Arquivo da tag: pai

Gibiteca tem bate-papo sobre quadrinhos ao ritmo de jazz

A Gibiteca Municipal de Santos ‘Marcel Rodrigues Paes’, localizada no Posto 5, na orla do Boqueirão, realiza no próximo dia 30, a partir das 17h30, lançamento coletivo com bate-papo, autógrafos e música. Participam da atividade Rafael Moralez, Caeto Melo, Tiago Judas e Renato Machado. Na ocasião, o grupo ‘Orquestra Sonora do Homem Polvo’ anima o público com repertório de jazz e bossa nova.

Rafael Moralez é formado em Filosofia e durante anos produziu o fanzine ‘Produto do Ócio’, publicação ainda ativa, com edições esporádicas. Também lançou dois livros de história em quadrinhos. Já Caeto Melo é o autor de ‘Memória de Elefante’, relato autobiográfico que levou quatro anos para ser feito.

Abordando das dificuldades que enfrentou quando chegou a São Paulo até momentos delicados, como a luta de seu pai contra a AIDS, também traz o relato das dificuldades enfrentadas por quem deseja fazer quadrinhos no Brasil. Caeto foi editor, junto com Ulisses Garcez, do fanzine Sociedade Radioativa.

O artista plástico e ilustrador Tiago Judas é eclético e, por isso, manifesta-se por meio de fotografia, vídeo, instalações e histórias em quadrinhos, uma constante em sua produção. Com uma opção por temas sérios e reflexivos, Judas é colaborador em publicações como as revistas Trip, Vida Simples, Caros Amigos e Jornal Folha de S.Paulo.

Outro participante é o cartunista carioca Renato Machado, que já publicou seus trabalhos em jornais como Gazeta Mercantil, Diário de São Paulo e Jornal do Brasil. Atualmente trabalha para o Jornal Extra, do Rio de Janeiro, e está lançando a revista independente de humor ‘Uma Coisa’.

A Gibiteca, equipamento da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), fica no Posto 5, na orla do bairro Boqueirão, em frente à Rua Oswaldo Cruz. Mais informações pelo telefone 3288-1300. Entrada franca.

*Prefeitura de Santos

 

Virada Cultural Paulista 2015: Programação em Santos

Santos recebe nos próximos dias 30 e 31 a programação da Virada Cultural Paulista 2015, que terá atividades no Museu da Imagem e do Som (Miss), Teatro Guarany, Sesc-Santos, Concha Acústica Vicente de Carvalho, Gibiteca Marcel Rodrigues Paes (que será reinaugurada para o evento) e na tradicional Praça Mauá, no Centro Histórico. A Mauá recebe no sábado (30) shows de Music Box (19h30), Trio Sinhá Flor (21h), Mariana Aydar (22h30) e Moraes Moreira (23h59). Já o domingo (31) traz Leões de Israel (15h30), Mustache & os Apaches (17h) e Nação Zumbi (18h30).

> Confira a Virada Cultural em outros municípios

Miss

O Museu da Imagem e do Som de Santos, que fica no piso térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão (Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias), oferece no sábado (30), às 18h, sessão do filme ‘Elsa & Fred – Um Amor de Paixão’. Na comédia dramática dirigida por Marcos Carnevale, uma coprodução entre Espanha e Argentina, Alfredo (Manuel Alexandre) tem 78 anos e vive sozinho desde que sua esposa faleceu, há sete meses. Bastante melancólico, ele se muda para um apartamento alugado por sua filha, Cuca (Blanca Portillo). Não demora muito para que conheça sua nova vizinha, Elsa (China Zorrilla). Classificação: 12 anos.

04No domingo (31), às 16h, a fita em cartaz é ‘A Viagem de Chihiro’. A animação, com direção de Hayao Miyazaki, conta a história de uma garota de 10 anos que acredita que todo o universo deve atender seus caprichos. Ao descobrir que vai se mudar, ela fica furiosa. Na viagem, descobre um mundo fantasma, povoado por seres estranhos. Livre.

O Miss também abriga a exposição ‘Moda & Diversidade’, que integra a ‘Sansex – Mostra da Diversidade Sexual de Santos’. Com 34 imagens e curadoria de Paulo Borges (um dos criadores da São Paulo Fashion Week), reúne fotografias de casais heterossexuais e homossexuais, além da transexualidade, para tratar de temas universais.

Teatro Guarany

02O Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro) recebe stand-up, circo, peça teatral e a abertura oficial da Virada na Cidade, marcada para as 18h30 de sábado (30). Às 19h, o destaque é o espetáculo ‘A Mais Forte’, adaptação do texto de Strindberg, com atriz e diretora Christiane Tricerri. Em cena, duas mulheres travam um duelo pelo homem amado, pelo mesmo teatro e pelo mesmo personagem.

Ainda no sábado, às 23h, o palco recebe o stand-up do humorista e diretor Fernando Strombeck. O espetáculo solo reúne seus melhores textos, escritos ao longo de mais de sete anos de trabalhos com humor. Já no domingo (31), às 14h, o destaque é a apresentação circense ‘Altos e Baixos’, da Cia. dos Palhaços, que conta a história dos palhaços Sarrafo e Tinoca, que passam por uma crise de relacionamento.

Sesc-Santos

01O Sesc-Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida) recebe espetáculos de dança. No sábado (30), a agenda começa às 18h, com a apresentação ‘Guia Improvável para Corpos Mutantes’, de Airton Tomazzoni. Na sequência tem Jam de Danças Urbanas (18h40), que trabalha estilos como bboying, popping, locking e wacking; o espetáculo ‘Fuso 10’, de Paulo Azevedo; e a Virada Zen (22h), com as bandas Sidarta e Jiva Tribal.

O domingo (31) traz performance de Bárbara Francesquine, Danielle Laetano e Marília Coelho Gotas (10h); o espetáculo ‘Jogos de Transportar’, de Diego Esteves e Fernanda Boff (13h); Dança Circulares dos Povos, com Fátima D’abreu (14h); a oficina ‘Samba de Lá, Samba de Cá’, com Marília Fernandes (16h); e o espetáculo ‘Pai’, de Antônio Nóbrega (18h), que trabalha a imaginação lúdica, ‘brincando’ com saltos, piruetas, giros, gingados, meneios, molejos etc.

Concha Acústica

A Concha Acústica Vicente de Carvalho (orla do Gonzaga, ao lado do Canal 3) recebe no sábado (30), às 19h, apresentação do Maestro Manzione e sua orquestra de violões. Já na manhã do domingo (31), o Projeto Conchinha traz a peça ‘O Meu Navio Também Flutua’, do Grupo Tescom. À noite, a atração é Boy (violão e voz), acompanhado por instrumentistas no baixo e percussão, com repertório que inclui MPB e samba, além de ritmos variados.

Gibiteca

Fechada para reforma em fevereiro, a Gibiteca Marcel Rodrigues Paes, no Posto 5, orla do bairro Boqueirão, reabre neste domingo (31), com diversos eventos que integram a programação da Virada Cultural em Santos. A partir das 15h, o equipamento recebe a exposição coletiva ‘Os melhores do Flexa Arts’; exposição de Gashapon do Animelan; caricaturas ao vivo com a equipe Caricartoon; e Sketchcrawl Santos com o cartunista Osvaldo DaCosta.

Tem também mesa livre de sketch com Sam Coza, Denis Dym, Leandro Henrique Altafim e quadrinistas da região; encontro cosplay com Camila (Michii), K. Misaki, R’yuni Cosplay, Vi Cosplay, Driade Iris, Alexandre Barbosa (Bar), Luiz Felipe e Rodrigo Freire; e tarde de autógrafos com Will Sideralman, João Pinheiro e Wagner Rocha.

*Prefeitura de Santos

 

Sesc Santos abre programação para Virada Cultural Paulista

A Virada Cultural Paulista é realizada pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo em parceria com as Prefeituras envolvidas, com o SESC-SP e com o MIS – Museu da Imagem e do Som, que oferecerá programação especial de acordo com o interesse e especificidades de cada município. Nessa edição, a Secretaria também está buscando ampliar a participação dos municípios na configuração dos palcos internos, com o objetivo de garantir maior visibilidade para a produção local e integrar também os palcos paralelos à programação oficial, tornando o evento cada vez mais abrangente.

O Sesc em São Paulo estará em 11 das 23 cidades que integram a Virada Cultural Paulista. Em Santos, cerca de nove atividades compõe a grade entre os dias 30 e 31 de maio. Toda a programação é gratuita e os ingressos estão limitados a dois por pessoa e podem ser retirados no dia de cada evento, a partir das 10h.

Sábado, às 18h | Guia Improvável para Corpos Mutantes
01A habilidade das crianças em pensar o corpo, reinventando-o, tanto ao representá-lo em desenhos e esculturas quanto ao brincar, facilmente mudando de identidade, de tamanho, de forma, foi ponto de partida para um espetáculo que, através da ideia de manuais e guias com orientações, busca jogar com os sentidos possíveis e criar um universo imaginário e lúdico para o corpo que dança. Seguindo esse caminho, criaram-se artifícios para assumir outros rostos, para reconfigurar o corpo, para mover-se diferentemente… O tema é bastante presente no universo infantil e caro ao grupo, artística e filosoficamente: o corpo como condição de possibilidade de se reinventar. Concepção e direção: Airton Tomazzoni.

Sábado, das 18h40 às 21h | Jam de Danças Urbanas
Improvisação de estilos de Danças Urbanas como o BBoying, Popping, Locking e Wacking.

Sábado e domingo, das 22 às 10h | Workshop Fuso 10
Tensionada a relação corpo-tempo, a ação propõe potencializar uma arte invasiva. Em vez de um corpo descansado, pela manhã, no despertar do dia; um corpo exaurido passa a ser observado e potencializado. Das 22h às 10h do dia seguinte, o criador Paulo E. Azevedo lança experiências para 10 artistas. Dança? Performance? Teatro físico? “Sarau do corpo”? Espaço de sensações? O processo é regido pela música de Filipe Itagiba que atua como DJ E VJ. Sala 32. Seleção Enviar uma carta de motivação ou gravação de vídeo, para o email liliane@santos.sescsp.org.br . O participante deverá ter disponibilidade para participação durante o tempo integral da proposta. Ao término será realizada uma performance na Convivência.

Sábado e domingo, das 22h às 0h30 | Virada Zen – Com Sidarta e Jiva Tribal
02É uma festa fundamentada na vontade de unir diferentes propostas de dança e música em um ambiente de festa e contemplação, ao mesmo tempo em que promoverá o encontro com diferentes culturas. Para compor esta programação, convidamos as bandas Sidarta, – que abrirá a noite apresentando um espetáculo que abrangerá as várias vertentes da expressão musical de parte das filosofias espirituais humanas, composições próprias inspiradas em orações tradicionais e em canções de domínio público, além de arranjos instrumentais que passeiam por diversos estilos: xote, pop, samba ao rock, etc; e a Jiva Tribal – Música Multiétnica Brasileira, que utiliza instrumentos étnicos como o didgeridoo, flauta nativa americana e djembê para criar ritmos que promovem o envolvimento dos sentidos. A performer Poliana Nataraja, apresentará a dança da Alma que manifesta o movimento do Universo em uma experiência sensorial- motora–espiritual; já na apresentação de Marília Fernandes, o arcabouço de diversas culturas do grupo linguístico banto é trazido para o âmbito do festejo.

Domingo, às 10h30 e às 17h | Gotas – Instalação Visual de Dança
Gotas é uma instalação visual de dança. Uma ocupação em que uma lenta e suave criação de imagens através de corpos suspensos, que estão “encausulados” em tecidos, alude à poética do germinar. Um sutil, porém constante e significativo sistema hidráulico rega os performers gota a gota, enquanto estes experimentam o estado de permanência do feto e a plasticidade da placenta, construindo em uníssono poses delicadas que são permeadas por danças minuciosas. Intimista, a dança propõe relações entre o “germe” dos mamíferos e o “útero” dos vegetais, onde seres humanos “brotam e são cultivados” pelo próprio público, que têm a chance de interagir com a instalação. Esta analogia poética entre os sistemas reprodutivos dos seres humanos e dos vegetais proposto pela obra, nasce da reflexão sobre o conceito de textos Védicos que abordam os elementos constitutivos da matéria – o ar, fogo, água, terra e éter – aproximando todos os seres vivos (inanimados ou não) de uma mesma origem em comum. Diretamente conectada à natureza, Gotas é um convite à pausa, ao descanso e transcendência do olhar, para que mesmo em nossa vida urbana, acelerada e desenfreada, sejamos capazes de cultivar/enxergar a humanidade e a dança que está o tempo todo ao nosso redor. Com Coletivo Maya Lila.

Domingo, às 13h | Jogos de Transportar
Jogos de transportar surgiu como um exercício para a pesquisa das possibilidades de equilíbrios entre dois corpos. Nesta intervenção, a artista permanece o tempo inteiro sobre o corpo do parceiro sem nunca poder tocar o chão: os dois se deslocam pelo espaço seguindo sempre esta regra. A pesquisa tem referência no circo e na dança: contato improvisação e equilíbrios acrobáticos. Com Diego Esteves e Fernanda Boff . 50min.

Domingo, das 14h30 às 15h30 | Danças Circulares dos Povos
03Dançar em circulo, dar as mãos, olhar nos olhos, conhecer e viajar a outros lugares e países. Tudo isso é possível através das danças circulares: Peru, Escócia, Inglaterra, Finlândia, Russia, Irlanda, Brasil são alguns dos países por onde esta dança pode levar e ainda ultrapassar fronteiras por meio de músicas, ritmos e gestos característicos que fortalecem o reconhecimento de brasilidade e riqueza cultural. Com Fátima D’abreu.

Domingo, às 16h | Aula: Samba de lá, samba de cá
As diversas culturas do grupo linguístico banto na diáspora nas Américas contribuíram para a formação de um corpo brasileiro. Um exemplo são as palavras disemba, masemba e semba que hoje dão nome genérico – samba – a várias performances afro-brasileiras como o batuque, o coco e o jongo. Essas danças e suas especificidades de jogo serão resgatadas nos corpos dos participantes da oficina. Com Marília Fernandes.

Domingo, às 17h | Sanfonias
“Flor Amorosa”,”Odeon”,“Tico-Tico no Fubá”, “Brasileirinho” são alguns dos clássicos do chorinho brasileiro que integram o repertório do grupo Sanfonias. Há mais de oito anos fazendo releituras de chorinhos tradicionais, a banda foge à formação convencional das antigas rodas de choro, dando destaque especial à sanfona acompanhada de cavaquinho, violão e percussão. Os arranjos proprios do grupo, misturam música latino-americana ao gênero brasileiro. Com Lourdes Degani (sanfona), Nelson Cardoso (percussão), Joãozinho 7 Cordas (violão) e Fabiano Pires (cavaquinho).

Domingo, às 18h | Pai – Direção Antonio Nóbrega

©SilviaMachado/AntônioNóbregaCiadeDança
©SilviaMachado/AntônioNóbregaCiadeDança

Em Pai, Antonio Nóbrega aprofunda sua pesquisa em torno de uma dança brasileira contemporânea resultante do diálogo criativo entre o imaginário corporal popular brasileiro e o universo de procedimentos e princípios técnicos desenvolvidos pela dança ocidental. O espetáculo também traz à tona dois temas que se mesclam: a presença do lúdico e a ausência do arquétipo paterno na arte e cultura brasileiras. A música do espetáculo é uma criação conjunta de Nóbrega com os jovens compositores e músicos Leo Gorosito e Rafael Alberto. A coreografia é uma criação coletiva produzida por ele, sua assistente Letícia Doretto e os demais bailarinos da companhia — Alisson Lima, Antonio Meira, Flaira Ferro, Letícia Doretto, Luciano Fagundes, Maria Eugênia (Marina Abib) e Mika Rodrigues. A Iluminação é de Marisa Bentivegna e os figurinos de Eveline Borges. A direção fica a cargo do próprio Nóbrega.

*Sesc Santos

Elomar e João Omar apresentam show no Sesc Santos

A dupla Elomar e João Omar fazem show no Sesc Santos ,(Conselheiro Ribas, 136 , Bairro Aparecida), neste domingo (1), às 20h com ingresso a partir de R$6. O show “Ensaiando o Riachão do Gado Brado” mostra o companheirismo intimista entre Elomar e seu filho João Omar – compositor, violinista, arranjador e maestro. Dividido em duas partes a apresentação inicia com composições inéditas do artista, como: “Naquela favela” e “Samba do Jurema”, registradas em seu último CD homônimo, já a segunda parte é recheada com canções famosas conhecidas do grande público.

O concerto é também uma despedida de Elomar da fase de canções, uma vez, que após o término de sua turnê, o músico se dedicará apenas às composições de ópera e outros trabalhos com formação de maior porte.

Biografia

Baiano nascido em uma fazenda na cidade de Vitória da Conquista, Elomar, é formado em arquitetura pela Universidade Federal da Bahia. Seu primeiro disco, “Das Barracas do Rio Gavião”, foi lançado em 1972, mas o sucesso concreto como músico veio no final da década de 70, quando resolveu se dedicar de vez ao mundo artístico compondo, interpretando e cantando seus cancioneiros nos palcos de todo o Brasil.sesc1

Inspirado sempre em suas raízes, vindas do sertão brasileiro, teve participação em dois discos históricos para a música popular brasileira: ConSertão, juntamente com Heraldo do Monte, e Cantoria, gravado com Xangai, Vital Farias e Geraldo Azevedo, ambos de 1980.

Circuito Sesc de Música

A apresentação faz parte do projeto “Circuito Sesc de Música” que tem o intuito de difundir trabalhos de relevância artística, fomentar a produção cultural e possibilitar ao público uma aproximação com diversidade da música produzida no Brasil e no mundo.