Arquivo da tag: gonzaga

Skank e Aliados são destaque em Santos; confira 7 shows praianos de domingo

Por Secult Santos

Os sucessos são muitos: ‘Te Ver’, ‘Resposta’, ‘Saideira’, ‘Vou Deixar’, ‘Tão Seu’, ‘Uma Partida de Futebol’, ‘Eu Disse a Ela’, entre inúmeros outros. Formada em 1991, em Belo Horizonte (MG), a banda Skank é o destaque da festa que celebra o aniversário de 473 anos de Santos. Com apoio da Prefeitura, o show ocorre neste domingo (27/jan), às 20h, na Praia do Gonzaga, ao lado do Canal 2.

A abertura será a partir das 18h, com a banda santista Aliados, que apresentará hits como ‘Esperança’, ‘Sorrindo’ e ‘No Seu Coração’. É gratuito. O Skank é formado por Samuel Rosa (guitarra e voz), Henrique Portugal (teclados), Lelo Zaneti (baixo) e Haroldo Ferretti (bateria). Já o Aliados reúne Fildzz (vocal), Dudu Golzi (guitarra e vocal), Rafa Borba (bateria) e Marquinhos Perez (baixo).

Ainda, pelas praias de Santos, haverá discotecagem nas tendas da orla santista às 18h, e bailes a partir das 19h, com as bandas Mix Brasil (Tenda 1, Pompéia), New Zago (Tenda 2, Gonzaga), Nayat Jordan & Company (Tenda 3, Boqueirão) e MA3 (Tenda 4, Embaré) sendo esta programação específica com apoio do Governo de SP e Sabesp. Por sua vez, o bairro da Aparecida, no Espaço Cultural Dan Nunes (Fonte do Sapo) será a vez da banda Ponto de Impacto se apresentar gratuitamente às 19h.

 

Em pleno Gonzaga, Banda Barracos lança disco no aniversário de Santos

Por Sarah Mascarenhas

A união de arte, educação e cidadania, são os pilares que fundamentam este projeto realizado pelo Instituto Arte no Dique. A Banda Barracos é o resultado de uma ação sócio-cultural promovida na periferia de Santos, litoral paulista. A Banda barracos foi premiada pelo Programa de Ação Cultural do estado de São Paulo com o financiamento da gravação do primeiro disco, que apresenta uma sonoridade contemporânea que mescla maracatu, baião ao rock, rap entre outros ritmos.

No dia 26/jan, às 19h, na tenda da praia do Gonzaga (Tenda 2), o público poderá apreciar o show de lançamento do álbum “barracos”, que traz 11 canções autorais, composições de Danilo Nunes, Zelus Machado, Paulo Faria e Edson Cabeça. Há também a releitura da música “Escombros” de Tenilson Del Rey. A Banda barracos convida as crianças da Coletivo Querô para participação na música “Coco de chuva” e o rapper Ice Dee também está entre os convidados.

A gravação do disco da Banda Barracos foi viabilizada através do Programa de Ação Cultural que realiza edital e seleciona projetos que recebem aporte financeiro do estado para sua realização. A gravação ficou sob a tutela de Flávio Medeiros premiado produtor musical, realizada no Teatro Municipal de Santos e quem assina a produção é cavalo de praia. O Projeto barracos foi o único contemplado na baixada santista no ano de 2018, isso significa um reconhecimento artístico e sua relevância social para promoção de melhoria na situação de alguns moradores das palafitas.

A Banda Barracos difunde o pioneirismo de captar e reproduzir a sonoridade de uma das maiores comunidades de palafitas da América do Sul. As letras retratam a realidade dos moradores das periferias e foram escritas sob um olhar crítico sobre as moradias e condições de sobrevivência das tradições culturais das comunidade das palafitas por todo Brasil.

Para os integrantes da banda realizar o show de lançamento do discos nas festividades de comemoração do aniversário é também um sinal de reconhecimento de um trabalho realizado por meses. O disco completo já está disponível em todas as plataformas de streaming e partir de fevereiro o cd estará disponível para venda online.

A Banda

O colorido sonoro da banda Carrossel de Baco, funde-se a percussiva Banda Querô, resultante do trabalho de formação sócio cultural do Instituto Arte no Dique, com influência da cultura baiana, localizado na vila gilda área continental de santos, considerada a maior favela de palafitas do brasil. Trazendo à tona os signos e símbolos musicais oriundos da miscigenação cultural que resultou na formação do povo brasileiro, o projeto barracos promove um olhar crítico às necessidades básicas de moradia e a sobrevivência das tradições culturais presentes nas palafitas e áreas periféricas brasileiras.

As irreverentes projeções especialmente criadas pelo multi-artista Márcio Barreto se somam com a sonoridade contemporânea do dj e as batidas fortes da percussão. a participação do Coletivo Querô, grupo de crianças pertencente ao trabalho de musicalização do Instituto Arte no Dique, trazem para a festa a esperança da transformação social através da cultura.

 

Minimalismo e Santos se entrelaçam em nova mostra de Tom Leal

Por Maurício Businari

Tendo como pano de fundo a cidade de Santos, com suas belezas naturais e arquitetura diferenciada, será inaugurada no dia 23/jan, às 19h, na Cinza General Store (Praça Rotary, 16/Gonzaga), a exposição fotográfica ‘Santos, simples assim’. A mostra reúne 13 obras do fotógrafo santista Tom Leal, que revelam detalhes arquitetônicos, paisagens e ícones conhecidos da Cidade. A visitação gratuita segue de terça a domingo, das 18h à 1h, até 14/fev.

Minimalismo, grafismo e registro documental foram alguns dos estilos buscados por Tom Leal na produção das imagens. A captura foi realizada logo no retorno do fotógrafo ao município, em 2008, após 10 anos vivendo e trabalhando na capital. Como ferramentas, Tom Leal usou câmeras digitais DSLR, compactas e celulares. O resultado são imagens com grande diversidade cromática e de formas, mas que chamam a atenção por sua simplicidade.

“O sentido de que ‘menos é mais’ é um dos fundamentos da escola Bauhaus, movimento nascido na Alemanha e que ajudou a disseminar o conceito do minimalismo no mundo todo”, explica o fotógrafo. “Sou um grande fã dessa corrente, da mesma forma como me atraem as formas geométricas, o grafismo. As imagens selecionadas para a mostra trazem a soma dessas paixões ao amor que sinto por Santos, e que de uma certa maneira pude redescobrir ao voltar a morar aqui”.

Tom Leal é fotógrafo, formado pelo Senac (SP). Conquistou o seu primeiro prêmio de fotografia em 2002 e desde então obteve premiações e menções honrosas em diversos concursos. É um dos idealizadores da TUmobgrafia, movimento surgido em Santos, que incentiva o uso de dispositivos móveis na fotografia. Atualmente possui estúdio em Santos, na Vila Mathias, onde desenvolve trabalhos em diversos segmentos, além de trabalhar como docente no Senac Santos.

 

Celebração Realejo Livros conta com oito autores nesta sexta

Por Lincoln Spada

A Realejo Livros promove uma celebração com encontros, autógrafos e abraços com oito autores de seu catálogo. O evento gratuito será nesta sexta-feira (21/dez), a partir das 18h, na Av. Marechal Deodoro, 2, Gonzaga/Santos. Ainda, o evento contará com a tradicional sessão de Marcos Canduta e Débora Gozzoli, acompanhados de outros músicos convidados.

Participarão do encontro: Cássio Zanatta (de ‘O Espantoso nisso tudo’), Juliana Araripe (de ‘Errando na Mosca’), Julio Bernardo (de ‘Edifício Tristeza’), Marina Moraes (de ‘Água para as visitas’), Matthew Shirts (de ‘O Jeitinho Americano’), Rene Ruas (de ‘Poleiro de Pato é Terreiro – Firulas e Parangolés e Coisa e Loisa’), Vladir Lemos (de ‘Juízo, torcida brasileira’) e Gisela Monteiro (de ‘Imprevisíveis!’).

Criada como livraria em 2001, ainda dentro da Universidade Católica de Santos, a Realejo Livros está com a sua atual sede no Gonzaga há 15 anos. Em 2006, expandiu com a Realejo Edições e, desde 2009, com a Tarrafa Literária – Festival Internacional de Literatura de Santos.

 

Cia Aplauso Contemporâneo faz sessão gratuita no Gonzaga

Informações da Cia Aplauso Contemporâneo

A Cia Aplauso Contemporâneo apresenta nesta quinta-feira (20/dez), às 19h, a sessão gratuita de ‘Algumas Cenas e Várias Vidas’, na Praça Rotary, Gonzaga/Santos. Sob coreografia de Luciana Raccini, os participantes realizam sessão em parceria com o Cinza General Store.

Criada em 2014, a Aplauso é fruto do trabalho de Luciana e Sueli, com o intuito de resgatar e reformular o cenário da dança. Amigas desde os anos 80, ambas acreditam no poder transformador da arte e realizam um trabalho baseado na formação do indivíduo.

O primeiro espetáculo da companhia foi ‘Santos de Frente para o Mundo’, em homenagem à Cidade. Para Luciana, a expressão corporal através da dança “é um conhecimento, uma experiência que deve ser proporcionada desde que se toma consciência do corpo, desde pequeno”.

 

Vida e obra de Henfil é tema de cinedebate nesta terça

Por Secult Santos

Nesta terça-feira (18/dez), às 21h, o Cine Arte Posto 4 (orla do Gonzaga/Santos) recebe a sessão especial do documentário ‘Henfil’, que retrata a vida de um dos mais importantes cartunistas brasileiros. A projeção terá a presença da diretora Angela Zoé, que participará de bate-papo mediado pelo jornalista e crítico de cinema André Azenha. Ingressos de R$ 1,50 a R$ 3.

Com depoimentos de cartunistas como Ziraldo, Jaguar, Sérgio Cabral e Tárik de Souza, além de animações realizadas com os desenhos de Henfil, o filme traz também imagens inéditas do artista e de sua família, incluindo seu irmão, o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. Criador de personagens como Ubaldo, Graúna, Cangaceiro Zeferino e os Fradins, Henfil de Souza Filho é considerado um dos maiores cartunistas do Brasil.

Criado na periferia de Belo Horizonte, Henfil chegou a cursar Sociologia (UFMG), mas logo abandonou. Foi embalador de queijos, contínuo em uma agência de publicidade e jornalista, até se especializar nos anos 60 em ilustração e produção de HQs. Teve seu trabalho publicado por veículos como Pasquim, Realidade, Placar e O Cruzeiro.

O cartunista também atuou com cinema, teatro, TV e literatura, e recebeu os prêmios Cid Rebelo Horta (melhor cartunista, em 1965) e Vladimir Herzog (Artes, em 1981). Destacou-se também pela atuação em movimentos contra a ditadura militar. Hemofílico, após uma transfusão de sangue, contraiu o vírus HIV e faleceu em 1988.

‘A Cidade Onde Envelheço’ chega ao Cine Arte Posto 4

Por Secult Santos
.
Com direção de Jonathan Teplitzky, o drama ‘Churchill’ se passa na Inglaterra de 1944, em plena Segunda Guerra Mundial. Às vésperas da realização da Operação Overlord, quando tropas aliadas desembarcaram na Normandia para enfrentar o exército nazista, o primeiro-ministro britânico Winston Churchill (Brian Cox) batalha nos bastidores para que a ação militar seja adiada.
.
Segundo Churchill, a operação é arriscada demais e colocaria em risco desnecessariamente a vida de milhares de soldados. Entretanto, apesar das constantes reclamações, o general Dwight Eisenhower (John Slatery) segue decidido a levar adiante a investida militar. O filme entra em cartaz no dia 4 de janeiro, quando o Cine Arte reabre após recesso já iniciado.
.
Sessões às 16h, 18h30 e 21h. Cine Arte Posto 4. Orla do Gonzaga, próximo ao Canal 3. Os ingressos custam R$ 1,50 (meia) e R$ 3,00. Classificação: 12 anos. Informações pelo tel. 3288-4009.