Arquivo da categoria: Nortes políticos

Concult planeja centro cultural com moradia social para mais vulneráveis

Por Lincoln Spada

Cerca de 150 imóveis em Santos podem vir a sediar a luta mais ousada do Conselho de Cultura da Cidade (Concult). O plano é de que seja revitalizado um espaço público ocioso que abrigue artistas em situação de vulnerabilidade, em contrapartida, a realização de ações formativas e gratuitas para a população. De preferência, na região Central.

A mescla de diretrizes de ocupação pública, Retiro dos Artistas e Pontos de Cultura já é citada no Plano Municipal de Cultura, sancionado em julho de 2017. Desde o mês seguinte, a pauta é retomada nas reuniões do conselho e ganha novos contornos. Uma comissão interna do Concult foi criada para monitorar a demanda da classe artística e o mapeamento de futuros espaços.

Cedido ao Município até 2023, o prédio federal que era o antigo Ambulatório de Especialidades (Ambesp) na Rua Gonçalves Dias se tornou numa das preferências dos conselheiros. Para o Diário do Litoral, o presidente do conselho, Júnior Brassalotti, ressalta: “É um espaço imenso e que, atualmente, está ocioso. Em um espaço como aquele, seríamos capazes de receber não só um centro de acolhimento para pessoas LGBT+, como também para artistas em trânsito na cidade, um hotel solidário”.

Com 2,8 mil m², o imóvel de sete andares necessita de uma ampla reforma. Lá, além de servir de moradia social para fazedores de arte em situação de vulnerabilidade, a mesma possibilidade poderia ser aplicada para pessoas que, pela diversidade sexual, foram vítimas de violência, expulsas de casa ou em situação de rua. O acolhimento seguiria aos moldes da Casa 1 – Centro de Cultura e Acolhimento LGBT.

Cinema e Hip Hop

Noutros pavimentos, os artistas estudam desde residência artística até uma Escola Pública de Cinema e a Casa de Hip Hop. Em nota, a Prefeitura informou ao G1 que, junto ao Concult, “foram iniciadas conversas para que seja realizado mapeamento de possíveis imóveis que tenham condições de receber o abrigo para os artistas. Após esta fase, ainda será necessária a elaboração de um projeto que atenda tal finalidade”.

 

Conheça as prioridades elencadas na 10ª Conferência de Cultura de Santos

Por Lincoln Spada

Dezenas de artistas e produtores culturais participaram das reflexões da 10ª Conferência Municipal de Cultura de Santos, que teve como tema ‘Políticas Públicas de Cultura e Liberdade Artística’. O evento ocorreu na tarde do último sábado (15/mar), no Teatro Municipal Braz Cubas.

“Acreditamos na importância de um conselho independente, que questione a administração e que sempre proponha o debate franco sobre as questões primordiais para a área cultural da Cidade. Santos valoriza a participação ativa da sociedade civil no conselho (Concult) e acredita que é por meio da união que as dificuldades atuais podem ser superadas”, disse o secretário municipal de Cultura, Rafael Leal.

A conferência também contou com a presidência do Concult, Júnior Brassalotti, que conduziu o painel com o tema do evento: “Nada foi tão intenso quanto observar em todo o País o aumento gradual de casos de censura aos nossos artistas de Santos e de outros locais diante dessa conjuntura de discurso de ódio tão vociferado nas redes sociais e nos logradouros públicos”.

O evento também contou com a secretária-adjunta de Cultura, Raquel Pellegrini, o ex-secretário de Cultura, Fabião Nunes, e a assessoria da vereadora Telma de Souza. Os munícipes presentes apresentaram 12 propostas previstas pelo Plano Municipal de Cultura que foram consideradas prioritárias para execução até 2021. Ainda, elegeram os novos representantes da sociedade civil do Concult para este biênio.

> Ações prioritárias
1. Promover ações e projetos que integrem artes e cultura no processo educativo, envolvendo escolas e universidades;
2. Formação para produtores culturais, buscando a capacitação dos envolvidos, nas leis de incentivo, editais e patrocínios, mas também na troca de práticas alternativas que busquem novas soluções par aa realidade que enfrentamos;
3. Garantir que a cultura da diversidade (ciganos, afrodescendentes, LGBTQI+, etc) seja contemplada pelos mecanismos promovidos pela Secult a partir de ações afirmativas;
4. Garantir editais públicos apra contratação de grupos e artistas locais em projetos da Secult e demais pastas;
5. Reestruturar o organograma da Secult visando o estímulo à pluralidade das linguagens artísticas em seus departamentos
6. Estabelecer parcerias com órgãos públicos, institutos de pesquisa e de ensino para criação e continuidade de indicadores culturais locais;
7. Reativar o programa munciipal de educação patrimonial e história;
8. Criar polos artesanais criativos;
9. Atualizar acervos das bibliotecas com ênfase na História de Santos;
10. Elaborar lei que destine um espaço público para montagem de lona circense;
11. Criar uma lei de fomento ao teatro para a Cidade de Santos;
12. Qualificar a formação profissional em nível técnico para o audiovisual e multimeios através da criação de uma escola livre de cinema.

> Conselheiros eleitos
Artes visuais: João Paulo Teixeira Pires (titular), Osmar de Souza Rabelo (suplente);
Artes urbanas: Julio Mad (titular), Luiz Fernando Marques Dias (suplente);
Audiovisual e multimeios: Júnior Brassalotti (titular), Carlos Cirne (suplente);
Carnaval e cultura popular: Luciana Rosalina da Cruz (titular), Tadeu Cabral Bezerra (suplente);
Cultura da diversidade: Verônica Pestana (titular), Orlando Rodrigues (suplente);
Dança e movimento: Maria Izabel Tornatore de Freitas (titular);
Literatura: Vinícius Carlos Vieira (titular), Lincoln Spada da Silva (suplente)
Música: Ailton da Silva Carvalho (titular), Diósnio Machado Neto (suplente);
Patrimônio cultural: Veruska F. Moura (titular), Jean Pierre de Morais Crété (suplente);
Produção cultural: Antonio Ramos (titular), Marina Paes (suplente);
Teatro e circo: Caio Martinez (titular), Kelly Jandaia (suplente).

 

10ª Conferência Municipal de Cultura ocorre no próximo dia 16

Por Secult Santos

‘Políticas Públicas Culturais e Liberdade Artística’. Este é o tema da 10ª Conferência Municipal de Cultura de Santos, que ocorre no Teatro Municipal Braz Cubas (2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão, Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vl. Mathias) no próximo sábado (16/mar), das 13h às 18h.

O evento tem a proposta de analisar e reafirmar ações previstas no Plano Municipal de Cultura (PMC), definir ações e eleger os membros da sociedade civil para o Conselho Municipal de Cultura (Concult) para o biênio 2019/2021. Os interessados em assistir e participar do encontro podem realizar a pré-inscrição neste link. Outras informações podem ser acessadas neste evento virtual.

Conselho de Cultura

O Concult é uma instância colegiada, de caráter consultivo e deliberativo, integrante da estrutura político-administrativa do Poder Executivo, constituído por membros do Poder Público e da Sociedade Civil. Ele tem como atribuições: opinar sobre questões que lhe sejam submetidas no âmbito de sua competência, colaborar com o secretário de Cultura na execução de programas e projetos culturais, quando realizados sob a responsabilidade da Prefeitura, e elaborar propostas, projetos e planos de atividades culturais.

Conferência

Realizada a cada dois anos, a Conferência integra o Sistema Municipal de Cultura – SMC (Lei Municipal 3293/16), que reafirma um acordo da Prefeitura com o Governo Federal de manter e ampliar as políticas culturais. A lei conceitua as dimensões da cultura, e cabe à Prefeitura assegurar aos cidadãos os direitos à identidade cultural, à diversidade cultural, à liberdade de criação e expressão, ao livre acesso e circulação do fazer artístico, à participação nas decisões da política cultural.

Baseado no modelo nacional, o SMC prevê que a cultura é um direito fundamental das pessoas, um vetor de desenvolvimento humano, social e econômico e, por isso, deve ser tratada como uma área estratégica para o desenvolvimento sustentável e para a promoção da paz.

Condepac não pretende judicializar preservação do patrimônio cultural de Cubatão

Por Gilson Miguel (Prefeitura de Cubatão)

A nova composição do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Cubatão – Condepac assumiu o compromisso de não judicializar as questões que envolvam a preservação cultural da cidade. A mais recente reunião ordinária aconteceu nesta quinta-feira (7/fev) na presença do prefeito Ademário Oliveira. A mesa renovou a disposição de agir com muita responsabilidade para garantir desenvolvimento com oportunidades de trabalho e renda para a população.

Ao apresentar os novos conselheiros, o presidente Carlos Augusto Costa , o Buda, afirmou ao prefeito que a existência do Conselho não deve estar atrelado somente ao tombamento de bens materiais e imateriais e que essa gestão do Condepac vai trabalhar forte para preservar o patrimônio cultural, porém não para engessar a cidade, impedindo o desenvolvimento.

“Vamos implantar políticas públicas que conciliem preservação cultural com garantia de oportunidades de crescimento para nossa comunidade”, disse Buda. Explicou ainda que o Conselho está unido e que ao afirmar que não vai judicializar as questões, é porque pretende utilizar o Ministério Público como última e derradeira instância: “Nossa determinação é sempre de conversar com a secretária de Cultura, Vanessa Toledo, com todos no governo e com o próprio prefeito para que encontremos um consenso”.

Ao cumprimentar o presidente e os novos conselheiros, Ademário Oliveira reconheceu a experiência e qualidade técnica de cada um dos integrantes e, principalmente, a capacidade de manter o diálogo “sem perder a imparcialidade e a independência de ação”, segundo o prefeito. Mas, principalmente, Ademário reconheceu o espírito democrático do grupo e desejou a todos boa sorte e maior celeridade nos processos de preservação.

O vice-prefeito, Pedro Sá, que participou da reunião juntamente com o secretário de Comunicação, Fabiano Caldeira, insistiu para que o Conselho tenha a percepção da necessidade de investimentos na cidade com a criação de novos empregos. “Proponho que antes de pensar em tombamento, o Conselho pense em preservação. Mas, preservação com legislação específica e com meios seguros de manter preservado o nosso patrimônio histórico”.

Os novos conselheiros

Carlos Augusto Costa (Câmara Municipal), Welington Ribeiro Borges (Secretaria de Cultura), Amaury Barros de Souza e Gilberto Oliveira Serqueira (Secretaria de Obras), Sílvio Gomes (Secretaria de Planejamento), Ana Beatriz dos Santos (Secretaria de Assuntos Jurídicos), Patrícia Cristina dos Santos Barbosa (Secretaria do Meio Ambiente), e representantes da sociedade civil: Cláudia Dias de Castro (AEA), Fabiana Pereira dos Santos (OAB), José Carlos Rodrigues (ACIC), Leandro da Silva Alonso (Unisantos), Antônio de Pádua Maia Azevedo (ACCEC) e Leonardo Branco (IHGSV – Instituto Geográfico).

 

Com 1,2 mil m², nova Vila Criativa é inaugurada no Morro da Penha

Prefeitura de Santos

Os mais de 2 mil moradores do Morro da Penha vão poder usufruir de um moderno espaço para lazer e convivência voltado a diversas faixas etárias a partir de 2/fev. A inauguração será às 11h, em parceria com a DP World Santos. Trata-se do (Centro Turístico, Cultural e Esportivo) Vila Criativa – Unidade Penha ‘Roberto Marques da Silva’, na Rua Brigadeiro Newton Braga, 39, edifício com 1.250 m² e quatro pavimentos.

Na última semana foram instalados itens a mais na obra civil: brises, nos vãos da quadra localizada no terceiro pavimento. O equipamento vai servir de proteção instalada na fachada para proteger a quadra aberta da chuva e controlar a incidência de luz, garantindo conforto térmico.

“Os equipamentos de cozinha foram testados e todos os aparelhos de ar condicionado também. O elevador foi instalado e está funcionando corretamente”, diz o arquiteto Roger Guerra. As verificações foram feitas pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações, gerenciadora da construção. O edifício, assim como todas as novas obras da Prefeitura, já conta com AVCB.

Estrutura

Na área coberta do térreo fica a sala de administração, secretaria, academia e brinquedoteca e banheiros (masculino, feminino e para portadores de necessidades especiais). Com mais de 500 m² de área externa livre, a mais nova Vila Criativa oferece espaços para convívio, playground e um bicicletário.

O primeiro piso abriga sala multiuso e de informática, e auditório com capacidade para 80 lugares. No segundo, duas salas multiuso e uma cozinha experimental equipada com pia, armários e balcão, além de refeitório, copa, depósito e despensa. O terceiro conta com quadra poliesportiva coberta para futsal, vôlei, basquete e handebol, com arquibancadas e vestiários.

 

Mais de 100 munícipes elegem novos membros do CMPC de Cubatão

Por Lincoln Spada

Mais de 100 munícipes participaram das eleições das vacâncias da sociedade civil do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC), durante plenária realizada na noite desta segunda-feira (dia 12), no Bloco Cultural. Com o resultado, foram eleitos Sileno Alexandre (suplente em Audiovisual e Multimeios), Carla Rodrigues (suplente em Circo), Thiago Franco (suplente em Cultura Popular), Jefferson Dias (titular em Dança) e Clóvis dos Santos (suplente em música).

Vale ressaltar que, em fevereiro, a partir do Decreto 10.742/18, o CMPC também passou a contar com novos membros eleitos na plenária de dezembro pela sociedade civil. Enquanto na área de artes visuais participam Julimar Gomes e Ranieli Pereira (titular e suplente), no segmento de teatro integra o conselho Carla Vieira (suplente).

No mesmo decreto houve novos indicados pelo Poder Público: Ricardo Vasconcellos e Juliana Sousa (titular e suplente da Secretaria de Cultura), Estevão Ferreira (titular da Secretaria de Assuntos Jurídicos), Adenilson Viana e Ludmylla Santos (titular e suplente da Secretaria de Emprego e Desenvolvimento Sustentável), Silvio Gomes e Antonio Francisco Sarabando (titular e suplente da Secretaria de Planejamento) e Simone Gomes (suplente da Secretaria de Comunicação Social).

O CMPC é um órgão colegiado consultivo, normativo e deliberativo das políticas culturais. Criado em 2016, o conselho teve a sua atual gestão efetivada na Conferência de Cultura realizada em 2017, e com mandato com duração até 2019.

Artistas fazem abaixo-assinado em prol da Gibiteca de Santos

Por Revista Relevo

Na última semana foi pulverizado nas redes sociais a possibilidade de fechamento da Gibiteca Marcel Rodrigues Paes, equipamento público há 25 anos localizado no Posto 5 (orla do Boqueirão). Para a imprensa regional, a Secretaria de Cultura de Santos, gestora do espaço, nega que encerrará as atividades do local.

De acordo com a versão de parte dos quadrinistas à Revista, a alternativa teria sido ventilada pelo secretário, Fábio Nunes, a partir de uma reunião que ocasionou na saída de Fábio Tatsubô como colaborador na elaboração da agenda de atividades do espaço, em meados de dezembro.

Amante de HQs, Tatsubô foi o principal nome nos últimos anos da gibiteca, revitalizando o prédio público com cursos, exposições, bate-papos e lançamentos de títulos, já sendo aplaudido pelo Conselho de Cultura de Santos. Ele continua lotado na Ouvidoria, Transparência e Controle de Santos.

Embora a Secult negue oficialmente findar com a Gibiteca, seja por agentes públicos nas redes sociais, ou em notas à vereadora Telma de Souza e ao Jornal A Tribuna na última quinzena, um grupo de artistas aproveitou o momento para prestar solidariedade ao local.

Está sendo organizado um abaixo-assinado, que coletou 621 de 1.000 assinaturas para que o espaço com mais de 30 mil títulos disponíveis seja contemplado pelas reivindicações dos munícipes: quatro funcionários na Gibiteca, melhorias no ar-condicionado, ronda da Guarda Municipal e caderno para agendamento de eventos. O abaixo-assinado está disponível aqui.