Arquivo da tag: Anderson Avelino

Em SV, Espaço Amigos da Cultura abre turmas para modalidades artísticas

Por Lincoln Spada

São 14 cursos artísticos com inscrições abertas durante este mês de março oferecidos no Espaço Amigos da Cultura em São Vicente. Situado na Av. Capitão Luiz Horneaux de Moura, 507, Jardim Paraíso (São Vicente), o espaço nasceu da necessidade de contribuir para a cultura através de atividades formativas, encontros e reuniões que incentivem a produção local, mobilização social além de modelo que estimule a profissionalização do setor.

As turmas iniciarão em abril. Há inscrições para aulas individuais ou coletivas de canto e violão com Anderson Avelino, oficina de produção audiovisual de edição de foto e vídeo pelo ‘Projeto Seja um Youtuber’ aos sábados, das 10h às 13h e das 14h às 17h, além de curso de dança de salão às sextas-feiras, das 20h às 21h30.

Também interessados podem participar de curso prático e teórico de iluminação cênica e profissional, com Alessandro Cruz, às segundas-feiras, das 19h às 22h, curso de panificação e confeitaria do Projeto MasterCake, às terças-feiras, no mesmo horário, além de capoeira, passarela, teatro e outras atividades.

A escola de danças Ballet Ginna Giorgetti ministra ações formativas no espaço, com turmas de balé clássico, jazz, sapateado, dança contemporânea, acrobático, além de condicionamento físico para bailarinos. Inscrições para essas e outras atividades podem ser feitas diretamente no locla, de segunda a sexta-feira, das 14h às 22h. Informações pelo telefone WhatsApp: (13) 98807-2534, (13) 99727-8907 e pela página: fb.com/espacoamigosdacultura.

#ManufaturaDeMonólogos: ‘Benjamin’ aborda circo-teatro e identidade negra

Por Corina de Assis e Felipe Veiga (Sesc Santos) | Foto: Rodrigo Montaldi Morales

A obra cênica ‘Benjamin – O Filho da Felicidade’ compõe a mostra Manufatura de Monólogos, prevista para os dias 20 e 24/fev. A sessão gratuita será neste sábado (23/fev), às 18h, no Teatro do Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136/Aparecida). Não recomendado para menores de 16 anos.

Um dos criadores do circo-teatro brasileiro, Benjamin de Oliveira era negro, palhaço, ator, compositor, ensaiador, figurinista, autor e produtor cultural. O espetáculo apresenta um recorte da história deste importante artista como ponto de partida para levantar questões relacionadas à afirmação da identidade negra no Brasil, com foco maior no campo das artes. A peça tem direção de Miriam Vieira e dramaturgia de Ronaldo Fernandes.

No palco, Jair Moreira, Hugo Henrique, Kevelin Santos e Emanuella Alves. Orientação de Nelson Baskerville, preparação corporal e assistência de direção de Emanuella Alves, preparação vocal de Anderson Avelino. O desenho técnico do cenário é de José Murilo, cenografia de Miriam Vieira, visagismo de Anderson de Oliveira, figurino de Cida Ferreira e Simone Lopes, maquiagem de Jair Moreira e Danny Pereira, iluminação de Juliana Sousa, aderecistas são Rodrigo Caesar e Wagner Galdino, produção de bonecos por Márcia Alves, audiovisual de Fabiano Keller, preparação circense com Fausto Franco, assistência de produção com Danny Pereira, Lucas Magalhães, Amauri Alves e Caio Xavier, produção visual de Betinho Neto e fotografia de Rodrigo Montaldi Morales.

Realizada pelo Sesc Santos, a Mostra Manufatura de Monólogos reúne 11 espetáculos inéditos e autorais, criados e desenvolvidos entre jun/18 e jan/19 por artistas da Baixada Santista. O projeto voltado para as potencialidades criativas na área teatral da classe artística local conta com a orientação dos santistas Nelson Baskerville e Luiz Fernando Marques Lubi, diretores renomados na cena teatral brasileira contemporânea. No dia 26/fev, às 20h, no Sesc Santos, os artistas e os orientadores realizam bate-papo aberto ao público, com mediação da dramaturga Dione Carlos.

 

‘Rua da Amargura’ reconta Paixão de Cristo no Parque Vila de SV

De seu nascimento ao batismo. Da Santa Ceia ao julgamento de Pilatos. E, enfim, a sua crucificação. A bimilenar história da Paixão de Cristo é a narrativa interpretada por mais de 80 atores vicentinos em ‘A Rua da Amargura’. Com apoio da Secretaria da Cultura, o teatro de rua fará temporada gratuita aos domingos (dias 12 e 19), às 20 horas, no Parque Cultural Vila de São Vicente (Praça João Pessoa, s/nº).

“O espetáculo buscou conciliar o universo circense ao enredo bíblico. Os antigos circos sempre realizaram encenações sobre a Paixão de Cristo e, assim, inserimos a linguagem da Commedia Dell’arte. Cada personagem possui um perfil, uma máscara, um modo de andar”, comenta o diretor Rodrigo Caesar.

Ainda, fitas acompanham os figurinos e um pano colore o cenário da peça. “Além deles, a união da música, a criação corporal, a interpretação, os trajes… Tudo gera muita emoção, é esta mistura que dá vida a cena”, complementa Rodrigo. Junto a ele, os assistentes Lucas Magalhães e Anderson Avelino dirigem elencos formados pelas companhias Héterus de Teatro, Os Indesejáveis do Telhado, Tartuffo’s Cênicos, em ensaios e produção realizados por meses no Parque Cultural Vila de São Vicente.

*Prefeitura de São Vicente

 

Teatro ‘Rua da Amargura’ reconta Paixão de Cristo em SV

De seu nascimento ao batismo. Da Santa Ceia ao julgamento de Pilatos. E, enfim, a sua crucificação. A bimilenar história da Paixão de Cristo é a narrativa interpretada por mais de 80 atores vicentinos em ‘A Rua da Amargura’. O teatro de rua fará temporada gratuita nesta quinta-feira (dia 2), às 20 horas, em frente ao Lar de Amparo Vovó Valquíria (Av. João Francisco Bendorf, 1555, Cidade Náutica) e de sexta-feira a domingo, no mesmo horário, na Praça Tom Jobim (Gonzaguinha).

“O espetáculo buscou conciliar o universo circense ao enredo bíblico. Os antigos circos sempre realizaram encenações sobre a Paixão de Cristo e, assim, inserimos a linguagem da Commedia Dell’arte. Cada personagem possui um perfil, uma máscara, um modo de andar”, comenta o diretor Rodrigo Caesar.

Ainda, fitas acompanham os figurinos e um pano colore o cenário da peça. “Além deles, a união da música, a criação corporal, a interpretação, os trajes… Tudo gera muita emoção, é esta mistura que dá vida a cena”, complementa Rodrigo. Junto a ele, os assistentes Lucas Magalhães e Anderson Avelino dirigem elencos formados pelas companhias Héterus de Teatro, Os Indesejáveis do Telhado, Tartuffo’s Cênicos, em ensaios e produção realizados por meses no Parque Cultural Vila de São Vicente. O espetáculo tem apoio da Prefeitura por meio da Secretaria da Cultura.

*Prefeitura de São Vicente