Arquivo da tag: marco frança

Tescom tem oficinas de artes cênicas em janeiro; acesse a agenda na íntegra

Por Tescom

O Tescom realiza programação especial neste mês de janeiro para não-alunos (estes, com aulas a R$ 30) e alunos da escola (com valor especial). As inscrições podem ser feitas por telefone (3233-6060), e-mail (contato@estudiotescom.com.br) ou diretamente no local (Av. Rodrigues Alves, 195, Santos).

>> Dia 9/jan | 19h | ‘O Ator e o Corpo – Capoeira para o ator’, com Felippe Alves;
>> Dia 10/jan | 19h | ‘Doutores da cultura – Improvisação teatral’, com Dafne Carina e Jamili Limma;
>> Dia 11/jan | 19h | ‘Palhaçaria – Perceber a existência’, com Jamili Limma e Marcus Di Bello;
>> Dia 12/jan | 19h | ‘Palhaçaria – Entradas de palhaça(o)’, cm Jamili Limma e Marcus Di Bello;
>> Dia 13/jan | 15h | ‘Jogos teatrais’, com Felippe Alves e Renato Fernandes;
>> Dia 13/jan | 19h | ‘Encantando Histórias’, com Beto Vieira;
>> Dia 14/jan | 14h | ‘Jogos teatrais’ (turmas mirim e juvenil), com Dafne Carina e Ronaldo Fernandes;
>> Dia 14/jan | 16h | ‘Um exercício de escuta: jogo, silêncio e ritmo’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Vitor Biazin;
>> Dia 16/jan | 19h | ‘Conceitos básicos para a criação de figurinos’, com Paola Caruso;
>> Dia 17/jan | 19h | ‘Construção de bonecos’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Natali Barbosa;
>> Dia 18/jan | 19h | ‘Construção de bonecos’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Natali Barbosa;
>> Dia 19/jan | 19h | ‘Circo’, com Flávia Simões e Marco França;
>> Dia 20/jan | 15h | ‘Música no teatro’, com Marcelo Marinho;
>> Dia 20/jan | 19h | ‘Introdução à História do Teatro (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Marco França;
>> Dia 21/jan | 14h | ‘Jogos Teatrais’ (turmas mirim e juvenil), com Emanuely Lopes e Paola Caruso;
>> Dia 21/jan | 16h | ‘O Intérprete-criador’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Celso Lima;
>> Dia 23/jan | 19h | ‘Jogos teatrais’, com Alex Felix e Ana Paula Silva;
>> Dia 25/jan | 19h | ‘Teatro dramático X Teatro épico’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Dario Felix;
>> Dia 27/jan | 15h | ‘Mímica – criação de ilusões e andares’, com Marcus Di Bello;
>> Dia 27/jan | 19h | ‘Dança – corpo, expressão e fluxo de movimento’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Rafael Palmieri;
>> Dia 28/jan | 14h | ‘Jogos Teatrais’ (turmas mirim e juvenil), com Flávia Simões e Jamili Limma;
>> Dia 28/jan | 16h | ‘Direção Teatral’ (turmas B1, B2, B3, Intermediário, avançado e desenvolvimento pessoal), com Ronaldo Fernandes.

Relações virtuais são discutidas no teatro ‘Nó na Garganta’, em cartaz no Tescom

Por Marcus Di Bello

Até que ponto a realidade virtual facilita ou distorce os desejos das pessoas? Esta é a questão que permeia o espetáculo ‘Nó na Garganta’, da Companhia Trilha de Teatro e o Grupo Tescom que está em temporada nestes dias 12 e 13 (sábado, às 21h, e domingo, às 20h), no teatro Tescom (Av. Rodrigues Alves, 195, Macuco). Ingressos no sistema Pague Quanto Quiser.

No espetáculo escrito e dirigido por Ronaldo Fernandes, os atores Alex Felix, Ana Paula Silva, Karla Lacerda, Marco França e Pedro Norato “mergulham” nas telas de celulares, tablets e computadores para percorrer um dia na vida de cinco personagens que têm encontros e desencontros ora no mundo on-line (virtual), ora no off-line (real).

A peça de natureza intimista proporciona uma reflexão sobre como utilizamos o mundo virtual para escaparmos de experiências dolorosas e tristes e que, por vezes, nos dilui enquanto pessoas e reforça um estado de solidão e incerteza que nos torna cada vez mais líquidos, como defende o filósofo polonês Zygmunt Bauman.

 

Estreia ‘Meu Deus…’, teatro que aborda o mundo atual do hedonismo à intolerância

O indivíduo acima do coletivo; a felicidade mais virtual que real; o consumismo causando insatisfação e esgotando recursos naturais; a intolerância religiosa justificando assassinatos; e as discussões superficiais sobre aborto, drogas, diversidade sexual, igualdade de gêneros e racial nos fazem perguntar se Nietzsche teria razão: Deus está morto?

E assim surge o novo espetáculo do Grupo Tescom de Teatro e da Cia Trilha, ‘Meu Deus…’, que entra em temporada de 29 de julho a 14 de agosto, com sessões às sextas-feiras e sábados às 21h e aos domingos às 20h, no Tescom (Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 195/Santos). Com dramaturgia e direção de Ronaldo Fernandes, a peça tem ingressos a R$ 20.

1“Se entendemos o homem como imagem e semelhança de Deus, então a ‘morte de Deus’ trazida por Nietzsche, representa também a morte do homem”, reflete Ronaldo, que, com base nessa premissa, apresenta questionamentos a respeito dos nossos posicionamentos e ações concretas a respeito da violência, aborto, intolerância, abuso sexual e drogas. Será que apenas apelar para ‘Meu Deus…’ é a saída? “Não sabei vós que sois templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?” (Coríntios 3.16,17). Então será que precisaremos tornarmo-nos deuses para ser dignos de um Deus?

Na trama, Ale, Eli, Isa, Edu e Val formam o grupo de jovens amigos que vivenciam dilemas e angustias tão presentes na sociedade urbana dos dias atuais. Eles compartilham experiências e questionamentos a respeito de sexualidade, entretenimento, aborto, abuso sexual, drogas e violência. Por fim, com a chegada dos “Meu Deus” ocorre também uma reflexão a respeito da presença e papel do divino no mundo de hoje.

O espetáculo tem como elenco: Dafne Carina, Felippe Alves, Flávia Simões, Marcus Di Bello e Paola Caruso; direção de visagismo: Karla Lacerda; direção de movimento: Fabíola Moraes; coreografia: Paula D’Albuquerque; figurinos: Alex Felix, Ana Paula Silva e Paola Caruso; sonoplastia: Marcelo Marinho; iluminação: Marcus Di Bello e Ronaldo Fernandes; designer gráfico: Betinho Neto; fotografias: Rodrigo Montaldi Morales; maquiagem: Marco França e Julia Lacerda; operação de luz: Emanuely Lopes; produção artística e operação de som: Jamili Limma; produção executiva: Pedro Norato e Marco França.

*Ronaldo Fernandes

 

Espetáculo ‘Nó na Garganta’ celebra 1 ano com sessão neste domingo

A Companhia Trilha de Teatro e o Grupo Tescom celebram um ano de carreira do espetáculo “Nó na Garganta”, que traz a tona o quanto a realidade virtual pode ou não prejudicar a vida das pessoas. A peça estará em cartaz neste dia 6 (domingo), às 21h, no Teatro Tescom (Av. Rodrigues Alves, 195, Macuco).

Na trama, encontros e desencontros criados a partir de uma vida paralela, vivida com pseudônimos e histórias inventadas. Até que ponto a tecnologia realmente aproxima as pessoas ou evidencia a solidão? No elenco estão Pedro Norato, Ana Paula Silva, Karla Lacerda, Marco França e Alex Felix.

Ingressos de R$ 10,00 a R$ 20,00. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (13) 3233-6060 ou pelo e-mail contato@estudiotescom.com.br.

‘Nó na Garganta’ tem curta temporada neste fim de semana no Tescom

Até que ponto a realidade virtual facilita ou distorce os desejos das pessoas? Esta é a questão que permeia o espetáculo ‘Nó na Garganta’, da Companhia Trilha de Teatro e o Grupo Tescom que está em temporada neste final de semana (dias 28 a 30 de agosto), às 20 horas, no teatro Tescom (Av. Rodrigues Alves, 195, Macuco). Ingressos a R$ 20.

“Se relacionar com o outro nunca foi tão fácil. WhatsApp, redes sociais, aplicativos. Mas será que tudo isso nós torna mais próximos… ou ainda mais distantes uns dos outros?”, argumenta o diretor e dramaturgo Ronaldo Fernandes. Em cena, ele apresenta as telas, tablets e teclados de Teresa, Nuno, Paty, Dino e Érico.

Na trama, encontros e desencontros criados a partir de uma vida paralela, vivida com pseudônimos e histórias inventadas. Até que ponto a tecnologia realmente aproxima as pessoas ou evidencia a solidão? Entre as discussões da peça, será que a internet facilita a realização de desejos ou nos torna ainda mais reféns dos nossos medos e preconceitos?

“Desejos estão aí pra serem vividos. Mas será que o mundo virtual é o melhor espaço pra vivermos tudo isso?”, questiona Ronaldo. No elenco estão Pedro Norato, Ana Paula Silva, Karla Lacerda, Marco França e Alex Felix. Informações: (13) 3233-6060 ou contato@estudiotescom.com.br.

*Lincoln Spada

 

Opinião: O ‘Nó na Garganta’ dos órfãos da Internet no palco

Não existe uma geração de ansiosos pela tecnologia. Os novos meios explicitaram às crianças, aos jovens e principalmente aos adultos, que, no mundo virtual, todos se envolvem na mesma redoma de afoitos e aflitos. Afinal, a cultura de crise jamais veio dos jovens como alardeamos. É fruto da meia-idade, dos órfãos e donos das babás eletrônicas, como destaca a peça do Grupo Tescom e a Companhia Trilha do Teatro, ‘Nó na Garganta’.

A encruzilhada atinge os pais de hoje. As tradições fervorosas e duradouras dos avós se mantêm com eles. Já os adolescentes se acostumaram com o mundo que se faz raso, líquido. Citar Bauman e sua obra ‘Amor Líquido’, relações híbridas e hedonistas já é banal. O que está em xeque é o dilema de uma geração, abaixo da fulminante e certeira luz azul que encobre a roda no palco.

01Nem promoção no trabalho, nem jantar com risoto ou miojo de camarão em casal. Nada mais satisfaz plenamente quem vive aos círculos com a Internet entre os dedos, seja nos celulares, seja nos tablets. A pergunta do autor e diretor Ronaldo Fernandes é clara: “Até que ponto a tecnologia realmente aproxima as pessoas ou evidencia a solidão?”. Diante do público, em roda, giram as crises de Teresa (Karla Lacerda), Nuno (Pedro Norato), Paty (Ana Paula Silva), Dino (Marco França) e Érico (Alex Felix).

Todos afiados em cena pela cumplicidade das relações de amor e amizade na vida além-palco. Soa natural, a gosto do elenco e do público, exceto no início da sedução de Nuno e Dino. Ainda mais quando Nuno, engravatado, atrai a atenção de todos com pirulito avermelhado, antes do fatídico encontro naquela noite. Mas o desconforto da cena inicial pode ser questão da estreia. Aliás, tal teatro circular se dá em cenas simultâneas de uma mesma noite.

03Diretor de empresa, Nuno é privilegiado por um casamento duradouro de vinte anos e um segredo sexual de mais décadas. Mas a narrativa pertence à sua esposa, a deprimida Teresa que foge das perturbações de um matrimônio insosso e rotineiro ao conversar pelas madrugadas na Internet com o mesmo Dino e Érico. Jantar a velas, sexo e intimidades . Tudo apenas em teclas.

Claro que o amor também ata as gargantas do amante do casal, da irmã romântica Paty e do sedutor hype Érico. Eles estão no mesmo barco, afoitos por uma relação que transcenda aos aparelhos eletrônicos. É nessas voltas com direito a frases repetidas e cenas reprisadas entre os personagens que se rebobina a crise emocional de cada um.  O quinteto se apresenta numa grande tela azul em nosso meio.

A cor está na constante luz fria, nos tons de cada figurino da Paola Caruso e na certa melancolia das canções de rock melódico de Marcelo Marinho na voz de Dafne Carina em Inglês – língua universal da Internet. Tudo cuidadosamente escolhido em sintonia por Ronaldo. Com raro cenário, é intimista e intenso a ponto de ser apreciado em qualquer centro cultural.

Numa conversa posterior, o diretor me confidenciou que a peça era como realmente imaginava. Desde a primeira leitura do elenco em dezembro de 2013. Semanas, meses e um ano de pesquisas para nos inquietar com a mesma questão que castiga Teresa e os demais personagens: “Você é feliz?”.

Serviço

‘Nó na Garganta’ segue em cartaz às sextas e sábados, às 21 horas, no até 24 de abril, no Tescom (Av. Rodrigues Alves, 195/Santos). Ingressos a R$ 20.

*Lincoln Spada

Amor virtual e relações pela net movimentam ‘Nó na Garganta’

Até que ponto a realidade virtual facilita ou distorce os desejos das pessoas? Esta é a questão que permeia o espetáculo ‘Nó na Garganta’, da Companhia Trilha de Teatro e o Grupo Tescom que estreia em temporada neste dia 27, às 21 horas, no teatro Tescom (Av. Rodrigues Alves, 195, Macuco). A peça segue em cartaz às sextas e sábados, às 21 horas, no até 24 de abril. Ingressos a R$ 20.

“Se relacionar com o outro nunca foi tão fácil. WhatsApp, redes sociais, aplicativos. Mas será que tudo isso nós torna mais próximos… ou ainda mais distantes uns dos outros?”, argumenta o diretor e dramaturgo Ronaldo Fernandes. Em cena, ele apresenta as telas, tablets e teclados de Teresa, Nuno, Paty, Dino e Érico.

11071353_10206430617063102_1296840427_oNa trama, encontros e desencontros criados a partir de uma vida paralela, vivida com pseudônimos e histórias inventadas. Até que ponto a tecnologia realmente aproxima as pessoas ou evidencia a solidão? Entre as discussões da peça, será que a internet facilita a realização de desejos ou nos torna ainda mais reféns dos nossos medos e preconceitos?

“Desejos estão aí pra serem vividos. Mas será que o mundo virtual é o melhor espaço pra vivermos tudo isso?”, questiona Ronaldo. No elenco estão Pedro Norato, Ana Paula Silva, Karla Lacerda, Marco França e Alex Felix. Informações: (13) 3233-6060 ou contato@estudiotescom.com.br.

*Tescom