Arquivo da tag: paixão de cristo

Cubatão terá sessão única da 48ª Encenação da Paixão de Cristo

Por Lincoln Spada | Foto: Márcio Barreto

“Nos palcos, buscamos um Jesus que antes de renascer, enquanto em sua dimensão humana, assuma a tarefa difícil de defender o pleno amor em um mundo tão cruel e de tantas vaidades”, destaca o ator Gabriel Muglia, que interpretará o principal nome da cultura ocidental nesta sexta-feira (dia 14), às 20 horas, na 48ª encenação anual da tradicional Paixão de Cristo. Milhares de pessoas são esperadas na sessão única e gratuita no CSU – Parque do Trabalhador (Rua Salgado Filho, 249, Jardim Costa e Silva). A entrada é pela Rua Cidade de Pinhal.

“Em seu deserto interior, sua solitude, Jesus reafirma a todo momento o Mandamento do Amor. E na Encenação, essa experiência se dá no processo de encontro que ele tem junto aos diferentes núcleos, pautando uma reflexão sobre as diferenças sociais no mundo, e de como acessar o sagrado que habita em nós, encorajando-nos ao amor, ao respeito e à honra”, diz o protagonista, já reconhecido pela Cidade, principalmente pelas crianças. É que atualmente ele faz o papel do professor teatral Tom nas telinhas do horário nobre, em ‘Carinha de Anjo’, na SBT.

No CSU – Parque do Trabalhador, Gabriel dividirá a cena com outros artistas e mais de uma centena de membros da comunidade. De crianças a idosos, de mecânicos a aposentadas, de cozinheiros a estudantes. Para a realização da encenação cristã mais antiga da Baixada Santista, foram dois meses de ensaios e atividades formativas no parque e, aos fins de semana, nas UMEs José de Anchieta e Dilce Ferreira Campos. Enquanto Juliana Sousa assina a direção geral e Emanuella Alves assume a direção cênico-artística, uma equipe de seis arte-educadores sensibilizavam todo o elenco com oficinas formativas.

“Todas essas pessoas passaram os dias vivenciando as artes cênicas com ênfase em consciência e expressão corporal, autoconhecimento, percepção de si no espaço, compreensão de diferentes tempos e tônus em movimentações”, comenta a coordenadora pedagógica da 48ª Encenação da Paixão de Cristo, Barbara Muglia. “A grande potência deste projeto é oferecer aos participantes um despertar para as artes cênicas e reconhecer que todos que estarão naquela arena e nos bastidores são essenciais para contarmos a história de alguém que, independente da fé de cada um, inspira pessoas de todo o mundo”.

Uma das participantes do evento é Solange Pereira, que estará com sua neta se apresentando para o grande público. “Estou realizando um sonho. Sempre quis viver isso, fazer teatro. E fazer junto com a minha neta, com todos vocês, torna tudo ainda mais especial. Nunca esquecerei essa oportunidade”.

A realização do espetáculo é da Associação Incena Brasil, da Criar & Inovar Consultorias e Produções e do Governo Federal via Ministério da Cultura, tendo patrocínio da Ecovias e Elog Logística através da Lei de Incentivo à Cultura, com apoio institucional da Prefeitura Municipal de Cubatão por meio da Secretaria de Cultura.

 

7ª Encenação da Paixão de Cristo é apresentada em Praia Grande

Por Prefeitura de Praia Grande

Um dos espetáculos mais esperados de Praia Grande acontece nesta sexta-feira (14). A 7ª Encenação da Paixão de Cristo será apresentada no Pavilhão de Eventos Jair Rodrigues, às 19h30, com entrada gratuita. A Encenação faz parte do calendário oficial de eventos da Cidade e vem emocionando o público desde sua primeira apresentação. Apresentado ao ar livre em todas as outras edições, neste ano o espetáculo será levado ao Pavilhão para proporcionar mais conforto a moradores e turistas que prestigiarem o evento.

A história do homem que deixou uma mensagem de amor a toda a humanidade é contada através da narrativa da musa Calíope, filha de Zeus, fazendo uma mistura de crenças. De acordo com o diretor e escritor do espetáculo, Rodrigo Pompeu, a Encenação da Paixão de Cristo não é uma peça religiosa. “A história de Jesus Cristo pode ser contada e interpretada de várias formas. Nosso objetivo não é religioso. Pessoas de todas as religiões podem assistir ao espetáculo porque a fé é algo subjetivo. O formato é totalmente lúdico para que possamos passar mensagens de amor e desapego aos bens materiais”.

Rodrigo continua, destacando que o espetáculo é ecumênico e totalmente artístico. “Este ano inserimos a mitologia grega na história, mudando a narrativa, como fazemos anualmente. A morte e vida de Jesus Cristo é contada sempre de uma forma diferente. O enredo é igual, é algo cravado na história. Porém a forma como essa história é contada é o que diferencia a Encenação”.

São cinco palcos no total e mais de 80 atores envolvidos na produção. “A comunidade participa da Encenação há anos. Não são atores profissionais, mas a dedicação é enorme. Todos comparecem aos ensaios, ajudam com o figurino e encaram o trabalho com muita seriedade, tanto que o espetáculo é assistido por centenas de pessoas, todos os anos”, afirma Rodrigo.

Neste ano, a Encenação da Paixão de Cristo terá, além da forte presença da mitologia grega, uma narrativa circular, como conta o diretor do departamento de Gestão Cultural da Secretaria de Cultura e Turismo, Renato Paes. “Começamos o espetáculo com a morte de Jesus Cristo e depois voltamos ao início, culminando novamente com a morte e a ascensão deste que pregou o amor a toda humanidade”.

Segundo Renato, o sucesso do espetáculo está nas narrativas diferenciadas a cada ano, e também na proposta e mensagem principal a ser passada ao público. “Sempre temos novidades em cada Encenação e neste ano não será diferente. Uma musa da mitologia grega fará a narrativa do espetáculo. Isso já mostra que o espetáculo não é religioso e sim uma forma de arte, expressando uma mensagem importante para todos: a morte é a única certeza que temos na vida. Sendo assim, o que você faria com o dia de hoje, sabendo que o que temos é apenas o momento presente?”, finaliza.

 

Tradicional teatro ‘Rua da Amargura’ está em cartaz no Parque Cultural Vila de SV

Tradicional encenação cênica na Baixada Santista, ‘Rua da Amargura’ é a peça do coletivo de artes de São Vicente que apresenta a sua perspectiva sobre os atos que mitificaram Jesus Cristo para todo o Ocidente. O espetáculo estará em cartaz gratuitamente nos próximos domingos (dias 3 e 10), às 20 horas, no Parque Cultural Vila de São Vicente.

Na trama, um grupo circense chega à rua com muita vida, muitas cores e sons: eles contarão uma milenar história, a Paixão de Jesus Cristo. As fitas acompanham o figurino, um plano de fundo colore o cenário, máscaras personificam os personagens, realizando uma mistura de cores, formas e sons para apresentar tal história. “Venha conhecer a tão consagrada história do Salvador, contada de uma forma irreverente e feita para toda a família”, diz a atriz Mireille Oliveira.

Realizada pela Cia Héterus de Teatro, a produção cênica conta com a Cia Os Indesejáveis do Telhado e demais atores da Baixada Santista. A temporada conta com o apoio da Prefeitura Municipal de São Vicente através da Secretaria da Cultura.

*Lincoln Spada

 

Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão será dia 25 de março, no Parque do Trabalhador

Com a participação de 150 atores, entre elenco principal e figurantes, a tradicional Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão será realizada na Sexta-Feira Santa, dia 25 de março, às 20h, no Parque do Trabalhador (CSU). Apresentado ao ar livre, o espetáculo está completando 47 anos, sendo considerado um dos mais antigos do Estado, e integra o Calendário Oficial da Cidade.

Organizado atualmente pela Associação Incena Brasil, o espetáculo foi idealizado em 1969 por um grupo de jovens preocupados em movimentar a cena cultural da Cidade. Com apoio do Cônego Antônio Pedron, da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lapa, e o incentivo da Prefeitura, eles realizaram a primeira encenação naquele ano na Avenida Nove de Abril.

Após essa primeira apresentação foi formado o Centro Organizador do Teatro Amador de Cubatão (COTAC), que por anos conduziu a preparação das encenações, sempre com a preocupação de envolver a comunidade. Nos primeiros espetáculos, um cortejo percorria a Avenida Nove de Abril, onde a cada parada eram apresentadas cenas da Paixão de Cristo. O espetáculo foi crescendo a cada ano e passou a ser encenado em outros pontos da cidade até estabelecer-se no Parque do Trabalhador.

Atualmente, com o advento da tecnologia, recursos técnicos foram incorporados à organização artística e à estrutura cenográfica. Hoje, as vozes dos atores são gravadas em estúdio, assegurando ao público uma maior compreensão do roteiro encenado.

Roteiro

A cada edição a história é contada sob a ótica de outros personagens da época e em circunstâncias traçadas em paralelo à história de Cristo. Em 2015, por exemplo, o roteiro apresentou Jesus – Uma Voz no Deserto. Este ano, a produção terá como tema Jesus – O Verbo que Habita em Nós. O título norteia as pesquisas da criação artística e roteirização promovidas pela atriz e diretora teatral Emanuella Alves que, pelo segundo ano consecutivo, assina a direção artística do espetáculo. “É um espetáculo sensível realizado a céu aberto, que tem como justificativa o significado humano, histórico, simbólico, poético e religioso. E por estas características, tanto a encenação dos atores quanto a estrutura física priorizarão o aspecto natural do espaço”, explica a diretora.

Elenco

Os ensaios para a única apresentação do espetáculo já estão sendo realizados aos finais de semana na UME Padre José de Anchieta. O elenco principal terá a participação dos atores Vidah Santos, interpretando Jesus; Angélica Magenta, como Maria; Cícera Carmo, como Madalena; Carlos Tousi será João Batista; Alex Cruz interpreta Caifás; Fernando Rino será Herodes; e ainda Rosane Paulo (Herodíades); Fábio Prado (Pilatos); Rose Vieira (Claudia) e Renan Martiña (Judas).

A Encenação Paixão de Cristo é uma produção da Incena Brasil, com apoio da Prefeitura de Cubatão, por meio da Secretaria Municipal de Cultura. A entrada para assistir ao espetáculo é um quilo de alimento não perecível.

Serviço:
47ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão
Dia – 25 de março – Sexta-Feira Santa
Horário – 20h
Local – CSU Parque do Trabalhador (Rua Salgado Filho, 249 – Jd. Costa e Silva)
Ingresso – um quilo de alimento não perecível

*Prefeitura de Cubatão

Drama Sacro Paixão de Cristo é encenado sexta em Cubatão

A Encenação da Paixão de Cristo acontece nesta sexta-feira (3) em Cubatão, a partir das 20h. Será no Parque do Trabalhador (Centro Social Urbano), que fica na Rua Salgado Filho, 249, no Jardim Costa e Silva. A entrada é gratuita. Realizado pelo 46º ano, a peça ao ar livre reconta a vida, morte e ascensão de Jesus Cristo.

‘Jesus – Uma voz no deserto’ é o título que norteou as pesquisas da criação artística e roteirização promovidas pela atriz e diretora teatral Emanuella Alves, responsável pela direção geral. O roteiro aborda, através de expressão poética, a trajetória, glórias e conflitos de um dos maiores ícones da História.

O espetáculo será a céu aberto, tendo como justificativa o significado humano, histórico, simbólico, poético e religioso. E por estas características, tanto a encenação dos atores quanto a estrutura física priorizarão o aspecto natural do espaço, criando uma ilusão de deserto habitado pela incompreensão das pessoas, reforçando a humanidade dos personagens e a sua transformação diante dos conflitos apresentados.

A apresentação terá grande infraestrutura de ambientação, iluminação e som, onde as vozes dos atores foram gravadas em estúdio, assegurando uma maior compreensão do roteiro encenado. Também haverá banheiros químicos espalhados pelo espaço para maior conforto do público presente.

Incena Brasil

O espetáculo é produzido pela Associação Incena Brasil. Surgida em 2008 com o objetivo de realizar produções artísticas diversas na cidade de Cubatão, fomenta a cultura local e por cinco anos realiza a produção da Paixão de Cristo.

Em 2013, a entidade firmou parceria com as produções realizadas pela Paróquia Nossa Senhora da Lapa. Para 2015, além do Drama Sacro Paixão de Cristo, a entidade deverá ainda realizar outras produções em conjunto com a Paróquia da Lapa e grupos teatrais de Cubatão e região, como a Cia Carcarah Voador e a Cia Veritas de Teatro.

*Prefeitura de Cubatão

 

23ª Paixão de Cristo estima 10 mil pessoas em SV

Desde há 23 anos, a Paróquia São José Anchieta realiza a tradicional Encenação da Paixão de Cristo, estimando receber 10 mil espectadores na arena montada na Praça 128, no Humaitá. As sessões serão entre sexta e domingo (dias 3 a 5), às 19 horas, com ingressos equivalente a 1 Kg de alimento não-perecível. O evento tem apoio da Prefeitura por meio da Secretaria da Cultura de São Vicente.

Desde janeiro, mais de 200 crianças, jovens e adultos da comunidade passam a se reunir nos ensaios para recontar a celebração mais importante do calendário cristão. “Muitos atores e espectadores se comovem durante as sessões. Não conheciam a história de Jesus e passam até a participar da religião”, comenta o coordenador geral, Eric Torres.

02A Quaresma permeia todo o enredo, desde as tentações de Cristo no deserto até seu julgamento, crucificação e retorno à vida. “Espero que as pessoas compreendam mais a história de vida dele, a causa dele pelo bem ao próximo”, complementa Eric, que revela que neste ano, pela primeira vez o espetáculo contará com troca de cenários no palco.

A infraestrutura montada pela Secult receberá até 3,5 mil espectadores por noite. Os alimentos entregues pelo público serão destinados às cestas básicas para as famílias assistidas pela paróquia durante o ano, por meio da Sociedade São Vicente de Paulo.

*Prefeitura de São Vicente

 

Teatro ‘Rua da Amargura’ reconta Paixão de Cristo em SV

De seu nascimento ao batismo. Da Santa Ceia ao julgamento de Pilatos. E, enfim, a sua crucificação. A bimilenar história da Paixão de Cristo é a narrativa interpretada por mais de 80 atores vicentinos em ‘A Rua da Amargura’. O teatro de rua fará temporada gratuita nesta quinta-feira (dia 2), às 20 horas, em frente ao Lar de Amparo Vovó Valquíria (Av. João Francisco Bendorf, 1555, Cidade Náutica) e de sexta-feira a domingo, no mesmo horário, na Praça Tom Jobim (Gonzaguinha).

“O espetáculo buscou conciliar o universo circense ao enredo bíblico. Os antigos circos sempre realizaram encenações sobre a Paixão de Cristo e, assim, inserimos a linguagem da Commedia Dell’arte. Cada personagem possui um perfil, uma máscara, um modo de andar”, comenta o diretor Rodrigo Caesar.

Ainda, fitas acompanham os figurinos e um pano colore o cenário da peça. “Além deles, a união da música, a criação corporal, a interpretação, os trajes… Tudo gera muita emoção, é esta mistura que dá vida a cena”, complementa Rodrigo. Junto a ele, os assistentes Lucas Magalhães e Anderson Avelino dirigem elencos formados pelas companhias Héterus de Teatro, Os Indesejáveis do Telhado, Tartuffo’s Cênicos, em ensaios e produção realizados por meses no Parque Cultural Vila de São Vicente. O espetáculo tem apoio da Prefeitura por meio da Secretaria da Cultura.

*Prefeitura de São Vicente