Arquivo da tag: nailse cruz

Mulheres conquistam seu espaço nos Grupos Artísticos de Cubatão

Durante muito tempo a vida doméstica definia o sucesso da mulher. Mas algumas delas têm histórias diferentes e não se deixaram limitar pelas histórias tradicionais. As artes, muito mais do que passatempo de famílias abastadas em séculos passados, virou profissão para muitas delas. As que integram os Grupos Artísticos de Cubatão são exemplos disso.

Regentes, musicistas, cantoras e bailarinas. São 140 no total, divididas entre a Banda Sinfônica e Cia de Dança, Banda Marcial e Corpo Coreográfico, Grupo Rinascita, Coral Zanzalá, Coral Raízes da Serra e Programa Banda Escola de Cubatão. Neste 8 de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, a conquista por espaço é uma realidade nessas equipes.

“É uma luta diária. A intensa presença masculina no mundo as artes é histórica. Nosso papel é tentar modificar isso, pois temos talento e energia”, opina Nailse Cruz, regente titular do Coral Zanzalá. Além dela, a equipe é comandada pela regente-assistente Maria Fernanda Tavares. São 37 cantoras e equipe técnica num universo de 65 pessoas.

A Banda Marcial conta com 11 musicistas divididas nos naipes de teclado, trompa, trombone, saxofone, flugelhorn, percussão e no setor administrativo, numa equipe que tem 56 integrantes. Já o Corpo Coreográfico da Marcial conta com 35 jovens mulheres, além da coreógrafa Alessandra Palucci. O Grupo Rinascita de Música Antiga, com seus 13 integrantes, conta com duas musicistas. E o Programa Banda Escola de Cubatão – BEC, tem 7 monitoras ensinando música e dança à garotada.

A Banda Sinfônica tem 13 mulheres instrumentistas num universo musical de 80 pessoas. “As mulheres são mais disciplinadas e por isso, alcançam seus objetivos mais rapidamente. Temos sorte de poder contar com elas”, afirma o maestro titular da Sinfônica, Ulysses Damacena. Já a Cia de Dança da Sinfônica, que possui no total 20 bailarinos, conta com 12 mulheres e outras três que compõem a equipe técnica. “É um privilégio fazer parte de equipes artísticas tão significativas pra cidade e pra região. Tenho certeza de que a força e o talento femininos tornam cada um dos grupos musicais e de dança diferenciados”.

No caso da Cia de Dança, esse pioneirismo surgiu ainda na década de 1970, com a então coreógrafa Sílvia Maria Silva Santos, que coordenava a Linha de Frente da Banda Musical. Hoje, Sílvia é produtora da Cia de Dança. “Ela realizou um trabalho que serviu de espelho para bandas e fanfarras de todo o país. O olhar feminino sobre as artes é sempre sinônimo de competência”, afirma o maestro Roberto Farias, coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão.

A sensibilidade feminina na criação de projetos artísticos é comprovada pelo Coral Raízes da Serra. Elaborado para oferecer uma alternativa cultural ao pessoal da terceira idade, foi uma ideia de Sandra Diogo Moço, regente do grupo há quase 30 anos. O trabalho conta com 33 participantes, 31 mulheres e apenas dois homens. Para a maestrina, o dia 8 de março é comemorado duas vezes, pois é também o dia do seu aniversário. “Há muito o que se conquistar no universo feminino. A estrada ainda é longa, mas a mulher tem talento de sobra. Dividimos nosso tempo com maestria entre família, trabalho, amigos, lazer. A mulher é uma artista nata”, afirma Sandra.

*Prefeitura de Cubatão

 

Corais encerram programação natalina em São Vicente nesta semana

A programação natalina das Oficinas Culturais Professor Oswaldo Névola Filho será encerrada nesta semana com a apresentação de dois corais da Região. Na quinta-feira (dia 17), às 19h30, o auditório contará com o Grupo Vocal Cântigo. Na sexta (dia 18), no mesmo horário, o convidado será o Coral Zanzalá de Cubatão.

Ambas as sessões no local (Rua Tenente Durval do Amaral, 72, Catiapoã) são gratuitas. A programação é uma realização da Prefeitura de São Vicente através da da Secretaria da Cultura com apoio da Associação dos Artistas.

O Grupo Vocal Cântigo tem amplo repertório e já tem notoriedade em apresentações na Baixada Santista. Por sua vez, o Coral Zanzalá de Cubatão, criado ainda em 1978. Trata-se de um fruto do sonho do maestro Rodrigo Audusto Tavares e se tornou referência regional pela qualidade técnica e atuação cênica de seus cantores.

Nesses 20 anos produziu vários espetáculos como Ópera do Malandro (2005) e De tudo se faz canção (2008), além da especial participação em Queen Sinfônico e Help, onde dividiu o palco com a Banda Sinfônica de Cubatão. Especial por excelência possui um eclético repertório que vai do erudito ao contemporâneo, passeando pela MPB, Música Gospel Norte-americana (Negro Spirituals), Cancioneiro Popular do canto coral e World Music. Atuamente com 60 participantes, a regência do Zanzalá é de Nailse Cruz.

*Lincoln Spada

 

Coral Zanzalá leva sua arte a igreja em São Vicente neste domingo

O Coral Zanzalá prossegue com a série de apresentações que tem realizado em igrejas da região. No próximo dia 15, domingo, a parada musical será na Paróquia Cristo Rei, São Vicente (Rua Américo Martins, 829, Jardim Paraíso) sob regência de Nailse Cruz e Maria Fernanda Tavares.

Para esta apresentação, o programa foi dividido em duas partes. A primeira é formada por música sacra como “Ave Maria”, de Villa-Lobos e outra versão de Rodrigo Vitta; “Pai Nosso”, do maestro Vitta; “Walking down” e “Swinging with the saints”, do repertório das canções negro spiritual, música gospel norteamericana.

Depois, a Música Popular Brasileira vai rechear cada canto da paróquia. A apresentação inclui composições de Dorival Caymmi, Marisa Monte, Tom Jobim, Titãs e Gonzaguinha.

Já no dia 25/11, às 10h e 14h, tem concerto didático do Zanzalá para a criançada do CEU Marta Josete (Rua Assembleia de Deus, 250), no Centro. Canções infantis apresentadas de maneira lúdica integram a apresentação.

*Morgana Monteiro

 

Noite memorável no Tocando Santos, com grupos de Cubatão

Teatro com aproximadamente 500 pessoas na plateia. No palco, mais de 100 artistas entre músicos e cantores. E um repertório que conseguiu reunir Banda Sinfônica de Cubatão, Coral Zanzalá e Grupo Rinascita de Música Antiga. O espetáculo “Conexão Atlântico” aconteceu na noite de domingo (4), no Sesc de Santos.

04Revezaram-se na regência do concerto especial o maestro titular da Sinfônica, Ulysses Damacena, o regente-assistente Leonardo Corassari e o compositor espanhol Andres Alvarez. A ideia da apresentação foi do maestro Roberto Farias, que, a princípio, comandaria tudo por lá, mas não pode participar por problemas de saúde. O espetáculo lançou um olhar musical entre Brasil e Espanha, já que, além do maestro Andres, o Quinteto de Sopros Rubato também participou da noite especial.

A abertura aconteceu com “Exsultate Justi”, de John Williams, tema do filme Império do Sol. Com arranjo criado especialmente para ocasião por Guilherme Sparrapan, transcritor musical dos Grupos Artísticos de Cubatão, e por André Farias, que conferiu toda transcrição para o Grupo Rinascita de Música Antiga, do qual é diretor artístico. O maestro Ulysses foi quem esteve à frente da batuta nesta obra.

02“Theseus – A lenda do Minotauro”, assinada pelo espanhol Andres Alvarez, foi executada pela primeira vez na América Latina. Criada em 2013 e com grande vigor técnico, contou com o comando do regente-assistente Leonardo Corassari. O Coral Zanzalá apresentou, ainda, a canção Walking down that glory road, um negro spiritual, que é a música gospel norteamericana do século passado, com regência da maestrina Nailse Cruz.

O encerramento foi com “Symphonic Sketches”, composta em 2015 por Alvarez. A estreia mundial uniu Sinfônica cubatense e o Quinteto Rubato. A regência do espanhol Andres conferiu a esta apresentação um clima diferente. Andres é o compositor do Rubato, grupo radicado em Pontevedra, noroeste galício. O conjunto é formado pelos instrumentistas Adrián Silva Magdalena (flauta), Avelino Ferreira López (oboé), Óscar Gonzalez Estéves (clarineta), David Novelle Fernández (fagote) e Pablo Hernandez Guazmán (Trompa). As duas peças do compositor espanhol foram criadas especialmente para formação de banda sinfônica e foi o debut do Quinteto galício em solo brasileiro.

03O Tocando Santos é um projeto já tradicional na cidade, coordenado pela Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), e leva ao Teatro do Sesc grandes nomes da música erudita, jazz e formações instrumentais nas mais diferentes versões. Este é o sexto ano consecutivo que os Grupos Artísticos de Cubatão participam do evento.

*Morgana Monteiro

 

Concerto da Banda Sinfônica de Cubatão celebra Afonso Schmidt

A principal atividade artística da Semana Afonso Schmidt expressou, por meio de notas musicais, a celebração à literatura. O concerto “Música e Literatura” da Banda Sinfônica de Cubatão aconteceu no último fim de semana e homenageou o escritor santista Flávio Viegas Amoreira.

A apresentação contou com o jornalista e escritor Alessandro Atanes como mestre de cerimônias. De maneira descontraída, ele apresentou as peças musicais, composições inspiradas em grandes obras da literatura mundial criadas por autores como Voltaire e Shakespeare.

02O programa trouxe “Music for Hamlet”, de Alfred Reed, obra que recontou o drama literário de William Shakespeare; “Candide Suite”, de Leonard Bernstein, composição baseada na novela Cândido, de Voltaire; “Sinfonia nº1 – O Senhor dos Anéis”, do holandês Johan de Meij, inspirada na saga literária “Senhor dos Anéis”, de R. R. Tolkien.
“O aprendiz de feiticeiro”, do francês Paul Dukas, baseado na balada de Goëthe, também foi destaque na noite musical. Revezaram-se na regência o regente-interino da Sinfônica Ulysses Damacena, o regente-assistente Leonardo Corassari e o coordenador dos Grupos Artísticos, Roberto Farias.

O Zanzalá também participou, executando três canções para Schmidt, que são poemas musicados do escritor cubatense: “Caras sujas”, “Cubatão” e “Simpatia”, com regência da maestrina Nailse Cruz e acompanhamento de piano.

03O escritor Flávio Viegas, homenageado da noite, recebeu uma placa comemorativa ressaltando a sua colaboração para o mundo literário. Poeta, contista e crítico literário, Flávio é aficcionado pela obra de Schmidt e uma das mais inventivas vozes da Nova Literatura Brasileira surgida na virada do século XX: a ‘’Geração 00’’. Utiliza forte experimentação formal e inovação de conteúdos, alternando gêneros diversos em sintaxe fragmentada.

O escritor vem sendo estudado como uma das vozes da pós-modernidade literária brasileira em universidades norteamericanas e europeias. É autor dos livros: Maralto, A Biblioteca Submergida, Contogramas, Escorbuto, Cantos da Costa, Desaforismos, Geração Zero Zero, Edoardo, Sampoema e Mar por Perto. Sempre fala sobre as relações entre música e literatura e os diversos gêneros.

O maestro Roberto Farias destacou que o concerto musical encerrou as comemorações da Semana Afonso Schmidt, filho nobre de Cubatão. Lamentou a plateia reduzida mas comemorou a qualidade do concerto. “Nos conforta uma frase de Villa-Lobos, o mais brasileiro dos compositores. Ele dizia que a obra dele é uma carta aberta à posteridade, da qual ele não esperava resposta”, disse o maestro.

*Morgana Monteiro

 

Música no Parque, um festival de ritmo e som em Cubatão

Um novo projeto promete aproximar a música de qualidade dos cubatenses por meio de apresentações artísticas gratuitas. A partir deste domingo (22), os Grupos Artísticos de Cubatão se apresentam no Vão Cultural do Centro Multimídia do Novo Anilinas (Av. Nove de Abril, s/nº), levando um repertório eclético à comunidade. É o projeto Música no Parque – um festival de ritmo e som.

O primeiro Grupo a pisar no palco do Anilinas é a Banda Sinfônica de Cubatão, no próximo domingo, às 16h. A batuta será dividida entre os maestros Ulysses Damacena, Roberto Farias e Leonardo Corassari. A abertura será com a bela Overture, de Jef Penders, sob o comando de Farias, coordenador dos Grupos Artísticos. Leonardo Corassari, agora regente-assistente da Sinfônica, rege a equipe nas canções Dança Brasileira, de Camargo Guarnieri, e Cake Walk Phantasy, de Peter Milray.

O programa também é composto por obras-primas da música erudita e temas de filmes e musicais, agradando a todas as plateias: Suíte Latino Mexicana, de Alfred Reed; Canções do Musical Cats (Andrew Lloyd); e Star Wars Saga, de premiadíssimo John Williams, todas essas com regência do regente-interino da Sinfônica, Ulysses Damacena.

Serão quatro domingos musicais. No dia 1º/3, a Banda Marcial e Corpo Coreográfico se apresentam no local sob a regência do maestro Alexandre Felipe Gomes e coreografia de Alessandra Palucci. No dia 8/3, a Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão é quem leva a dança de qualidade ao palco do Parque, com coreografias de Zeca Rodrigues e direção artística de Vanessa Toledo. E em 15/3, é a vez do Grupo Rinascita e Coral Zanzalá, trazendo melodias de época. A direção musical do Rinascita estará a cargo de André Farias, e o Coral, sob o comando da regente Nailse Cruz e da regente-assistente Maria Fernanda Tavares.

A ideia é formar plateia e apresentar o trabalho realizado pelas equipes musicais da Secretaria de Cultura, de acordo com o coordenador dos Grupos e idealizador deste programa, Roberto Farias. “Reunimos um repertório diferenciado, que traz em seu contexto as mais variadas tendências estéticas. É uma ótima oportunidade das pessoas conhecerem o que os Corpos Estáveis têm realizado”, afirmou.

Desde o início deste ano, os Grupos Artísticos da cidade têm passado por reformulações. Mudanças nos comandos das equipes e na didática musical de programas como o da Banda Escola de Cubatão são apenas algumas das modificações. Essas apresentações gratuitas aos domingos, em espaço de grande apelo popular, como o Anilinas, também integram a lista de novidades.

*Prefeitura de Cubatão