Arquivo da tag: lista

Lista: 10 ‘maus policiais’ em obras exibidas na TV com devida liberdade criativa

Por Lincoln Spada

“O tom da peça”. Teria sido exclusivamente essa razão que causou a intervenção da PM contra os artistas de rua em ‘Blitz – O Império que nunca dorme’, da Trupe Olho da Rua, na Praça dos Andradas, em Santos, que aborda sobre a violência policial. Esta é a versão apresentada por um jornalista que assistia à peça interrompida e o diretor teatral algemado, e pela Polícia Civil segundo a UOL.

Emitido quase cinco horas após a ação da PM, o boletim de ocorrência apresentava outros argumentos – refutados pelo próprio ouvidor da PM. Não é de hoje que instituições ou seus membros são criticados no palco: Gil Vicente satirizou o clero no ‘Auto da Barca do Inferno’, no século 13; Shakespeare é universal ao abordar tragédias da corte; mais recentemente, escolas e vestibulares recomendam como clássico a comédia ‘Memórias de um sargento de milícias’.

Num recorte da teledramaturgia exibida no Brasil (Grupo Globo, TV Record e SBT) nesta última década, é possível reconhecer dez personagens que são ‘maus policiais’ nas ficções, a maioria em pleno horário nobre. Sim, também há ‘maus empresários’, ‘maus políticos’, ‘maus jornalistas’, mas nenhuma destas obras artísticas se tornaram em caso policial ou foram cerceadas de liberdade criativa ou interrompidas pela Justiça por retratarem desvios de membros da polícia militar ou de qualquer outra instituição.

  1. GUERRA (NOVELA ‘A REGRA DO JOGO’)

d2Na novela das 9, ‘A Regra do Jogo’, o policial Guerra (Maskin Oliveira) era um membro da facção criminosa infiltrado na instituição há anos. Na trama, o personagem mata um delegado, arma contra o seu superior, desaparece com dossiê, simula atentados e acoberta suspeitos da facção. Em média, a novela alcançava 11 milhões de domicílios, segundo o PNT.

2. QUEIROZ (VELHO CHICO)

d2De delegado a secretário municipal de segurança pública, o Queiroz (Batoré) era o arquétipo satírico da corrupção na novela ‘Velho Chico’. No enredo, ele abandonava investigações de assassinatos, incêndio, ameaçava colegas, e foi cúmplice dos crimes feitos pelo coronel. Só na Grande São Paulo, a trama alcançava 2,5 milhões de lares, segundo o Ibope.

3. CAPITÃO SÉRGIO (SUPERMAX)

d3Já exportado para a América Latina, o seriado Supermax tem como um dos protagonistas o capitão Sérgio (Erom Cordeiro). Na trama, o segredo dele está envolto numa ação policial numa chacina contra jovens de periferia. As cenas não revelam se ele foi responsável por matar os rapazes, ou os próprios colegas da corporação. Mas já que todos os encarcerados no Supermax não são inocentes… A série é assistida por 1 milhão de residências na Grande São Paulo, de acordo com o Ibope.

4. CAPITÃO JONAS (FORÇA-TAREFA)

d2No seriado global ‘Força-Tarefa’, o Capitão Jonas (Rogério Trindade) é o padrinho do protagonista, mas que se suicidou para evitar ser preso pelo seu pupilo. Afinal, era um dos vários policiais envolvidos em crimes, corrupção e desvios combatidos pela força-tarefa que dá título à obra ficcional. O seriado era líder de audiência, abrangendo mais de 1,2 milhão de domicílios na Grande São Paulo.

5. DOUGLAS (JUSTIÇA)

d2Na série ‘Justiça’, o policial Douglas (Enrique Diaz) é um personagem ora dramático, ora cômico, mas que leva uma vida muito passional. Embora seja apresentado inicialmente como um vilão, o personagem até exerce bem a sua profissão no decorrer da série. No entanto, foi capaz de esconder drogas ilícitas na vizinhança para incriminar uma inocente. Na trama, outros colegas de corporação cobram propinas e provocam chacinas na cidade. O enredo manteve audiência de 1,9 milhões de residências na Grande São Paulo.

6. DELEGADO MOREIRA (NA FORMA DA LEI)

d2O ator Aílton Graça interpretou o Delegado Moreira na série ‘Na Forma da Lei’, exibida pela TV Globo em 2010. Na trama, ele encobria os crimes da família Viegas, causando obstrução nas investigações contra o filho do político influente. A cada episódio, uma cartela de delitos acontece, muitos deles de certa forma ligados ao grande antagonista da série. Mais de 1 milhão de lares assistiram à obra artística.

7. AUGUSTO PONCE DE LEÓN (CAMALEÕES)

d2Diretor da polícia, Augusto Ponce de León (Guillermo Garcia Cantú) é o grande vilão da trama mexicana ‘Camaleões’, exibida pela SBT. Na novela, é também proprietário da escola onde estuda o casal protagonista, onde lá ainda são alvos de perseguição e de mistérios sombrios. Na trama, ele cruelmente assassina o próprio colega de corporação.

8. DENIS NOGUEIRA (VIDAS OPOSTAS)

d2A interpretação de Marcelo Serrado como o delegado corrupto Nogueira lhe rendeu o prêmio de melhor ator pela Associação Paulista de Críticos de Arte, em 2007. Na dramaturgia, o personagem é conhecido como um perigoso psicopata que se esconde atrás de uma máscara de homem de bem, inteligente, refinado e ‘cult’. A novela foi vista por cerca de 1 milhão de lares na Grande São Paulo.

9. XAVIER (CHAMAS DA VIDA)

d2Na novela da Record, ‘Chamas da Vida’, a delegacia era bastante movimentada e foi cenário de diversos conflitos entre os próprios policiais. Quase todos eles protagonizados pelo personagem de Zeca Carvalho, que dava vida ao corrupto Xavier. O vilão ganhou mais notoriedade quando as farsas foram descobertas. Elas eram tantas – e tão densas – que foram responsáveis pelos famosos ganchos de fim de capítulo. A novela alcançou 1 milhão de casas na Grande São Paulo, segundo o Ibope.

10. DELEGADO PICASSO (PECADO MORTAL)

d3Produzida pela Record, a novela ‘Pecado Mortal’ tinha como maior vilão um policial, o corrupto delegado Picasso (Vitor Hugo). Na Grande São Paulo, mais de 1 milhão de casas acompanhavam o enredo causado pelo antagonista, dito pelo canal de TV como “um dos piores seres humanos que já pisaram no planeta”. Em seu trabalho, realiza métodos espetaculares, inescrupulosos e gosta de ser midiático.

Lista: 10 momentos que a polícia não algemou quem ‘desrespeitou’ a bandeira

Por Lincoln Spada

Criada na época do regime militar e já considerada ultrapassada pelo Ministério Público Federal de Santa Catarina, a Lei Federal 5.700/71 é o tema de acordo com alguns para a permissão de algemar artistas de rua ou bloquear apresentações teatrais em praças públicas. Pelo menos, é esse o contexto repercutido quase cinco horas após o ato da PM, no boletim de ocorrência do 1º D.P. de Santos, no último dia 30.

Nesse caso, nada relacionam com as discriminações que artistas de rua já têm na cidade há mais de dois anos, ou nas tentativas anteriores de intervenção na Praça dos Andradas (ou #PraçaDosArtistas), que se tornou no novo ‘point’ de milhares de jovem. Afinal, rolezinhos historicamente já causaram ações de agentes de segurança no Emissário, na Praça do Aquário ou no Boqueirão, próximo à Unisanta.

Mesmo que o governador queira a liberdade de expressão, a Polícia Civil e o ouvidor da PM neguem a versão policial, há quem confie que foi por descumprimento à lei, que os artistas de rua foram interrompidos em praça pública por seis viaturas de segurança pública. Se a razão não foi proibir uma peça teatral que criticava a truculência de maus policiais, além da prevaricação e omissão desse suposto crime, relembre casos em que a PM não interpreta como desrespeito tal lei.

1. SENADO MUDA CORES DA BANDEIRA

d2

De acordo com o artigo 31 da Lei 5.700/71, referente ao respeito aos símbolos nacionais, é proibido e interpretado como contravenção penal “mudar-lhe a forma, as cores, as proporções, o dístico ou acrescentar-lhe outras inscrições”. Mas há quase duas décadas, a bandeira é desregulada pelo Senado Federal.

2. LEMA É OCULTADO POR SERVIDOR NO CONGRESSO

d3

Nenhuma polícia também algemou o funcionário público subordinado ao presidente do Senado, Renan Calheiros que, por anos, sequer citava o lema da bandeira, alterando suas inscrições.

3. TEMER POSA COM BANDEIRA DESPROPORCIONAL

d2

Em reunião do G20, na China, maior símbolo nacional tem as estrelas estampadas desproporcionalmente do que segue a Lei Federal. Nenhum brasileiro ingressou em ação contra a república comunista. O líder de uma das maiores parceiras comerciais do Brasil saúda o alegre presidente, diante do ato que pode ser interpretado como contravenção penal.

4. DUPLA ELEITA COM BANDEIRA NA TRIBUNA

d3

Ora, a Lei Federal é explícita no artigo 31 a proibição da bandeira nacional como “revestimento de tribuna”. Mas em 2014, a mídia repercutiu a foto: e nem a presidente eleita, nem o seu vice-presidente constitucionalista foram algemados ou condenados por esse suposto desrespeito em campanha eleitoral.

5. A BANDEIRA DEFORMADA DO MBL

d4

Celebrado por milhares de defensores da Lei de Responsabilidade Fiscal, o Movimento Brasil Livre repetiu os mesmos desrespeitos do Governo (uso da bandeira na tribuna) e do Senado (bandeira alterada em cores, forma e sem inscrição). Mas a Justiça não criminalizou os manifestantes.

6. SITE DA GLOBO ELEGE MULHER QUE VESTE BANDEIRA

d5

No concurso do portal Ego para a Copa de 2014, Dani Vieira venceu a ação em ensaio sensual com a bandeira brasileira. O jornal Meia Hora também fez questão de registrar há alguns anos a modelo Larissa Riquelme no look idêntico.

A funcionária da Record, Andressa Urach e a campeã do concurso ‘Belas do Paulistão’, da UOL, posaram do mesmo jeito, o que segundo o artigo 31 da tal Lei Federal, é visto como contravenção ser utilizada-a como roupagem. A PM não prendeu nenhuma ‘musa’, fotógrafo ou diretor de alguma desses veículos de comunicação.

7. REVISTA DE MODA FAZ A BANDEIRA DE ROUPA

d2

A modelo Gisele Bundchen foi a capa da Elle Brasil – e de outras edições no exterior – vestindo apenas a bandeira do País. Revista especializada de moda, a tendência de recriar o uso para o símbolo nacional, já advertida pela Lei Federal dos anos 70, não foi condenada pela Justiça brasileira.

8. CELEBRIDADES INTERNACIONAIS VESTEM A BANDEIRA

d5

Também celebridades internacionais como Rihanna e Mick Jagger passearam pelo Brasil com a bandeira nacional em roupagem. Mas a PM não interpretou seus atos a ponto de algemarem a um distrito mais próximo. Ao contrário, a mídia até publica com certo orgulho textos sobre as vestimentas e calçados das celebridades.

9. LEI PROÍBE PRODUTOS COM A BANDEIRA NACIONAL

d4

Ainda no mesmo artigo da Lei Federal, é proibido “reproduzí-la [a bandeira] em rótulos ou invólucros de produtos expostos à venda”. Mas os artigos comerciais podem ser facilmente encontrados em estabelecimentos de pequeno a grande porte em nossa região. Nestes últimos anos, a Justiça na Baixada Santista não bloqueou nenhuma loja por essa razão.

10. MAS “TODO MUNDO USA, RECUSE IMITAÇÕES”

d3

EXTRA: No caso da foto de capa, em que o comediante e apresentador de TV, Danilo Gentili, queima uma bandeira nacional, trata-se de uma cena da série de ficção ‘Politicamente Incorreto’. Exibida pela Fox, a obra mostra as perversidades e crimes cometidos pelo deputado-protagonista, interpretado por Danilo.

Ele mesmo defende que o ato era ficcional, cena respeitada por 74 mil pessoas nas redes sociais. “Devido a analfabetice funcional (ou canalhice) parece necessário explicar: a foto abaixo é uma cena da série onde um personagem fictício comete este crime. É ficção. Matar também é errado e no entanto fazem isso em filmes e séries, sabiam?”.

Confesso que me senti ofendido com a esquete do seriado. Mas se até para ele o Poder Público garante a liberdade de expressão enquanto manifestação artística, por que negar o direito de artistas de rua utilizarem a bandeira enquanto cenário teatral?

14º Curta Santos anuncia vencedores; confira lista dos premiados

Por Lúcio Nunes

O Curta Santos – Festival de Cinema de Santos anunciou os vencedores de sua 14ª edição neste sábado (1), em evento realizado na Oficina Cultural Pagu – Cadeia Velha, no Centro de Santos, com extensa programação desde o início da tarde, em parceria com o Encontro de Criadores, plataforma multicultural que ocupou a Praça dos Andradas com várias atrações.

Ao todo 30 curtas-metragens foram analisados pelo corpo de jurados formado pelo roteirista Di Moretti, a atriz e diretora Helena Ignez e a diretora Renata Martins, que definiram a entrega do Troféu Maurice Légeard aos filmes das mostras Olhar Caiçara e Olhar Brasilis. Em paralelo, a votação popular também premiou o melhor filme da mostra Olhar Caiçara decidiu, com exclusividade, o vencedor da categoria Videoclipe Caiçara.

Prêmios do Júri:

MOSTRA OLHAR BRASILIS
>> Som: Nunno Pena (‘Restos’); Montagem: Bruno Carboni (‘Sob águas claras e inocentes’); Fotografia: Edu Rabin (‘Sob águas claras e inocentes’); Atriz: Cristina Amadeo (‘Tem alguém feliz em algum lugar’); Ator: Flávio Fonseca (‘Tem alguém feliz em algum lugar’); Roteiro: Ricky Mastro e Eduardo Mattos (‘Xavier’); Direção: Felipe Arrojo Poroger (‘Aqueles anos em dezembro’); Documentário: ‘Aqueles anos em dezembro’; Ficção: ‘Xavier’.

MOSTRA OLHAR CAIÇARA
>> Som: L. M. Morone (‘Angmínia’); Montagem: Victor Allencar e Daniela Yoshikawa (‘Feliz Ano Novo’); Fotografia: Gabriel Gomes (‘Por trás do cartão postal’); Atriz: Rebecca Alba (‘Sangria’); Ator: Victor Lucena (‘Convívio’); Roteiro: Júnior Castro (‘Por trás do cartão postal’); Direção: Monica Donatelli (‘Feliz Ano Novo’); Documentário: ‘Por trás do cartão postal’; Ficção: ‘Feliz Ano Novo’.

VOTAÇÃO POPULAR
>> Melhor Videoclipe Caiçara: ‘Patrimônio’, da banda ESC; Melhor Curta-Metragem Caiçara: ‘Taiu – a vida é bela’.

Fescete 20 Anos premia uma centena de artistas e estudantes

Cerca de 100 troféus Iracema Paula Ribeiro consagraram artistas, alunos, arte-educadores e técnicos das artes cênicas na cerimônia de encerramento do Fescete 20 Anos – Festival de Cenas Teatrais. O evento foi realizado na última sexta-feira (dia 1º) no Teatro Braz Cubas, em Santos. Com o tema ‘Reinventar’ e show da Banda Mordida, a cerimônia também teve o anúncio do tradicional concurso de poesias do festival.
.
Na escolha dos grupos de orientadores teatrais, as melhores cenas deste ano foram: ‘La fuerza de la superacion’ (Tenda da Fortuna, de São Paulo, na categoria adulta), ‘Elena’ (Cia Valsa pra Lua, de Cubatão, na categoria monólogo), ‘Meu pé de laranja lima’ (Teatro JN de São Vicente, na categoria estudantil A), ‘Morte e vida Severina’ (Colégio Jean Piaget, na categoria estudantil B) e ‘Por quê?’ (do Inesperado’s Baby, na categoria mirim).
.
O Festival
.
O Fescete 20 Anos é uma realização da Escola de Teatro Tescom, do Governo Federal via Ministério da Cultura, patrocínio da Secretaria de Portos via Porto de Santos, co-patrocínio Transbrasa, apoio da Lei de Incentivo à Cultura, Prefeitura de Santos, TV Tribuna e Sesc Santos. Apoio cultural: AG Branco, Anglo Santos, Associação dos Artistas, Contabilidade Abílio das Neves, DB Fotografia, Dino Filmes, Divina Fornada, Ecad, Elemídia, Engenharia Habilidade, Just Design, Kokimbos, Nutri Org, Red Balloon, Unisanta, Vista Mídia e Viva Vinhos. Informações: www.fescete.com.br
.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 .
Categoria Mirim
>> Voto dos orientadores para melhores cenas: ‘Por quê?’ (Inesperado’s Baby/1º lugar), ‘Os Porquinhos’ (Cia Juliana Lima/2º lugar), ‘Semente’ (Presepada Teens/2º lugar) e ‘Linda Flor’ (Arte e estudo juvenil/3º lugar).
>> Voto popular de melhores cenas: ‘Por quê?’ (Inesperado’s Baby/1º lugar), ‘A Revolta dos Brinquedos’ (Inesperadinhos/2º lugar), ‘Linda Flor’ (Arte e estudo mirim/3º lugar).
>> Produção: ‘Por quê?’ (Inesperado’s Baby); Texto original: Marcus Di Bello (‘Por quê?’, de Inesperado’s Baby); Texto adaptado e sonoplastia: Juliana Lima (‘Os porquinhos’, da Cia. Juliana Lima); Figurino: Paola Caruso (‘Somos todos Dom Quixote’ e ‘A farsa do príncipe’); Iluminação: Marcus Di Bello (‘Severino faz chover’, da Presepada Kids); Cenografia: Dario Félix e Miriã Pessoa (‘Severino faz chover’, da Presepada Kids); Revelação: Catarina Cação (‘João e Maria’, de Arte e Estudo Mirim); Ator: Vitor Lima (‘Semente’, da Presepada Teens); Atriz: Manuela Romano (‘A revolta dos brinquedos’, do Inesperadinhos); Direção: Jamili Limma (‘Por quê?’, de Inesperado’s Baby);Prêmio especial pela construção da personagem: Ana Luiza Miranda (‘Severino faz chover’, da Presepada Teens); Prêmio pelo conjunto de cena: ‘Por quê?’; Coro cênico: ‘Linda Flor’ (Arte e estudo juvenil); Prêmio especial à Ana Luiza (‘Os Porquinhos, da Cia Juliana Lima) e às bailarinas de ‘A Farsa do Príncipe’.
.
Categoria Estudantil (A e B)
3>> Voto dos orientadores para melhores cenas da categoria estudantil A: ‘Meu pé de laranja lima’ (Teatro JN/1º lugar), ‘A revolução das notas musicais’ (Teátrio Musical/2º lugar), ‘A alegria do circo’ (Porto Encena/3º lugar).
>> Voto dos orientadores para melhores cenas da categoria estudantil B: ‘Morte e vida Severina’ (Teatro Jean Piaget/1º lugar), ‘A ver estrelas’ (O.B.A. São Vicente/2º lugar), ‘O Sétimo Planeta’ (Cia Teatral Pé no Palco/2º lugar), ‘As bruxas de Salém’ (O.B.A. Conselheiro/3º lugar).
>> Voto popular de melhores cenas: ‘Terra Ardente’ (Revirados/1º lugar), ‘O Truk da Trupe’ (Anglo Santos/2º lugar), ‘Morte e Vida Severina’ (Jean Piaget/3º lugar).
>> Produção: ‘Morte e Vida Severina’ (Jean Piaget); Texto original: Plínio Augusto (‘Vai dar bolo’, de Atrás da Cortina/A) e Nei Boito (‘Circo Portovick’, de Exploradores Cênicos/B); Texto adaptado: Raquel Araújo (‘O país dos dedos gordos, do Teatro Novo Tempo/A) e Marcondys França (‘O fantasminha Pluft’, do Verteatro/B); Figurino: Teatro JN (‘Meu Pé de Laranja Lima’/A) e Larissa Miyachiro (‘O sétimo planeta’, da Cia Teatral Pé no Palco/B); Iluminação: André Cajaíba; Sonoplastia: Marici Dorta (‘A revolução das notas musicais’, do Teátrio Musical/A) e Fred Lincoln (‘Circo Portovick’, de Exploradores Cênicos/B); Cenografia: Teatro JN (‘Meu pé de laranja lima’/A) e Daniel Valverde (‘A ver estrelas’, da O.B.A. São Vicente/B); Revelação: Jaya Cordaro Tavares, Lia Ramos Duarte (ambos de ‘O país dos dedos gordos’, do Teatro Novo Tempo/A), Naila da Silva Souza e Giovanna dos Santos Barone (ambas de ‘Circo Portovick’, dos Exploradores Cênicos/B); Ator: Guilherme Oliveira Mota (‘O país dos dedos gordos’, do Teatro Novo Tempo/A) e Arthur Neto (‘Morte e vida Severina’, do Teatro Jean Piaget/B); Atriz: Julia Laurieri (‘Os saltimbancos’, do Verteatro/A), Paula Prado e Beatriz Silva (ambas de ‘As bruxas de Salém’, do O.B.A. Conselheiro/B); Direção: Igor Ferreira (‘Meu pé de laranja lima’, do Teatro JN) e Daniel Valverde (várias obras); Prêmio especial: ‘Meu pé de laranja lima’ (Teatro JN), ‘A alegria do circo’ (Porto Encena), ‘Um Brasil Nordestino’ (Thearteiros) e a atenção à sustentabilidade do Grupo Dom Líbor.
.
Categoria Monólogo
2>> Voto dos orientadores para melhores cenas: ‘Elena’ (Cia Valsa pra Lua/1º lugar), ‘A mais forte’ (Taetro de Teatro/2º lugar) e ‘Um discurso para minha avó’ (Cia. Teatro Vozavós/3º lugar).
>> Voto popular de melhores cenas: ‘Laura’ (Maristelos/1º lugar), ‘Um dedo de prosa’ (Coletivo Allegro/2º lugar), ‘A Mais Forte’ (Taetro de Teatro/3º lugar).
>> Texto original e figurino: Juliana do Espírito Santo (‘Um discurso para minha avó’, da Cia de Teatro Vozavós); Maquiagem: Carina Torres e Vera Mojola (‘A mais forte’, do Taetro de Teatro); Iluminação: Anderson de Oliveira (‘A mais forte’, do Taetro de Teatro); Sonoplastia: Fred Lincoln (‘Um dedo de prosa’, do Coletivo Allegro); Cenografia e direção: Fabiano Melo (‘Elena’, Cia Valsa para Lua); Ator: Rodrigo Caesar (‘Carta de um defunto rico’, da Cia Héterus de Teatro); Atriz: Mariana Nunes (‘Elena’, da Cia Valsa pra Lua).
.
Categoria Adulto
>> Voto dos orientadores para melhores cenas: ‘La fuerza de la superacion’ (Tenda da Fortuna/1º lugar), ‘Eu matei minha mãe’ (Teatro JN/2º lugar) e ‘Uma dona só’ (Taetro de Teatro/3º lugar).
>> Voto popular de melhores cenas: ‘Axé Aiê’ (Mosaico Teatral/1º lugar), ‘Urbanus’ (Cia Dons/2º lugar), ‘Mãos de Ferro’ (TNQ/3º lugar).
>> Texto original: Mateus Faconti e Amadeus Gaia (‘La fuerza de la superacion’, de Tenda da Fortuna); Figurino: Larissa Kathleen (‘O Jantar’, do Grupo da Laje); Maquiagem: Carina Torres (‘A Mulher Judia’, do Taetro de Teatro); Iluminação: Roberto Bastelli (‘Luminescência’, da Cria Criou Cia de Artes); Sonoplastia: Eder Santos (‘La fuerza de la superacion’, de Tenda da Fortuna); Cenografia: Igor Ferreira (‘Eu matei minha mãe’, do Teatro JN); Revelação: Martinha Lopes (‘O Teste’, da Cia Atores da Vila) e Wilson Gois (‘De volta ao luto’, da Cia Lorena);Ator: Alex Moreira (‘La fuerza de la superacion’, da Tenda da Fortuna); Atriz: Ellen Silva (‘Uma dona só’, do Taetro de Teatro); Direção: Mateus Faconti (‘La fuerza de la superacion’, da Tenda da Fortuna); Prêmio especial ao elenco de ‘O Teste’ (Cia Atores da Vila) e pesquisa estéticado Teatro JN (‘Eu matei a minha mãe’).
.
12º Concurso Estudantil de Poesia
>> Ensino Fundamental 1: Luna Alves Silva Santos (Anglo Santos/1º lugar), Esthela Mendes Ricciotti (Anglo Santos/2º lugar), Salwa Riad El Malt (Anglo Santos/3º lugar);
>> Ensino Fundamental 2: Júlia Ferreira Pinto (Colégio Coração de Maria/1º lugar), Ana Luiza Badialle Costa (Colégio Coração de Maria/2º lugar), Bruno Manelici Felix (Anglo Santos/3º lugar), Arthur Felinto Mendes Ricciotti (Anglo Santos/Especial);
>> Ensino Médio: Hemily Kamila Santos de Lima (Colégio França/1º lugar), Deborah Braga Freitas Santos (Anglo Santos/2º lugar), João Vitor Soares Ribeiro (E.E. Afonso Schmidt/3º lugar);
>> Universitário: Ulisses Batista Thadeu Salvador (Unip/1º lugar), Angélica Aldrey Prates (Unisanta/2º lugar), João Victor Concer Corrêa (Unisantos/3º lugar).
>> Prêmio Fescete Solidário ‘Quadradinhos de Amor’: Colégio Anglo Santos;
.
*Lincoln Spada

22º Salão de Artes Plásticas de PG já tem artistas selecionados

O 22º Salão de Artes Plásticas já tem seus artistas selecionados. Após uma criteriosa avaliação feita pelos jurados Katia Canton, Celso Fioravante e Antônio Santoro, 31 artistas de todo o Brasil têm até o dia 14 de novembro para enviar suas obras vencedoras à Galeria Nilton Zanotti.

O Salão de Artes Plásticas de Praia Grande é uma das principais mostras do país, colocando a Cidade no importante cenário de produção de arte contemporânea brasileira. Um total de 250 artistas se inscreveram, contabilizando cerca de 750 obras. A exposição, que abre as portas no dia 19 de novembro, terá cerca de 90 obras na Galeria Nilton Zanoti.

“O júri foi muito seletivo. Recebemos trabalhos de muita qualidade e o objetivo do Salão de Artes Plásticas não é premiar a obra mais bonita, mas sim o trabalho que consiga dialogar com o público e o homem contemporâneo”, afirma a chefe da seção de Galeria de Artes, Lourdes Marszoleck, responsável pela curadoria da exposição do Salão.

De acordo com Lourdes, todas as categorias foram contempladas na seleção. “Os 31 artistas selecionados inscreveram obras de pintura, escultura, objeto, desenho, fotografia e gravura. Teremos um Salão com grandes artistas, sendo que cinco deles são da Baixada Santista”.

Os juízes elogiaram a qualidade dos trabalhos inscritos. Para Katia Canton, a homogeneidade de suportes é uma vantagem desta edição. “Vemos números similares de fotografias, esculturas e pinturas. É bom ver a pintura, que durante algum tempo foi menor número em mostras, voltando com força. Essa diversidade de suportes só vem enriquecer o Salão”.

Já o jornalista e crítico de artes Celso Fioravante destaca o alcance do Salão de Artes Plásticas de Praia Grande. “Estou vendo muitas inscrições de lugares distantes como Amazonas, Goiás. Isso mostra que os artistas estão informados sobre o que acontece no meio, o que é muito importante, além do fomento da cultura”. Segue abaixo a lista dos artistas selecionados:

Alexandra Unger Sternberg
Betto Damasceno
Brisa Noronha
Bruno Passos
Camila Soato
Clarice Cunha
Coletivo Altavista
Daniel Athayde
Daniella Origuela
F. Xaud
Fabiano Ignácio
Fabiola Chiminazzo
Fabrício Carvalho
Felipe Seixas
Genivaldo Amorim
Guilherme Callegari
Ícaro Lira
Jarkko Wickstrom
João César de Melo
Jorge Medeiros
Lidia Malynowskyj
Mano Penalva
Marcos Muniz
Marcos Saad
Marina Dubia
Renata Ursaia
Reynaldo Candia
Roberto Muller
Rogério Nagaoka
Sueli Espicalquis
Yuli Yamagata

*Aline Rollo

 

Spcine divulga lista impulsionando cinema paulista com R$ 12,7 mi

A Spcine divulgou a primeira lista de projetos contemplados pelo Programa de Investimento em parceria com o Fundo Setorial do Audiovisual, da ANCINE. O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa na Prefeitura de São Paulo na última quinta.

“O cinema vai gerar emprego e a economia criativa passa pelo audiovisual. Temos que associar outros programas governamentais a essa iniciativa, porque daqui a pouco vai faltar mão de obra especializada”, afirmou o prefeito Fernando Haddad. O secretário Nabil Bonduki lembrou a implantação do Circuito Spcine de Salas de Cinema, projeto da Spcine que vai modernizar salas de cinema em CEUs e centro culturais da cidade. “Serão 20 salas distribuídas por toda a cidade, a maior parte em lugares onde não existe nenhuma sala de cinema”.

02Ao todo, 30 longas-metragens foram habilitados pelas linhas de fluxo contínuo, responsáveis por tornar o processo de seleção mais ágil e dinâmico. O aporte total de R$ 12,7 milhões, tanto para produção como para distribuição a partir de agosto de 2016. A novidade destas linhas de financiamento, além do apoio à comercialização e lançamento, é o equilíbrio entre critérios culturais/artísticos e econômicos – há possibilidade de retorno financeiro para a Spcine. Como os recursos não são a fundo perdido, a empresa participará de receitas e bilheterias no cinema e em outras janelas.

Garantia de lançamento

Os editais solicitaram aos distribuidores dos filmes um compromisso de lançamento mínimo no circuito exibidor. E segundo o acordo, as produções contempladas estarão em aproximadamente 3 mil salas de cinema pelo Brasil, sendo 1.635 até o primeiro trimestre de 2016 e 1.344 até 2017. Em 2013 e 2014, o cinema paulista – antes da criação da Spcine – ocupou respectivamente 2.200 e 3.560 salas brasileiras.

03Em termos conjunturais, o investimento destas linhas contribuirá para a produção e distribuição de filmes cuja soma de orçamentos é de R$ 74 milhões. A alavancagem de recursos para o setor audiovisual paulista – e para a economia da cultura da cidade e do estado de São Paulo – será de R$ 5,83 para cada R$ 1 investido pela empresa.

Lista de filmes com distribuidoras paulistanas

Com aporte de R$ 2,95 milhões, foram aprovados 19 longas-metragens. As distribuidoras proponentes receberam de R$ 100 mil a R$ 400 mil por projeto com garantia de lançamento entre dez e 100 salas de cinema. Eis a lista com os nomes dos diretores, produtoras e distribuidores:

FILME DIRETOR PRODUTORA DISTRIBUIDORAS LANÇAMENTO (PREVISÃO)
QUE HORAS ELA VOLTA? Anna Muylaert Africa Filmes / Gullane Entretenimento Pandora AGOSTO/2015
ZOOOM Pedro Morelli O2 Cinema Paris Filmes 1º SEM/2016
VOLTANDO PARA CASA Gustavo Rosa de Moura Lauper Filmes Ltda Me Pandora Filmes  1º SEM/2016
HIPÓTESES PARA O AMOR E A VERDADE Rodolfo García Vázquez Associação Dos Artistas Amigos Dos Satyros Raiz Distribuidora Audiovisual Ltda AGOSTO/2015
INVASORES Marcelo Freitas Toledo de Melo Raiz Produções Cinematográficas Ltda Raiz Distribuidora Audiovisual Ltda  DEZEMBRO/2015
PAUÊ – O PASSO DE UM VENCEDOR Alessandra Pereira e Fábio Cappelline Hope Image Raiz Distribuidora Audiovisual Ltda OUTUBRO/2015
HYSTERIA Evaldo Mocarzel e Ava Rocha Casa Azul Produções Artísticas Ltda Raiz Distribuidora Audiovisual Ltda NOVEMBRO/2015
RIO CIGANO Julia Zakia Orlandi Cinematográfica Superfilmes Ltda Raiz Distribuidora Audiovisual Ltda SETEMBRO/2015
EU NUNCA Kauê Telloli Saliva Produções Cinematográficas Ltda / Kaue Tk Produções Elo Audiovisual Serviços Ltda SETEMBRO/2015
A CORRENTE – MARINA ABRAMOVIC E O BRASIL Marco Aurelio Del Fiol Casa Redonda Produções Culturais Ltda Elo Audiovisual Serviços Ltda DEZEMBRO/2015
SINFONIA DA NECRÓPOLE Juliana Rojas Avoa Filmes Cine Video Comercial Ltda Me Vitrine Filmes Ltda SETEMBRO/2015
CALIFÓRNIA Marina Person Lauper Filmes Ltda Me Vitrine Filmes Ltda DEZEMBRO/2015
HOMEM COMUM Carlos Aziz Nader Já Filmes S/S Ltda Vitrine Filmes Ltda AGOSTO/2015
OBRA Gregorio Graziosi Cinematográfica Superfilmes Ltda Vitrine Filmes Ltda AGOSTO/2015
A BRUTA FLOR DO QUERER Dida Andrade e Andradina Azevedo Filmes da Lata Produções Artísticas Ltda O2 Produções Artísticas e Cinematográficas LTDA SETEMBRO/2015
AUSÊNCIA Gustavo Pereira da Silva Teixeira Bossa Nova Films Criações e Produções Ltda Reserva Nacional Distribuidora de Filmes LTDA 2016
AMORES URBANOS Vera Egito Vellez Paranoid Filmes Ltda Europa FIlmes FEVEREIRO/2016
NINGUÉM AMA NINGUÉM POR MAIS DE DOIS ANOS Clóvis Mello Empresa Cine Cinematográfica Europa FIlmes NOVEMBRO/2015
SE DEUS VIER QUE VENHA ARMADO Luiz Dantas Plano Geral Produções Artísticas e Cinematográficas Pandora Filmes NOVEMBRO/2015

Lista de filmes paulistanos a serem produzidos

Com aporte de R$ 5,7 milhões, foram aprovados sete projetos par a produção de longas-metragens com compromisso de lançamento em, pelo menos, 200 salas. Além disso, investiu R$ 500 mil em projetos com previsão de estreia entre 100 e 200. Segue a relação das obras.

FILME DIRETOR PRODUTORA DISTRIBUIDORAS
DEPOIS DOS 40 Luiz Villaça Bossa Nova Films Paris Filmes
MALASARTES Paulo Morelli O2 Filmes Paris Filmes
A TERAPIA Roberto Moreira Coração da Selva Dowtown
PEQUENO SEGREDO David Schurmann Schurmann Film Company Diamond Filmes
DESCULPE O TRANSTORNO Tomás Portella Gullane Entretenimento S/A Buena Vista / Disney do Brasil
SAMPA Carlos Alberto Riccelli Pulsar Produções Artísticas Europa Filmes
O CASEIRO Julio Santi Nexus Cinema e Vídeo Europa Filmes

Lista de filmes paulistanos com distribuidoras nacionais

Quatro projetos foram os aprovados na linha 4, voltada para distribuidoras de todo o país, desde que associadas a uma empresa paulista. O contrato prevê lançamento em, no mínimo, 300 salas, e investimento de R$ 1 milhão em publicidade. Confira a lista.

FILME DIRETOR PRODUTORA DISTRIBUIDORAS LANÇAMENTO (PREVISÃO)
OPERAÇÕES ESPECIAIS Tomás Portella Intro Ltda Paris Filmes OUTUBRO/2015
ESCARAVELHO DO DIABO Carlo Milani Dezenove Som e Imagens Produções Ltda Paris Filmes 1º SEMESTRE/2016
A COMÉDIA DIVINA Toni Venturi Olhar Imaginário Ltda e Aurora Filmes Ltda Imagem Filmes 1º SEMESTRE/2016
REZA A LENDA Homero Olivetto Ouro 21 Produções de Filmes Ltda Imagem Filmes 1º SEMESTRE/2016

*Spcine