Arquivo da categoria: Literatura

Vernissage e lançamento de livro no IHGSV neste sábado

Prefeitura de São Vicente

Lançamento de livro, exposição artística e, para acompanhar, o tão famoso café da Casa do Barão. Essas serão as atrações do Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente (Rua Frei Gaspar, 280 – Centro), neste sábado (23/fev), a partir das 16h.

A primeira atividade será o lançamento do livro “Alma Persona In Utopia Condicional”, de Adílson Maraucci Pacheco: “No meu livro consta uma variedade de estilos literários, entre eles sonetos, poesias, poemas, pensamentos, prosas, letras de música e até desenhos. Todos com temas diferentes.”

Ele ainda ressalta que seu livro também pode ser classificado como de consciência política, ao escrever os sonetos ‘Sois Vos’ e ‘Os Capacetes de Aço’, que se referem a esse tema. Ao mesmo tempo, os visitantes podem conferir o vernissage do artista plástico Paulo Bernardes. A exibição segue até 27/fev, e conta com a exposição de quadros, tapetes e objetos de decoração.

Para acompanhar essas atrações, os visitantes poderão também desfrutar do café do Barão, com quatro opções diferentes: aromatizados de baunilha com nozes, creme brulee, chocolate e de amêndoas. Além da receita tradicional do cappuccino, que é servido quente, com chantilly, ou frio, e com uma bola de sorvete.

 

Nesta sexta, livros, show e cinema se somam em ‘Cabeças da Arte’

Via Amanda Marx e Cláudia Brino

O espaço cultural Burako’s recebe nesta sexta-feira (22/fev), às 21h, o evento ‘Cabeças na Arte: Música – Poesia – Cinema’. Com entrada franca, a iniciativa editada por autores da ‘geração mimeógrafo’, que teve seu surgimento entre os anos 70 e 80. O local fica na Rua Marquês de Herval, 11/13, Valongo/Santos.

Em Santos, o movimento surgiu em 1978, com um grupo de poetas e artistas da periferia que se movimentavam através da Jogo-Duro Editora. De forma artesanal, rústica e com ilustrações psicodélicas os livros eram mimeografados ou xerocopiados e vendidos em feiras hippies, shows de rock ou barzinhos da noite Santista.

Para comemorar o início dessa atividade literária marginal na cidade, serão relançados três livros do lendário catálogo da Jogo-Duro Editora: ‘Um Pouco’ de Gastão Gomes, ‘Universo feito fruto’ de Antonio do Pinho e ‘Sopa de Letras’ de Vieira Vivo. Durante o evento, será exibido o minidocumentário ‘Pescadores de Palavras – a Jogo Duro Editora’, de Madeleine Alves (Signos Possíveis), que conta a história desta atividade underground.

Também será realizada a apresentação do Grupo Pau a Pique, que conta, ainda hoje, com integrantes remanescentes daquelas noitadas libertárias de poesia e música autoral, e que se fez presente nos meandros culturais daquela época.

 

Feira de Troca de Livros volta ao Palácio das Artes no dia 23

Por Prefeitura de Praia Grande

Quem gosta muito de ler sempre acaba acumulando livros em casa. A 22º Feira de Troca de Livros acontece no próximo dia 23 no Palácio das Artes (PDA, Av. Pres. Costa e Silva, 1600/Praia Grande) e é a oportunidade perfeita para renovar a leitura. O evento já é tradicional em Praia Grande, fazendo parte do calendário cultural da Cidade.

Para participar, basta trazer um ou mais exemplares em bom estado e escolher outros disponíveis nas mesas de troca do evento, que é realizado no Salão de Eventos do PDA a cada dois meses. A criançada tem um cantinho especial na Feira, com um cenário de leituras, espaço para brincadeiras e contação de histórias. O objetivo é incentivar a leitura por meio da rotatividade dos exemplares, pois possibilita ao público lerem diversos livros apenas dispondo de um.

Além da troca de livros, a tarde também contará com o 11º Ciclo de Leitura Dramática. Nessa edição, o escritor e dramaturgo Roberto Massoni faz a leitura “Alegria Pânica”, às 16 horas, também com entrada gratuita.

 

Márcio Barreto lança sua nova obra durante Sarau Caiçara nesta sexta

Por Márcio Barreto

O livro ‘A Desmemória e seus outros nomes’ será lançado durante nova edição do Sarau Caiçara nesta sexta-feira (15/fev), das 19h às 22h, na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340/Santos). A publicação de Márcio Barreto (Ed. Imaginário Coletivo) tem o valor de R$ 40.

O lançamento contará com a Feira Imaginária (feira de livros) e participação do aniversariante Flávio Viegas Amoreira, do grupo Percutindo Mundos, além de: Mc Dany, Douglas Drez, Nytria, Orpheu, Martin. Entre escritores, Madô Martins e Regina Alonso têm presenças confirmadas. No dia, haverá homenagem póstuma à jornalista Helle Alves com mostra fotográfica de Myriam D’Almeida.

Em ‘A Desmemória e seus outros nomes’, o autor reúne os seus quatro últimos livros ‘O novo em Folha’, ‘Nietszhe: ou do que é feito o arco do violino’, ‘Mundocorpo’ e ‘Macunaímabladerunner’, poemas inéditos e entrevistas que marcaram sua produção literária de 2010 a 2018.

Com prefácio de Ademir Demarchi, Flávio Viegas Amoreira, Manoel Herzog, Laercio Silva, Madô Martins, Maria José Goldschmidt, Oscar Dambrosio e Carlos Pessoa Rosa, o livro é um monumento móbile às memórias e desmemórias que nos formam.

Nascido em Santos, Barreto é pesquisador da cultura caiçara e utiliza diversas linguagens para expressar suas questões como a literatura, edição de livros, música, cinema, dança, arte-educação, educação social. Já publicou sete livros entre eles ‘Ácidos Trópicos’, ‘Wisnikianas’ e ‘Mar Selvagem’, este como organizador.

Atualmente, trabalha na edição de seu romance ‘Totem’. É também compositor e líder do coletivo Percutindo Mundos que criou profundos laços com a música de Gilberto Mendes, ao qual é dedicado o livro, tendo encerrado o último Festival Música Nova, na USP em Ribeirão Preto.

Aos 40 anos, Grupo Picaré de Literatura e Artes terá nova coletânea em junho

Por Lincoln Spada | Foto: Wilson Melo

A fim de celebrar os 40 anos da criação do Grupo Picaré de literatura e artes de Santos, está previsto lançamento de uma coletânea de poesias, contos, crônicas, desenhos e fotografias para o próximo junho. O coletivo foi iniciado no mesmo mês de 1979, pelos poetas Rafael Antonio Marques Ferreira e Raul Christiano Sanchez nos corredores da Faculdade de Comunicação da Católica UniSantos, logo atraindo outros escritores.

Já nos anos 80, foram reconhecidos pelos seus manifestos, passeatas e publicação de literatura alternativa e marginal. Em prol da vanguarda e arte humanística, o grupo batizado pelo nome de rede de arrasto para pesca era contrário à elitização cultural. No manifesto Picarismo, o grupo defendia uma ação artística “direta, clara, sem o formalismo que impõe normas para a criação”.

Impressos inicialmente em mimeógrafos, os boletins poéticos organizados pelo grupo aos sábados na escadaria da universidade, eram distribuídos pelas faculdades, portas de teatro, bares e cinemas. Mais tarde, o Centro Cultural Patrícia Galvão seria a sede de uma das principais atividades do Picaré, a Feira de Literatura Independente, concluída com uma passeata poética pelo Gonzaga.

Décadas depois, o grupo irá ser revisto na futura coletânea, sob a coordenação de Raul, que se articula com editoras da Baixada Santista e da Capital para concretizar a obra comemorativa. A obra deve reunir fotos da trajetória do grupo, imagens das capas das publicações de seus autores, depoimentos, contexto histórico do movimento literário dos anos 70 e 80, além dos trabalhos de cada um dos artistas envolvidos.

A nova publicação do Grupo Picaré contará com: Alex Sakai, Antonio Do Pinho Miguel Alves, Cesar Bargo Perez, Cissa Peralta (in memoriam), Denize Gomes Gonsalves, Douglas Martins de Souza, Dudu Morato (Edwiges Morato), Edilza Lira S. Fernandes, Fausto José Barbosa, Flavio Calazans, Gil Menin, Inês Bari, Jaime Antonio Filho, José Cândido, Leopoldo Pontes, Liliam Fernandes, Luiz Antonio Canuto Dos Santos, Marilia Marques, Marisa Murta, Orlando Moreno, Orleyd Faya Corrêa, Osvaldo DaCosta, Rafael Antonio Marques Ferreira, Raul Christiano, Roberto Massoni, Rosana Limeres, Sérgio Gonçalves Pinto, Sergio Lemos, Sidney Sanctus, Valdeli Silva, Valdir Alvarenga, Vieira Vivo, Wallach e Wilson Melo.

Ainda, estão previstos os depoimentos da professora Mariângela Duarte, Sergio Trombelli, Gil Nuno Vaz, José Luiz Tahan, Márcio Barreto, Flávio Viegas Amoreira, Madeleine Alves, Sylvia Bittencourt, Julinho Bittencourt, Ricardo Soares, Thereza Rocque da Motta, Claudio Willer, Luis Avelima, Leila Míccolis, Maurilio Campos dentre outros. Mais informações, via e-mail: raul.christiano@gmail.com.

Em fevereiro, PG reúne música, artesanato, feira literária e teatro

Prefeitura de Praia Grande

Neste mês de fevereiro, a agenda cultural de Praia Grande está repleta de atividades gratuitas e voltadas para os mais diversos públicos. Feira de Artesanato Itinerante, espetáculo ’As Sogras’, as 12 arenas do Estação Verão Praia e Feira de Troca de Livros são alguns dos destaques que são ótimas opções para quem quer se divertir sem gastar.

Em todos os fins de semana do mês, as 12 arenas do Estação Verão Praia trazem gratuitamente atrações musicais de diferentes estilos da região todas as noites de sextas e sábados (21h até 0h), além das atividades físicas e esportivas do Estação Verão Praia ocorrerem aos sábados e domingos (9h às 20h).

Nos dias 9 e 10/fev, ocorrerá a Feira de Artesanato Itinerante. O ponto escolhido para exposição dos artesanatos é a Área de Lazer Ézio Dall’Acqua, conhecida como Portinho. Neste mês, o tema dos artesãos é o verão e deve encantar o público presente. A entrada é franca e o expediente é das 12h às 18h (sábado) e das 10h às 18h (domingo).

Já no dia 21/fev, às 20h, ‘As Sogras’ voltarão ao palco do Teatro Serafim Gonzalez, no Palácio das Artes – PDA (Av. Pres. Costa e Silva, 1600), com ingressos gratuitos entregues a partir de uma hora antes do espetáculo. Além disso, a 22ª Feira de Troca de Livros completa a programação com entrada franca: 23/fev, das 14h às 18h, no PDA.

No mesmo dia 23/fev, às 21h, o PDA recebe a peça ‘O Vendedor de Sonhos’, com ingressos de R$ 40 a R$ 80 no site blueticket.com.br. Baseada no best-seller homônimo de Augusto Cury, a adaptação teatral foi feita pelo autor em parceria com Cristiane Natale e Erikah Barbin.

Dino Menezes lança o livro de crônicas ‘Pra quem acredita em fantasmas’

Crônicas de terror baseadas em fatos reais é o mote do livro ‘Pra quem acredita em fantasmas’, do cineasta santista Dino Menezes. A obra será lançada no dia 15/fev, das 18h30 às 21h, na Realejo Livros (Rua Mal. Deodoro, 2/Santos). No valor de R$ 40, o título é uma produção da Dino Filmes com atelier About_Books.

A obra conta com fotos, imagens e relatos registrados por Dino ao longo de nove meses de pesquisa. A ideia da obra veio a partir de uma visita a Paranapiacaba, sobre a possibilidade de Jack Estripador ter vindo para o País. Com a ajuda do historiador Eduardo Pin, o que era para ser um filme se transformou em um livro.

“As histórias de terror do livro brincam com nossa realidade. Elas trazem um rico diálogo entre o fictício e o fato histórico fazendo com que a gente se questione sobre o que de fato aconteceu e o que foi fruto da imaginação de alguém (ou não)”, comenta o cientista político Rafael Moreira.

“Eu adoro as histórias de fantasmas do Dino Menezes porque elas me lembram o filme do Polanski, ‘A Dança dos Vampiros’. A gente ri e fica com medo ao mesmo tempo”, diz o agente cultural Rodrigo Lucheta. Por sua vez, o diretor teatral Rodrigo Caesar complementa: “Nestes tempos sombrios em que vivemos, nada melhor que a magia da arte para nos satisfazer. E nesse maravilhoso conto de terror, vamos viajar fundo nos limites do ser humano. E é Dino Menezes quem vem chegando com mais uma história de arrepiar”.