Arquivo da tag: carlos pessoa rosa

Márcio Barreto lança sua nova obra durante Sarau Caiçara nesta sexta

Por Márcio Barreto

O livro ‘A Desmemória e seus outros nomes’ será lançado durante nova edição do Sarau Caiçara nesta sexta-feira (15/fev), das 19h às 22h, na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340/Santos). A publicação de Márcio Barreto (Ed. Imaginário Coletivo) tem o valor de R$ 40.

O lançamento contará com a Feira Imaginária (feira de livros) e participação do aniversariante Flávio Viegas Amoreira, do grupo Percutindo Mundos, além de: Mc Dany, Douglas Drez, Nytria, Orpheu, Martin. Entre escritores, Madô Martins e Regina Alonso têm presenças confirmadas. No dia, haverá homenagem póstuma à jornalista Helle Alves com mostra fotográfica de Myriam D’Almeida.

Em ‘A Desmemória e seus outros nomes’, o autor reúne os seus quatro últimos livros ‘O novo em Folha’, ‘Nietszhe: ou do que é feito o arco do violino’, ‘Mundocorpo’ e ‘Macunaímabladerunner’, poemas inéditos e entrevistas que marcaram sua produção literária de 2010 a 2018.

Com prefácio de Ademir Demarchi, Flávio Viegas Amoreira, Manoel Herzog, Laercio Silva, Madô Martins, Maria José Goldschmidt, Oscar Dambrosio e Carlos Pessoa Rosa, o livro é um monumento móbile às memórias e desmemórias que nos formam.

Nascido em Santos, Barreto é pesquisador da cultura caiçara e utiliza diversas linguagens para expressar suas questões como a literatura, edição de livros, música, cinema, dança, arte-educação, educação social. Já publicou sete livros entre eles ‘Ácidos Trópicos’, ‘Wisnikianas’ e ‘Mar Selvagem’, este como organizador.

Atualmente, trabalha na edição de seu romance ‘Totem’. É também compositor e líder do coletivo Percutindo Mundos que criou profundos laços com a música de Gilberto Mendes, ao qual é dedicado o livro, tendo encerrado o último Festival Música Nova, na USP em Ribeirão Preto.

Tributo a Vicente de Carvalho, antologia ‘Mar Selvagem’ é lançada dia 6

Por Márcio Barreto

‘Mar Selvagem’ é uma antologia em homenagem ao poeta Vicente de Carvalho. Reconhecido por nomes como Euclides da Cunha, Fernando Pessoa e José Lino Grunewald, seus sonetos permanecem entre os mais perfeitos da lírica em língua portuguesa. O lançamento será neste sábado, a partir das 19h, na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340/Santos). Publicado pela Imaginário Coletivo e Secult de Santos via Facult 2016, o livro tem o valor de R$ 30.

O livro reúne escritores, editores, músicos, compositores, bailarinos, atores e artistas visuais inspirados na obra do Poeta do Mar. Desde poemas inéditos de Walter Smetak(1913 – 1984), compositor suíço-baiano, à poesia de atores consagrados como Anselmo Vasconcelos (Globo) e à poética de escritores como Flávio Viegas Amoreira, Marcelo Ariel, entre outros que participam pela primeira vez de uma antologia nacional, Mar Selvagem traça um panorama da poesia de todos os tempos, uma ligação importante entre nosso passado, o presente e o imaginário caiçara alimentado pelo mar.

Segundo comenta Regina Carvalho (bisneta de Vicente) no prefácio, “Mar Selvagem oferece ao leitor a oportunidade de viajar pelos poemas de Vicente de Carvalho e de embarcar em várias canoas por mares poéticos e nos deslumbrar com a modernidade, contemporaneidade de estilos e por amantes das palavras. Os poemas revelam a nós mesmos, não nos matam a fome, mas alimentam nossa alma! Este livro é instigante e reacende a chama da versificação, abre caminhos para a valorização da nossa história e da poesia”.

Vicente Augusto de Carvalho nasceu e morreu em Santos (5/04/1866 – 22/04/1922). Publicou diversos livros, entre eles Ardentias (1885), Rosa, Rosa de Amor (1902) e Poemas e Canções (1908). Além de escritor, foi jornalista, político, jurista e abolicionista, tendo ajudado escravos fugitivos a se esconderem no Quilombo do Jabaquara, em Santos. A presente obra, organizada por Márcio Barreto, une poetas de diferentes regiões do Brasil em torno do principal tema de sua obra: o mar! Assim, poetas de Santos, São Vicente, Cubatão, Jundiaí, Itararé, São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE), Recife (PE), Brasília (DF) e Maringá (PR) navegam em sua poética. Todos marujos e argonautas resistindo pelo encanto da linguagem solta, úmida, verbo de brisa, bruma e maresia!

São eles: Ademir Demarchi, Alessio Forté, Anselmo Vasconcelos, Antonio Eduardo Santos, Barbara Muglia-Rodrigues, Barney Days, Caio Cardoso Tardelli, Carlos Emilio C. Lima, Carlos Pessoa Rosa, Christina Amorim, Clara Sznifer, Claudia Brino, Claudia Marczak, Ernani Fraga, Flavio Meyer, Flávio Viegas Amoreira, Joceani Stein, José Geraldo Neres, Laert Falci, Luís Sansevero, Luis Serguilha, Madeleine Alves, Madô Martins, Marcelo Ariel, Marcelo Ignacio, Márcio Barreto, Maria José F. Goldschimidt, Mauricio Adinolfi, Natalia Barros, Orleyd Faya, Plinio Augusto Soares, Raul Christiano, Regina Alonso, Reynaldo Damazio, Rodrigo Savazoni, Roberta Tostes Daniel, Silas Correa Leite, Tamara Castro, Valerio Oliveira, Vieira Vivo, Walter Smetak (1913 – 1984), Vinicius Faria Zinn e Yuri Pospichil.

O prefácio é assinado por Regina Carvalho, bisneta de Vicente. Desde Homero, imemorial, o Mar é o elemento literário por natureza: todo homem que nasce a beira mar tem tendência a ser um sábio. Esse telurismo diante do infindo contamina virtuosisticamente nossa linguagem, fortalece mirada ampla ao horizonte e aprofunda por contiguidade nosso sentimento atlântico do mundo! Walt Whitman, Fernando Pessoa, Kaváfis! Ao lado desses mestres oceânicos o Brasil tem em Vicente de Carvalho o seu avatar literário marítimo maior!

O mar vai além do cais, localidade, baía, golfo. É atmosfera do espírito: poetas, somos faróis da humanidade ao longo e ao largo do mistério… É sabido que 90% da população humana vive até 100km dos mares: mar é útero, espelho, aconchego com o divino estelar que reflete. A Editora Imaginário Coletivo, com este livro, ergue uma ponte entre o passado e o presente, ponte que precisa ser mantida, pois sem ela, jamais alcançaremos o rio que desemboca no grande mar do Poema.

 

Agenda: Sesc Santos tem Pepeu Gomes, orquestra, Flávio Viegas Amoreira e mais

O músico Pepeu Gomes é o grande destaque nesta semana no Sesc Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136), em um show que mescla o repertório do álbum instrumental que Pepeu acaba de lançar pelo Selo Sesc, intitulado “Alto da Silveira”, com clássicos de sua carreira, como “Mil e Uma Noites”, “Eu Também Quero Beijar”, “Masculino e Feminino”, “Sexy Iemanjá” e “A Lua e o Mar”. A apresentação será na quinta-feira (13), às 21h, com ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Felipe Siles e André Parisi

01Na terça-feira (11), às 20h, apresenta-se gratuitamente o duo Felipe Siles e André Parisi. O duo apresenta um repertório de música brasileira, mesclando timbres e sonoridades da música erudita (são dois intrumentos tradicionalmente do universo clássico), com interpretações abertas para improvisos e variações. A apresentação conta com obras de nomes como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Tom Jobim, Noel Rosa e Hermeto Pascoal.

Orquestra Jovem Tom Jobim

Por meio do projeto musical Tocando Santos que traz uma série de concertos com grupos sinfônicos do Estado de São Paulo, quem se apresenta desta vez é a Orquestra Jovem Tom Jobim no domingo (16), às 18h, com ingressos de R$ 5 a R$ 17. O grupo tem como objetivo o resgate de obras tradicionais de grandes compositores brasileiros, com especial dedicação à obra de Tom Jobim e à pesquisa e experimentação musical. Sua formação alia as sonoridades e a expressividade da orquestra sinfônica (cordas, madeiras e metais) com a força e o balanço da seção rítmica (piano, contrabaixo elétrico, guitarra, bateria e percussão), proporcionando-lhe uma enorme versatilidade estética. Criado em 2001 durante o Festival de Inverno de Campos do Jordão, tem como regente Roberto Sion .

Cia Suno

02Celebrando os 17 anos da companhia santista Cia Suno, neste sábado (15) às 18h30, será apresentado o espetáculo ‘O Circo de um Homem Só’, com ingressos de R$ 5 a R$ 17. Neste espetáculo, o acrobata e malabarista Duba Becker dá vida a um palhaço solitário que abandona o circo e tenta se adaptar na cidade grande. Mesmo longe do picadeiro, esse personagem exerce sua maior função dentro do circo: espalhar alegria. Suas atitudes e relações com o cotidiano são sempre cômicas e desastradas, como se o palhaço não conseguisse viver sem representar, fazendo da sua vida um verdadeiro espetáculo de circo.

Flávio Viegas Amoreira

03Lançamento de ‘O Vazio Refletido na Luz do Nada’, novo livro do escritor, poeta e jornalista Flávio Viegas Amoreira nesta sexta-feira (14), às 20h30. Trata-se da décima quarta obra do escritor santista, editado pela Kazuá Editora de São Paulo. Antes do lançamento acontece a leitura dramática pelo autor e apresentação musical de Alice Mesquita e o Grupo ‘El Encuentro’. Prosa poética, o novo livro tem apresentação do compositor e maestro Gilberto Mendes, do poeta Marcelo Ariel, do romancista Láercio Silva e pelo médico e escritor Carlos Pessoa Rosa. Escritor de vanguarda, transmoderno, Amoreira comemora com esse encontro o seu cinquentenário e 35 anos de vida literária e militância cultural.

Debate sobre antologia de literatura brasileira

A revista Pessoa, em parceria com o departamento de Estudos Lusófonos da Universidade Sorbonne, vai lançar uma edição especial da Antologia de Literatura Brasileira no Salão do Livro De Paris, que este ano homenageia o Brasil. A curadoria é de Leonardo Tonus. A ideia é oferecer um panorama da literatura brasileira com a publicação de trechos de obras inéditas de 27 autores (prosa, poesia, infanto-juvenil e teatro). Um dos critérios para a seleção de autores, além de seu reconhecimento no Brasil, é a sua pouca visibilidade no cenário francófono. A publicação também tentará abarcar a diversidade regional. Para o debate estarão presentes duas autoras que fazem parte da seleção: Andrea Del Fuego e Luisa Geisler (Prêmio Sesc de Literatura) e o curador Leonardo Tonus. Também será feita uma leitura das obras. O evento será no sábado (15), às 16h30.

*Sesc Santos