Arquivo da tag: nildo ferreira

MISS realiza sessões com filmes contemplados pelo Facult

Por Prefeitura de Santos

Localizado no Centro de Cultura Patrícia Galvão (Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias), o Museu da Imagem e do Som de Santos – Miss é um dos equipamentos culturais da Cidade que recebe trabalhos de produtores audiovisuais da região.

Nos próximos dias, a Sala de Projeção Chico Botelho, no Miss, recebe as projeções de três produções contempladas pelo 6º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes do Munícipio de Santos, o Facult.

A agenda tem início nesta sexta-feira (8/fev), às 19h, com a obra ‘Ofício: Estudo 9/1’, de Juliana França. O trabalho une as linguagens de dança e vídeo, registrando as reações e opiniões de nove profissionais de diferentes áreas enquanto assistem uma coreografia.

Já na próxima quinta-feira (14/fev), a partir das 18h30, é a vez de duas grandes histórias santistas ganharem projeção nas estreias dos documentários ‘The Pink Panther Boite’, dirigido por Kauê Nunes Melo, e ‘Dudu do Gonzaga’, com direção de Nildo Ferreira.

O primeiro filme traz depoimentos de personagens que frequentaram a singular boate dos anos 1980, localizada em frente à Praia do José Menino. Considerado por muitos a joia do entretenimento adulto na Cidade, o ambiente era visitado por casais, famílias que iam jantar e assistir espetáculos musicais, stripteases e shows eróticos. Além disso, o palco da boate abriu espaço para várias estrelas transexuais da época, como Gretta Star e Roberta Close.

A segunda produção fala sobre a vida de Luiz Eduardo D’Agrella Teixeira, o Dudu do Gonzaga. Um dos personagens mais famosos da Cidade nas décadas de 70 e 80. Homossexual assumido, ele enfrentou preconceito e fez história pelo seu comportamento extravagante e inusitado. Pessoas que conviveram com Dudu revelam suas histórias e fotos. O documentário ainda lança um questionamento sobre a sua morte.

 

Antiga Casa Anchieta sedia exibição de ‘Era o Hotel Cambridge’

Informações do Curta Santos

O novo longa metragem de Eliane Caffé, ‘Era o Hotel Cambridge’, será exibido nesta segunda-feira (20/nov), a partir das 19 horas, na antiga Casa de Saúde Anchieta, local conhecido como epicentro da luta antimanicomial. Atualmente, o espaço é ocupado por famílias em situação de vulnerabilidade, na Rua São Paulo, 95, Vila Belmiro.

No filme, refugiados recém-chegados ao Brasil dividem com um grupo de sem-tetos um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Além da tensão diária que a ameaça de despejo causa, os novos moradores do prédio terão que lidar com seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntos a vida nas ruas.

Ainda, também serão apresentados os curtas metragens ‘O Pequeno Monstro’, de Nildo Ferreira e Kauê Nunes, ‘Bola de Trapos’, de Carlos Avalone, ‘O Menino que sabia voar’, de Douglas Alves Ferreira, e ‘O Coração do Príncipe’, de Caya Ryuchi.

Mostra das Minas e Curta Santos fazem edição especial no domingo

Informações de Mostra das Minas e Curta Santos

A Mostra das Minas realiza uma edição especial em parceria com o Curta Santos – Festival de Cinema de Santos. Juntos, apresentam curtas e longa-metragem de modo gratuito na Praça Nagasaki (ao lado do Mercado Municipal) neste domingo, a partir das 20 horas. A sessão conjunta tem 2h20 de duração.

A princípio, acontece a exibição da matinê com ‘O Pequeno Monstro’, ficção santista de Nildo Ferreira e Kauê Nunes. Em seguida, ‘Bola de Trapo’, animação santista de Carlos Avalone, ‘O Menino que sabia voar’, animação paulistana de Douglas Alves Ferreira, e ‘O Coração do Príncipe’, outra animação paulistana, assinada por Caya Ryuchi.

Na Mostra das Minas, há o documentário de Nana Della Gatta e Julia Bergmann, ‘De vez em quando sou marrom’. Na obra, um morador inusitado do centro de São Paulo que se torna o elo de ligação entre pessoas de origens diversas, dá exemplo de amor e amizade.

Também será apresentada ‘Próxima’, ficção de Luiza Campos. Na telona, aos doze anos, Carol percebe que o mundo ao seu redor está muito parecido: suas tias e primas, as amigas da escola, as mulheres nas lojas, as cantoras da internet, todas estão com o cabelo liso. Menos ela.

Precisamos falar do assédio

Por fim, ocorre a sessão de ‘Precisamos falar do assédio’, longa de Paula Sacchetta. No documentário, durante a semana da mulher, uma van-estúdio parou em nove locais em São Paulo e no Rio de Janeiro. O objetivo era coletar depoimentos de mulheres vítimas de qualquer tipo de assédio. Ao todo, 140 decidiram falar.

São relatos de mulheres de 14 a 85 anos, de zonas nobres ou periferias das duas cidades, com diferenças e semelhanças na violência que acontece todos os dias e pode se dar dentro de casa, em um beco escuro ou no meio da rua, à luz do dia. No filme, temos uma amostra signicativa, 26 deles.

Nos depoimentos puros, sem qualquer tipo de interlocução ou entrevista, acompanhamos um desabafo, um momento íntimo ou a oportunidade de falarem daquilo pela primeira vez. Após os filmes, o encerramento será com o Coletivo Futuráfrica.

 

Conheça os 30 projetos selecionados para o 6º Facult de Santos; acesse a lista

Por Lincoln Spada | Foto: Garrafada

A lista de contemplados do 6º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes do Município de Santos, popularmente chamado de 6º Facult, foi publicada nesta última quarta-feira (dia 1º). Ao contrário do último concurso que contou com 166 inscrições, a atual edição voltou a ter a média de 80 projetos. Foram 79 inscritos, 30 selecionados no valor de R$ 12 mil e três inabilitados seguindo as regras do edital.

> Acesse aqui a listagem completa

Com nove projetos contemplados, o audiovisual corresponde a quase um terço dos selecionados: ‘Você só dá aula?’ (Caroline Fernandes de Abreu), ‘Cavendish – Invasão à Vila de Santos’ (André Luiz Alonso de Assis), ‘Pink’ (Kauê Nunes), ‘Pescadores de Palavras’ (Marcelo Rayel), ‘Dudu do Gonzaga’ (Nildo Ferreira), ‘O caos no céu cinza’ (Eugênio Martins Jr.), ‘Oficina olhar documental: criação prática de documentários’ (Douglas Casari), ‘Por dentro da curva’ (Nathalia Rodrigues dos Santos Melo) e ‘História oral da gente de Santos’ (Camila Genaro).

Na área literária, foram contemplados seis projetos ‘Nas Pistas de uma construtora de sonhos – A vida e obra de Rosinha Mastrângelo’ (Karime Moussalli), ‘Poleiro de pato é terreiro’ (Renê Rivaldo Ruas), ‘Adeus velho partidão’ (José Luiz Tahan), ‘Territórios invisíveis’ (Goldschmidt Freire de Carvalho), ‘Alguém disse cultura’ (Adilson Félix, enquanto livro fotográfico), ‘Joris: o pirata holandês em busca do tesouro perdido’ (Carolina Cruz Gonzalez).

Outras seis obras também foram selecionadas no setor musical ‘Canções de Terra Mar’ (Júlio Bittencourt), ‘1º Álbum Musical’ (Conrado Pouza), ‘Hip Hop resiste na escola’ (Talita Fernandes), ‘Komboio Cultural’ (Alan Plocki), ‘Chorando por aí’ (Nadja Soares) e ‘Canções de Amor Caiçara B – Enquanto Morro e Cais’ (Manoel Herzog). Já nos segmentos de teatro e circo, ‘Uma Temporada na Zona’ (Priscila Ribeiro) e ‘Uma Bella Companhia’ (Plínio Augusto). Na área da dança, ‘Ofício’ (Juliana França) e ‘TraMar’ (Célia Faustino).

Ainda, em artes visuais, ‘O Instituto São Vladimir e a presença russa em Santos pela voz dos imigrantes’ (Maria Paula Guerra Ferreira), a intervenção urbana ‘Urbotopia e os mobiliários afetivos’ (Marília Jordão) e, destacam três mostras contempladas nesse edital: ‘Festival de Artistas de Rua de Santos – Orquestra na Rua’ (Vitor Gomes de Andrade Silva), ‘7º CulturalMente Santista’ (André Azenha) e ‘2º Mini Festival de Garrafada’ (André Rigotto).

 

Nath Mendes Ribeiro canta no projeto Andança neste dia 29

Por Betinho Neto

A atriz, DJ e vocalista no Acústico Dellas, Nath Mendes Ribeiro, interpreta Clementina de Jesus em show neste domingo (29/jan), às 17h, na Casa Velha de Santos (Bulevar Othon Feliciano, 10). Dentro da nova temporada do projeto Andança, o couvert artístico é de R$ 10.

Nath Mendes Ribeiro já cantou em diversos espetáculos, musicais e teatros da região e capital. Seu show “Especial Elis”, onde cantou grandes sucessos da cantora, foi um marco em sua carreira como intérprete.

Quem comanda a playlist do evento é você através da nossa lista do Spotify é você, acesse o link: https://goo.gl/g35gZy, siga a playlist e acrescente as suas músicas preferidas para que a gente possa toca-las!

Samba da minha vida

Uma serie de chamadas promocionais para o Andança estão sendo pensadas quem participa é a Dose de Inspiração com Nildo Ferreira e Nilton Ferreira. A ideia é que todas as mulheres possam falar qual a sua relação com o samba e o qual importante ele é. Quem continua a frente dos teasers da página do projeto é Fabiano Keller.

A realização é do QG Sanatório. Apoio: Nita Alimentos – Moinho Paulista, Casa Velha, Casarão Santa Cruz Espaço de Arte, Corisco Mix e Noise Coletivo. Colaboração: Matrix, Analu e TopGames.

 

Casarão Santa Cruz recebe show de Strada9Zero e mostra de curtas

O Casarão Santa Cruz (Rua Almeida de Moraes, 45/Santos) recebe nesta sexta-feira (dia 19), às 22 horas, a banda Strada9Zero. No show, o grupo tem a proposta de resgatar no seu repertório as músicas que agitaram as rádios de rock e pop nos anos 90. Ingressos a R$ 15.

Com Glauber Albino (voz), Adriano Afonso (guitarra, violão e voz), Guilherme Herzog (bateria e voz) e Felipe Bandeira (baixo e voz) a banda formada em 2015 leva aos palcos toda a variedade de estilos e sonoridades que existem dentro do rock e do pop dos anos 90.

A noite ainda conta com uma mostra de curtas-metragens: ‘Sutura’ (de Larissa Melo), ‘Angmínia’ (Lucas Morone), ‘Super’ (Ricardo Bueno), ‘Convívio’ (Bruno Arrivabene) e ‘Diálogos de Bares’ (Nildo Ferreira).

*Casarão Santa Cruz

 

Torto MPBar recebe festa ‘Andança’ nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira (16/jun), a partir das 22 horas, no Torto MPBar, acontece a nova edição da festa ‘Andança’, com show de Anderson Borges e banda. Também conduzirão a festa os DJs por um dia Luane Carvalho Fratelli e Nildo Ferreira. O evento é uma realização do QGSanatório, parceria do CoriscoMix. TortoMPBAR e Casarão Santa Cruz e Noise Coletivo. Apoio de DJ Milla Eventos e Nas Ruas de Santos.

‘Andança’ é uma festa que homenageia grandes autores e interpretes brasileiros, o nome pretende unir a ‘dança’, com o ‘andar’, com a festa toda, um local para reviver, revigorar, comemorar, reinventar. A festa tem entrada a R$ 15 no Torto MPBar (Av. Siqueira Campos, 800/Santos).

*Betinho Neto