Arquivo da tag: parque anilinas

Em parque público, Galpão Cultural é alvo de vandalismo e furto

Por Lincoln Spada | Foto: Douglas Lima

Situado em pleno Parque Anilinas, o Galpão Cultural mal completou dois anos e foi alvo de vandalismo na madrugada de 17/mar. O espaço teve uma janela quebrada por uma rocha e sofreu o furto de um cubo amplificador de som, utilizado para as atividades locais.

Para o site A Tribuna On-Line, a Prefeitura informou que uma porta de trás do galpão foi arrombada, e que a Secretaria de Segurança Pública e Cidadania seguirá apurando o ocorrido. Até o momento, ninguém foi preso.

Com 54 mil m², o Parque Anilinas é gerido pela Administração Municipal e conta também com cinema, escola, playground, clube de férias e sedes administrativas das secretarias de Cultura, de Turismo e do Fundo Social de Solidariedade.

A Prefeitura não respondeu aos questionamentos da Revista Relevo sobre quais serviços de vigilância funcionam no local, se havia registros de outros furtos no parque e que providências seriam tomadas para a segurança do espaço público.

Galpão Cultural

Fruto de empenho de coletivos teatrais da Cidade, o Galpão Cultural foi ocupado e revitalizado em mutirões de jovens artistas que gerenciam o local com biblioteca comunitária, horta e miniauditório e, que, por sua vez, dispõe de cursos e apresentações gratuitas para a comunidade.

O espaço cultural gerido pelos artistas comemora dois anos de atividades em março. Segundo eles, membros do Poder Público sugeriram neste mês que seja transferido para uma biblioteca no Jardim Casqueiro, situação refutada pelos fazedores de arte.

J. C. Serroni é o novo convidado do Ciclo de Estudos do Coletivo 302

Por Lincoln Spada

‘Reflexão sobre cenografia hoje’ é o tema da nova edição do ciclo de estudos do Coletivo 302, no próximo sábado (23/fev), às 18h, com entrada franca no Galpão Cultural (Parque Anilinas, Cubatão). O evento contará com a presença do conceituado cenógrafo, figurinista e arquiteto J. C. Serroni. O ciclo compõe projeto do grupo cênico contemplado pelo ProAC Editais.

Serroni abordará os tópicos do que é cenografia, performance e design. Além disso, a relação da cenografia com as outras áreas do espetáculos (como iluminação e figurino), além de cenotécnica, novas tecnologias e materiais utilizados. Ainda, comentará sobre as possibilidades do mercado de trabalho do setor.

O palestrante é um dos mais respeitados e premiados profissionais do setor. Foi um dos coordenadores do Departamento de Cenografia da Rádio e TV Cultura por mais de uma década e coordenou o Núcleo de Cenografia do CPT – Centro de Pesquisas Teatrais do Sesc SP.

Publicou o livro ‘Teatros do Brasil’ e atualmente coordena os cursos de cenografia e fugirno da SP Escola de Teatro, além de gerir o Espaço Cenográfico de São Paulo, laboratório permanente de reflexão e pesquisa do setor. Em 11 anos, o espaço formou cerca de 200 novos profissionais na área.

 

Oficinas de Teatro do Parque Anilinas abrem novas vagas

Por Lincoln Spada

As oficinas de teatro do Parque Anilinas ganham novas turmas a partir de março. Para diversas faixas etárias, as atividades têm inscrições abertas de 11/fev a 1º/mar, das 9h às 12h e das 14h às 17h, na Casa 1 do Parque Anilinas (Av. Nove de Abril, 2275/Cubatão).

Em uma metodologia que envolve técnicas de expressões vocais e corporais, jogos de improviso e a formação cidadã, a oficina abrange desde crianças de 7 anos e também dispõe de aulas para a terceira idade.

As atividades são ministradas pela servidora pública Vanessa Souza, atriz e diretora teatral que – com suas turmas mais avançadas – já realiza a itinerância de obras infantis em Unidades Municipais de Ensino, conscientizando os estudantes sobre valores de sustentabilidade e respeito ao próximo.

 

Guilherme Bonfanti aborda sobre iluminação cênica no Galpão Cultural

Por Coletivo 302

O Ciclo de Estudos do Coletivo 302 pautará a iluminação na próxima roda de conversa gratuita. O evento aberto à população será mediado por Guilherme Bonfanti e ocorrerá no próximo sábado (26/jan), às 18h, no Galpão Cultural (Parque Anilinas, Centro/Cubatão).

Guilherme Bonfanti é designer de iluminação desde 1988. Com intensa carreira internacional, iniciou sua trajetória no espaço OFF. Atuou com dezenas de diretores teatrais, como Gabriel Villela e Miguel Falabella. Colaborou, também, com diversos cenógrafos, incluindo nomes como Gringo Cardia, J.C. Serroni, Hélio Eichbauer e Marcos Pedroso.

Na arquitetura, esteve ao lado de Isay Weinfeld e Paulo Mendes da Rocha, entre outros. Com Antônio Araújo, fundou o Teatro da Vertigem, ganhando parte de seus inúmeros prêmios. Desenhou luz para óperas e ainda atuou em dança, com os principais coreógrafos do País. Tem atuação destacada nas Bienais de São Paulo (artes visuais).

Trata-se do terceiro de uma série de quatro encontros durante o Ciclo de Estudos do Coletivo 302. A programação compõe o novo processo cênico do grupo cubatense, contemplado pelo ProAC – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo.

 

Mongaguá e Cubatão são palcos da ‘Cinderela Brasileira’ neste verão

Informações da Casa3 | Foto: Rodrigo Montaldi

Uma história tradicional contada de uma maneira inusitada, com muitos causos. Assim é ‘Cinderela Brasileira’, versão do clássico Cinderela que reúne elementos da cultura nordestina. A montagem da Casa3 é co-realizada pelo Governo Estadual via ProAC.

A peça tem texto e direção de Kadu Veríssimo, que, no palco, contracena com Priscila Ribeiro, Zecarlos Gomes, Elias Tomais e Marcelo Wallez. A temporada gratuita nestes próximos dias será dia 19/jan (sábado), às 18h, no Centro Cultural Raul Cortez (Av. S. Paulo, 3465/Mongaguá) e no dia 20/jan (domingo), às 20h, no Galpão Cultural (Parque Anilinas/Cubatão).

Nessa versão que já percorreu 60 municípios com mais de 120 mil espectadores, Cinderela deixa de ser a jovem loura do vestido azul e passa a ser alguém comum, com quem o espectador se identifica. Com intenção de provocar a mudança do olhar, o espetáculo promove a quebra de estereótipo, destacando o conto e a cultura popular.

Na trama, um contador de causos apresenta personagens típicos do sertão nordestino, revelando a história de Cinderela Brasileira, a Gata Cangaceira. O clássico ganha uma nova roupagem e características amplamente conhecidas do nordeste brasileiro como sotaque arrastado, o cancioneiro e o jeito autêntico de um povo festeiro e sonhador.

Parque Anilinas contará com a nova edição da Domingueira

Informações do Galpão Cultural

Situado no Parque Anilinas, o Galpão Cultural por meio de seus coletivos artísticos promovem a nova edição gratuita da ‘Domingueira’ neste 13/jan, das 13h às 21h. O evento contará com bambuchada (interessados tragam suas próprias bexigas), torneio de futebol, banho de mangueira e de baldinho, aula de axé e de lamba aeróbica.

Ainda haverá espaço para escorrega de sabão, acústico de verão como os da MTV e até um espaço moderno para o ‘bronzeamento vai malandra’. A proposta do evento de lazer é justamente reviver situações praianas e da cultura pop, dos anos 90 até os dias atuais, em pleno parque como momento de entrosamento entre jovens.

A setlist contará com os DJs Alisse, Lípari, May & Raflitxx, Transeunte e Perrengues. “Tragam o cooler, o guarda-sol e as cangas”, anotam os produtores do evento. “Só não esquece o protetor solar, as boias infláveis e as toalhas para se secar, além de muita água para se hidratar”.

 

Dia 22 encerram as pré-inscrições para 50ª Encenação da Paixão de Cristo

Informação da Incena Brasil

Este sábado (22/dez) é o último dia de pré-inscrições para quem pretendem participar do grande elenco da 50ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão. O período de inscrições será das 14h às 18h, na Casa 1 (Parque Anilinas, s/nº, Centro).

Interessados não precisam ter experiência anterior. Atores profissionais também podem participar da montagem do espetáculo. A documentação que deve ser entregue é composta de cópias de RG, CPF e comprovante de residência. Atores profissionais também devem apresentar DRT e PIS. Menores de 16 anos precisam estar acompanhados dos seus responsáveis.

Em comemoração aos 50 anos, a Associação Incena Brasil, responsável pelo espetáculo, informou que promoverá mostra fotográfica, lançará livro e realizará encontros sobre a memória da encenação de janeiro a abril, quando também estão programadas oficinas e ensaios. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (13) 99158-9068, com a Rose, e (13) 99760-3881, com a Carla.