Arquivo da tag: dezembro

Dia 22 encerram as pré-inscrições para 50ª Encenação da Paixão de Cristo

Informação da Incena Brasil

Este sábado (22/dez) é o último dia de pré-inscrições para quem pretendem participar do grande elenco da 50ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão. O período de inscrições será das 14h às 18h, na Casa 1 (Parque Anilinas, s/nº, Centro).

Interessados não precisam ter experiência anterior. Atores profissionais também podem participar da montagem do espetáculo. A documentação que deve ser entregue é composta de cópias de RG, CPF e comprovante de residência. Atores profissionais também devem apresentar DRT e PIS. Menores de 16 anos precisam estar acompanhados dos seus responsáveis.

Em comemoração aos 50 anos, a Associação Incena Brasil, responsável pelo espetáculo, informou que promoverá mostra fotográfica, lançará livro e realizará encontros sobre a memória da encenação de janeiro a abril, quando também estão programadas oficinas e ensaios. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (13) 99158-9068, com a Rose, e (13) 99760-3881, com a Carla.

Cadeia Velha: Reformado em R$ 10 mi, prédio estadual fechará no dia 16

Por Lincoln Spada

Quem ainda não revisitou o Centro Cultural Cadeia Velha, terá a chance de conhecer o espaço recém-reformado até 16 de dezembro. Na quinzena seguinte, o prédio estadual estará fechado, e a equipe de três funcionários da Oficina Cultural Pagu estarão nos balanços finais, antes de entregar a gestão do edifício. É provável que quase todo o mobiliário saia do patrimônio público, dificultando quem irá gerir o local enquanto centro de artes integradas.

>> Quatro meses após reabertura, oficina será fechada
>> A história da versátil Cadeia Velha desde séc 19 

O dia 16 é a data-limite na agenda do edifício, apesar de que a última apresentação marcada até hoje pertence a 10 de dezembro – trata-se de uma atividade circense. Exposições de fora da Baixada Santista já estavam sendo previstas para o espaço, além da mostra do coletivo Tumobgrafia, mas ambas foram canceladas pelo cronograma curto. O fechamento da Oficina Cultural Pagu e, consecutivamente, do Centro Cultural Cadeia Velha, deve afetar diretamente e indiretamente o calendário artístico da cidade.

Sem OC Pagu, Prefeitura será sobrecarregada

Por exemplo, a OC Pagu era uma das principais apoiadoras do FESTA – Festival Santista de Teatro e do Curta Santos – Festival de Cinema de Santos, esta é uma das principais iniciativas que rendeu a Santos o Selo de Cidade Criativa da Unesco. Sem a oficina cultural, tais cursos e workshops à população só ocorrerão com maior desembolso da Prefeitura.

Além disso, o espaço que hoje tem rumo incerto fecha a única tela da região central em que era exibida a programação do Curta Santos, como também poderá criar entraves no Valongo Festival, em franca expansão. Na primeira edição, o prédio foi fundamental para sediar a maioria de exposições e ações formativas. A agenda desses festivais teria que ser escoada no Teatro Coliseu e no Guarany, interferindo nos grupos municipais de pesquisas artísticas.

Reforma de cinco anos custou R$ 10 mi

Após um processo que durou entre dezembro de 2011 e agosto de 2016, a Cadeia Velha foi reformada pelo Governo Estadual ao custo público de R$ 10,6 milhões. Como garantido em audiência pública e anúncios na mídia, o edifício foi repassado à Poiesis, organização social que gerencia a OC Pagu. Entretanto, em menos de três meses, o Governo Estadual agora anuncia que a OC Pagu será fechada, e que o prédio terá um destino incerto.

 

Edital do 5º Facult deve ser publicado até dezembro

O edital do 5º Facult – Fundo de Assistência à Cultura de Santos deve ser publicado até dezembro, conforme já garantido pelo secretário municipal da Cultura, Fábio Nunes, em entrevista à TV Tribuna no dia 5 de outubro. O compromisso foi firmado ao vivo durante a campanha ‘Prefeito, cadê o Facult?’, iniciado pelos movimentos artísticos da Cidade, ligados a diversos setores, como o teatro, artesanato e audiovisual.

O modelo do próximo edital foi tema de discussão na reunião do último dia 4, no Conselho Municial de Cultura. Entre as propostas apresentadas pela secretaria da Cultura (Secult), houve consenso no fato de que o financiamentos do projetos artísticos contemplados fosse em parcelamento único (atualmente, o produtor recebe 70% no início do projeto e outros 30% ao concluí-lo).

A Secult também apresentou a ideia do edital contemplar em vez de 30 projetos com R$ 10 mil cada, ser de 25 ações com R$ 12 mil, já que nem todas as atividades contempladas pelo Fundo realmente são executadas. No entanto, os artistas argumentam em manter o financiamento de 30 inscritos, até porque são cadastrados, em média, 60 projetos por edital.

Outros dois pontos discutidos é a manutenção do calendário do edital e um aumento nas verbas. O período de inscrições, habilitação, escolha dos projetos e financiamento é de cerca de 5 meses. Atualmente, quando o produtor recebe o financiamento, ele tem o prazo de 12 meses para executar as ações, além de 3 meses de prorrogação.

Na reunião, a Secult chegou a propor que o prazo fosse reduzido para 7 meses, argumentando a habilitação de todos os proponentes das outras edições num edital anual seguinte. Os artistas entendem que o prazo precisa se manter, entendendo a melhor qualidade dos projetos quando se há mais tempo hábil para realização dos trabalhos.

O crescimento financeiro do Facult foi o único não definido na reunião. Quando idealizado, o programa municipal destinaria R$ 300 mil em cada edital anualmente, com possibilidade de aumento nos anos seguintes. Em 2012, o programa de governo do atual prefeito Paulo Alexandre Barbosa previa esse aumento, no entanto, não ocorreu.

A classe artística representada entende que o valor de R$ 300 mil (R$ 10 mil por iniciativa) não é um investimento suficiente para melhor qualidade das produções artísticas. Eles solicitaram o dobro: que o 5º edital tenha R$ 600 mil, destinando R$ 20 mil para cada selecionado.

Recursos para o edital

Com o edital sendo publicado em dezembro, a Prefeitura precisará prevê-lo no orçamento do ano seguinte. Sendo assim, mesmo que a arrecadação de bilheterias do Carnaval e dos teatros municipais, de indenizações de ações civis públicas específicas, multas ou doações, o edital deverá ser completado com dotação orçamentária da Secult.

Facult

Por lei, o Facult é um fundo que realiza anualmente concurso para financiamento de projetos culturais independentes. Ele tem o modelo de R$ 300 mil (R$ 10 mil por ação selecionada), sendo que o projeto deve ser realizado no prazo de 1 ano, tendo como contrapartida, apresentações gratuitas ou a preços populares, principalmente na Área Continental, Zona Noroeste, morros e centro de Santos, descentralizando e garantindo o acesso à cultura em todas as regiões da Cidade.

*Lincoln Spada