Arquivo da tag: artes cenicas

Galpão Cultural abre turmas de interpretação e direção teatral

Você quer se aprofundar nas artes cênicas? O Galpão Cultural abre entre os dias 24 e 29 de outubro inscrições para oficinas gratuitas de interpretação e direção teatral. Os interessados devem comparecer neste período, das 14 às 20 horas, no local (Parque Anilinas, s/nº), com uma cópia do RG, CPF e comprovante de residência.
.
Com 20 vagas, as aulas de interpretação teatral são voltadas ao público iniciante a partir de 15 anos. As atividades serão de 1º de novembro a 13 de dezembro, às quartas-feiras, das 15 às 18 horas. As ações serão ministradas pelo artista cubatense Douglas Lima, que integra o Coletivo 302.
.
Ele também mediará a oficina de direção teatral é reservada para 10 participantes, sendo que os interessados precisam também apresentar currículo e ter experiência teatral. As atividades formativas serão também de 1º de novembro a 13 de dezembro, às quartas, durante o período das 19 às 22 horas.
.
Com 14 anos de carreira nos palcos, Douglas Lima é formado em direção (SP Escola de Teatro) e em arte dramática (Senac Santos), além de estudos de Bacharelado e Licenciatura (Anhembi Morumbi). O Galpão Cultural é um espaço público ocupado por coletivos artísticos locais, com apoio da Prefeitura via Secretaria de Cultura.

5º Festival de Artes Cênicas de SV abre inscrições até dia 15

Por Alessandro Cruz
 .
O 5º Festival de Artes Cênicas de São Vicente abre inscrições para grupos artísticos até o próximo dia 15. Os interessados devem enviar material por correio ou no Espaço Amigos da Cultura (Av. Cap. Luiz Horneaux de Moura, 507/São Vicente). Informações: espacoamigosdacultura@gmail.com ou (13) 98807-2534.
 .
 .
Poderão se inscrever grupos, núcleos de arte, companhias teatrais e de dança e escolas de artes cênicas da Baixada Santista. A taxa de inscrição é de R$ 50. O objetivo do evento é de valorizar a cultura e o fazer teatral, além de estimular a formação de plateia e auxiliar jovens e adultos na procura de novos segmentos e linguagens artísticas através do seu respectivo intercâmbio.
Tradicionalmente o Festival de Artes Cênicas de São Vicente é realizado em espaços alternativos, praças, pátios e auditórios da cidade. A previsão é que a próxima edição ocorra entre os dias 1º e 19 de novembro de 2017, em forma de mostra não-competitiva, realizada pelo Movimento Amigos do Teatro de São Vicente e Associação Amigos da Cultura.

Celso Lima ministra oficina de improvisação ‘O Intérprete Criador’ dia 16

Por Tescom

O Tescom recebe oficina de improvisção em artes cênicas (dança e teatro) ‘O Intérprete Criador’, no domingo, dia 16, das 18 às 21 horas. A atividade é gratuita e a escola está situada na Avenida Rodrigues Alves, 195, Santos.

Antecedência da cena, a coxia, o instante e a presença, planos espaciais e círculos de concentração serão trabalhados pelo ator e performer Celso Lima. Inscrições podem ser feitas por email: contato@estudiotescom.com.br.

Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia abre inscrições

O Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC) coloca à disposição permanentemente um FORMULÁRIO através do qual recebe propostas de produções locais, nacionais e internacionais das artes cênicas contemporâneas que desejam integrar a programação do festival. O formulário de envio está aberto a trabalhos artísticos diversas – espetáculos em equipamentos culturais, espaços urbanos e não convencionais, site specific, intervenções, performances e atividades formativas, entre outros.

Com esta iniciativa, o FIAC amplia os canais de comunicação com agentes culturais e comunidade artística. Não se trata de inscrição, pois não há prazo para o recebimento de propostas nem regulamento a ser cumprido – os interessados podem enviar o material a qualquer tempo.

A apreciação dos trabalhos para cada edição considera enquadramento conceitual, capacidade orçamentária e viabilidade de contratação. Quando não houver mais condições de avaliar novas propostas para a programação da edição corrente, será publicado um aviso informando que os novos envios, então, passarão a ser consideradas para a edição seguinte.

As propostas serão apreciadas por um grupo mutidisciplinar, composto por profissionais que atuam em vários contextos do festival: curadores, produtores, educadores, comunicadores e técnicos-criadores. Este modelo de trabalho vai ao encontro do desejo do FIAC de implementar formatos mais integrados e horizontais de gestão e curadoria e está em sintonia com a dinâmica do setor.

*Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia

MinC e Apex selecionam produtores culturais para o 2º MicSul na Colômbia

O Ministério da Cultura (MinC) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) assinaram um acordo de cooperação técnica para abertura de um edital de seleção de empreendedores e profisisonais das artes. O objetivo da parceria é apoiar participantes brasileiros na 2ª edição do Mercado de Indústrias Culturais dos Países do Sul (Micsul), evento que será realizado em Bogotá (Colômbia), entre os dias 17 e 20 de outubro deste ano.

O acordo entre o MinC e a Apex-Brasil apoiará a participação de profissionais de seis setores da indústria cultural/criativa: audiovisual, livro e leitura, música, artes cênicas, videogames e design (incluindo a moda). Os profissionais selecionados terão a oportunidade de apresentar seus projetos culturais e propostas em rodadas de negócios, sessões de pitching, fóruns de discussões e cafés setoriais, potencializando a circulação dos produtos, bens e serviços culturais de forma local, regional e global.

Pelos termos da cooperação entre MinC e Apex, o Ministério deverá fomentar a participação de uma delegação integrada por pequenos e médios profissionais culturais – representantes dos seis setores criativos -, para pequenas apresentações artísticas, exposições de obras ou comercialização. Caberá à Apex-Brasil promover as exportações nacionais, os investimentos e a internacionalização de empresas públicas e privadas do Brasil.

O edital

No edital, está prevista a seleção de 61 profissionais (pessoas físicas), sendo 10 de Artes Cênicas, 10 de Design, 10 de Audiovisual – exceto jogos eletrônicos e animação -, 10 do Mercado Editorial, 10 de Jogos Eletrônicos (games), 10 de Música e 1 para a realização de desfile de moda. O processo de seleção dos profissionais será realizado em quatro etapas: inscrição, habilitação da documentação enviada, avaliação e seleção dos profissionais, e apresentação da documentação complementar.

As inscrições para o recebimento de apoio financeiro estão sendo realizadas exclusivamente por meio do sistema da Apex-Brasil. Elas tiveram início nesta quarta (6), ao meio-dia, e ficam disponíveis até às 23h59 do dia 04 de agosto de 2016 (horário de Brasília). Para habilitação, será necessário entregar Portifólio, clipping de mídia, arquivos de áudio e vídeo, links para sites próprios, ou outros materiais que atestem o mérito cultural/artístico dos trabalhos a serem apresentados no Micsul.

*Ministério da Cultura

 

Espanha é o país homenageado no Mirada 2016

Desde 2010, a cada dois anos, a cidade de Santos recebe o Mirada – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, que aporta na cidade entre os dias 8 e 18 de setembro com cerca de quarenta espetáculos, oferecendo um panorama da produção contemporânea de mais de 10 países da América Latina e da península ibérica. Em 2016, o festival homenageia a Espanha, que vai apresentar espetáculos da Catalunha, do País Basco, de Andaluzia e de Madrid em um quadro diversificado de propostas e linguagens. Na programação, novos artistas estão ao lado de companhias de longa trajetória, já consolidadas em seu contexto de realização.

O festival oferece teatro de rua, peças itinerantes, dança, teatro de animação, espetáculos infantis, além de um amplo leque de possibilidades para o teatro adulto contemporâneo, incluindo uma visada sobre a diversidade da produção teatral nacional. Em todas as edições, as atividades formativas deram grande contribuição à produção de conhecimento sobre as artes cênicas desse continente cultural unido pela história e pelas culturas entrelaçadas, bem como pelas línguas irmãs.

A cada edição, um país recebe atenção especial. Em 2010, a Argentina foi homenageada. 2012 foi o ano dos mexicanos marcarem presença. Já em 2014 foi a vez do Chile. Nas três primeiras edições, passaram pelo Mirada grupos de grande relevância no cenário internacional. Entre os artistas brasileiros, estiveram Antunes Filho, Enrique Diaz, Clowns de Shakespeare, Companhia Brasileira de Teatro, Lia Rodrigues, Grupo Galpão, Ói Nóis Aqui Traveiz, Os Fofos Encenam, Teatro Oficina e muitos outros.

Também estiveram na cidade alguns grupos e criadores de grande relevância no teatro latino-americano, como o Mapa Teatro, da Colômbia; o longevo Malayerba, do Equador, bem como o Grupo Cultural Yuyachkani, do Peru, que também tem décadas de história na bagagem; o Teatro de Ciertos Habitantes, do México; a companhia chilena La Resentida e a encenadora Trinidad Gonzáles; os dramaturgos-encenadores contemporâneos da região rio-platense, como os portenhos Daniel Veronese, Emilio Garcia Wehbi e o grupo Timbre 4, além da Cia Complot, de Montevidéu.

Dos países europeus, o festival já trouxe peças dos grupos O Bando e Artistas Unidos, de Lisboa, além de Falação D’Os Lusíadas de Antônio Fonseca. Da programação da Espanha, vieram diretores como Andrés Lima e Albert Boadella, dramaturgos como Celso Giménez, Itsaso Arana, Pablo Fidalgo, Violeta Gil e Abel Gonzáles Melo, o grupo Insectotròpics e a companhia Antigua y Barbuda, além da coreógrafa Maria Pagés. E, em 2016, a lista de artistas espanhóis que já passaram por Santos no contexto do Mirada vai aumentar, incluindo a presença de realizadores de grande destaque no cenário internacional. Dez dias de muitas atividades, para reservar na agenda. Santos é o lugar para se estar em setembro de 2016.

*Sesc Santos

 

Análise: Relatório mapeia de espaços culturais da Baixada Santista

O relatório virtual Cultura ao Encontro – Mapeamento de espaços culturais da Baixada Santista é uma iniciativa sem fins lucrativos realizada em maio de 2016 pelo jornalista, ator e pós-graduando em Gestão Cultural, Lincoln Spada. O objetivo do relatório é uma tentativa de mapear a maioria dos espaços culturais e espaços em potencial para tal vocação na Região Metropolitana da Baixada Santista. Acesse ao relatório completo aqui.

>> Acesse: Mapa / Análise por: Bertioga / Cubatão / Guarujá / Itanhaém / Mongaguá / Peruíbe / Praia Grande / Santos / São Vicente / Análise por: Literatura / Audiovisual / Artes plásticas e visuais / Praças / Artesanato / Patrimônio / Música / Festejos / Artes cênicas

A escolha de se debruçar no diagnóstico de espaços culturais é porque se trata de um modo mais conciso e mais próximo da exatidão de perceber a disseminação das artes na Baixada Santista. Seria inevitável encontrar grandes erros em indicadores que tentassem recorrer a todos os artistas ou iniciativas dos mais diversos segmentos num primeiro passo. No entanto, ao registrar os locais, entende-se que cada um flui com produtores e artistas de sua linguagem, e público específico, abarcando várias obras e montagens de obras num único endereço.

Ao todo, foram listados mais de 450 espaços que apresentam uma ou mais linguagem artística na região, além de outra centena de locais em potencial, como auditórios de escolas e associações. “Apesar de ser um número farto à primeira vista, com o mapeamento é possível diagnosticar que até 570 mil moradores da Região, quase um terço da população, não encontra em seu bairro sequer uma livraria, um restaurante com música ao vivo ou um cineclube”, comenta Lincoln Spada. “Em todo bairro há um comércio, escola, unidade médica e templo, mas nem sempre tem um simples local de reflexão e produção do fazer cultural, que é por vezes traços da própria identidade da comunidade e região”.

Entre outras conclusões com este mapeamento, o relatório estimula também percepções sobre as diferenças etárias e geográficas nos espaços culturais. Por exemplo, quase metade dos espaços listados se referem a redutos de formação artística, geralmente atendendo crianças e jovens. Até mesmo, os sistemas de bibliotecas, o que significa que enquanto a população regional mais envelhece, o incentivo à cultura é mais voltada aos mais novos, não atendendo a demanda de outras idades, nem estimulando o hábito de todos terem acesso às artes. Geograficamente, é possível notar que a maioria dos endereços registrados estão concentrados na orla ou no centro das cidades, demonstrando que a cultura regional está visando mais o turismo do que a própria comunidade como um todo.

Método de pesquisa

A pesquisa foi baseada em cima de informações entre 2013 e 2016 em sites de prefeituras, universidades e veículos de comunicação da Região, além de checagem da existência ou atualização de informações sobre estes locais em sites de pesquisa e redes sociais das próprias instituições entre 2015 e 2016. Dessa forma, não significa um trabalho conclusivo destes indicadores, mas de reconhecimento da maioria dos espaços registrados na Internet, como também é passível de que certas entidades possam ter se transferido ou já estejam inexistentes na região.

Compreendendo assim este relatório, é possível que gestores públicos, produtores culturais, artistas e demais interessados observem a distribuição dos espaços na região, com intuito de: diagnosticar novas construções de equipamentos públicos; efetivar parcerias com iniciativas privadas de espaços em potencial; conhecer agendas das instituições listadas; buscar locais para apresentar suas produções artísticas ou realização de ensaios; etc.

Linguagens artísticas

O relatório virtual identificou além de endereços das instituições, as datas de criação das entidades, os órgãos responsáveis pelos espaços, status (se o local está passando por obras, reformas ou aberto) e possíveis detalhamentos. Cada local podia abranger mais de uma modalidade em sua vocação cultural, sendo classificado nas seguintes modalidades: artesanato (bibliotecas, livrarias e afins); audiovisual (salas de cinemas, auditórios, cineclubes e afins); artes visuais e plásticas (galerias, escolas do setor, ateliês abertos ao público e afins); artesanato (locais onde há feiras de artesanato); música (auditórios, casas de shows, escolas do segmento e afins); artes cênicas e circenses (palcos, auditórios e cursos referentes à dança, teatro e circo, e afins); festejos (sedes e locais de ensaio de carnaval e quadrilhas juninas); patrimônio (museus e locais de acervo histórico); praças públicas de eventos (onde já há freqüência de ações culturais); e auditórios (potenciais espaços culturais, geralmente de associações e entidades com capacidade acima de 100 lugares).

*Lincoln Spada