Arquivo da tag: fernando coimbra

Agenda cultural: Bertioga tem Festa das Nações, cinema, teatro e mais

A Casa da Cultura de Bertioga recebe neste sábado (19), às 20 horas, a dupla Zé Barbeiro e Jean Freitas. A atração integra o projeto Música é Cultura, desenvolvido semanalmente, aos sábados, pela Prefeitura, por meio da Diretoria de Cultura do Município, em parceria com o Sesc.

Zé Barbeiro é representante importante do movimento de renovação do choro e influenciou boa parte dos jovens intérpretes e compositores da cena atual paulista. Já Jean Freitas tocou com grandes nomes da música brasileira, como Inezita Barroso, Sérgio Reis e Oswaldinho do Acordeon. A entrada é franca. A Casa da Cultura fica na Avenida Thomé de Souza, 130 – Praia da Enseada (Centro).

Teatrada

O projeto Teatrada apresenta neste domingo (20), às 11 horas, na Casa da Cultura, o espetáculo Construtório, da Cia Truks. No final de um dia comum de trabalho, três operários ficam impedidos de saírem da obra em que trabalham por conta de uma tempestade. ‘Presos’, resolvem libertar a fantasia para criar as mais incríveis aventuras. O projeto Teatrada é desenvolvido sempre aos domingos pela Prefeitura de Bertioga, por meio da Diretoria de Cultura, em parceria com o Sesc. A entrada é livre.

Cinema

A Casa da Cultura e o Sesc Bertioga exibem no próximo dia 22, pelo projeto Cine Telão, o drama brasileiro ‘O Lobo atrás da Porta’, de Fernando Coimbra. Em uma delegacia, um homem (Milhem Cortaz), sua mulher (Fabíula Nascimento) e a amante dele (Leandra Leal) são interrogados.

Arrancados pacientemente pelo detetive (Juliano Cazarré), um após o outro, seus depoimentos vão tecendo uma trama de amor passional, obsessão e mentiras, que levará a um final completamente inesperado. Nesta terça-feira (15), o filme exibido é o documentário ‘A Alma da gente’. As sessões acontecem sempre às terças-feiras, a partir das 19h30. O acesso à sessão é gratuito.

Festa das Nações

Começa nesta sexta-feira (18), a Festa das Nações 2015, que segue até 12 de outubro, na Praça de Eventos, ao lado do Forte São João (Centro) – no mesmo espaço onde aconteceram as festa da Tainha e a do Camarão na Moranga. A festa vai acontecer sempre as sextas, sábados e domingos, e na segunda-feira, feriado de 12 de outubro, a partir das 18 horas. A iniciativa é do Rotary Club Bertioga – Riviera de São Lourenço, com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo, Esporte e Cultura.

Estarão à disposição do público 13 barracas de comidas típicas de países como México, Japão, Suíça, Nações Árabes, Portugal, Argentina, Estados Unidos, além do Brasil. Bertioga, a cidade anfitriã, estará representada pela barraca de pastel, uma das principais iguarias da Cidade, conhecida em várias regiões do país.

*Prefeitura de Bertioga

 

Entrevista: Da timidez aos prêmios com cineasta Fernando Coimbra

Lá em Ribeirão Preto, nos anos 80, Fernando Coimbra ainda era um adolescente que “alugava filmes VHS nas locadoras e tentava recriá-los com meu irmão com a câmera da família. Filmávamos e editávamos no videocassete, preto e branco ainda”. Não se via noutra carreira fora ser cineasta.

Participou por nove anos do Teatro Oficina, “queria aprender a como dirigir atores”. A conclusão é de que acumulou outras lições para seu dia a dia. “A formação artística no faz mudar a forma de ver o mundo. E é uma troca de todos os segmentos que a gente passa, pois também me tornei dramaturgo e aí ingressei no Cinema e Vídeo pela USP. Sem falar que passei a ser muito menos tímido. Coisa banal”.

01Na cabeceira, assitia e assiste aos westerns spaghetti de Sergio Leone, muito Quentin Tarantino, Stanley Kubrick, Martin Scorcese, Alfred Hitchcock. “Filmes que me roubam o tempo umas cinco vezes por semana”, resume o cineasta que também se dedica a obras autorais.

“Me especializei em filmes de direção. Gosto de preparar os detalhes, o som, trabalhar as técnicas de fotografia. A maneira de mostrar a história é muito importante”, descreve Coimbra como um maestro que, ao roteirizar, “não são todas as cenas que imagino de vez, mas situações que considero as mais importantes para pontuar nas páginas”.

Com o tempo, seus curtas-metragens premiados passaram a rodar o mundo (‘Magnífica Desolação’, ‘Trópico das Cabras’ e ‘O Retrato de Deus Quando Jovem’). “Sinto que são muito verdadeiros. Porque esses filmes não saem somente de mim, eles passam a tocar as pessoas. E gosto de filmes que sejam assim”.

03Ele rememora logo um longa de Bernardo Bertolucci, ainda em preto-e-branco, que o marcou profundamente aos seus 15 anos. “O cinema não precisa ser chiclete, ele não pode só entreter. Ele pode instigar, nos faz pensar sobre as situações durante a semana inteira seguinte”, fala com entusiasmo, pois foi por tal razão que escolheu a profissão.

Por 20 anos passeando em festivais de curtas-metragens, enfim, realizou o sonho antigo de recontar o crime ‘A Fera da Penha’ no longa ‘O Lobo Atrás da Porta’, com Milhem Cortaz e Leandra Leal. “A situação me marcou porque ela é marcada de violência, paixão e brutalidade. É o ciúme da amante que faz sequestrar a filha de seu amado. Coloquei a ideia no papel ainda na faculdade e, com o tempo, fui amadurecendo”.

Fernando diferencia o processo de roteiro de curtas e de longas “com se num, eu me preparasse para uma corrida de 100 metros e, noutro, faço uma maratona. Você precisa de uma dramaturgia maior”. Em ‘O Lobo Atrás da Porta’, ele tenta mostrar o drama passional de um triângulo amoroso de classe média que finda com o assassinato de uma criança.

Na época da estreia, em entrevista ao blog, ele complementou: “A repercussão tem sido muito boa, pois a história envolve uma relação paranoica, tênue, quase de dois amantes enforcados. E não existe crime perfeito. O que assusta as pessoas é que esta motivação, o ciúme, é algo próximo de todos nós”.

*Lincoln Spada