Arquivo da tag: nailse machado

Prefeitura de Cubatão oficializa Coral dos Servidores

Por Melchior de Castro Jr.

O Coral dos Servidores Municipais de Cubatão, criado em 2009, agora ganhou o status de oficial a partir de decreto do prefeito Ademário Oliveira. A intenção é ampliar a oportunidade de participação: agora, funcionários das autarquias (CMT, Caixa de Previdência, por exemplo) e servidores da Câmara Municipal também podem integrar o Coral.

Segundo a regente Nailse Machado, o coral poderá contar com até 50 participantes. “Os cantores serão selecionados entre os servidores da administração direta e indireta. Mas havendo vagas remanescentes, será permitida a participação de pessoas da comunidade”.

Nos ensaios semanais, que acontecem todas as segundas-feiras às 12h no Bloco Cultural, a regente destacou que a música pode colaborar para a socialização e ainda despertar a criatividade. “Também ajuda no fortalecimento de relacionamentos interpessoais no ambiente de trabalho”.

Nailse, que também rege os corais da Alfândega e Municipal de Santos, detalhou que o Coral Municipal Zanzalá de Cubatão oferecerá suporte técnico e administrativo para o novo grupo oficial.

 

Grupos Artísticos de Cubatão reúnem mais de 200 artistas num só palco

Por Morgana Monteiro

Mais de 200 talentos dos Grupos Artísticos de Cubatão sobem no palco do Bloco Cultural do Paço Municipal no próximo sábado (8), às 20 h, em uma apresentação especial. Comemorando o aniversário de Cubatão, 68 anos de emancipação político-administrativa, o concerto reunirá todos os Corpos Estáveis da cidade. A entrada é gratuita e o Bloco Cultural fica na Praça dos Emancipadores, s/nº, Centro (entre a Prefeitura e a Câmara Municipal).

O evento tem início com a Banda Marcial de Cubatão e seu Corpo Coreográfico, interpretando “Olimpic Spirit”, de John Williams e “Ammerland”, de Jacob De Haan, com participação da bailarina Jhully Batista. A Marcial tem regência do maestro Alexandre Felipe Gomes e o Corpo Coreográfico é coordenado por Alessandra Palucci. O Coral Raízes da Serra e suas maduras vozes da Terceira Idade trazem “Azul da cor do mar”, de Tim Maia, sob a regência da Sandra Diogo Moço. A Cia de Dança da Sinfônica levará a premiada coreografia “Implexis”, de Flávia Sá. Com direção artística de Vanessa Toledo, esta montagem foi uma das selecionadas para competir no Festival Valentina Kozlova, em Nova York, em junho deste ano.

A segunda parte do concerto traz a Banda Sinfônica de Cubatão, com regência do maestro Rodrigo Vitta em “Batuque”, de Lorenzo Fernandez. Depois, em parceria com o Coral Zanzalá, a Sinfônica apresenta grandes obras da MPB como “Encontros e Despedidas”, de Milton Nascimento e arranjo confeccionado por Vitta; e “Villa-Lobos Fantasia”, uma composição de Rodrigo Vitta. O Zanzalá contará com regência de Nailse Machado e Maria Fernanda Tavares.

A noite musical será encerrada com “Fantasia Sinfônica Cubatão 2001”, de Roberto Farias. Participam desta obra, além da Banda Sinfônica de Cubatão, Coral Zanzalá, Corpo Coreográfico da Marcial, Grupo Rinascita de Música Antiga – sob a direção artística de Fabrício Leite e o Coral Infantil do Programa BEC, com orientação dos monitores Alessandro Inácio, Ruth Menezes e Alessandra Silva. Regência de Rodrigo Vitta. O músico Thiago Bilú – que já foi integrante da Sinfônica, da Marcial e monitor do Programa BEC e hoje é trompista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) – fez questão de participar da apresentação, como convidado.

Criada no início dos anos 2000, a “Fantasia Sinfônica” retrata, por meio da música, as artes em todos os seus segmentos, que se entrelaçam à história de Cubatão. “São momentos diferentes desta ‘fantasia sinfônica’ que nos leva a viajar por Cubatão e todos esses meandros artísticos que compõem tão bem nossa identidade”, disse o maestro, que hoje é coordenador geral dos Corpos Estáveis, filho de Cubatão, fundador da Banda Sinfônica (na época em que ainda era Banda Musical) e prolífico compositor.

Com esta apresentação, os Grupos Artísticos celebram a cidade de Cubatão e a Arte tão presente na vida do município. “Os Corpos Estáveis são bens culturais, bens da comunidade cubatense. A arte que produzimos é para nossos moradores. Tudo o que produzidos, ensaiamos com afinco e apresentamos com excelência pode ser resumido em um sentimento: gratidão. Gratidão à nossa cidade que nos acolhe e à comunidade que sempre nos prestigia”, completa Roberto Farias.

 

Coral de Santos se apresenta no Cais Milton Teixeira

Por Secult Santos

O Coral Municipal de Santos se apresenta nesta sexta-feira (16), a partir das 20h30, no auditório do Centro de Atividades Integradas (Cais) Milton Teixeira (Av. Rangel Pestana, 150, Vila Mathias). A performance tem entrada franca.

O programa é uma homenagem aos 100 anos do samba, com canções como ‘Feitiço da Vila’ (Noel Rosa), ‘Sem Compromisso’ (Geraldo Pereira e Nelson Trigueiro), ‘Deixa a Menina’ (Chico Buarque) e ‘Samba do Arnesto’ (Adoniran Barbosa), entre outras.

A noite também tem participação especial do Coral da Alfândega do Porto de Santos, que apresenta sambas de Chico Buarque: ‘Samba do Grande Amor’, ‘Samba de Orly’, ‘Amor Barato’ e ‘Roda Viva’.

Os coros serão acompanhados por Bruno Felix (piano), Paulo Januário e Miliko San (percussão) e Joacir Leite (expressão cênica). A regência é de Nailse Machado e Fernando Pompeu. Mais informações pelo telefone 3202-3570. O Coral Municipal de Santos é um Corpo Estável da Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

 

Coral Zanzalá canta e homenageia Gilberto Mendes nesta sexta-feira

Por Morgana Monteiro

O Coral Zanzalá um dos grandes mestres da música no Brasil na próxima sexta-feira, dia 11/10. O Grupo Artístico participa do 1º Encontro Coral Gilberto Mendes e sobe ao palco do Centro de Atividades Integradas de Santos, o CAIS, a partir das 20h30. Zanzalá se apresenta com os Corais Municipais de Santos e Guarujá, e Madrigal Ars Viva.

Para este encontro, o Zanzalá preparou um repertório recheado de MPB: Paisagem na janela, de Beto Guedes; Sabiá, de Tom Jobim; Louva a Deus, de Gilberto Gil, entre outras canções. Do mestre Gilberto Mendes vai interpretar Inspiração. No fim do encontro, todos os coros se juntam para cantar 24 de Dezembro, composição de Mendes.

Para a regente do Zanzalá, Nailse Machado, “é uma grande alegria celebrar a obra de Gilberto Mendes que deixou um legado espetacular para todos nós, músicos”.

 

Maestrina Nailse Machado vai à 1º Simpósio Latinoamericano de Mulheres Regentes

Por Morgana Monteiro

Nailse Machado, maestrina do Coral Zanzalá de Cubatão’, é uma das convidadas do I Simpósio de Mulheres Regentes que reunirá profissionais de toda a América Latina nos dias 15 e 16. Nailse é reconhecida como uma das mais importantes regentes de canto coral do Brasil e participa das discussões, sendo responsável por ajudar na elaboração das propostas que surgirão dessa reunião, no último dia de debates.

O simpósio acontece na Sala do Conservatório, na Praça das Artes, na Capital, e é o primeiro do gênero a reunir regentes brasileiras e de pelo menos outros 19 países. Além de discutir assuntos relevantes como a desigualdade no mercado de trabalho, proconceito e discriminação, desafios femininos atuais, recentes conquistas das mulheres regentes, melhoria de oportunidades profissionais na última década, o evento pretende também mapear as profissionais atuantes no Brasil e exterior.

“Esta primeira discussão sobre o tema mostra uma realidade enfrentada por nós e comum a praticamente todas as mulheres em suas diferentes profissões. Apesar de nossa qualificação e experiência serem iguais ás de nossos colegas, ainda temos salário menor e menos benefícios. O objetivo desse encontro é fortalecer nosso vínculo e apontar caminhos e soluções por melhores condições de trabalho”, afirma Nailse.

A maestrina tem um cotidiano movimentado e, como vários artistas país afora, participa de vários grupos artísticos: além do Coral Zanzalá, também dirige os Corais da Alfândega do Porto de Santos, o Municipal de Santos, o dos Servidores Municipais de Cubatão, e é diretora cênica da Companhia Teatral Cenicomania.

Mais que um simpósio, um movimento pela igualdade

O Simpósio Mulheres Regentes é uma iniciativa das regentes brasileiras Claudia Feres, Erica Hindrikson, Ligia Amadio e Vania Pajares e tem o objetivo de discutir o papel da mulher no mercado da música de concerto, buscando identificar os principais problemas enfrentados e, ao mesmo tempo, apontar caminhos.

“Infelizmente, estamos sempre na berlinda por sermos mulheres. Queremos discutir assuntos relevantes para o nosso ofício, promovendo um amplo debate, criando uma rede de mútuo apoio”, disse a regente Ligia Amadio, que hoje atua em orquestras no exterior.

“Mais que um simpósio, é um movimento que pretende ter ação permanente, até que não mais surja a pergunta: por que há tão poucas mulheres regentes? Em prol do Movimento Mulheres Regentes, foram realizados em agosto, setembro e neste mês diversos concertos, para divulgação e conscientização da importância e necessidade dessas ações”, completou Ligia.

O Coral Zanzalá dedicou a esse simpósio o concerto que fez em setembro, no Cais de Santos. Informações sobre o evento e inscrições podem ser obtidas pelo site http://www.mulheresregentes.org.

Festival Música na Serra começa nesta semana em Cubatão

Música de boa qualidade, dança, palestras motivacionais e que destacam a importância da música no processo educacional: são apenas alguns dos destaques do Festival Música na Serra, organizado mais um ano pelo Programa Cubatão Sinfonia. Desta vez será de 5 a 8 de julho, na sede do Programa (Av. Principal, 1016), na Cota 200.

2O destaque vai para a presença do professor de Música da USP, Diósnio Machado Neto que abordará o processo de criação e interpretação musical. Porém, as atividades têm início no dia 5 de julho. Às 10h haverá palestra que abordará a importância de se cuidar da voz. Quem ministra é a coordenadora pedagógica do Cubatão Sinfonia, Daniela Martins, que também é cantora do Coral Zanzalá.

Após, tem apresentação dos alunos de canto, piano e flauta com o tema “Músicas Brasileiras”, com coordenação das monitoras Ruth Fernanda e Daniela Martins. Destaque, ainda, para a performance “Blues em nota Si”, dos alunos de Metais e Musicalização Infantil, com monitoria de Geraldino Mattos.

No período da tarde, às 15h, tem palestra sobre a importância da dança na formação da criança com o professor André Santos. Depois, tem apresentação de dança com as alunas do Programa Banda Escola – BEC com as coreografias “Forrozeando” e “Dublo feeling”. Também terá apresentação dos alunos de Metais do Cubatão Sinfonia e de Musicalização Infantil.

3No dia 6 tem palestra às 10h com o tema: Instrumentos de sopro: manutenção e saúde ministrada pelo professor Alexandre Blume. Logo após, concerto do Trio de Clarinetes e Flautas Transversais, e apresentação dos alunos de Clarinete do Cubatão Sinfonia sob coordenação de Alexandre Blume e Marcelo Jesus. Às 15h, palestra da assistente social Maria Socorro Bezinelli sob a ótica “Organização familiar em análise”. Haverá apresentações com temas de músicas eruditas e populares dos alunos de saxofone, percussão e violão sob coordenação de Mirailton Fausto, Fabrício Leite e Marcio Lopes.

4No penúltimo dia do evento, 7/7, tem palestra no período da manhã, às 10h, com o tema “Cordas dedilhadas de ontem, hoje e sempre” com Fabrício Leite. Na sequência, os alunos de violão realizam audição mostrando tudo o que aprenderam neste primeiro semestre. Às 15h30 haverá apresentação do Madrigal do Coral Zanzalá com regência de Nailse Machado.

0O último dia do Festival tem como principal destaque a palestra “A música que se toca é a música que se pensa”, com o professor doutor Diósnio Machado Neto, professor titular da Escola de Comunicação e Artes – ECA da USP. Será às 14h. Mas antes disso, no período da manhã tem debate sobre a Influência da televisão com o professor Mirailton Fausto e a palestra “Fino trato” com o monitor Marcio Lopes. Para encerrar as atividades de 2016 tem apresentação do Grupo Ritmo e Sons, formado pelos alunos do Programa Cubatão Sinfonia.

Para Leandro Sampaio, coordenador geral do Cubatão Sinfonia, o Festival Música na Serra é uma grande ferramenta para motivar os jovens artistas a continuarem neste caminho. “Por ser realizado na sede do Projeto, que funciona em plena Cota 200, optamos por este nome. Já realizamos o Música na Serra há pelo menos quatro anos e a cada oportunidade, vamos firmando os laços dos alunos com o Programa e dando a oportunidade para que eles ampliem sua visão acerca da arte”, comentou.

O Cubatão Sinfonia foi criado em 2007 pela Associação de Músicos da Banda Sinfônica da cidade. Durante todos esses anos, atendeu crianças, adolescentes e jovens das Cotas e outros bairros próximos. Em 2010, o Projeto obteve a chancela da UNICEF ao ser semifinalista do Programa Itaú Cultural. Os alunos aprendem música e dança no contra turno escolar.

*Morgana Monteiro

 

Banda Sinfônica de Cubatão estréia ‘Série Concertante’ no dia 21

A Banda Sinfônica de Cubatão inicia uma nova fase profissional este mês. O maestro Rodrigo Vitta assumiu o grupo e rege a Banda no próximo dia 21 com a “Série Concertante”. Será a partir das 20h, no Bloco Cultural (Pça. dos Emancipadores, s/nº). A entrada é gratuita.

Esta é a estréia de gala do maestro e traz um repertório erudito de excelência: “Fanfarra para um Homem Comum”, de Aaron Copland. Trata-se de uma obra curta, mas com uma melodia e uma sequência que prende o espectador, destilando grandes emoções patrióticas. O norteamericano Coopland é um importante compositor para a cena musical do século XX, especialmente pela criação de trilha sonora de filmes. Seu flerte com o jazz é expresso em suas canções.

Os instrumentistas também interpretarão “Nessum Dorma”, de Giácomo Puccini. A tradução literal do italiano é “Ninguém durma”. É uma famosa ária da ópera Turandot, escrita em 1926 por Puccini. Refere-se à proclamação da princesa Turandot, determinando que ninguém durma: todos devem passar a noite em claro, tentando descobrir o nome do príncipe desconhecido, Caiáf, que aceitou o desafio.

Os músicos da Sinfônica juntam-se aos cantores do Coral Zanzalá em “Brindisi” da ópera La Traviata, de Giuseppe Verdi. Baseada no romance A Dama das Camélias, de Alexandre Dumas, a ópera estreou em 1853 e continua atual. A participação do Zanzalá nesta peça destaca a diversificação do repertório da Sinfônica e do Coral e a excelência do trabalho realizado pelos artistas.

Para encerrar a “Sinfonia nº1”, do brasileiro Edmundo Villani-Côrtes. Premiado pela qualidade, respeitado pela flexibilidade e adorado pela simpatia, o compositor Edmundo Villani-Côrtes é, atualmente, um dos principais compositores de nosso país. Dono de um acervo composicional de mais de 300 obras escritas para instrumentos solistas, canto solo, coro, conjuntos de câmara, banda sinfônica e orquestra sinfônica, Villani-Côrtes deve estar presente neste concerto, segundo o maestro Vitta. “Será um grande prazer receber um dos principais nomes da música erudita no País”, disse.

Autoestima

As mudanças no comando da Sinfônica vem em tempo oportuno. Depois de mais um ano sob comando interino, a força de um regente de experiência vem somar ao dia a dia dos músicos da Banda. “O elenco é ótimo e minha ideia é avançar em qualidade por meio do repertório, do desafio de apresentar concertos diferenciados e tocarmos em lugares diferentes, fora do circuito do litoral, inclusive”, explica Rodrigo. No fim do ano, a previsão é apresentar uma ópera, também em parceria com o Zanzalá.

Aliás, a história de Vitta com a cidade de Cubatão começou ano passado, quando, em uma parceria com o próprio Zanzalá, o coral apresentou partes de uma ópera de autoria do maestro paulistano. “A experiência foi incrível. Além de ser um grande regente, Vitta é um compositor de primeira qualidade. Tenho certeza de que ele traz vida nova à Banda”, opina Nailse Machado, regente titular do Coral Zanzalá.

*Morgana Monteiro