Arquivo da categoria: Música

Direitos Humanos e Hip Hop pautam mostra na Vila Criativa

Por Lincoln Spada

Os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos pauta o evento do Muito Prazer! Meu Nome é Hip Hop (MPMNH2). A mostra ‘Direitos Humanos sob a ótica do Hip Hop’ será nestá neste sábado (8/dez), das 15h às 21h, na Vila Criativa da Vila Nova (Praça Rui Ribeiro Couto, s/nº/Santos), com apoio da Prefeitura. A entrada é franca.

O encontro visa ressaltar a importância dos quadros elementos da cultura de rua na luta pelas liberdades fundamentais, combate à discriminação racial e desigualdade social. A abertura contará com a performance ‘Girando o Mundo’, do rapper Pedrinho da Rima (15h), seguido de bate-papo sobre o tema do evento (15h30).

A programação também terá live paint com grafiteira convidada (16h), performance da dança ‘Direto ao Assunto’, do Mad Feeling Crew (16h30), tempo poético com Slam dos Andradas e convidados (17h), duelo de rimas com MCs da região e discotecagem de Mamuth DJ (18h). Ainda, batalha de Breaking 1 x 1 com DJ Dog (18h30) e pocket show com bandas do Festival de Juventude, Fragmentes, USREC e MOÇ, além da rapper Jordana Tostes (20h).

 

Sinfônica de Cubatão leva ‘Música nos Bairros’ ao Vale Verde

Por Morgana Monteiro
A Banda Sinfônica de Cubatão realiza mais uma apresentação do projeto de formação de público intitulado “Música nos Bairros”. O próximo concerto será neste domingo (18), às 15h, no Vale Verde. O pátio da UME Mário de Oliveira Moreira (Rua Vereador Paulo Enos, s/nº) será palco para a Banda. A entrada é franca.

Este concerto conta com regência do maestro-assistente Ulysses Damacena e traz músicas como “Alvamar Overture”, de James Barnes, e  “Star Wars Saga”, de John Williams com arranjo de Johan de Meij. Na canção “Trompeta de Espanha”, do compositor brasileiro Gilberto Gagliardi, haverá solo do trompetista Alessandro Ribeiro Inácio.

Na música “Pacific Dreams”, de Jacob de Haan, o Corpo Coreográfico da Banda Marcial junta-se à Sinfônica, levando uma apresentação carinhosamente preparada pela coreógrafa Alessandra Palucci. Esta é também uma maneira de realizar a integração dos Grupos Artísticos da cidade, que são Corpos Estáveis mantidos pela Secretaria Municipal de Cultura.

Esta apresentação faz parte da chamada “Série Concertante” que tem por objetivo divulgar a obra de compositores consagrados, apresentando a música clássica de raiz e foi criada pelo regente titular da Sinfônica, Rodrigo Vitta. “Nossa ideia é juntar duas forças: um repertório cheio de energia e lindos arranjos às apresentações descentralizadas, nos bairros, bem perto da comunidade”, afirma Vitta. O maestro destaca o caráter formativo da apresentação. Neste primeiro semestre, a Sinfônica também deve se apresentar no Jardim Casqueiro (Someca) e em maio, na Igreja Assembleia de Deus, no Jardim São Francisco, sempre com repertório de qualidade e solistas convidados.

Projeto Guri dispõe virtualmente todo o seu material didático ao público

Por Projeto Guri

Todos os livros didáticos produzidos pelo Projeto Guri, programa sociocultural de formação musical de crianças e adolescentes, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, estão disponíveis gratuitamente no site da instituição.O acervo reúne os conteúdos abordados no ensino coletivo de música nos polos do Guri, com sugestões de atividades e repertório, dicas e curiosidades musicais organizadas por renomados educadores musicais.

“Acreditamos que ao compartilhar nosso material didático o seu alcance será ampliado, contribuindo para o enriquecimento do ensino coletivo da música para além das  fronteiras da instituição. Estudantes, músicos, professores e professoras de música, escolas e organizações sociais artísticas e público em geral poderão, a partir de agora, ter acesso a este rico material”, diz Claudia Freixedas, diretora Educacional do Projeto Guri.

A iniciativa facilitará o acesso de educadores e alunos ao conteúdo dos materiais que até hoje estavam disponíveis apenas nas versões impressas, distribuídas nos polos de ensino do Projeto Guri no interior e no litoral do estado. Os livros foram desenvolvidos tendo em vista os quase 23 anos de experiência da instituição e contempla a faixa etária do programa, entre de 6 a 18 anos incompletos (até 21 anos, da Fundação CASA e nos Grupos de Referência).

A coleção para educadores, lançada em 2012, foi elaborada a partir das particularidades do ensino coletivo da música e é composta por 11 livros específicos para os cursos de baixo elétrico, bandolim, bateria, canto coral infantojuvenil, cavaco, guitarra, madeiras, metais, percussão, viola caipira, violão e um guia didático para cordas friccionadas.

A ideia foi criar um material com uma proposta de um fazer musical de maneira mais abrangente, flexível e criativa, adaptado ao dia a dia e ao perfil dos Guris, tendo em vista a diversidade de faixa etária, ampliação de repertório, rotina e realidade de cada curso oferecido.

Entre 2016 e 2017, oito novos títulos foram elaborados para alunos e educadores. São quatro títulos para cursos que ainda não contavam com materiais didáticos próprios – fundamentos da música e iniciação musical – e quatro títulos para ampliação de conteúdo dos cursos de violão e de viola caipira.Em continuidade ao projeto de elaboração de livros didáticos, em 2013 foi a vez dos alunos se beneficiarem.

Os 17 títulos que compõem a coleção atendem aos cursos de baixo elétrico, bandolim, bateria, cavaco, canto coral infantojuvenil, clarinete, eufônio, flauta, guitarra, percussão, saxofone, trompa, trombone, trompete, tuba, viola caipira e violão. O material contém atividades para sala de aula e outras para casa, como pesquisa, reforço de conteúdo, exercícios de apreciação e composição. Há também indicações de CDs, DVDs e livros do acervo para consulta e utilização em aula.

“A ideia é ampliarmos as coletâneas sempre que necessário, para garantirmos novas propostas de trabalho e complementos aos conteúdos já publicados”, esclarece Helen Valadares, gestora do projeto de desenvolvimento dos livros didáticos.

Tenor Ezio Bonini encerra eventos de Natal de São Vicente

Por Prefeitura de São Vicente
.
A noite deste sábado (23) foi de muita emoção e alegria para os vicentinos e turistas. A Praça 22 de Janeiro, na Biquinha recebeu centenas de pessoas para assistir a Cantata de Natal. A atração especial foi o tenor italiano Ezio Bonini. O público estava ansioso para conferir a apresentação. A aposentada Maria Lira dos Santos, moradora do Centro, chegou uma hora antes do evento, para garantir um lugar pertinho do palco. ”Gosto muito deste tipo de música e não quero perder nada”, contou.
.
Na platéia, pessoas de todas as idades. Luciane Tavares, de 18 anos, é de São Paulo e veio com a família conferir. “Estou curiosa para assistir o tenor, achei muito bacana, o evento ser ao ar livre”. O casal de Uberaba, Osvandir Baitelo e Marisa da Silva, também estava ansioso. “É diferente, um evento assim, de graça, perto da praia. Gostei muito”, disse a cabeleireira.
.
Com um repertório de músicas sacras e semiclássicas, Bonini encantou a todos. O ponto alto da apresentação foi durante as canções “Con Te Partirò”, de Andrea Bocelli e “Funicoli, funicola”, de Luciano Pavarotti. No final, o músico foi aplaudido de pé e disse o quanto adora se apresentar em São Vicente. ”Quando fui convidado, não pude recusar, é a segunda vez este ano que venho para Cidade. Aqui me sinto muito acolhido”.
.
Quem encerrou a noite foi a Cia de Dança Lailton Reis, de São Vicente. O público aprovou a noite diferente. “Achei ótimo e não vejo a hora de mais apresentações como estas”, disse adona de casa Roseli Guimarães. Essas apresentações encerraram a Cantata de Natal que reuniu desde o início do mês corais da Cidade, no Centro e também na Área Continental.
.
“Encerramos com chave de ouro a programação de Natal. Trouxemos grupos e corais de qualidade, demos oportunidade para os artistas da Cidade. O público vicentino, da região e os turistas tiveram noites diferentes. Além disso, conseguimos mostrar a todos nossa linda iluminação de Natal”, disse o secretário de Cultura, Fabio Lopez.

Mc Livinho e Mumuzinho agitam Baile do Presidente dia 23

Por OUI Comunicação
.
Um dos funkeiros de maior sucesso da atualidade, Mc Livinho será uma das principais atrações do Baile do Presidente, que acontecerá em Santos no próximo sábado (dia 23), a partir das 22h, no Mendes Convention Center (Av. Francisco Glicério, 206/Santos). A festa também terá shows de Mumuzinho, Dilsinho, Mc David e Ed show.
.
O Baile do Presidente nasceu quando um grupo de amigos decidiu realizar um evento para um conhecido frequentador da noite paulistana, conhecido como O Presidente. A ideia era presenteá-lo com uma superfesta, uma vez que era sempre ele o líder nas organizações de festas memoráveis que chegavam a durar finais de semana inteiros.
.
Acreditando que seria um sucesso, reuniram convidados tops, amigos do mundo artístico, da música, do futebol, da televisão, entre outros e assim restringiram à apenas convidados mais próximos. Uniram-se a bandas e Djs de primeira – que queriam estar junto ao Presidente – para curtir em um lugar que fosse paradisíaco, glamouroso e bem localizado. O êxito foi tamanho que a festa passou a ser anual.
.
Os pedidos eram tantos que chegou ao formato atual, com bandas e DJs residentes, além de grandes shows ao vivo de artistas renomados. Os valores dos ingressos são, de 2º lote, R$ 100 (inteira), R$ 50 (meia ou promocional), R$ 40 + 1 Kg de alimento (Natal Sem Fome), e na área vip, R$ 140 (inteira), R$ 70 (meia ou promocional) e R$ 60 + 1 Kg de alimento (Natal Sem Fome).

Auto natalino é encenado nos ônibus santistas dias 23 e 24

Por TEP/Unisanta
.
Mais uma vez, depois de um pequeno hiato, o Teatro Experimental de Pesquisas, retomando uma tradição de 13 anos ininterruptos de suas celebrações natalinas em forma de teatro itinerante, traz novamente aos ônibus da cidade o aclamado “Projetos Limites – Dramaturgia para ônibus urbanos”, com o espetáculo ‘As Cirandas de Maria – Um Auto-Móvel de Natal’.
.
O espetáculo ‘As Cirandas de Maria’, criado pelo grupo especialmente para os festejos natalinos, narra de forma leve e festiva, através de rimas e cantorias, a busca de pastoras que, vindas do Egito, tentam encontrar o lugar onde acontecerá o nascimento do Deus menino. Pelos caminhos deparam-se com toda sorte de acontecimentos, sempre guiadas pela luz da estrela que aponta para os seus destinos.
.
A encenação deste auto de natal desenvolve-se a partir da apropriação de gêneros tradicionais da cultura brasileira que celebram tradicionalmente o ciclo natalino, como o Pastoril, Lapinhas e outras Cheganças, folguedos destinados a festejar e reverenciar o nascimento de Jesus Cristo, cujas bases originais estão fixadas em manifestações ibéricas datadas em registros que remontam ao século XII e que no Brasil foram introduzidos pelos jesuítas durante o período da nossa colonização.
.
O espetáculo será apresentado nos ônibus urbanos que trafegam pela orla da praia, e em algumas praças neste trajeto, nos dias 23 e 24 de dezembro, das 10 às 13 horas, devendo retomar este percurso nos dias 5, 6 e 7 de janeiro, neste mesmo horário. Nestes dias, o grupo sempre estará fazendo uma pausa para apresentações do espetáculo a partir das 11h30 na praça em frente ao Aquário municipal, de maneira a atender a convidados e a imprensa em geral.
.
Com texto e direção assinados por Gilson de Melo Barros, coordenador do projeto, conta em seu elenco com a participação de Bruna Telly, como Maria; Déia Oliveira, Estrela guia; Ernani Sequinel, Anjo Gabriel e Gaspar; Márcia Marques, Melquior; Tales Ordakji, Baltazar, Paula D’Albuquerque, Pastora, e Camila Baraldi como a Mestra das pastoras e Narradora das ações a acontecer. O trabalho conta ainda com figurinos de Lindalva Parolini e produção de Mauricio Garcia.
.
Para a realização desta temporada do ‘Cirandas de Maria’ o grupo foi contemplado com um edital para fomento de apoio à manifestações tradicionais de cultura lançado pelo governo do Estado de São Paulo através da Secretaria de Cultura do Estado, contando ainda com os apoios da Universidade Santa Cecília, Secretaria Municipal de Cultura e Viação Piracicabana.