Arquivo da categoria: Sem categoria

Mutirão de limpeza completa semana ambiental do ISAC em Cubatão

Por Lincoln Spada | Foto: Prefeitura de Cubatão

Um gesto concreto em prol da comunidade marca a conclusão da Semana do Meio Ambiente, iniciativa do ISAC – Instituto Socio Ambiental e Cultural na Vila dos Pescadores. O mutirão de limpeza está previsto para este sábado (dia 8) a partir das 9 horas no Portinho da Vila (Rua Beira Mar, s/nº), junto de  pescadores artesanais locais.

No mesmo bairro, já às 8 horas, o ISAC oferece gratuitamente de um café da manhã reforçado aos interessados no mutirão, na UME Estado do Pará (Av. Ferroviária, s/nº). A escola contará também com a roda de conversa ‘Que Vila Nós Queremos?’, evento que reunirá moradores da comunidade e acadêmicos com ênfase nas perspectivas e desejos da população.

O bate-papo será mediado por membros da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), como as professoras Drª. Francisca Rodrigues Pini, Drª. Luiza Fátima Baieri, Drª. Sílvia Mara Tagé Thomaz, os doutorandos Jeffer Castelo Branco e Rafaela Rodrigues da Silva, além da monitora Eliana Souza dos Santos.

Desde terça-feira (dia 4). o ISAC realiza uma semana com apoio municipal repleta de atividades gratuitas para a população. Palestra sobre fauna, plantio de mudas de pau-brasil e até oficina de horta ocorreram entre exposição fotográfica sobre protagonismo feminino e apresentações de música e teatro. Informações: fb.com/ISACViP.

Opinião: Quando um anjo janta conosco em ‘Nostalgia do Amor Ausente’

Por Lincoln Spada | Foto: Lairton Carvalho

A expectativa de reencontrar quem ama é um prato de angústia e poética. E a atriz Pri Calazans janta conosco tais fenômenos em ‘Nostalgia do Amor Ausente’. Baseada no conto homônimo do gaúcho Walmor Santos, a 830 quilômetros do Teatro Braz Cubas, a peça aborda a distância de dois anjos amantes. Ou melhor, almas gêmeas.

A melancolia está entre cigarros, a cadeira vazia, a luz noir de um ventilador de teto sob o holofote. Ali, Lúcifer narra a separação divina com Gabriel: exilado por ter sido mais amado que o Pai. A releitura de fatos bíblicos – Éden e Quaresma – são ambientes para interpretações sutis sobre casais desfeitos e, na dramaturgia, o estigma e a reclusão de homossexuais.

No palco, uma ironia implícita (o anjo caído como uma mulher) é uma descontrução dos padrões barrocos (atriz e retrato do amado são negros). A sutileza não é do romantismo ipsis litteris do conto teatralizado, pois a força vem do repertório, colorido pelo piano de Marcelo Marinho. Ponto da diretora, Déia Oliveira.

O brega e o biscoito fino se entrelaçam no palco. ‘Era pra ser’, de Bethânia, ‘Siga seu rumo’, de Pimpinela, ‘Vá pro inferno com seu amor’, de Milionário e José Rico, ‘Não’, de Tim Bernardes. Todas as melodias enaltecem o potencial de Pri em cena, que brilha quando performática. Se cenas da prosa até ofertam senso de perdão ao anti-herói, é o musical que nos aplaca em dores existenciais.

Conheça os 21 coletivos da BS premiados como Pontos de Cultura

Por Lincoln Spada

Ao todo, 21 coletivos da Baixada Santista foram contemplados no recente edital Pontos de Cultura, do Governo Estadual. As premiações atendem as ações estruturantes da Política Nacional Cultura Viva, que têm como objetivo assegurar e ampliar o protagonismo da diversidade cultural do Estado de São Paulo.

“Sabemos o quão importante são as atividades realizadas por esses coletivos culturais e, por isso, priorizamos em contemplar, pela primeira vez, esses coletivos. A grande diversidade da cultura brasileira só têm a ganhar”, afirma o secretário de Cultura, Romildo Campello.

Os prêmios de R$ 60 mil foram entregues para: Coletivo Omorodé Odé Oniô (Guarujá), Instituto de Estudos e Conservação da Mata Atlântica (Peruíbe), Instituto Arte no Dique e Vitae Domini Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (ambos de Santos), Instituto Camará Calunga e Festival de Quadrilhas Juninas (ambos de São Vicente).

Os Kits Culturais (de audiovisual ou de música) serão entreges para os coletivos: Assoc. Incena Brasil e Teatro do Kaos (ambos de Cubatão), Assoc. de Folclore e Artesanato Baronesa Esther Karwinsk, Assoc. de Capoeira Grupo Senzala, Assoc. Cultural Afro Ketu e Assoc. Folclórica Reisado Sergipano e Bumba Meu Boi (estes de Guarujá).

Também receberão os kits: Cultive Resistência e Centro Cultural Yle Ase Oya Guere Oba Baayonni (ambos de Itanhaém), Assoc. Projeto Relfe (Peruíbe), Assoc. Cultural Quiloa, Estação da Cidadania – Concidadania, Clube do Choro e Projeto Cultura de Rua (estes de Santos), Soc. Melhoramentos dos Moradores do Distrito de Samaritá e Casa Crescer e Brilhar (São Vicente).

 

Fim do 2º ato: Revista Relevo terá novo formato em 2018

Por Lincoln Spada | Foto: Sander Newton

Como pólvora, o ‘eu te amo’ espontâneo e tresloucado dela em uma ligação telefônica de duas horas reacendeu mais uma tentativa de reconquistá-la em julho de 2014. O rastro já se alastrava com minha saída num bom emprego, a busca de um segundo lar e, na mão, um terceiro diploma por uma estabilidade paulistana.

Dos vínculos santistas, tão somente almejava retribuir a gratidão dos artistas que, desde o fim de meu antigo blog, O Palco Santista (1º ato), repercutia até então como repórter de A Tribuna e Expresso Popular. Mas em vez de um blog específico de teatro regional, a abrangência de segmentos já integrou minha passagem nas redações: a ambição seria de fortalecer o cenário de artistas independentes de todo o Estado de São Paulo.

O nascimento 

Nascia assim, em agosto de 2014, a Revista Relevo. No entanto, nem moça ou município me acolheram, e a plataforma virtual se especializou de vez pela Baixada Santista. Mais do que divulgar as agendas dos coletivos, houve também relatórios, estudos e mapeamentos, desdobrados em antigos portais desde registro do teatro santista e de aprovados do Facult. Em vez de testemunhar os palcos, assumir o papel de militar pelas políticas culturais na região.

Reequlibrando a vida no litoral paulista, a gratuidade de atualizar diariamente a revista desde então não me impedia do esforço utópico de difundir preferencialmente os trabalhos dos artistas locais, seja perpassando seminários, seja atravessando madrugadas com publicações. O sentimento platônico em pó ganhou lufadas de um amor pelas causas dos artistas: da Cadeia Velha até as manifestações de rua. Por vezes, o projeto de vida se misturou com o projeto da revista virtual. O mesmo se deu com a Nina Gagli, última parceira profissional da Relevo.

O contexto

E infelizmente as premissas iniciais da Relevo precisam ser atualizadas. Com as redes sociais, os eventos culturais já pipocam sem precisão do blog; as casas de arte independente e local se fecharam nestes anos; a divulgação dos calendários municipais já se profissionalizou; e as políticas públicas necessitam de recursos e disponibilidade maior para serem analisadas, o que já não é possível manter na utopia de um par de jovens.

Confesso que na Baixada Santista, desconhecemos outro formato de blog abrangente em segmentos e políticas culturais que nunca contou com patrocinadores, anúncios em redes sociais, publipost, etc. Assim, agradecemos cada um dos que nos 166 mil visitantes nestes mais de três anos. Graças a vocês, a Revista Relevo contou com 3.845 publicações, 250 mil visualizações, 2,2 mil inscritos nas redes sociais e outros 1,5 mil via e-mails.

A transformação

Com o fim deste segundo ato, agora é hora de equilibrarmos nossos rumos em comum com a Revista Relevo. Evitaremos um adeus. Em novo formato, mesmo com frequência reduzida, a partir de hoje, publicaremos tão somente em momentos oportunos os textos mais analíticos sobre as artes locais e políticas culturais da Região, além dos principais festivais e mostras previstas nos calendário da Baixada Santista. Feliz 2018! Ah, amamos vocês.

Em busca da essência do Va’a, expedição motiva crowdfunding

Informações de Fernanda Câmara
.
Seis remadores brasileiros se lançam numa incrível e inédita expedição. Partindo de Niterói no dia 27/12/17, remarão durante 12 dias, percorrendo o litoral até Santos, com chegada prevista para o dia 08/01/18. A bordo de uma canoa havaiana V6, os atletas contarão apenas com seus próprios recursos, navegando sem revezamento e sem barco de apoio!
.
> Acesse a vaquinha digital CLICANDO AQUI.
A equipe Anamauê é formada pelos remadores José Paulo e Caio Guerra, do clube Canoa Caiçara (Santos – SP), Lucas Miom e Ubajara Iakowsky, do Ubatuba Hoe (Ubatuba – SP), Douglas Moura, do Icarahy Canoa Clube (Niterói – RJ) e Francisco Viniegra, do Praia Vermelha Va´a (Rio de Janeiro – RJ). Por meio dessa expedição, almejam vivenciar a experiência dos povos polinésios, que há mais de 3 mil anos desbravaram os mares, realizaram grandes travessias e colonizaram as ilhas da polinésia.
.
As canoas polinésias eram originalmente fabricadas a partir de um único tronco de árvore, assim como as canoas dos povos caiçaras do litoral brasileiro, que herdaram tais práticas de grupos indígenas como os tupinambás e os tupiniquins.
.
Além de completar esse grande desafio e divulgar a prática do esporte no Brasill, os integrantes da Expedição Anamauê pretendem vivenciar a essência do Va’a (canoa polinésia) e os seus valores, muito próximos aos dos caiçaras: união, coletividade, respeito ao mar e aos rios e a preservação da biodiversidade. No contexto atual, é fundamental valorizar e e discutir culturas e modos de vida nos quais a preservação dos recursos naturais é condição fundamental da própria sobrevivência e reprodução da vida e da sociedade.
.
O valor proposto nesta vakinha é referente aos custos de transporte da canoa e dos atletas, alimentação, hospedagem, equipamentos, material de divulgação e produção audiovisual. Mahalo nui loa! Gratidão!

Sesc Santos abre em janeiro pré-inscrições do programa Curumim

Por Corina de Assis e Felipe Veiga

O Curumim é um programa permanente de educação não formal para as crianças de 7 a 12 anos, que visa o desenvolvimento integral da criança por meio da realização de atividades educativas, culturais e de lazer, compreendidas em atividades físicas, esportivas, artísticas, socioambientais, de promoção da saúde, cidadania e sociabilização.
.
Criado há mais de 30 anos, esse programa tem sua base em valores como a ludicidade, o direito à informação, o domínio do meio e o exercício da cidadania, além da preocupação com o estabelecimento de relações sociais, formação de grupos, intercâmbio de conhecimentos e a convivência entre diferentes. No Curumim, as crianças têm a oportunidade de fazer amigos e viver novas experiências, o que colabora para seu desenvolvimento e aprendizado.
.
>> Turma Manhã – terça a sexta, das 8h às 11h30
>> Turma Tarde – terça a sexta, das 14h30 às 18h
>> Início das atividades: 27/2/2018
.
>> Quem pode participar: Crianças de 7 a 12 anos, com prioridade para os filhos de trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo (com Credencial Plena). As vagas remanescentes poderão ser preenchidas por crianças sem credencial. Saiba mais em: curumim@santos.sescsp.org.br e (13) 3278-9819.

1º Bazar Cultural de Natal é realizado dias 16 e 17 em SV

Por Alessandro Cruz
.
O Espaço Amigos da Cultura promove o seu 1º Bazar Cultural de Natal, nos dias 16 e 17/dez, das 14h às 22h, na sua sede, localizada, na Avenida Capitão Luiz Horneaux de Moura, 507 (São Vicente).
.
O evento tem entrada franca, com objetivo de reunir artesanato, música, doces, salgados, comidas típicas e uma variada exposição de produtos a um preço especial em um espaço que inspira alegria e criatividade.