Arquivo da tag: lançamento

Vernissage e lançamento de livro no IHGSV neste sábado

Prefeitura de São Vicente

Lançamento de livro, exposição artística e, para acompanhar, o tão famoso café da Casa do Barão. Essas serão as atrações do Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente (Rua Frei Gaspar, 280 – Centro), neste sábado (23/fev), a partir das 16h.

A primeira atividade será o lançamento do livro “Alma Persona In Utopia Condicional”, de Adílson Maraucci Pacheco: “No meu livro consta uma variedade de estilos literários, entre eles sonetos, poesias, poemas, pensamentos, prosas, letras de música e até desenhos. Todos com temas diferentes.”

Ele ainda ressalta que seu livro também pode ser classificado como de consciência política, ao escrever os sonetos ‘Sois Vos’ e ‘Os Capacetes de Aço’, que se referem a esse tema. Ao mesmo tempo, os visitantes podem conferir o vernissage do artista plástico Paulo Bernardes. A exibição segue até 27/fev, e conta com a exposição de quadros, tapetes e objetos de decoração.

Para acompanhar essas atrações, os visitantes poderão também desfrutar do café do Barão, com quatro opções diferentes: aromatizados de baunilha com nozes, creme brulee, chocolate e de amêndoas. Além da receita tradicional do cappuccino, que é servido quente, com chantilly, ou frio, e com uma bola de sorvete.

 

Márcio Barreto lança sua nova obra durante Sarau Caiçara nesta sexta

Por Márcio Barreto

O livro ‘A Desmemória e seus outros nomes’ será lançado durante nova edição do Sarau Caiçara nesta sexta-feira (15/fev), das 19h às 22h, na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340/Santos). A publicação de Márcio Barreto (Ed. Imaginário Coletivo) tem o valor de R$ 40.

O lançamento contará com a Feira Imaginária (feira de livros) e participação do aniversariante Flávio Viegas Amoreira, do grupo Percutindo Mundos, além de: Mc Dany, Douglas Drez, Nytria, Orpheu, Martin. Entre escritores, Madô Martins e Regina Alonso têm presenças confirmadas. No dia, haverá homenagem póstuma à jornalista Helle Alves com mostra fotográfica de Myriam D’Almeida.

Em ‘A Desmemória e seus outros nomes’, o autor reúne os seus quatro últimos livros ‘O novo em Folha’, ‘Nietszhe: ou do que é feito o arco do violino’, ‘Mundocorpo’ e ‘Macunaímabladerunner’, poemas inéditos e entrevistas que marcaram sua produção literária de 2010 a 2018.

Com prefácio de Ademir Demarchi, Flávio Viegas Amoreira, Manoel Herzog, Laercio Silva, Madô Martins, Maria José Goldschmidt, Oscar Dambrosio e Carlos Pessoa Rosa, o livro é um monumento móbile às memórias e desmemórias que nos formam.

Nascido em Santos, Barreto é pesquisador da cultura caiçara e utiliza diversas linguagens para expressar suas questões como a literatura, edição de livros, música, cinema, dança, arte-educação, educação social. Já publicou sete livros entre eles ‘Ácidos Trópicos’, ‘Wisnikianas’ e ‘Mar Selvagem’, este como organizador.

Atualmente, trabalha na edição de seu romance ‘Totem’. É também compositor e líder do coletivo Percutindo Mundos que criou profundos laços com a música de Gilberto Mendes, ao qual é dedicado o livro, tendo encerrado o último Festival Música Nova, na USP em Ribeirão Preto.

Dino Menezes lança o livro de crônicas ‘Pra quem acredita em fantasmas’

Crônicas de terror baseadas em fatos reais é o mote do livro ‘Pra quem acredita em fantasmas’, do cineasta santista Dino Menezes. A obra será lançada no dia 15/fev, das 18h30 às 21h, na Realejo Livros (Rua Mal. Deodoro, 2/Santos). No valor de R$ 40, o título é uma produção da Dino Filmes com atelier About_Books.

A obra conta com fotos, imagens e relatos registrados por Dino ao longo de nove meses de pesquisa. A ideia da obra veio a partir de uma visita a Paranapiacaba, sobre a possibilidade de Jack Estripador ter vindo para o País. Com a ajuda do historiador Eduardo Pin, o que era para ser um filme se transformou em um livro.

“As histórias de terror do livro brincam com nossa realidade. Elas trazem um rico diálogo entre o fictício e o fato histórico fazendo com que a gente se questione sobre o que de fato aconteceu e o que foi fruto da imaginação de alguém (ou não)”, comenta o cientista político Rafael Moreira.

“Eu adoro as histórias de fantasmas do Dino Menezes porque elas me lembram o filme do Polanski, ‘A Dança dos Vampiros’. A gente ri e fica com medo ao mesmo tempo”, diz o agente cultural Rodrigo Lucheta. Por sua vez, o diretor teatral Rodrigo Caesar complementa: “Nestes tempos sombrios em que vivemos, nada melhor que a magia da arte para nos satisfazer. E nesse maravilhoso conto de terror, vamos viajar fundo nos limites do ser humano. E é Dino Menezes quem vem chegando com mais uma história de arrepiar”.

 

Historiadora lançará livro ‘Ariú’ no Museu Conceição de Itanhaém neste sábado

Por Prefeitura de Itanhaém

Neste sábado (26/jan), o Museu Conceição de Itanhaém sediará o lançamento de uma obra para lá de caiçara, que revela a identidade e o início da colonização da nossa região. Trata-se de “Ariú”, uma lenda peruibense adaptada em livro pela historiadora Fátima Cristina Pires, também de Peruíbe. A iniciativa faz parte da exposição “Caiçara e Seu Cotidiano” e será acompanhada por uma mostra de livros regionais. Os autógrafos acontecerão a partir das 17h, e a feira será das 11h às 20h, na Praça Narciso de Andrade (Centro).

Ariú conta a história de uma indiazinha que morava em um aldeamento em Peruíbe e encontrou Leonardo Nunes, o primeiro jesuíta a pisar na capitania de São Vicente. A adaptação busca de forma lúdica mostrar a importância da história regional e revelar os personagens de uma lenda tradicionalmente conhecida por diversas gerações. Leonardo Nunes foi quem construiu as primeiras instituições de ensino para os nativos, órfãos indígenas e depois portugueses. A lenda foi escrita aproximadamente na década de 70, do século XX.

A história faz parte da emancipação do município de Peruíbe que aparece no contexto por meio do sítio arqueológico “Ruínas do Abarebebê”, local que foi pesquisado arqueologicamente entre os anos 1989 e 1991, no qual foram retirados vestígios arqueológicos que poderão comprovar diversas questões sobre a época. A autora e historiadora Fátima Cristina Pires conta que a adaptação resgata a identidade e a origem da colonização da nossa região.

O livro é infantojuvenil, publicado em 2016 e conta com ilustrações de Léa Camargo, que também é de Peruíbe. Pires é pós-graduada em Patrimônio Cultural e Mestre em Educação, ministra aulas em faculdades do Vale do Ribeira e da Baixada Santista, é curadora de exposições de artes com cunho histórico, além de dar palestras sobre história regional e patrimonial.

 

Tributo a Vicente de Carvalho, antologia ‘Mar Selvagem’ é lançada dia 6

Por Márcio Barreto

‘Mar Selvagem’ é uma antologia em homenagem ao poeta Vicente de Carvalho. Reconhecido por nomes como Euclides da Cunha, Fernando Pessoa e José Lino Grunewald, seus sonetos permanecem entre os mais perfeitos da lírica em língua portuguesa. O lançamento será neste sábado, a partir das 19h, na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340/Santos). Publicado pela Imaginário Coletivo e Secult de Santos via Facult 2016, o livro tem o valor de R$ 30.

O livro reúne escritores, editores, músicos, compositores, bailarinos, atores e artistas visuais inspirados na obra do Poeta do Mar. Desde poemas inéditos de Walter Smetak(1913 – 1984), compositor suíço-baiano, à poesia de atores consagrados como Anselmo Vasconcelos (Globo) e à poética de escritores como Flávio Viegas Amoreira, Marcelo Ariel, entre outros que participam pela primeira vez de uma antologia nacional, Mar Selvagem traça um panorama da poesia de todos os tempos, uma ligação importante entre nosso passado, o presente e o imaginário caiçara alimentado pelo mar.

Segundo comenta Regina Carvalho (bisneta de Vicente) no prefácio, “Mar Selvagem oferece ao leitor a oportunidade de viajar pelos poemas de Vicente de Carvalho e de embarcar em várias canoas por mares poéticos e nos deslumbrar com a modernidade, contemporaneidade de estilos e por amantes das palavras. Os poemas revelam a nós mesmos, não nos matam a fome, mas alimentam nossa alma! Este livro é instigante e reacende a chama da versificação, abre caminhos para a valorização da nossa história e da poesia”.

Vicente Augusto de Carvalho nasceu e morreu em Santos (5/04/1866 – 22/04/1922). Publicou diversos livros, entre eles Ardentias (1885), Rosa, Rosa de Amor (1902) e Poemas e Canções (1908). Além de escritor, foi jornalista, político, jurista e abolicionista, tendo ajudado escravos fugitivos a se esconderem no Quilombo do Jabaquara, em Santos. A presente obra, organizada por Márcio Barreto, une poetas de diferentes regiões do Brasil em torno do principal tema de sua obra: o mar! Assim, poetas de Santos, São Vicente, Cubatão, Jundiaí, Itararé, São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE), Recife (PE), Brasília (DF) e Maringá (PR) navegam em sua poética. Todos marujos e argonautas resistindo pelo encanto da linguagem solta, úmida, verbo de brisa, bruma e maresia!

São eles: Ademir Demarchi, Alessio Forté, Anselmo Vasconcelos, Antonio Eduardo Santos, Barbara Muglia-Rodrigues, Barney Days, Caio Cardoso Tardelli, Carlos Emilio C. Lima, Carlos Pessoa Rosa, Christina Amorim, Clara Sznifer, Claudia Brino, Claudia Marczak, Ernani Fraga, Flavio Meyer, Flávio Viegas Amoreira, Joceani Stein, José Geraldo Neres, Laert Falci, Luís Sansevero, Luis Serguilha, Madeleine Alves, Madô Martins, Marcelo Ariel, Marcelo Ignacio, Márcio Barreto, Maria José F. Goldschimidt, Mauricio Adinolfi, Natalia Barros, Orleyd Faya, Plinio Augusto Soares, Raul Christiano, Regina Alonso, Reynaldo Damazio, Rodrigo Savazoni, Roberta Tostes Daniel, Silas Correa Leite, Tamara Castro, Valerio Oliveira, Vieira Vivo, Walter Smetak (1913 – 1984), Vinicius Faria Zinn e Yuri Pospichil.

O prefácio é assinado por Regina Carvalho, bisneta de Vicente. Desde Homero, imemorial, o Mar é o elemento literário por natureza: todo homem que nasce a beira mar tem tendência a ser um sábio. Esse telurismo diante do infindo contamina virtuosisticamente nossa linguagem, fortalece mirada ampla ao horizonte e aprofunda por contiguidade nosso sentimento atlântico do mundo! Walt Whitman, Fernando Pessoa, Kaváfis! Ao lado desses mestres oceânicos o Brasil tem em Vicente de Carvalho o seu avatar literário marítimo maior!

O mar vai além do cais, localidade, baía, golfo. É atmosfera do espírito: poetas, somos faróis da humanidade ao longo e ao largo do mistério… É sabido que 90% da população humana vive até 100km dos mares: mar é útero, espelho, aconchego com o divino estelar que reflete. A Editora Imaginário Coletivo, com este livro, ergue uma ponte entre o passado e o presente, ponte que precisa ser mantida, pois sem ela, jamais alcançaremos o rio que desemboca no grande mar do Poema.

 

Da literatura underground, ‘Hídrico’ é lançado nesta terça-feira na Realejo Livros

Por Tiago Judas

Nesta terça-feira (dia 15), às 17h, acontece o lançamento do livro ‘Hídrico’ na Realejo Livros (Av. Marechal Deodoro, 2, Santos). Kocinas personagem do livro ‘Hídrico’ (ed. Veneta) é sujeito calmo que vive parte do tempo no mundo da lua. Literalmente.

Com seu capacete de aquário, onde mora um peixinho companheiro, ele divaga sobre a vida e a existência humana enquanto vive aventuras surrealistas: uma temporada na lua, empreendimentos no mundo da moda e aulas de metafísica.

O autor

Como artista plástico Tiago Judas já expôs na Holanda, Argentina, Alemanha e EUA. No Brasil, participou de mostras em lugares como Insti tuto Tomie Ohtake, Centro Cultural São Paulo,  MIS, Paço das Artes e Galeria Vermelho entre outros.

 

Em PG, 10ª Feira de Troca de Livros com intensa programação neste sábado

Por Lorena Flosi | Foto: Alexandra Giulletti

No próximo sábado (15), o Palácio das Artes recebe mais uma edição da Feira de Troca de Livros (Av. Pres. Costa e Silva, 1600/Praia Grande), com uma programação paralela diversificada, que promete agradar a todas as idades.

Além de promover o encontro de amantes da leitura, que podem levar seus livros em bom estado e trocar por outros também levados pelos participantes, o evento, já tradicional na Cidade, preenche os espaços do Palácio das Artes com entretenimento de qualidade e gratuito. Confira a programação paralela:

>> 14h | Salão de Eventos | Lançamento do Livro Infantil “Era uma vez um ponto”, de Maria H. Stamado
A história do Ponto narrada através de um conto. Certa vez, Ponto conheceu um português, homem de muita fama no mundo das palavras. Possuidor de quilômetros de ideias, mostrou que “estar no final da fila não é de todo ruim, você tem muito mais o que enxergar”.

>> 15 horas | Teatro Serafim Gonzalez | “A Farsa do Príncipe Invisível”
No Reino dos Abacateiros Floridos, é o dia do noivado da Princesa Pingente de Prata com o Príncipe dos Manjericões Dourados. O evento tem tudo para ser uma grande festa, mas a prima de Pingente de Prata, a Princesa Coalhada Segunda está contando com a ajuda de sua fada madrinha, Urubuzalda dos Corvos Negros, para impedir esse casamento e conquistar o coração do príncipe.

>> 15h30 | Teatro Leni Morato | “Queime Depois de Ler – Um bate-papo sobre ansiedade crônica e o mundo real”
O bate-papo é promovido por Aline Rollo, e trata, de forma bem humorada e leve, sobre as agruras de quem convive com o transtorno de ansiedade crônica (TAG). Portadora da doença há 15 anos, Aline mantém o blog ‘Queime Depois de Ler’. Nesta edição, o evento trata também das possibilidades de administração da doença por meio de terapias alternativas como o yoga, meditação, e até mesmo a escrita. Entre os convidados estão os instrutores de yoga Diana Hybari e Rogério Baraquet.

>> 18 horas | Teatro Leni Morato | 5º Ciclo de Leituras Dramáticas
Com os textos: “A Flor da Melancolia”, de Rodrigues Silveira, e “Maktub – Arame farpado afogado no coração de Ophélia”, de Rodrigo Marcondes.