Arquivo da categoria: Literatura

Mostra ‘Anjos Escultores’, oficina literária, teatro e palestras na Pinacoteca de Santos

Por Secult Santos | Foto: Acervo familiar

A mostra ‘Anjos Escultores’ apresenta o trabalho de Daniel Leandro Gonzalez (1956-2011), tendo a sua abertura nesta quarta-feira (10/abr), às 19h, na Pinacoteca Benedicto Calixto (Av. Bartolomeu de Gusmão, 15/Santos). A mostra pode ser conferida até 25/mai, de terça-feira a domingo, das 9h às 18h, com entrada franca.

Daniel é filho do ator e escultor Seraphim Gonzalez e de Mara Hüsemann, também atriz e pintora. Artista plástico, o escultor e filósofo nasceu em Campinas, interior de São Paulo. Aos cinco, aprendeu a fazer esculturas de areia. Em 1973, fez a primeira escultura em gesso: uma cabeça de cavalo e não parou mais. Daniel se consagrou na Baixada por conta das esculturas Mulheres dos Mares do Sul, feitas para as festas do Ilha Porchat Clube na TV.

Responsável pelas esculturas da segunda versão da novela Mulheres de Areia, Daniel obteve a consagração como um dos maiores escultores do País. Com isto, suas esculturas foram projetadas internacionalmente para mais de 27 países. Seu legado está em monumentos públicos nas cidades da Baixada Santista.

Outras atividades

Já nesta quarta-feira (10/abr), às 18h30, tem início a oficina criativa de conto, poesia e romance, ministrada pelo escritor Flávio Viegas Amoreira. O investimento é de R$ 100 e contempla as aulas às quartas-feiras nos dias 17 e 24/abr. Por sua vez, às quintas-feiras (11 e 18/abr), das 17h30 às 19h30, haverá um curso sobre a História Ocidental na Modernidade – dos séculos 18 ao 20, com investimento de R$ 90. Nas sextas-feiras (12 e 26/abr), às 18h30, Fábio Luiz Salgado convida interessados na área para um bate-papo gratuito sobre ‘O Que é Pensamento?’.

A Arqueologia Subaquática também é tema do ciclo de palestras de projeto da Pinacoteca com a Unifesp: No sábado (13/abr), às 10h, a atividade será mediada pela professora Cristiane Amarante. No mesmo dia, às 15h, ocorre a atividade ‘Momento do Acervo Tarquínio’, com bate-papo com o jornalista Rafael Motta (autor de biografia sobre Esmeraldo Tarquínio) e mediado por Ricardo Rutigliano Roque e a apresentação de ‘Ágora Caiçara a Esmeraldo Tarquínio’, com Teatro do Oprimido, sob a direção teatral de Rafael Palmieri.

Ainda, aos domingos (14 e 28/abr), às 9h, a professora de dança Ana Paula Ambrozi e a terapeuta Aline Garcez apresentam uma mistura de técnicas que visam integrar a mente, o corpo e o espírito através do alongamento antiestresse, que proporciona reestruturação corporal garantindo uma melhor qualidade de vida para as pessoas.

No mesmo domingo (14/abr), às 17h, os palhaços Tellos Paçoca e Tuff Tuff são acionados de última hora para apresentarem um show. Durante a viagem, eles embarcam em uma incrível aventura, mas suas diferentes personalidades coloca em risco a parceria da dupla, o que vai tornando a missão cada vez mais atrapalhada. No meio dessas situações excêntricas e divertidas, vão revelando situações em que a amizade é a única forma de salvá-los.

Nua e crua, nova edição da intervenção urbana ‘A_Front’ será dia 13

Pelo Movimento ELA

A próxima edição do evento ‘A_Front’ será neste sábado (13/abr), a partir das 23h30, na Praça da República (Santos). O intuito da festa com intervenções urbanas é promover a cultura livre através de ocupações de espaço público protagonizados por mulheres, trans, e pessoas não binarias. O evento contará com: Carolina Martins, a DJ Profana; a rapper Emily Santos, a Smile MC; a DJ Litta Afrontite; a cantora Meduza Brava; a DJ Nanne Bonny, entre outras artistas.

‘A_Front’ não tem fins lucrativos, é cultura de rua, na rua, é visibilidade pra quem não tem, é empoderamento e lugar de fala. “Mulheres no front, profania na rua, várias rabas que avoam pra mostrar pra vocês com quantos golden shower se faz um pós-carnaval”, emite em nota as organizadoras.

A iniciativa é realizada pelo ELA – Empoderamento, Liberdade e Arte, um movimento de mulheres artistas que surgiu com o intuito de fomentar o protagonismo feminino na arte e na cultura. O movimento desenvolve diversas atividades que não só priorizam a visibilidade das mulheres artistas como tambem lutar pela sua emancipação e autonomia, financeira, artística, e pessoal.

Projeto ‘Te Conto na Sexta’ aborda cultura indígena em sessões gratuitas

Por Contar é Preciso

O projeto Te Conto na Sexta tem início nesta sexta-feira (5/abr), às 19h30, na Estação da Cidadania de Santos (Av. Ana Costa, 340). Com o foco ‘Contos da Cultura Indígena’, a programação segue nos dias 12 e 26/abr, no mesmo horário e local com entrada franca.

A iniciativa é realizada pelo Coletivo Contar é Preciso. O grupo surgiu na Região Metropolitana da Baixada Santista no ano passado, a partir de oficinas ministradas no Sesc e Senac. Recentemente atuaram em uma mostra de reflexões femininas no próprio Sesc Santos.

Sob a orientação e articulação de Corina de Assis, usa a contação como instrumento de reflexão sobre relações de gênero, refúgio, proteção à infância, meio ambiente e idosos. Com 15 membros, realiza projetos lítero-sociais e mantêm um espaço aberto à pesquisa e contação pública.

Em novo módulo, Rota Literária retorna com narrativas visuais sobre porto e cidade

Por Alessandro Atanes

Os sábados de abril contarão com o retorno do curso Rota Literária – Conhecendo Santos por meio da Literatura, desta vez com o módulo Cenas de cinema, sobre narrativas visuais e a descrição literária de imagens em torno do Porto de Santos. Os encontros ocorrem nos próximos dias 6, 13, 20 e 27, das 17 às 19 horas, na Associação Cultural José Martí da Baixada Santista e são conduzidos pelo jornalista e mestre em História Social Alessandro Atanes.

Como as aulas são temáticas, não é necessário que os interessados tenham participado do primeiro módulo, A cidade e o porto, realizado em fevereiro no mesmo local. A associação fica na Rua Joaquim Távora, 217. O valor do módulo é R$ 80,00, com a opção de R$ 25,00 por aula. Inscrições e informações: josemarticultural@gmail.com.

Os encontros de abril têm início com o assunto Coreografias do cais, sobre como representações artísticas do trabalho dos estivadores do porto do século XX se relacionam com o pórtico de uma igreja do período românico, bem como a representação do trabalho no cais em narrativas e pinturas. No segundo encontro (dia 13), o tema é Vicente de Carvalho, cineasta, sobre como o chamado “poeta do mar” apresenta também outras facetas, como a narrativa cinematográfica do poema Fugindo ao Cativeiro, de 1908, sobre uma fuga de escravos pela Serra do Mar em busca do quilombo do Jabaquara. “Ao ler esse poema épico de Vicente de Carvalho, iremos de suas relações com a Ilíada de Homero até Django Livre, de Tarantino”, apresenta o pesquisador.

O ponto de partida da terceira aula (dia 20), Os fins do mundo de Santos, é a invasão da cidade em Monstros (2012) de Gustavo Duarte, uma narrativa visual sem diálogos que traz para nossas praias um clima de filme-catástrofe entre muretas e polvos. Já o imaginário das ressacas e da elevação do nível dos oceanos é explorado nos títulos de duas obras de Flávio Viegas Amoreira, A biblioteca submergida e Maralto. Para fechar o módulo (dia 27), o tema é a representação do incêndio de Vila Socó na poesia de Marcelo Ariel.

O objetivo é mostrar como as obras artísticas e literárias, mais do que ilustrar os fatos reais, são elas mesmas fontes para a pesquisa histórica e a compreensão da sociedade. Atanes é mestre em História Social pela Universidade de São Paulo com a dissertação História e Literatura no porto de Santos: o romance de identidade portuária “Navios Iluminados” (2008). Suas pesquisas levaram à publicação do livro Esquinas do Mundo: Ensaios sobre História e Literatura a partir do Porto de Santos (Facult/Dobra Universitário, 2013). Possui especialização em História e Historiografia e graduação em Jornalismo. Mantém na própria José Martí o SUR -Clube de Leitura de Literatura Latino-americana.

Seis municípios da BS terão Circuito SESC de Artes 2019; acesse programação completa

Por Sesc SP

Uma caravana com 490 artistas de diversos lugares do Brasil e do mundo, divididos em 14 roteiros, se prepara para viajar pelo estado de São Paulo no 11º Circuito SESC de Artes. Com atividades de artes visuais, circo, cinema, dança, música, teatro, literatura e tecnologia e artes, o circuito acontece de 29/mar a 14/abr, das 16h às 21h30 em 121 cidades.

Na Baixada Santista, foram contemplados os municípios: Mongaguá (29/mar), Guarujá (30/mar), São Vicente (31/mar), Cubatão (12/abr), Bertioga (13/abr) e Peruíbe (14/abr). De atmosferas poéticas a explosões de cenas, de performances solo a grandes grupos, de trabalhos manuais a realidade virtual, o Circuito envolve 100 programações culturais em mais de mil apresentações artísticas em espaços públicos, sempre com atrações gratuitas para todas as pessoas.

Realizado desde 2008, o circuito tem como objetivo estimular a circulação e a difusão de trabalhos artísticos, inspirar diversos usos para os espaços públicos e ampliar as possibilidades de convivência. “A importância do projeto está, sobretudo, ligada ao caráter democrático das ações, pensadas para aproximar o público das mais diversas formas de expressão da arte e de seus conteúdos. Ao levar as atividades para as praças, o Circuito cria pontes significativas entre as pessoas, os artistas e o próprio espaço”, explica Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

Para a realização do Circuito SESC de Artes o Sesc São Paulo conta com a parceria das prefeituras municipais e sindicatos do comércio locais. A coordenação dos trabalhos envolve equipes de diversas unidades do Sesc em todo o estado. O site do Circuito será diariamente atualizado com produções exclusivas, registrando histórias curiosas, destaques da programação e personalidades de cada cidade que recebe a caravana. Basta acessar sescsp.org.br/circuitosescdeartes e conferir estes conteúdos.

> Mongaguá | Sexta-feira, 29/mar | 16h às 21h30 | Praça Fernando Arens (Centro)
> Guarujá | Sábado, 30/mar | 16h às 21h30 | Praça dos Expedicionários (Praia de Pitangueiras)
> São Vicente | Domingo, 31/mar | 16h às 21h30 | Praça 22 de Janeiro (Centro)
Programação nestes municípios: Espetáculo de dança ‘Varal de Nuvens’, com Lagartixa na Janela (SP); Teatro ‘Menu Del Giorno’, com Companhia Bella Vita (Itália); show de Forró na Caixa (PE) e Cremosa Vinil (SP); Cinema em realidade virtual em parceria com a Mostra Internacional de Cinema de SP; mostra ‘Bordadinhos Fantásticos’, com Ímã Cósmico (SP); atividade literária ‘Universo HQ’, com mediação do Grupo Êba (SP); e pilotagem de minidrone, com Lucas Schlosinski e Natasha Colombo Praga (SP).

> Cubatão | Sexta-feira, 12/abr | 16h às 21h30 | Praça da Independência (Casqueiro)
> Bertioga | Sábado, 13/abr | 16h às 21h30 | Parque dos Tupiniquins (Centro)
> Peruíbe | Domingo, 14/abr | 16h às 21h30 | Praça da Igreja Matriz (Centro)
Programação nestes municípios: Oficina ‘Pipa Gravura’, com Silvia Ruiz (SP); teatro ‘Os Cavaleiros da Triste Figura’, com Grupo Boca de Cena (SE); espetáculo circense ‘Roda’, com Rapha Santacruz (PE); show de Mutrib (SP) e DJ Mary G (SP); espetáculo de dança ‘(Com) Fluencia’, dos Discípulos do Ritmo e convidados (SP); cinema em realidade virtual; e mostra ‘Jandig – Arte em realidade aumentada’, com Memelab (SP).

 

Material pedagógico fomenta ensino musical nas escolas de Guarujá

Por Prefeitura de Guarujá

A música é uma linguagem que vai muito além do entretenimento. Em Guarujá, ela também é uma ferramenta de transformação educacional. No último dia 23/mar, a Prefeitura de Guarujá fez a entrega de importante material pedagógico destinado a alunos e professores da rede municipal de ensino.

Trata-se do “Projeto Brincadeiras Musicais da Palavra Cantada”, um kit composto por livros, CDs e DVDs que visa o desenvolvimento e apoio pedagógico, por meio da música, no fomento do conteúdo curricular na rede municipal.

A Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Sedel) aderiu ao Projeto da Palavra Cantada investindo um total de R$ 3.250.823,00. Neste primeiro momento são beneficiados exatos 12.663 alunos e 538 professores, todos pertencentes à Educação Infantil (II, III e IV), e 1º e 2º anos do Ensino Fundamental I.

A cerimônia de entrega aconteceu no Teatro Municipal Procópio Ferreira e contou com apresentações e palestras do Palavra Cantada. “A gente acredita muito neste projeto e estamos contentes por Guarujá adotá-lo. A música pode trazer a transformação como área de conhecimento importante e a escola ser valorizada é fundamental”, contou o músico, Gabriel Levy.

Palavra Cantada

Existe desde 2011 e já envolveu mais de 850 mil crianças de todo o País. Os kits são compostos por livros, CDs e DVDs, que vão ajudar a levar a música para a sala de aula, em um projeto que traz benefícios educacionais, além de fomentar o desenvolvimento cultural. Ao todo, 30.703 alunos serão beneficiados, com 30.241 kits já adquiridos.

O “Brincadeiras Musicais” reúne músicas, brincadeiras e educação por meio de uma visão poética e harmoniosa, respeitando a inteligência e a sensibilidade das crianças. Além disso, também valoriza a cultura, os ritmos e os instrumentos brasileiros, e o fortalecimento da relação familiar, de forma acolhedora e lúdica.

Com desconto de até 80%, Feira do Livro segue até domingo em São Vicente

Por Prefeitura de São Vicente

Se você gosta de ler e não perde a oportunidade de ficar imerso em novos universos, vai adorar conhecer a Feira do Livro, que acontece até domingo (24/mar), na Praça Coronel Lopes, no Centro.

Chamada de Feira Popular do Livro, a iniciativa foi trazida pela Prefeitura para São Vicente, em conjunto com a Secretaria de Cultura (Secult), para proporcionar aos vicentinos o conhecimento e o acesso agrandes nomes da literatura nacional e da literatura internacional. E o melhor de tudo, com descontos de até 80%.

Percorrendo todo o Brasil, o projeto tem o intuito de garantir cultura e engrandecimento intelectual para a população de forma acessível. Para quem caminha pelo Centro da Cidade, a instalação chama a atenção. Por isso, é impossível não dar uma “paradinha” para conferir as novidades.

Foi o que fez Beatriz Fernandes, que passou algum tempo decidindo quais livros iria levar. “É bem diferente, a gente quer ler, saber mais sobre os autores, mas acaba sendo muito caro. Tenho vindo aqui direto, para comprar algo diferente. O desafio é não levar tudo”, comenta.

Além dos baixos preços, que variam de R$ 5 a R$ 40, a diversidade também conquista os diferentes tipos de leitores, como a autônoma Ana Paula dos Santos, 45 anos. Ela encontrou livros para “espairecer” e também para ajudar o filho no processo de alfabetização.