Arquivo da tag: economia criativa

Feira Criativa de Cubatão terá edição natalina em dezembro

Por Lincoln Spada

Uma edição especial de Natal está sendo preparada para a próxima Feira Criativa de Cubatão (FCC). A mostra está prevista para os dias 10 a 21/dez, das 9h às 17h, no saguão da Prefeitura (Praça dos Emancipadores, s/nº, Centro/Cubatão). A abertura será o dia 10/dez às 15h, com coral das Oficinas Criativas no CEU das Artes, sob a regência do arte-educador Mário Leite.

Artesanato, moda e gastronomia são alguns dos setores que compõem a feira, que tem como objetivo alinhar o desenvolvimento de formas e modelos de negócios ou gestão de bens e serviços, focando no conhecimento e na criatividade das pessoas, visando à geração de trabalho e renda.

De acordo com o diretor de Políticas Públicas para a Diversidade Cultural, Marcio Teixeira, “a FCC foi um programa exitoso realizado durante esse ano, agregando os artistas locais com a economia criativa, um dos setores em crescimento no PIB nacional”.

Mais de 20 expositores apresentam seus trabalhos, desde porta-jóias a camisetas, conjuntos de sabonete até bonecas artesanais. A iniciativa do FCC é uma realização da Prefeitura via Departamento de Políticas Públicas para a Diversidade Cultural.

Economia criativa é impulsionada no 3º Mutirão em Santos

A 3ª Ediçao já começa a fomentar as compras de fim de ano. Como sempre, trazendo novas marcas autorais, com produtos prá lá de especiais.
.
Serão 11 expositores. Vamos começar falando de comida?!
Na área da gastronomia terão os nutritivos e saborosos lanches do O Seu Lado Nórdico do Bruno De Carvalho Reis, já os doces quem comanda é a Liz Cakes para deixar todos com água na boca.
.
Sempre pensando em enaltecer o charme da mulher, as bijuterias são sempre bem-vindas, e a Marininna e o Santo Bamboo trazem peças maravilhosas com estilos totalmente distintos. Ainda no setor feminino a Bolsas Lá em Casa arrasa com sua produção.
Nosso lar é aquele que requer cuidado e aconchego, e nas mãos dessa turma você estará bem servido, Ateliê Guapuru, Silvia Artesanato e Mamôre Produções Artísticas .
E para trazer alegria os Amigurumis da Deu Nó e as lindas bonecas Matintah da Matintah Pereira.
.
Tudo isso no dia 25 de Novembro na Rua Goiás, 154 altos – sala 3 das 14h às 21h.
Vem você também pro Mutirão.
ENTRADA GRATUITA

Mais de 40 expositores, cinema, DJs e flores gigantes no Bazar Cafofo

Por Luiz Fernando Almeida

No próximo sábado, dia 28, o Bazar Cafofo abre nova temporada e também em novo endereço, no Mercure Hotel Santos (Avenida Washington Luiz, 565). Na entrada, é possível doar 1 Kg de alimento não-perecível, que será entregue à instituição Abase, que atua com pessoas com deficiência.

Além dos desdobramentos como Cafofinho e TV Cafofo, surgem este ano o #CafofoMob, o Cafofo Micro Club (happy hour quinzenal, as sextas-feiras no Novotel em Santos), o Cafofo Store (marca de produtos personalizados e exclusivos do Bazar Cafofo) a Oficina Cafofo (cursos, palestras, workshops), só pra começar a agitar o primeiro semestre.

O evento, que há dois anos e meio tem movimentado a economia criativa na Baixada Santista, agora conta com três espaços climatizados e com wi-fi liberado: área de exposição, espaço cultural Cafofo e o Cafofo Sunset. Na edição de estreia, serão 40 expositores nos segmentos de moda, arte, design, confeitaria, artes plásticas, artesanato, moda praia, decoração entre outros.

Dentre os destaques desta edição marcas como: Liquido Moda Praia, Dona Chita Brigadeiros, Free Design Arte em Mosaico, Sapore Della Nonna (conservas), Chav Mstra Ilustrações, Ale Artes e Presentes com seus aromatizadores e sabonetes, Li Wecke Mimos e Caprichos, os geeks vão surtar com a Oliver Stor, Petite Jolie, marca conhecida nacionalmente com seus lindos sapatos e bolsas, Agua Marinha Acessórios, Madri Brigadeiros, Cafofo Store, Godê Saia, Chupa que emagrece (chup fit) as mandalas da Goldok, Donna Chic, Azure Semi Joias, a artista plástica Sylvia Bandeira, Bonecas Africanas,entre outros.

Na edição de janeiro acontece o lançamento para o grande publico, da Cafofo Store, a marca de produtos personalizados e exclusivos do Bazar Cafofo. “A ideia surgiu há um ano, mas só agora saiu do papel. Nossa linha de produtos tem estampas desenvolvidas pelo estilista Ector Caires e foi produzida em parceria com a empresa MIHA”, diz Luiz Fernando Almeida, responsável pela iniciativa. O público encontrará canecas, almofadas, camisetas, capinhas para celular, bottons, nécessaires entre outros produtos com estampas de ícones da cultura pop.

Neste dia 28, também acontece a exposição Seo Florindo – Flores Gigantes, confeccionadas em papel pelo artista André Leahun. Ele também atua na área de cenografia e decoração tendo em seu portifólio trabalhos de destaque regional como a ultima campanha da loja Antonelze, além de cenografia para espetáculos e decoração de eventos institucionais.

Ainda, às 16h, há o lançamento do Blog Suzanices, de Suzana Elias Azar, e bate-papo com blogueiras de Santos e região, como Sarah Campos (Sahssaricando) e Caroline Trevisan (B. Beauty). A partir das 17h, a Rádio Cafofo se transforma na Cafofo Sunset, com boa música promovida pelos DJs residentes do Cafofo Brazuca in Pop, Marcelo Rayel e Raquel Pellegrini. Já às 18h30, acontece o Cine Cafofo. O espaço tem como foco privilegiar o cineasta regional, abrindo espaço para os curtas-metragens, em suas diversas linguagens, com curadoria de Raquel Pellegrini.

A realização é da Cafofo Produções Eventos. Produção: Luiz Fernando Almeida. Patrocínio: Art Graphica e KG34 Publicidade. Parceria: Mercure Santos Hotel, Da Franco Restaurante e MiHa. Promoção: Saudade FM. Apoio: Cielo, Uber, Unisanta, Tripadvisor, Caderno de Cabeceira, Estilistas Brasileiros, Juicy Santos, Suzanices.

 

Galpão Tremendão recebe Bazar Cafofo no próximo dia 22

Por Luiz Fernando Almeida

O Bazar Cafofo já tem sua próxima edição agendada. Será neste sábado (dia 22), das 14h às 22h, no Galpão Tremendão (Rua Senador Feijó, 509/Santos). Com entrada franca, o evento é focado na economia criativa, dando espaço aos empreendedores locais, incluindo gastronomia e entretenimento de qualidade.

Começou na internet para comercializar roupas do idealizador, mas acabou se tornando um espaço multicultural, que reúne moda, música e arte, tudo no mesmo espaço e acabou inspirando outros eventos do gênero na região, ajudando a fomentar a cultura de bazar e o consumo da economia criativa na região.

O Bazar Cafofo é uma excelente opção para quem deseja ter um sábado diferente e além de conferir as novidades dos expositores, você pode passar uma tarde agradável com muita diversão. Tem bolsas, almofadas, maquiagem, mosaico, acessórios, roupas, chocolates, bolos e doces para o almoço de domingo, canecas, azeites, sabonetes, aromatizadores de ambiente, placas, objetos decorativos e muito mais.

Já a Rádio Cafofo recebe personalidades santistas que se arriscam como DJ por um dia animando o evento. Neste sábado, nomes como: Brazuca In Pop, Raquel Pellegrini, Marcelo Rayel, Junior Texaco, e Lala animam o babado. Mais informações: http://www.facebook.com/bazarcafofo.

 

Inscrições para a Feira Criativa de Cubatão vão de 22 de julho a 12 de agosto

Os interessados em participar da Feira Criativa poderão fazer as inscrições de 22 de julho a 12 de agosto, das 9 às 17h, na Casa da Memória, que fica no Parque Novo Anilinas, ou pelo email feiracriativacubatao@gmail.com. O evento será realizado nos dias 27 e 28 de agosto, na Praça Independência, no Jardim Casqueiro.

São 20 vagas, que serão preenchidas por artistas e grupos que residam na cidade de Cubatão ou que tenham algum vínculo com o município. O objetivo do evento é reunir artistas e coletivos criativos, valorizando a cultura e a geração de trabalho e renda.

Serão vários segmentos expostos, como moda, artesanato, discos de vinil, livros, gibis, perfumaria e gastronomia, entre outros. A Feira é uma realização da Prefeitura Municpal de Cubatão por meio da Secretaria de Cultura e do Departamento de Políticas Públicas para a Diversidade Cultural.

*Christiane Castanheira

Lista do 5º Facult aponta necessidade de editais maiores em Santos

O Diário Oficial de Santos publicou nesta terça-feira (dia 17) a lista dos 165 projetos habilitados pela comissão de análise da Secult para o 5º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes de Santos, mais conhecido como o 5º Facult, nome abreviado do Fundo Municipal de apoio à Cultura que propicia via R$ 360 mil contemplar 30 projetos no valor de R$ 12 mil nesta edição anual.

Dos mais de 160 projetos, 30 correspondem às produções musicais, seguido de atividades de teatro (23), literatura (22) e audiovisual (18). Há ainda inscritos em HQs, artes visuais, fotografia, capoeira, circo, design, gastronomia, economia criativa e artes integradas, mostrando um abrangente diagnóstico do setor cultural no município. Baixe a lista aqui.

Em fevereiro, houve as inscrições. Em março, uma comissão da Secult analisou a habilitação. Em abril, tal comissão contatou já entrou em contato com os projetos que faltavam documentação. Nas últimas semanas, os artistas da Cidade solicitaram que fosse publicada a lista dos habilitados. O Diário também apresenta o nome da comissão avaliativa, formada por quatro membros da sociedade civil e três da Secult. A previsão é de até meados de junho sejam feitas as análises.

Se por um lado não é possível contemplar 20% dos inscritos, por outro mostra que o Poder Público já deve nas próximas edições aumentar a verba do fundo. Vale ressaltar que o edital geralmente é custeado pela bilheteria dos eventos culturais, como o Carnaval e a programação dos teatros Guarany, Coliseu e Braz Cubas. Por isso, os dois primeiros editais na gestão do prefeito João Paulo Tavares Papa (hoje PSDB) e do secretário Carlos Pinto (PMDB) foram menos da metade do atual valor. Apenas no terceiro ano, o edital atingiu R$ 300 mil.

Um dos compromissos de governo do atual prefeito, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), era de aumentar o valor do edital anualmente, então previsto em R$ 300 mil. Mas nos dois primeiros anos quando a secretaria foi assumida por Raul Christiano (PSDB), só houve um edital. E no primeiro ano sob gestão de Fábio Nunes (PSB), em 2015, houve apenas a publicação do atual concurso. Para as interrupções, as razões foram o cancelamento do Carnaval em 2013, o fechamento do Coliseu (2013-2014), parte fechada da plateia do Coliseu (desde 2015) e a reforma no Braz Cubas (2014-2015).

Entretanto, a lei do Facult reformada em 2014 prevê que o Poder Público pode investir mais no fundo e aumentar o valor oferecido no concurso. Ao mesmo tempo, Santos é a única cidade da Baixada Santista que promove esse tipo de financiamento via edital. Em conversas informais, tanto o gabinete do prefeito, quanto a Secult estimam em corresponder com o crescimento financeiro do edital.

*Lincoln Spada

 

Entrevista: Os passos de Guilherme Varella para políticas culturais

Quando Brasília se tornou berço do Ministério da Cultura, Guilherme Varella ainda pouco andava há exatos 30 anos. O paulista em seu segundo aniversário e a recém-criada pasta deram os primeiros passos separados. Cresceram um longe do outro. Foi na juventude que o advogado se aproximou do setor de políticas públicas.

Mestre na Universidade de São Paulo com a dissertação sobre o Plano Nacional de Cultura, apropriou-se das leis de direitos autorais no Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, incentivando em sua reforma com publicações, além de atuar em 2008 como produtor cultural a Caravana da União Nacional dos Estudantes.

> Confira as 23 propostas apresentadas na Caravana da Cultura em Santos
> Entrevista com ministro da Cultura Juca Ferreira
> Entrevista com secretária de Cidadania e Diversidade Cultural, Ivana Bentes

De braços dados com o segmento, foi convidado a ser chefe de gabinete e coordenador da assessoria técnica da Secretaria de Cultura de São Paulo junto de Juca Ferreira entre 2013 e 2015. Com a posse do gestor como ministro, Guilherme já estava de barba na capital brasileira, pronto para chefiar a secretaria de Políticas Culturais: “É que o MinC tem investido muito na juventude”.

03Ele sequer demonstra a pouca idade como desafio para o cargo. Didático como todo pesquisador, relata: “Temos trabalhado até aqui a tridimensionalidade da cultura, ampliando o seu conceito nos âmbitos cidadão, simbólico e econômico”. São justamente estes dois últimos fatores que o MinC deverá dar ênfase em sua trajetória.

O ponto de reflexão inicia no dia 9, com o processo de discussão da Política Nacional das Artes para entender as demandas de cada área junto da Funarte. “Vamos ter ao longo do ano caravanas percorrendo todo o Brasil, uma série de seminários para discutir temas, diálogos com cada setor e uma plataforma digital. Ela vai ter muitas publicações para discutir desde artes até modelos de transparência”.

As propostas de Guilherme vão ao encontro de novos retratos do cinema, do teatro, da música brasileira atual, etc. “A ideia é a gente conseguir mapear as cadeias produtivas de cada setor e atacar onde há o maior gargalo. Talvez na música, seja necessária a presença maior do estado para regulamentar os direitos autorais na Internet”, exemplifica o secretário.

04Com os dados na mão, crê que, consecutivamente, o ministério pode ajudar na geração de emprego e renda, na participação dos segmentos no PIB nacional (atualmente corresponde a 5% do valor total). Enfim, caminhar de bem com a economia criativa. “Mas em vez de termos uma secretaria específica desse tema, hoje queremos trabalhar transversalmente o tema da economia criativa em todas as áreas. Porque há a economia solidária nas produções locais, a dos grandes eventos e espetáculos, a das artes, a digital, a relacionada à propriedade intelectual. E cada uma tem sua cadeia própria de mercado”.

No entanto, tal andança não prevê a extinção das atuais 14 incubadoras da secretaria de economia criativa espalhadas pelo país. “Como centros de experimentação, elas tinham a função de formar empreendedores e gestores culturais, que trabalhavam inovação, tecnologia e outros temas. Cada uma tem sua vocação diferente da outra. Já que umas são mais desenvolvidas com as outras, vamos olhar para elas e planejar um salto maior, ampliar os seus conceitos”, ainda não definindo muito o porvir das iniciativas.

Se a jornada recente com o MinC aliada bem no período de corte financeiro o desagrada, o acadêmico peregrina por outra perspectiva. “Ao contrário do que se veicula na mídia, nos tempos de crise é o momento de pensar da diversificação de disponibilidades, organizar os meios para intervir na cultura, nos marcos legais, de pensar em cultura como um ponto central de desenvolvimento no País”.

*Lincoln Spada