Arquivo da tag: proac

Em São Vicente, Secult lança 1º concurso para projetos culturais independentes

Por Lincoln Spada

O primeiro edital público de projetos culturais de São Vicente foi aberto pela Secretaria de Cultura nesta última quarta-feira (13/mar). O concurso foi realizado a partir do convênio entre a Prefeitura e o Governo Estadual por meio do ProAC Municípios no montante de R$ 300 mil. Ao todo, serão 15 projetos contemplados, cada um no valor de R$ 20 mil. As inscrições seguem até 2/mai.

Serão seis montagens e circulações de espetáculos, quatro projetos de festivais de artes, feiras ou exposições itinerantes, um par de projetos audiovisuais, outra dupla de publicações de obras literárias inéditas, além de uma iniciativa que aborde a formação e a arte-educação. A contrapartida são de, pelo menos, uma apresentação pública, prevendo a doação de 5% da tiragem dos livros publicados e a gratuidade no caso de espetáculos, festivais e mostras.

A Secult nomeará uma comissão de seleção de projetos, aos moldes do ProAC, que terá como critérios de avaliação: excelência e relevância artística; experiência dos proponentes; descentralização das atividades; diversidade temática e estética; interesse público; proposta de contrapartida; viabilidade de realização do projeto. O edital prevê que o resultado final seja publicado até a primeira quinzena de julho e o período de contrato e repasse em cota única até setembro.

Os projetos devem ter duração de até 10 meses, podendo ser prorrogados. Interessados devem se inscrever somente como pessoa física ou jurídica (exceto MEI) que comprove residência e atuação cultural há mais de dois anos. Coletivos artísticos e proponentes individuais só podem concorrer com uma única proposta. Os envelopes devem ser entregues pessoalmente em dias úteis, das 10h às 12h e das 13h às 16h, na sede da Secult (R. Tenente Durval do Amaral, 72, Catiapoã). Confira o edital na íntegra aqui.

 

Vem aí o Festival Fluxxo com bandas independentes no Centro de Santos

Por Prefeitura de Santos

A itinerância do Festival Fluxxo chega a Santos para oferecer, entre os dias 18 e 23, programação gratuita com oficina sobre o mercado musical e encerramento com shows de artistas independentes. Contemplado pelo Programa de Ação Cultural (ProAC), o festival, que tem encerramento em Santos, promoveu uma turnê de 19 dias, com cinco novas bandas circulando por cidades paulistas: São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Sorocaba, São José dos Campos e São Paulo.

Um dos objetivos do Fluxxo é reunir profissionais do mercado musical como artistas, produtores, técnicos e comunicadores para se conhecer e trocar ideias e aprendizados. A agenda tem início na próxima segunda-feira (18) com a oficina ‘O Show como Espetáculo’, que traz ao palco do Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico) o músico Maurício Pereira, que fez dupla com André Abujamra no grupo Os Mulheres Negras. Exclusivo para as bandas selecionadas pelo festival, o painel segue até a sexta-feira (22).

No sábado (23), na Praça Mauá, no Centro Histórico, a partir das 20h, é a vez das apresentações do Obinrin Trio, com sua mistura de coco, maracatu e baião; Judas no Deserto, que faz um pop contemporâneo com letras que abordam problemas sociais; Suco de Lúcuma, que mescla nuances de hip hop, neo soul e rock psicodélico à retórica da literatura beatnik. Também tem Sujeito Coletivo, que busca unir letras politizadas e ácidas com uma pegada rítmica e melódica que passa por acid jazz, reggae e trap (vertente do hip hop), e Meire D’Origem, rapper que tem um extenso currículo na cultura de rua.

 

Curso promove laboratório de desenvolvimento de projetos para 8º Facult

Por Madeleine Alves

Muitos têm ideias para trabalhos culturais. Contudo, ao se deparar com um edital em suas letras frias, desanimam de tentar concorrer a um incentivo público. Foi para desmistificar essa sensação e trazer mais bons projetos à vida que surgiu o Curso ‘Facult: do Edital ao Envio’. Ministrado pela realizadora audiovisual e produtora cultural Madeleine Alves, com produção da Amanda Marx Produções, este laboratório visa ensinar ao participante como transformar uma ideia em um Projeto Cultural, com o intuito especifico de participar da seleção do 8º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos que serão premiados pelo Fundo de Assistência à Cultura – FACULT.

Serão 4 (quatro) dias, cada um com 3 horas/aula por dia, em um total de 12 horas/aula, todas realizadas de forma prática e presencial. Nas aulas, os participantes vão estudar o regulamento do 8º FACULT, a fim de que entendam todas as etapas de desenvolvimento do projeto, desde a organização dos documentos necessários até a formatação, aprendendo a elaborar textos que demonstrem os objetivos do projeto, contrapartida, cronograma, planilha orçamentária, entre outros elementos que possam fornecer condições de realizar sua elaboração completa, finalizando com a inscrição.

Durante o curso, teremos também a palestra ‘Experiências na realização de projetos culturais’, com o diretor teatral Platão Capurro Filho, que irá relatar suas experiências na elaboração de projetos, realizados com as mais diversas formas de incentivos. O 8º FACULT é uma ótima oportunidade para profissionais de qualquer segmento artístico que tenham alguma ideia que gostariam de executar e estejam iniciando sua participação em projetos culturais, pois exige uma elaboração mais simples do que as existentes em outros projetos, tais como ProAC e Lei Rouanet.

Vale lembrar que a próxima edição do Facult selecionará 30 projetos e cada projeto selecionado receberá o valor de R$ 15 mil, conforme regulamento. O curso em si será ministrado de 18 a 21/mar, das 19h30 às 22h30, no Espaço Naradeva (R. Siqueira Campos, 618/Santos). O investimento até 22/fev será R$ 100 à vista ou R$ 60 em 2x no cheque ou em até 18x no cartão de crédito, sem incluir juros da operadora. A partir do dia 23/fev, o curso terá o valor de R$ 120 à vista, R$ 70 em 2x no cheque ou ema té 18x no cartão de crédito, sem incluir juros de operadora. Informações: (13) 98151-4979 ou projetofacult2019@gmail.com.

 

Em pleno Gonzaga, Banda Barracos lança disco no aniversário de Santos

Por Sarah Mascarenhas

A união de arte, educação e cidadania, são os pilares que fundamentam este projeto realizado pelo Instituto Arte no Dique. A Banda Barracos é o resultado de uma ação sócio-cultural promovida na periferia de Santos, litoral paulista. A Banda barracos foi premiada pelo Programa de Ação Cultural do estado de São Paulo com o financiamento da gravação do primeiro disco, que apresenta uma sonoridade contemporânea que mescla maracatu, baião ao rock, rap entre outros ritmos.

No dia 26/jan, às 19h, na tenda da praia do Gonzaga (Tenda 2), o público poderá apreciar o show de lançamento do álbum “barracos”, que traz 11 canções autorais, composições de Danilo Nunes, Zelus Machado, Paulo Faria e Edson Cabeça. Há também a releitura da música “Escombros” de Tenilson Del Rey. A Banda barracos convida as crianças da Coletivo Querô para participação na música “Coco de chuva” e o rapper Ice Dee também está entre os convidados.

A gravação do disco da Banda Barracos foi viabilizada através do Programa de Ação Cultural que realiza edital e seleciona projetos que recebem aporte financeiro do estado para sua realização. A gravação ficou sob a tutela de Flávio Medeiros premiado produtor musical, realizada no Teatro Municipal de Santos e quem assina a produção é cavalo de praia. O Projeto barracos foi o único contemplado na baixada santista no ano de 2018, isso significa um reconhecimento artístico e sua relevância social para promoção de melhoria na situação de alguns moradores das palafitas.

A Banda Barracos difunde o pioneirismo de captar e reproduzir a sonoridade de uma das maiores comunidades de palafitas da América do Sul. As letras retratam a realidade dos moradores das periferias e foram escritas sob um olhar crítico sobre as moradias e condições de sobrevivência das tradições culturais das comunidade das palafitas por todo Brasil.

Para os integrantes da banda realizar o show de lançamento do discos nas festividades de comemoração do aniversário é também um sinal de reconhecimento de um trabalho realizado por meses. O disco completo já está disponível em todas as plataformas de streaming e partir de fevereiro o cd estará disponível para venda online.

A Banda

O colorido sonoro da banda Carrossel de Baco, funde-se a percussiva Banda Querô, resultante do trabalho de formação sócio cultural do Instituto Arte no Dique, com influência da cultura baiana, localizado na vila gilda área continental de santos, considerada a maior favela de palafitas do brasil. Trazendo à tona os signos e símbolos musicais oriundos da miscigenação cultural que resultou na formação do povo brasileiro, o projeto barracos promove um olhar crítico às necessidades básicas de moradia e a sobrevivência das tradições culturais presentes nas palafitas e áreas periféricas brasileiras.

As irreverentes projeções especialmente criadas pelo multi-artista Márcio Barreto se somam com a sonoridade contemporânea do dj e as batidas fortes da percussão. a participação do Coletivo Querô, grupo de crianças pertencente ao trabalho de musicalização do Instituto Arte no Dique, trazem para a festa a esperança da transformação social através da cultura.

 

‘Cinderela Brasileira’ leva sessões gratuitas de Bertioga a Santos

Informações da Casa3 | Foto: Rodrigo Montaldi

Uma história tradicional contada de uma maneira inusitada, com muitos causos. Assim é ‘Cinderela Brasileira’, versão do clássico Cinderela que reúne elementos da cultura nordestina. A montagem da Casa3 é co-realizada pelo Governo Estadual via ProAC.

A peça tem texto e direção de Kadu Veríssimo, que, no palco, contracena com Priscila Ribeiro, Zecarlos Gomes, Elias Tomais e Marcelo Wallez. A temporada gratuita nestes próximos dias será na Casa da Cultura de Bertioga (Av. Tomé de Souza, 130/Centro), no Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos) e no Teatro Procópio Ferreira (Av. D. Pedro 1º, 340/Guarujá).

Nessa versão que já percorreu 60 municípios com mais de 120 mil espectadores, Cinderela deixa de ser a jovem loura do vestido azul e passa a ser alguém comum, com quem o espectador se identifica. Com intenção de provocar a mudança do olhar, o espetáculo promove a quebra de estereótipo, destacando o conto e a cultura popular.

Na trama, um contador de causos apresenta personagens típicos do sertão nordestino, revelando a história de Cinderela Brasileira, a Gata Cangaceira. O clássico ganha uma nova roupagem e características amplamente conhecidas do nordeste brasileiro como sotaque arrastado, o cancioneiro e o jeito autêntico de um povo festeiro e sonhador.

 

Em Itanhaém, Praça Ladeira recebe a mostra ‘Arte na Praça’

Por Prefeitura de Itanhaém

Você sabia que em Itanhaém há uma ONG que visa integrar os jovens talentos no mundo artístico? Desde 2014, a ONG Utopus realiza eventos culturais com os jovens pela Cidade. E neste ano, os saraus promovidos pelo coletivo foram contemplados pelo Programa de Ação Cultural (ProAC), uma iniciativa do Governo do Estado.

O lançamento do projeto “Arte na Praça” acontecerá nesta sexta-feira (21), a partir das 18 horas, no palco da Praça Ladeira, no Centro Histórico. O tema do evento é a diversidade e terá apresentações de dança, canto, declamação de poesia e qualquer outro tipo de manifestação artística, pois o palco será aberto ao público.

A Academia Itanhaense de Letras e bandas de outras regiões também terão participação no sarau, que tem programação até às 23 horas desta sexta-feira. Além disso, o evento incluirá todos os públicos, pois uma intérprete de sinais comunitária estará à disposição. Ao todo, serão 15 saraus que rodarão as praças de Itanhaém distribuindo talento e cultura. Este é o primeiro e o último está previsto para agosto de 2019. Confira a programação:

>> 18h | Sarau multicultural aberto
>> 20h | Banda Elize
>> 20h20 | Garagem Sem Teto
>> 21h | RockSing
>> 21h30 | Performance Núcleo LGBTI de Peruíbe
>> 22h | Baobá de Malé (grupo do Quilombo de Peruíbe)
>> 23h | Encerramento com a banda Tripska

 

Na Galeria Braz Cubas, mostra fotográfica registra a identidade do povo brasileiro

Por Secult Santos
.
Viabilizada com recursos captados por meio do Programa de Apoio à Cultura (ProAC), a exposição ‘Retratos Brasileiros: São Paulo’ chega a Santos nesta quinta-feira (9). O evento de abertura ocorre às 19h, na Galeria de Arte Braz Cubas (2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão), com a presença do idealizador e fotógrafo do projeto, Tomás Cajueiro, que participa de bate-papo sobre a experiência de fotografar brasileiros nas 17 cidades do estado por onde o projeto viajou este ano.
.
A exibição pode ser visitada até o dia 30, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h. O Centro de Cultura Patrícia Galvão fica na Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias. A entrada é gratuita. Edição especial, a mostra realizada pelo interior de São Paulo, vem da ideia do projeto ‘Retratos Brasileiros’, que viaja o Brasil e o mundo desde 2014 registrando cidadãos comuns em busca da identidade nacional.
.
Neste ano cerca de 1600 pessoas foram fotografadas. As imagens são acompanhadas de relatos dos personagens, que juntos compõem uma amostra da diversidade do povo brasileiro. Desse universo foram selecionadas as 100 fotos que integram a exposição.
Participações especiais
.
A exposição, que já passou por Sorocaba e Araçatuba, e encerra a temporada em Santos, tem curadoria de Genivaldo Amorim e participação de diversos fotógrafos convidados como Jardiel Carvalho, Erica D. Dezonne, Daniel Arroyo, Rogério Padula, Ciça Gregório e Marcel Pazinatto.
.
Para saber mais sobre os fotógrafos e conhecer todos os personagens do projeto visite o site http://www.retratosbrasileiros.com. Na abertura da mostra será possível adquirir o livro ‘Retratos Brasileiros’ (R$ 25,00). A obra também será comercializada pelo site http://retratosbrasileiros.com/loja/.