Arquivo da categoria: Teatro

Dia 22 encerram as pré-inscrições para 50ª Encenação da Paixão de Cristo

Informação da Incena Brasil

Este sábado (22/dez) é o último dia de pré-inscrições para quem pretendem participar do grande elenco da 50ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão. O período de inscrições será das 14h às 18h, na Casa 1 (Parque Anilinas, s/nº, Centro).

Interessados não precisam ter experiência anterior. Atores profissionais também podem participar da montagem do espetáculo. A documentação que deve ser entregue é composta de cópias de RG, CPF e comprovante de residência. Atores profissionais também devem apresentar DRT e PIS. Menores de 16 anos precisam estar acompanhados dos seus responsáveis.

Em comemoração aos 50 anos, a Associação Incena Brasil, responsável pelo espetáculo, informou que promoverá mostra fotográfica, lançará livro e realizará encontros sobre a memória da encenação de janeiro a abril, quando também estão programadas oficinas e ensaios. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (13) 99158-9068, com a Rose, e (13) 99760-3881, com a Carla.

Em Guarujá, alunos de cursos da Secult apresentam seus trabalhos

Por Prefeitura de Guarujá

Em dezembro diversos pontos de Guarujá foram palcos para as apresentações de encerramento do semestre dos cursos oferecidos pela Secretaria de Cultura. O público pôde prestigiar encenações teatrais, apresentações de ballet, piano, violão, mostras de artesanatos, entre outras atividades. E, para finalizar a programação artística e cultural de 2018, os alunos de canto e violão do Anfiteatro Ferreira Sampaio (Av. Oswaldo Aranha, 80, Jd. Maravilha) se apresentam nesta na quarta (19/dez) às 19h.

O Teatro Municipal teve seus assentos lotados pelo público para assistir aos alunos do Ballet, também recebeu entre 3 e 5/dez, a mostra de artesanato, encenações teatrais e audição de piano. No Perequê, os alunos de artesanato confeccionaram um presépio e decorações de natal, e o grupo de violão também se reuniu na última sexta (14/dez) para fechar o ciclo.

Os alunos da Usina Hip Hop, no último sábado (15/dez), escolheram a Praça 14 Bis como palco para apresentações de teatro, canto, musicalização e discotecagem. No Anfiteatro Ferreira Sampaio, nos dias 15 e 17/dez, a mostra de espetáculos infantis apresentou ‘O Natal em OZ’, ‘O Mistério de Feiurinha’ e ‘Peter Pan no Sítio do Pica Pau Amarelo’ encantando o público.

 

CEU das Artes de Cubatão terá apresentações das Oficinas Criativas

Com informações do Portal Terra

O CEU das Artes de Cubatão recebe nesta sexta-feira (21/dez) o Encontrão de Natal das Oficinas Criativas. O evento gratuito contará com apresentações de capoeira, teatro e minicantata de natal com coral e grupo de dança. Trata-se dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos do projeto.

O projeto Oficinas Criativas – Arte e Sustentabilidade busca através das artes desenvolver o saber sensível e a expressão individual e artística para trabalhar a prática coletiva dos participantes dentro da sociedade em que vivem. A experiência permite que os alunos tenham contato com o universo cultural, mostrando a importância de valorizar novas experiências e reflexão do mundo ao redor.

A ação conta com o incentivo do Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, patrocínio da Petrocoque – empresa líder na América do Sul na comercialização e produção de coque calcinado de petróleo e apoio da Prefeitura e da Favorita Cultura e Esporte. A produção é assinada pela Renovarte Produções e Alpha Produções.

 

Em temporada gratuita, Teatro do Kaos encena ‘Vocifera’

Por Lincoln Spada

Livremente inspirado em obra de Ibsen, ‘Vocifera’ entra em cartaz até o próximo dia 16/dez, com sessões gratuitas de quinta-feira a domingo, às 20h, no Teatro do Kaos (Largo do Sapo, Sítio Cafezal/Cubatão). A peça da companhia teatral comemora os 20 anos do coletivo e tem classificação indicativa de 16 anos.

A montagem trata dos (des)caminhos da conjuntura política atual e das razões que exigem a decisão entre direitos básicos da comunidade, como cultura e saúde. Na sinopse, a alusão do antigo teatro da Cidade que se tornará em um centro oncológico. Assim, a peça lança mão de questões aparentemente locais e corriqueiras para uma análise crítica sobre o pensamento conservador pautado no discurso do medo e na violência sistêmica.

Com base em ‘O Inimigo do Povo’, a peça tem dramaturgia de Victor Nóvoa, direção de Marcos Felipe e Lucas Beda, direção musical de Gustavo Sarzi e elenco formado por Fabiano Di Melo, Levi Tavares e Lourimar Vieira. A temporada é uma realização do Ministério da Cultura por meio da Lei Rouanet com patrocínio do Grupo EcoRodovias e apoio cultural da Prefeitura.

 

‘Eu, migo e meu umbigo’ diverte o Galpão Cultural neste domingo

Por Lincoln Spada

“E o palhaço deve respirar. Pois, o palhaço é o filtro do mundo”, recita o notório Ésio Magalhães, o palhaço Zabobrim. É com este espírito que Daniel Meirelis protagoniza o solo circense ‘Eu, migo e meu umbigo’ neste domingo, às 16 horas, no Galpão Cultural (Parque Anilinas). Trata-se de uma ação dos Coletivos do Galpão Cultural com apoio da Secult.

Na sinopse, a experiência do homem contemporâneo com a solidão em um mundo hiper-conectado é causa e consequência de uma série de contradições nas relações sociais. O exagero, o silêncio, o constrangimento, a raiva, o egoísmo e a possibilidade do amor, milimetricamente desajustados dentro do eu, é ponto de partida para esse jogo palhacesco.

Suspiro, um palhaço e sua mala cheia de memórias, interagindo com o mundo, depara-se com o lixo interior que foi jogado para debaixo do tapete de suas lembranças, lembranças essas que estão impregnadas em suas roupas, escorrem por suas mãos e estão pairando pelo ar.

‘Gotas de Codeína’ entra em curta temporada no Galpão Cultural

Por Lincoln Spada

De tom intimista, o monólogo santista ‘Gotas de Codeína’ retorna para curta temporada no Galpão Cultural. Para maiores de 18 anos, a sessão será realizada nesta sexta-feira (16) e no sábado (17), às 21 horas, no galpão do Parque Anilinas (Centro), no sistema ‘pague quanto puder’. O espetáculo reflete sobre questões como amor, família, sexualidade e felicidade.

A peça aborda a crise de Cesar, um homem de cotidiano comum, em profunda depressão mesmo aparentando estar contente com sua rotina. Revelando as camadas de alguém que vive atrás de máscaras, sem coragem de assumir a sua identidade, esse espetáculo já foi indicado em 2015 ao Prêmio Papo Mix da Diversidade.

“Até que ponto podemos fugir do que realmente somos? Vale a pena viver uma vida pela metade?”, reflete em cena o ator Luiz Fernando Almeida. Com larga carreira artística desde 1990, o ator participou de mais de 20 montagens e já foi contemplado como melhor ator coadjuvante no Prêmio Plínio Marcos (2009), no 17º Festac (2010) e indicado como melhor ator no Prêmio Aplauso Brasil (2013).

Protagonizado por Luiz, o monólogo conta com a direção de Paula D’Albuquerque e dramaturgia de Diego Lourenço. A obra é da Superbacana Produções, com patrocínio do Bazar Cafofo e o apoio dos coletivos teatrais locais e da Prefeitura via Secretaria de Cultura.

‘Ègbé’ mescla teatro e hip hop nesta sexta e sábado no Braz Cubas

Por Platão Capurro Filho | Foto: Rodrigo Montaldi

No aniversário de Santos, dia 26/01, sexta-feira, às 21h, no Teatro Municipal Braz Cubas, o Grupo Teatro Widia estreia ÈGBÉ – Da Escravidão à Cidadania, espetáculo que tem como pesquisa de linguagem a Cultura Hip Hop e o Teatro de rua, ambas com discurso artístico, político e social na ocupação do espaço urbano.

A montagem também foi trabalhada para palco convencional. Os temas pesquisados e que permeiam todo o roteiro começam por Quintino de Lacerda – líder do segundo maior quilombo do país e primeiro vereador negro da cidade de Santos – chegando à atualidade com a formação das favelas, genocídio dos jovens negros, racismo, desigualdade social e abusos contra a mulher negra. O projeto foi contemplado pelo FACULT – Fundo de Assistência à Cultura de Santos.

O que mudou em 100 anos, a cidadania foi respeitada? A abolição da escravatura trouxe aos negros a liberdade, mas pouca coisa mudou. Os negros continuam presos a condições piores que no passado. O preconceito firme e ambulante. Quintino de Lacerda  sonhou com um país livre da escravidão, do preconceito e com igualdade social. Mas, o que vemos hoje em dia?

O Grupo Teatro Widia com um elenco formado por 90% de negros, utiliza o teatro, a música, a poesia, a dança, e a pintura para denunciar o racismo, a falta de oportunidades, a violência contra a mulher negra e a desigualdade social. Um cotidiano vivenciado pelos próprios atores que no processo buscaram revelar as suas lutas e o Quintino que corre em suas veias.

Serviço: Dias 26 e 27/01 | Horario: 21h
Local: Teatro Municipal Braz Cubas
Entrada franca

No Elenco: Blendon Cassio, Bruna Telly, Carol Martins, Christian Malheiros, KidJohn Mad, Alan Mad. Narração: Sander Newton. Convidados: DJ Litta Afrontite e Julio Mad

Figurino: Gilson de Melo Barros
Trilha Sonora: DJ Cuco
Coreografia BBoy: KidJohn Mad e Alan Mad
Preparação de canto:  Theo Cancello
Designer gráfico e fotografia: Rodrigo Montaldi
Painéis Grafite: Vinil Colante
Vídeo: Ferreira Filmes
Costureiras: Gisele Bilotte e Maria Aparecida
Realização: Teatro Widia Prefeitura de Santos

Equipe da primeira fase: Filipe Roseno, Veronica Oliveira, Teyles Martinez, Wilson Caiçara, Arquimedes Machado, KidJohn Mad, Maria Lisboa (Corpo), Mamuth DJ, Rodney Nunes (Preparador vocal e trilha),Vinil Colante (Grafite), Orlando Rodrigues (Produtor).

Apoio: Prefeitura de Santos, Secretaria Municipal de Cultura (Secult), Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), Centro de Atividades Integradas de Santos (CAIS Santista), Centro Cultural Cadeia Velha, Vila do Teatro, Projeto Muito Prazer Meu Nome é Hip Hop. FACULT – Fundo de Assistência à Cultura.

Este projeto foi contemplado pelo 5º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos