”, disse.

03O Programa Banda Escola de Cubatão, que também era coordenado pelo maestro Marcos, passa a ser administrado, interinamente, por Germano Blume, músico da Sinfônica e, até então, monitor do BEC. A escola musical vai ampliar o atendimento – que hoje chega a 500 alunos, firmando novas parcerias com a Secretaria de Educação e com a Escola Técnica de Música e Dança da cidade (o Conservatório Municipal). Todo o corpo docente passará por avaliações. A ideia é que o BEC continue sendo um núcleo formador de bons músicos para todos os Corpos Estáveis do município, como já vem acontecendo. Atualmente, 15% dos instrumentistas da Banda Sinfônica vieram da Banda Escola do muncípio. A intenção é que esta porcentagem aumente ainda mais.

Grupo Rinascita e Banda Marcial

O Grupo Rinascita de Música Antiga também contará com um novo regente, a partir do início de fevereiro. Albino de Oliveira deixa o cargo depois de 7 anos no comando do Rinascita. A modificação não é novidade. De acordo com Roberto Farias, é uma prática na Música Antiga ter essa rotatividade.

01Mas desta vez, a escolha do novo coordenador do Grupo começou internamente. Os próprios integrantes do Rinascita tiveram a oportunidade de apresentar projetos artísticos. Dois foram escolhidos pela consistência artística e pedagógica que apresentaram. Em uma forma inédita de condução, um dos projetos será aplicado em 2015 e o outro, em 2016, sendo que cada músico assume o Grupo no ano em que o projeto estará em prática. Os novos nomes serão anunciados em 1º de fevereiro.

Já a Banda Marcial passará por um processo de resgate de suas características originais. Segundo Farias, o grupo atuará não somente na formação para concerto, mas com apresentações para a comunidade junto com o Corpo Coreográfico em formação de desfile, que a tornou conhecida em toda a Região e até mesmo fora dela. O objetivo é que a Marcial torne-se, novamente, referência nacional.

Segundo o secretário de Cultura, todos os outros Corpos Estáveis mantidos pela administração municipal passarão por esse novo olhar da Secult. “A ideia é que as pessoas estejam disponíveis para melhorar a maneira de atuação, abrangendo novos públicos e sempre fomentando a cultura da cidade, seja aqui ou em outras cidades, estados ou países. O Coral Zanzalá, por exemplo, teve a experiência fantástica de cantar Handel em Nova Iorque, ano passado. Cubatão continua sendo um celeiro de talentos”, afirmou Welington Borges.

Entre as novidades está, ainda, a realização de um concurso de regência, envolvendo artistas brasileiros e estrangeiros, uma maneira de colocar os Corpos Estáveis e o município de Cubatão em evidência. A previsão é de que aconteça ainda este ano.

*Prefeitura Municipal de Cubatão

 

Entrevista: O adeus de Marcos Sadao às bandas de Cubatão

A partir de 2015 o maestro Marcos Sadao Shirakawa não estará mais a frente da regência da Banda Sinfônica de Cubatão e da coordenação da Banda Escola de Cubatão (BEC). O próprio secretário municipal da Cultura, Wellington Borges, salienta em carta endereçada ao regente “sua excelente contribuição artística e profissional” e “reconhecimento aos relevantes serviços prestados” em seus 12 anos de serviço na Cidade.

O texto divulgado nas redes sociais desta quinta-feira (8/jan) ainda explica que a saída de Marcos se deve a uma avaliação em 2015 que, “ao imprimirmos um novo olhar sobre o rol dos Grupos Artísticos do ponto de vista conceitual e metodológico, somos levados a prescindir da vossa valiosa e prestigiosa colaboração, o que vem resultar na cessação dessa tão exitosa e profícua parceria”.

> Saiba mais das mudanças dos Grupos Artísticos de Cubatão em 2015

Por sua vez, o maestro agradeceu as homenagens no Facebook, mas indicou que sua saída pode ser a “um problema político e principalmente por causa do crescimento do BEC a cada ano que passa”. Em resposta ao blog, a Secult não cita razões partidárias e anuncia que interinamente regente-auxliar Ulysses Damaceno e o monitor Germano Blume irão capitanear a Sinfônica e o BEC. Aliás, a rotatividade também marca a exoneração de Albino de Oliveira, regente do Grupo Rinascita de Música. Confira abaixo a entrevista exclusiva com o ilustre Marcos Sadao:

01No Facebook, você comentou que sua saída se deve a um problema político e pelo crescimento do BEC. Afinal, existe alguma rusga entre você e a Secult ou tem inimigos políticos?

Quanto à questão política, creio que onde existem pessoas que são obrigadas a atender as exigências políticas de determinados segmentos partidários, fica difícil desenvolver um trabalho profissional, pois a interferência dessas pessoas atrapalham em muito nosso trabalho. Ao apoiar um vereador nas ultimas eleições também apoiamos a prefeita, mas na política tudo muda.

Já quanto ao BEC, o projeto que foi desenvolvido para os próximos anos dá mais visibilidade e popularidade a quem está a frente na condução dele. Entendo que isso pode ter levado ao meu desligamento. O motivo que alegaram para minha saída foi “um novo olhar sobre o rol dos Grupos Artisticos do ponto de vista conceitual e metodológico”, de minha parte sempre estarei torcendo pelo sucesso da Banda e do BEC.

Nesses 12 anos, você popularizou o repertório da Banda Sinfônica da Cidade, atraindo mais público, e em outras entrevistas, sempre reafirma o compromisso de levar o conhecimento da banda aos cubatenses. Poderia citar outras ações que você realizou e se tornaram marcantes para a trajetória da Sinfônica?

Desde o início da minha gestão, procurei desenvolver projetos que atraíssem o público, e que popularizasse os movimentos culturais na cidade envolvendo artes plásticas, dança, canto coral com o auxílio da música, para tanto fizemos peças envolvendo a Cia de Dança (‘Carmina Burana’, ‘Musicais da Broadway’, ‘Scheherazade’, ‘Tangos’, ‘West Side Story’ e ‘Quadros de uma Exposição’) e com o Coral Zanzalá (‘Alexander Nevsky’, ‘Aquarela Brasileira’, ‘Queen Sinfônico’ e ‘Beatles Sinfônico’ com o cantor Lobão).

Também realizamos peças com atores e cantores da Cidade (‘Simonal e Taiguara’, ‘Classical Rock’, ‘O Grande Circo Místico’, ‘Cartoons’ e ‘A Paixão de Cristo’) e com artistas convidados, como Liriel, Thobias da Vai Vai, Oswaldinho do Acordeon e Raíces da América. E principalmente os concertos comemorativos e didáticos que envolviam os alunos do Programa BEC, levando a música para os bairros e escola da cidade.

Do mesmo modo, você esteve coordenando o BEC, que anda agradando os cubatenses desde seu começo em 2004. Como o descreve inicialmente e qual o panorama atual deste projeto?

02O Programa BEC tem cunho social, onde o objetivo maior além de dar uma atividade extra-curricular aos jovens muitos deles carentes, é poder dar a esses jovens a oportunidade de ter um contato maior com as atividades culturais. O exemplo desse sucesso é que hoje cerca de 25% dos integrantes da Banda Sinfônica tiveram origem no BEC, inclusive muitos deles buscando sua profissionalização já integram outros grupos até na Capital.

Destaco que o sucesso desse projeto se deve na maior parte à participação dos pais, pois foram eles que nos deram apoio para fazermos aquisições tanto de materiais didáticos como de instrumentos e manutenção dos equipamentos. Sem o apoio desses pais, o sucesso deste projeto não seria o mesmo.

Você também é o regente titular da Banda Sinfônica do Estado, considerada única profissional no País, e, portanto, sendo referência para as demais. Assim, poderia elencar quais as prioridades para ampliar o circuito de bandas sinfônicas em nosso Brasil? Seria mais investimento financeiro, interesse político, público, bons músicos, bons repertórios?

Essa é uma boa pergunta. Na minha visão, o Brasil tem uma tradição muito forte na formação de Bandas, porém, essas corporações estão sempre em busca de reconhecimento, auxílio financeiro etc. Na ponta de pirâmide sempre aparecem as orquestras, pois para o poder público a montagem de uma orquestra é mais rápida, porque na maioria das vezes tem sempre um grande patrocinador por trás. Entendo que a questão é educacional e cultural.

Enquanto música e cultura forem deixados de lado, ficará difícil a montagem de outras Bandas em nosso país. A Banda Sinfônica do Estado de São Paulo está entre as 10 melhores Bandas do mundo. Como chegamos a isso: tocando repertório de Banda Sinfônica, cobrando profissionalismo dos músicos e tratando esses profissionais com respeito.

Paulistano, você atualmente mora em Cubatão. Independente do futuro profissional, ainda pretende manter residência na Cidade? Qual sua opinião sobre o município?

Ao assumir a Banda, dividia minha semana entre Cubatão e São Paulo. E ao assumir o BEC, defini fixar residência aqui em Cubatão. Aqui aprendi amar, respeitar, conheci lugares e pessoas, tenho um carinho muito especial pela Cidade, pois me dediquei ao trabalho e entendo que a integração disso tudo me fez um homem melhor. A cidade tem um grande potencial humano e sempre será um celeiro de artistas.

No BondeCafé, Marcelo Araújo abre rumo da Cadeia Velha

Em visita a Santos, o secretário estadual da Cultura Marcelo Araújo deixou aberto o futuro da Cadeia Velha, a ser reaberta no último trimestre de 2015. Ele “se colocou a disposição de dialogar com a classe artística. Que o museu é apenas uma ideia que poderá agregar a outras iniciativas na Cadeia”, de acordo com o diretor teatral Platão Capurro Filho.

O artista santista conversou com o político durante a manhã desta sexta-feira, entregando à assessoria um flyer ‘Não queremos mais um museu’ e uma publicação impressa deste blog, apontando razões para o edifício não se tornar o Museu da Baixada Santista. Trata-se de um projeto já ventilado nas reuniões estaduais de conselho.

“Na sua fala ao público ele citou a conversa com o representante dos movimentos culturais presente na solenidade e ratificou o compromisso de dialogar com todos e encontrar soluções em conjunto”, complementou Platão nas redes sociais. Ele comenta que o secretário estava acompanhado do prefeito Paulo Alexandre Barbosa que, por sua vez, “apoiou a construção de um diálogo com a sociedade sobre o futuro Cadeia Velha e a possibilidade de torna-la multiuso”.

02As falas de ambos ocorreram no lançamento do BondeCafé, veículo turístico que é o resultado de convênio técnico entre a Prefeitura, CET e Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração. Aliás, a entidade é justamente a que a reportagem de A Tribuna apontou que trata em gerir futuramente a Cadeia Velha enquanto Museu da Baixada Santista.

BondeCafé

O BondeCafé faz parte das comemorações dos 469 anos de Santos. Trata-se de um veículo elétrico italiano dos anos 50 (prefixo 3265) adaptado com 24 lugares, ar-condicionado, cafeteria, acesso para pessoas com deficiência, sistema multimídia e espaço para degustação de café e exposições itinerantes.

O transporte funcionará na temporada de verão de terça-feira a domingo, das 12 às 17 horas, com saídas a cada 30 minutos. O bilhete será mantido em R$ 6,00, e o valor dará direito a uma xícara de café.

A adaptação custou R$ 85,5 mil, todo custeado pelo instituto em parceria com Poder Público. O convênio prevê também o treinamento de jovens selecionados pela Secretaria de Assistência Social (Seas) no Programa Novo Rumo, para atuar como baristas.

Confira a programação do projeto Orla Musical em Bertioga

O projeto ‘Orla Musical’ prossegue neste fim de semana (09, 10 e 11), levando diversas intervenções culturais para espaços públicos do Centro de Bertioga. A programação foi elaborada pela Prefeitura de Bertioga, por meio da Secretaria de Turismo, Esporte e Cultura, e teve início no último dia 2, com atividades musicais, culturais e circenses que acontecem simultaneamente nos quiosques 2 e 3, na orla da Praia da Enseada, e no jardim do Canal de Bertioga.

As apresentações são gratuitas e o objetivo é garantir entretenimento para todos os públicos, em locais de fácil acesso e ao ar livre. A programação está sendo divulgada semanalmente no Boletim Oficial do Município (BOM) e no site http://www.bertioga.sp.gov.br.

O horário para a realização dos eventos foi estabelecido pela Secretaria de Turismo de forma a não interferir na programação de shows que acontecem na Praça de Eventos, dentro do Verão Azul Bertioga 2015, aos finais de semana, durante o mês de janeiro.

Algumas apresentações acontecem no mesmo horário, uma vez que ocorrem de forma intercalada entre os grupos, possibilitando intervenções variadas. Confira as próximas atrações:

Sexta-feira (09)
– Musicando e apresentação Cultural da Tribo Pataxó (no intervalo nas apresentações musicais) – 19 horas – Quiosque 3
– Felipe Castro – 19 horas – Quiosque 2
– Luiz Moreaux – 19 horas – Canal de Bertioga

Sábado (10)
– Exposição de artesanato indígena da tribo Pataxó – das 10 às 22 horas – Quiosque 1
– Musicando e apresentação Cultural da Tribo Pataxó (no intervalo nas apresentações musicais) – 17 horas – Quiosque 3
– Apresentação cultural Pataxó – 17 horas – Quiosque 3
– Ong Onda Sonora – 17 horas – Canal de Bertioga
– Noite do Rock/Jazz Tupiniquin’s Roll e D´Prestige – 19 horas – Quiosque 2

Domingo (11)
– Musicando (Grupo 1) – 19 horas – Quiosque 3
– Musicando (Grupo 2) – 19 horas – Canal de Bertioga
– Ong Onda Sonora / Projeto Harmonia – 17 horas – Quiosque 2

*Prefeitura de Bertioga

 

Blocos têm até o dia 16 para confirmarem participação no Carnaval

O interessado em participar do Carnaval de Amparo tem até o dia 16 de janeiro para confirmar participação da seleção dos blocos carnavalescos. As apresentações acontecerão durante os 14 e 17 de fevereiro. Os blocos desfilarão pelo Centro Histórico.

Neste ano, até 12 blocos serão selecionados para que os foliões possam se divertir. Além disso, no São Dimas e distritos de Três Pontes e Arcadas acontecem as matinês.

O edital de seleção está publicado no portal da Prefeitura de Amparo (www.amparo.sp.gov.br) e designa-se apenas para a seleção de blocos carnavalescos para os Circuitos Folia; Alegria e Vem que Tem.

A Prefeitura de Amparo dará o apoio aos blocos, na infraestrutura necessária para realização dos circuitos, como carro de som, microfone, segurança, limpeza, banheiros químicos, assessoramento, organização do trânsito e decoração dos circuitos.

Para a pessoa jurídica que esteja interessada na participação, a Secretaria de Esportes, Lazer e Cultura também dará o suporte para a efetivação da inscrição. O edital pode ser retirado na Central de Atendimento ao Cidadão, localizada no Paço Municipal Prefeito Carlos Piffer, na Avenida Bernardino de Campos, 705 – Ribeirão. O telefone para informações é o (19)

3817-9300 ramais: 9232/9292. No portal da Prefeitura, o link do edital e da ficha de inscrição é o http://www.amparo.sp.gov.br/sites/default/files/edital_bloco_carnaval_2015_0.pdf

Para grupos que já participaram das festividades do Carnaval em outras edições, a Prefeitura repassará o valor de R$ 7 mil para uma apresentação. No caso de blocos que participarão pela primeira, o valor é de R$ 5 mil. Caso o bloco queira participar com duas apresentações, haverá o acréscimo de mais R$ 2 mil.

*Prefeitura de Amparo

BR Skate Film Festival chega a Santos neste fim de semana

O Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136) recebe pela primeira vez de 09 a 11 de janeiro, a itinerância do BR Skate Film Festival – único festival de cinema e vídeo dedicado exclusivamente ao skateboard no Brasil. O evento, que faz parte do projeto Sesc Verão 2015, segue a mutação inspiradora do skate, que hoje é o segundo esporte mais praticado no Brasil, e leva para tela do cinema o que a principio só poderia ser visto nas ruas de diversos lugares do mundo.

A abertura acontece na sexta-feira, às 20h, com a exibição de “Pretty Sweet”, do premiado diretor Spike Jonze (vencedor do Oscar de melhor roteiro com o filme ‘Her’), Ty Evans e Cory Weincheque. A história gira em torno de duas gangues, que na verdade não são rivais, mas muito boas no que fazem. Um registro documental de batalhas e manobras da equipe Girl & Chocolate Skateboards, com a participação dos maiores nomes do skate mundial como Eric Koston, Guy Mariano, Sean Malto, Marc Johnson, Elijah Berle, Mike Carroll, Alex Olson, Stevie Perez, Gino Iannucci, Chico Brenes, entre outros.

01A programação traz uma série de curtas inéditos exibidos pela primeira vez em Santos como o “MH Skate”, de Toni Carlos Dias e Chico Rodrigues, que retrata a trajetória da carioca MHS, que começou de uma brincadeira de pai para filho em fazer rampas feitas com material de piscina até a fundação de um Skate Parque profissional; “Passengers”, de Tristan Zumbach, que faz uma viagem através de quatro cidades internacionais: São Paulo, Barcelona, Genebra e Londres, a fim de encontrar os skatistas locais, e muito mais.

O BR Skate Film Festival promove ainda dois debates sobre o audiovisual do skate no Brasil. O primeiro acontece no sábado, às 16h após a exibição do filme “Uni.Versus”, de Renato Zokreta, um média-metragem sobre a vida e o skate que busca estimular o pensamento e resgatar a essência universal do ser através das relações humanas, com a presença do diretor e dos skatistas profissionais Daniel Marques (skatista profissional que faz parte do elenco do filme Uni.Versus), Leo Low (skatista profissional da baixada santista) e Klaus Bohms, skatista profissional reconhecido mundialmente.

Já no domingo, também às 16h, acontece o segundo debate após a será exibição o “CityZen”, filme de Guilherme Guimarães, que retrata o skate como forma de intervenção urbana na cidade de São Paulo, com a presença do diretor e dos skatistas profissionais Murilo Romão (skatista profissional) e do argentino Esteban Florio (skatista profissional). A mediação nos dois debates será feita pelo curador do festival Anderson Tuca.

*Sesc-Santos