Arquivo da tag: Henfil

Em PG, AQC realiza mostra ‘Políticas’ sob a ótica das mulheres

Por Fábio Tatsubô

Com a proposta de apresentar um manifesto visual do posicionamento político das mulheres, a AQC (Associação de Quadrinhistas e Cartunistas do Estado de São Paulo) em parceria com o coletivo de ilustradoras diversos Estados do Brasil, e Secult Cubatão, realizam a exposição ‘Políticas’. A abertura será na sexta-feira (8/mar), às 9h, no RC Studio (R. São Caetano, 180/Praia Grande).

O projeto ‘Políticas’ surgiu em dezembro de 2017 a partir da articulação das quadrinistas Aline Zouvi, Carol Ito, Thaís Gualberto e da pesquisadora de quadrinhos Daniela Marino, criaram páginas do ‘Políticas’ em redes sociais como Facebook, Instagram e Tumblr, para divulgar o trabalho das cartunistas brasileiras, após a constatação de que poucas mulheres ocupam espaços em antologias e salões de humor quando o assunto é política. As páginas têm atualização semanal.

Participam da mostra: Aline Lemos (MG), Aline Zouvi (SP), Ana Luiza Saramago (MG), Bennê Oliveira (PE), Carol Andrade (MG), Carol Ito (SP), Fabiane Langona (Chiquinha – SP), Gabi Lovelove6 (DF), Helô D’Ângelo (Helozinha – SP), Júlia Nunes (RJ), Kellen Carvalho (SP), Laura Athayde (AM/MG), Luli Penna (SP), Maíra Colares (DF), Mariana Faria (Farinha), Mariana Waechter, Mariza Dias Costa (SP), Priscila Barbosa (SP), Raphaela Corsi (PR), Renata Nolasco (RN), Sirlanney (CE), Thaïs Kisuki (PB) e Thais Linhares (Revista Grimoire – RJ). A exposição tem o apoio da Digitall Impressos Gráficos.

AQC

A Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) foi fundada em 1984 e reúne profissionais que trabalham com histórias em quadrinhos e humor gráfico. Sua criação contou com artistas como João Gualberto Costa, o Gual, e José Alberto Lovetro, o Jal, Franco de Rosa, Worney Almeida de Souza, Fortuna, Henfil, Jayme Leão, Chico Caruso, Maringoni, Bira Dantas entre outros.

RC Studio

Fundado em 2003 pelo irmãos Cacá Marszolek Bueno e Rud Marszolek (desenhistas e caricaturistas), tem alcançado a formação de crianças e adultos em desenhistas aptos ao mercado de trabalho. O RC Studio mantém um sistema de ensino que respeita a individualidade de cada aluno. Professores experientes nas suas respectivas áreas de atuação transmitem na prática conceitos importantes para um trabalho executado com profissionalismo. Contando com instalações adequadas e ambiente propício ao desenvolvimento das aulas.

 

No Dia do HQ Nacional, mostra ‘150 Anos de Nhô Quim’ vem ao litoral

Informações de Ricardo Vasconcellos

No Dia do Quadrinho Nacional (30/jan), a exposição ‘150 Anos de Nhô Quim’ será aberta em Cubatão, das 9h às 17h, até 22/fev, no saguão do Paço Municipal (Praça dos Emancipadores, s/nº, Centro). O evento é organizado por Henrique Heo, Fábio Tatsubô e Marcos Venceslau, e conta com curadoria do quadrinista Franco de Rosa, sob a produção da Associação dos Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP).

Há exatos 150 anos, o cartunista Angelo Agostini publicou a primeira HQ brasileira, ‘As Aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte’, que narra a saga de um caipira que se muda para a cidade do Rio de Janeiro e fica chocado com a civilização meio rural, meio urbana, sendo de fato uma caricatura dos costumes daquela época. Ao todo, são 15 peças em tamanho A3.

A AQC-ESP é uma associação fundada em 1984 que reúne profissionais que trabalham com histórias em quadrinhos e humor gráfico. Sua criação contou com grandes artistas como João Gualberto Costa (o Gual) e José Alberto Lovetro (o Jal) Franco de Rosa, Worney Almeida de Souza, Fortuna, Henfil, Jayme Leão, Chico Caruso, Maringoni, Bira Dantas entre outros.

Vida e obra de Henfil é tema de cinedebate nesta terça

Por Secult Santos

Nesta terça-feira (18/dez), às 21h, o Cine Arte Posto 4 (orla do Gonzaga/Santos) recebe a sessão especial do documentário ‘Henfil’, que retrata a vida de um dos mais importantes cartunistas brasileiros. A projeção terá a presença da diretora Angela Zoé, que participará de bate-papo mediado pelo jornalista e crítico de cinema André Azenha. Ingressos de R$ 1,50 a R$ 3.

Com depoimentos de cartunistas como Ziraldo, Jaguar, Sérgio Cabral e Tárik de Souza, além de animações realizadas com os desenhos de Henfil, o filme traz também imagens inéditas do artista e de sua família, incluindo seu irmão, o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. Criador de personagens como Ubaldo, Graúna, Cangaceiro Zeferino e os Fradins, Henfil de Souza Filho é considerado um dos maiores cartunistas do Brasil.

Criado na periferia de Belo Horizonte, Henfil chegou a cursar Sociologia (UFMG), mas logo abandonou. Foi embalador de queijos, contínuo em uma agência de publicidade e jornalista, até se especializar nos anos 60 em ilustração e produção de HQs. Teve seu trabalho publicado por veículos como Pasquim, Realidade, Placar e O Cruzeiro.

O cartunista também atuou com cinema, teatro, TV e literatura, e recebeu os prêmios Cid Rebelo Horta (melhor cartunista, em 1965) e Vladimir Herzog (Artes, em 1981). Destacou-se também pela atuação em movimentos contra a ditadura militar. Hemofílico, após uma transfusão de sangue, contraiu o vírus HIV e faleceu em 1988.

Opinião: O outro olhar à ditadura com ‘O Berro da Ovelha Negra’

Uma senhora pedindo silêncio ao ladrão por estar vendo novela. Uma máquina com seu dedo gigante esmagando um trabalhador. E um torturador praticando sadismo com sua mulher. No auge da ditadura militar, quaisquer traços contra os valores da pátria ou seriam dignos de crime de Estado, ou de serem publicados no jornal de cartuns Ovelha Negra. E uma parte desta alma errante está no livro ‘O Berro da Ovelha Negra’, de Osvaldo DaCosta, pelo Ateliê das Palavras.

O título é um tratado de 147 páginas sobre o humor gráfico, pois enquanto pesquisa acadêmica, o mestre em Comunicação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul, DaCosta alimenta o leitor de conceitos desde o tracejado dos nossos antepassados na antiguidade até o conceito grego dos quatro elementos que equilibram nosso corpo.

02“O filósofo Aristóteles atribui aos seres humanos a condição de ‘o homem é o único animal que ri'”, cita o autor no livro e, a todo instante, busca alargar nossos lábios com os sarcasmos bolados no humor gráfico. Assim, ele inicia a obra definindo a origem da caricatura, do charge, do cartum e dos quadrinhos. O Pasquim, Bondinho, Opinião e outros periódicos durante a ditadura também ganham destaque nas páginas.

As dezenas de referências endossam a pesquisa, como um prato cheio a inspirar novos escritores sobre o tema (ao meu ver, esse o maior mérito do livro). Principalmente pela generosidade de se atentar a apenas um dos diversos veículos de humor, mas não menos importante. Idealizado por Geandré, o Ovelha Negra consistia em dois terços de desenhos, recebendo centenas de imagens de artistas de todo o Brasil, como Nani, Laerte e os irmãos Caruso.

03Está tudo contemplado nas análises e conversas de DaCosta e Geandré. O planejamento do editor do jornal em plena cozinha até a busca de anunciantes e circulação dos jornais. A mudança dos logotipos feita, entre outros, por Henfil, é uma das curiosidades bem-vindas no registro deste livro exemplar. Só a descrição minuciosa interpretada cada imagem gera certa apatia, no entanto, para qualquer pesquisa é necessário contextualizá-las. E não perder o contexto de revisitar o bom humor nos jornais (em extinção) do País.

*Lincoln Spada

Henfil recebe homenagem nesta quinta-feira na Gibiteca de Santos

Henfil, um dos mais importantes chargistas brasileiros, recebe homenagem nesta quinta-feira (5), a partir das 17h, na Gibiteca Marcel Rodrigues Paes (Posto 5 – Boqueirão). Uma exposição com trabalhos produzidos por 14 artistas, reúne diversos cartuns e ilustrações cujo tema é o incentivo à doação de sangue. A data também marca o nascimento do homenageado, falecido 1988, vítima de Aids, adquirida em decorrência da hemofilia (doença hereditária caracterizada por desordem no mecanismo de coagulação do sangue).

Os trabalhos são assinados por André HQ, Alex Ponciano, Clayton In Loco, Christian Wanderley Rodrigues, Élcio Prado, Ed Carlos, Fábio Coala, Gazy Andraus, Joel Jr. Fragoso, Leandro Henrique Altafim, Nice Lopes, Osvaldo Da Costa, Victor Freundt e Wagner Rocha. A visitação é gratuita. Informações: tel. 3288-1300.

O homenageado

Henrique de Souza Filho, o Henfil, nascido em 1944, produziu charges para jornais (Diário de Minas e Jornal do Brasil) e revistas (O Cruzeiro e O Pasquim), com trabalhos influenciados pela ligação que mantinha com movimentos sociais.