Arquivo da tag: minc

‘Morada 22/10’ entra em temporada no Teatro do Kaos

Por Teatro do Kaos

O espetáculo ‘Morada 22/10 – É proibido ser feliz’ entra em cartaz entre os meses de novembro e dezembro no Teatro do Kaos. As sessões serão entre os dias 1º e 5 de novembro, às 20 horas, na Praça Coronel Joaquim Montenegro, 34 (Largo do Sapo), com entrada franca.

O que você faria se, ao acordar, percebesse que está preso dentro de uma gaiola, pelo simples fato de saber cantar? A morada discute a prisão em liberdade, através de uma estrutura dramatúrgica fragmentada, personagens vão contando as suas histórias que se intrelaçam na busca por resposta.

Com direção geral e adaptação de Fabiano Di Melo, o texto pertence a Sander Newton. No elenco, os alunos da 4ª Turma do Curso Profissional de Atores, o projeto Evolução, patrocinado pela Copebras em realização do Ministério da Cultura.

A temporada gratuita segue no mesmo horário e local nos dias 15, 17, 18, 19 e 24 de novembro, como também seguidamente entre os dias 1º e 10 de dezembro.

 

Minuta do Sistema Municipal de Cultura é aprovada pelo conselho de Cubatão

Por Lincoln Spada | Foto: Ivan da Conceição

Anseio dos artistas cubatenses desde 2008 e dado o acordo da Prefeitura com o Ministério da Cultura desde 2013, o Sistema Municipal de Cultura (SMC) teve sua minuta discutida e aprovada pelo Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) de Cubatão. A reunião ocorreu no último dia 27, no auditório da Biblioteca Municipal Prof. João Rangel Simões.

> Acesse aqui a minuta

Aberto à comunidade, o encontro teve o objetivo exclusivo de abordar sobre o SMC, que estabelece e qualifica uma rede de órgãos de gestão e transparência nas políticas municipais, como secretaria, fundo, conselho e conferência. Em especial, assegura a criação tanto de um sistema de indicadores e informações do setor, como também de um plano decenal.

Além disso, é por meio da lei do SMC que facilita que a Administração Municipal estabeleça pactos, convênios e repasses com demais órgãos estaduais e nacionais, com suas respectivas redes. Na Baixada Santista, Guarujá, Itanhaém, Santos e São Vicente já implantaram seus sistemas.

Na última semana, a minuta do SMC já tramitava internamente pela Prefeitura, a fim de ser apresentada como projeto de lei à Câmara, consecutivamente efetivando o sistema público do setor.

 

Vencedor do Globo de Ouro integra programação gratuita de cinema no Parque Anilinas

Por Secult Cubatão

Recém-premiado com o Globo de Ouro, “Zootopia” ganha destaque na programação de janeiro de Cubatão. Apontada como a melhor animação de 2016 por correspondentes de 55 países em Hollywood, o filme compõe o cardápio gratuito oferecido pelo Cinema Ticket Cultura no Parque Anilinas, entre 17 e 21 de janeiro (terça-feira a sábado).

O cinema sobre rodas reúne outros blockbusters, como “Kung Fu Panda 3”, “Quarteto Fantástico” e “Jurassic World”. Itinerante, o projeto distribuirá pipoca e refrigerante para as centenas de espectadores cubatenses. Ao todo, são 38 lugares por sessão. Para os interessados, é preciso reservar os ingressos em: http://www.cinematicketcultura.com.br.

Em “Zootopia” (2016), uma coelha policial e uma raposa conhecida por suas infrações formam uma dupla numa metrópole em uma aventura contra preconceitos e em busca de harmonia social. O longa será exibido nos dias 18, 20 e 21, às 14 horas. Já nos dias 17 e 19, as sessões serão reservadas ao Clubinho de Férias da Polícia Militar.

Já em “Kung Fu Panda 3” (2016), o carismático protagonista Po treina os moradores de um vilarejo para enfrentar um malvado vilão. Nos dias 18, 20 e 21, o filme estará em cartaz às 16 horas, sendo que nos dias 17 e 19 as exibições serão para os participantes do Clubinho de Férias da PM.

Por sua vez, a nova saga do “Quarteto Fantástico” (2015) contra o arquirrival Doutor Destino estará em cartaz a partir do dia 18, às 18 horas. Na sequência, às 20 horas, o público poderá conferir “Jurassic Park” (2015), ficção científica em que os domesticados répteis que habitam um parque de diversões podem se tornar ameaça para os visitantes.

O Cinema Ticket Cultura é uma parceria da Ticket com a Kinoplex, viabilizada pelo Ministério da Cultura, com apoio da Prefeitura de Cubatão através da Secretaria Municipal de Cultura. Saiba mais em: http://www.cinematicketcultura.com.br.

 

Calero x Geddel: Entenda o caso e repercussão entre Congresso, artistas e funcionários do Iphan

Por Lincoln Spada

Nem as polêmicas com ‘Aquarius’ ou as recusas de artistas à Ordem do Mérito Nacional. Nem as bancadas entusiasmadas pela CPI da Lei Rouanet ou o início do racha entre PMDB e PSDB tendo em vista 2018. A saída nesta sexta-feira de Marcelo Calero do Ministério da Cultura foi gerada por consecutivas discussões com o secretário-ministro de Governo, Geddel Vieira Lima – braço-direito na articulação de Temer.

Diplomata, o tucano Calero seguia uma trajetória crescente, presidindo a programação do Rio 450, e caindo nas graças do PMDB carioca a ponto de assumir a Secretaria de Cultura da Cidade Maravilhosa em 2015. O processo de impeachment de Dilma (PT) e a força do partido governista no Rio o impulsionou para Brasília. Lá, só era elogios de Temer, que em cerimônia no último dia 5, garantiu que o mandato de Calero o premiava com “uma noite de sono tranquilo“.

Em um semestre, aproveitou a mobilização dos artistas contra a extinção do MinC, e, na pasta, iniciou as discussões de atualizar a Lei Rouanet (um projeto tramita no Congresso desde 2010). Se por um lado, envolveu-se em polêmicas com demissões na Cinemateca e vaias em festivais, Calero agradou Temer a ponto do ministério receber 40% a mais em 2017 – já que a pasta recebeu cortes nos últimos dois anos, o aumento se refere ao descontingenciamento de despesas.

Relações perigosas

Mas ao mesmo tempo, Geddel (PMDB) telefonava insistindo que Calero desse atenção via Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) à uma construção em área tombada em Salvador. Por lá, Geddel adquiria um imóvel no alto de ‘La Vue’, planejada pela Cosbat – o empreendimento prevê 30 andares, mas só foi autorizado a erguer 13 andares. E haja relação perigosa.

O primo de Geddel defende a empreiteira na Justiça baiana. Na Receita Federal, sócios de Geddel e do presidente do Cosbat já trabalharam juntos em outro empreendimento. A ‘La Vue’ já gerou uma briga de Geddel Vieira Lima com vereadores e o banqueiro Marcos Mariani. Por vezes, a prefeitura e a representação estadual do Iphan – ambos aliados de Geddel – defenderam a obra na totalidade.

Neste domingo, o Iphan e o Instituto de Arquitetos do Brasil garantem o caráter técnico da decisão sobre o prédio. A ‘Costa Espanha’, residencial da Cosbat, também ganhou influências do ministro. “Nosso amigo GVL pede para vc ligar para Luis (presidente da Cosbat). Teve com o baixinho (ACM Neto) e está liberado o Costa Espanha“, está entre as mensagens do sócio da OAS, incluindo o político numa delação premiada da Lava Jato.

Acusando o ex-colega de Esplanada de corrupção, Calero afirmou no último sábado: “Uma situação como essa, de um ministro ligar para outro ministro pedindo interferência em um órgão público para que uma decisão fosse tomada em seu benefício, não é normal e não pode ser vista assim. Não é normal”. Segundo o ex-MinC, Geddel prometeu demitir a presidente do Iphan se não revertesse a decisão em prol à Cosbat. Em entrevistas, Geddel admite as conversas com Calero, mas nega qualquer interesse pessoal.

Irritação e acareação

De acordo com Calero, Temer já estava a par da situação, mas pedia para reconsiderar o possível ‘adeus’. Ao saber das pressões sofridas pelo ex-MinC, o presidente teria dito: “Mas o presidente sou eu, não o Geddel”. O então ministro lamentou: “Só que eu percebi que a pressão ia continuar, então preferi sair”. Por sua vez, o secretário de Governo garante que Temer confia em sua inocência.

Um interlocutor do Planalto diz que o presidente se refere às vontades de Geddel como “uma coisa totalmente desnecessária. O presidente está muito irritado“. E nenhuma decisão a tomar. Coube então ao líder da Comissão de Ética Pública, Mauro Menezes, citar que o tema será pautado em reunião nesta segunda-feira (dia 21), na Presidência da República. Segundo Menezes, todas as vezes que a comissão recomenda a demissão de um gestor, a sugestão é acatada pelo presidente.

Já no Congresso, deputados de oposição vão articular a convocação de Calero e Geddel nas comissões de Desenvolvimento Urbano, de Fiscalização e Controle e de Cultura, para uma espécie de acareação dos dois envolvidos em encontros públicos. Parlamentares do PT e do PCdoB também devem apresentar representações à Procuradoria-Geral da República para analisar o caso.

Iphan e artistas

Em nota, a associação dos servidores do Iphan defendem a posição de Calero. “Importante registrar que esta conduta, de zelar pela prevalência de critérios impessoais nas decisões públicas, também demonstrada pela colega de carreira e Presidente do Iphan, Kátia Bogea, é a que esperamos de nossos dirigentes”. O comunicado aponta que a atitude de Calero e Kátia mantém os servidores “firmes para enfrentar as pressões às quais, nas ações de fiscalização, somos cotidianamente submetidos na difícil tarefa de garantir à sociedade brasileira o direito a sua herança cultural, conforme estabelecido na Constituição Federal”.

Entre os artistas, a repercussão da saída de Calero divide opiniões. Para a presidente do grupo ‘Procure Saber’, Paula Lavigne, “Eles que são do PMDB que se entendam!”. Já o diretor teatral Amir Haddad diz que “quem sabe recupera o amigo”, já que saiu do governo Temer. Para o diretor-presidente da SPCine, Alfredo Manevy, “A relação do governo Temer com a Cultura, que já era frágil e indefinida, agora fica num quadro de maior fragilidade”.

O cineasta Cacá Diegues diz “O Calero assumiu o MinC num momento delicado e, cm inteligência, habilidade e muita serenidade, estava modernizando o ministério e tornando-o mais eficiente”. Presidente da Associação dos Produtores de Teatro, Eduardo Barata relata: “Como cidadão e profissional de cultura, é triste entender que uma pessoa se sente obrigada a se demitir em função de uma pressão de um interesse privado, e não público. Isso é assustador. O Calero é um cara de gestão que assumiu o ministério numa situação crítica e colocou a possibilidade de termos uma ilha no meio de uma confusão política grande. Agora, tudo começa do zero”.

 

Marcelo Calero pede demissão do MinC; Roberto Freire assume a pasta

Por Lincoln Spada

Marcelo Calero Faria Garcia é o mais recente ministro a sair do Governo Temer (PMDB). De acordo com a mídia, a saída se deu por entraves com colegas do Planalto, provavelmente em referência a uma reviravolta orçamentária para a pasta. O pedido de demissão foi 10 dias após Calero e Temer anunciarem a ampliação da Lei do Audiovisual e o crescimento de 40% da pasta em 2017.

Na última quarta, o ministro tinha iniciado um comitê técnico para atualizar e acompanhar o Fundo Nacional de Cultura – era uma possibilidade de alterar os parâmetros da Lei Rouanet. Atualmente, tanto comunidade, quanto artistas e gestores veem a necessidade de revisar a legislação para maior descentralização e alternativa de atingir as pequenas e médias produções culturais.

> Análise: Quem é Marcelo Calero?

Em entrevista exclusiva à Folha de S. Paulo, Calero confessa que a sua saída foi provocada por graves discussões com o secretário de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB). Segundo o diplomata, Geddel exigiria a demissão da presidência do Iphan senão liberassem um empreendimento de seu interesse em área tombada na Bahia.

Em seis meses, o ministro enfrentou polêmicas por assumir a pasta – vários artistas e acadêmicos recusavam prêmios, indicações e convites, em grande parte, contrários à credibilidade do atual governo. Recentemente, o escritor Marcelo Rubens Paiva, a cenógrafa e diretora Daniela Thomas e o cineasta Arthur Omar não aceitaram a Ordem do Mérito da Cultura, principal homenagem que o ministério concede a artistas. Mas esses combates públicos não foram as razões da demissão de Calero, segundo anúncio oficial.

Carta de despedida

A imprensa já divulga a carta que Calero enviou à Temer. Em nota oficial, “o Ministro da Cultura, Marcelo Calero, entregou sua carta de demissão ao Presidente da República Michel Temer. Sua saída se deve a divergências com integrantes do governo”. Os gestores já teriam conversado por telefone nestes dias sobre os mesmos entraves em relação ao Geddel Vieira Lima.

“Saio do Ministério da Cultura com a tranquilidade de quem fez tudo o que era possível fazer, frente os desafios e limitações com os quais me defrontei. E que o fez de maneira correta e proba”. O ex-ministro era secretário municipal de Cultura do Rio de Janeiro – hoje em transição de partidos na capital. No Estado, o PMDB extinguirá em 2017 a pasta de cultura.

Roberto Freire assume

Ex-PMDB (dos anos 60 até 1985), o recifense Roberto Freire atualmente é presidente nacional do PPS (onde está filiado desde 1992) e até então estava como deputado estadual por São Paulo. O partido é uma das bases de sustentação do governo Temer na Câmara. Com isso, Freire estará na Esplanada junto de seu correligionário Raul Jungmann, ministro da Defesa.

Embora já fosse cogitado desde maio para a pasta, o novo titular é conhecido por sua atuação em comissões parlamentares de Constituição e Justiça e de Cidadania, e de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Freire participa do universo legislativo desde 1975, enquanto deputado estadual de Pernambuco.

No plano federal, compõe a Câmara dos Deputados desde 1979, com exceção dos anos de 2008 a 2012 e de 1995 a 2003 – neste último período, foi senador por Pernambuco. Em um dos poucos posicionamentos públicos recentes sobre cultura, Freire defendia a manutenção dos programas, em especial, da Lei Rouanet.

Santos recebe 2ª Festa da Música de 18 a 21 de agosto; confira programação

O Governo Federal através do Ministério da Cultura e do Fundo Nacional de Cultura realiza em Santos a 2ª Festa da Música. Com toda sua programação gratuita de 18 a 21 de agosto, o evento acontece com a participação de diversos gêneros musicais e assim trabalhando o conceito do estilo musical de cada um, demonstrando que a arte é um bem de todos e acessível a todos e não apenas de um nicho da sociedade.

O evento quer quebrar barreiras e através da arte mostrar que é possível o respeito e as opiniões divergentes se encontrarem em um mesmo palco e com o mesmo público. A 2ª Festa da Música pretende celebrar, com a população santista e turistas o melhor da produção musical da nossa região, nos nossos mais diversos estilos musicais: Instrumental, MPB, Samba, Choro, Pop Rock, Jazz, Blues, Maracatu, músicas latinas, etc…

PROGRAMAÇÃO OFICIAL

Dia 18 de agosto – Quinta-feira
>> 20h | Fonte do Sapo | Simoninha com a Jazz Big Band.

Dia 19 de agosto – Sexta-feira
>> 16h | Jardim Botânico Chico Mendes | Newton Zago;
>> 19h | Concha Acústica | Olavo Dáda;
>> 20h | Praça Regional do Caruara | Trio Zé do Café.

Dia 20 de agosto – Sábado
>> 12h | Bulevar da Rua XV | Choro e Afins;
>> 12h | Estação Bistrô – Praça do Valongo | Zinho;
>> 15h | Casa da Frontaria Azulejada | Oficina de Djs com Kouiot e show de MC Jotinha
>> 16h | Lagoa da Saudade | Grupo Família;
>> 19h | Instituto Arte no Dique | Banda Querô;
>> 19h | Concha Acústica | Banda Y3.

Dia 21 de agosto – Domingo
>> 18h | Fonte do Sapo | Sena Sopra Metais;
>> 19h | Concha Acústica | David Costa Jazz Trio.

*QG Sanatório

 

Fundação Rui Barbosa abre seleção para bolsas de estudo em cultura

A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCBR), que está vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), acaba de lançar o edital para bolsas de estudo destinadas a profissionais com graduação completa, mestrado ou doutorado. As áreas disciplinares incluem diversas áreas das ciências humanas e das sociais aplicadas, além de letras e artes, museologia, arquivologia e biblioteconomia. Os interessados devem se inscrever pelo correio até o dia 10 de agosto.

Fundação Casa de Rui Barbosa – FCRB – Tem como missão promover a preservação e a pesquisa da memória e da produção literária e humanística, bem como congregar iniciativas de reflexão e debate acerca da cultura brasileira. Entre suas principais atividades se destacam a manutenção, preservação e difusão do Museu Casa de Rui Barbosa e seu jardim histórico; a formação, preservação e difusão do acervo bibliográfico e documental, com o apoio de laboratórios técnicos; e o desenvolvimento de estudos e pesquisas nas áreas de documentação e preservação.

*Ministério da Cultura