Arquivo da tag: sandro bueno

Casa Rasta fará show gratuito na orla santista neste verão

Por Sarah Mascarenhas

Considerada a banda mais emblemática de reggae da Baixada Santista, a Casa Rasta retorna com força total em apresentação no próximo sábado (19/jan), às 20h, na Tenda Verão 1 (Praia da Pompeia). Nesta apresentação, a banda mostrará novas canções que estarão presentes no novo EP a ser lançado em 2019 nas plataformas digitais.

Com uma sonoridade contagiante, adquirida ao longo de décadas na estrada e influenciada pelo repertório de seus integrantes, a banda entra no estúdio para gravar músicas inéditas. Com letras poéticas, marcadas por temáticas sociais, e também por ritmos da música negra, como o Reggae, Samba, Soul Music e demais vertentes, a banda registrou sua marca ao longo dos anos, sendo conhecida pela energia de bem estar e diversão que envolve o público.

Nascida nos anos 90, no Macuco, a Casa Rasta tem uma forte ligação com o porto de Santos, sendo seus integrantes participantes de movimentos sociais e parentes de trabalhadores portuários. Formada por Emerson Tripah (guitarra), Gibi Wagner (vocal), Mauro Marianno (baixo), Memê (guitarra), Sandro Bueno (percussão) e Waldir Gonçalves (bateria).

Abertura da Semana Quintino de Lacerda traz show do Futuráfrica

A abertura da Semana Quintino de Lacerda ocorre nesta quarta-feira (11), a partir das 20h, no palco do Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias), que recebe a apresentação musical do coletivo Futuráfrica. O show tem entrada gratuita.

Criado em 2008, o coletivo reúne Wylmar Santos (vocal), Mauro Marianno (baixo e beats), Sandro Bueno (percussão) e Lufer (DJ, vocais e beats) na formação. O grupo se baseia em pesquisas sobre os ritmos negros, sobre a cultura dos guetos e sobre a resistência das tradições.

A inspiração vem do conceito de afrofuturismo, que destaca a necessidade de transformar, samplear, rearranjar algo já existente, seja uma música, uma imagem, uma ideia ou qualquer outra forma de expressão.

A Semana Quintino de Lacerda, que segue até o domingo (15), tem o apoio da Prefeitura Municipal de Santos, por intermédio das Secretarias de Cultura e Defesa da Cidadania, do projeto ‘Muito Prazer, Meu Nome é Hip Hop!’, do grupo Widia Cultural e do site CulturalMente Santista. Outras informações na página https://www.facebook.com/MPMNH2/?fref=ts.

*Prefeitura de Santos

 

Mercado do futebol, igualdade racial e favelas pautam FESTA 57 nesta terça

O FESTA 57 – Festival Santista de Teatro propõe nesta terça-feira um cardápio de espetáculos cênicos que refletem sobre os problemas do cotidiano brasileiro. Com o tema ‘Fomento’, o festival mantém atividades gratuitas e é realizado pelo Movimento Teatral da Baixada Santista.

A praça do Posto 2, às 16 horas, recebe o espetáculo santista ‘Essa Partida não será Televisionada’, da Cia do Elefante. De autoria coletiva e direção de Marcus Di Bello, a peça conta com os atores Alessandra Santana, Alex Lopes, Felippe Alves, Flávia Simões, Jamili Limma e Kaylane Souza. Na trama, um paralelo entre o futebol e o dia a dia do cidadão, expondo questões sociais e fazendo apontamentos ao processo de mercantilização do esporte mais popular do país.

Já a Vila do Teatro (Praça dos Andradas), às 19 horas, conta com ‘Barraco Nº 9 – Projeto Quarto de Despejo’, da Oficina do Imaginário. A direção é de Paula D’Albuquerque e o grupo é formado por Carolina Stahnke, Deia Oliveira, Juliana Damázio, Mayara Peres, Pri Calazans, Sarah Antunes e Thays Luz. Trata-se de um sarau de samba inspirado no livro ‘Quarto de Desejo: Diário de uma Favelada’, que registra em papéis o que uma catadora não descartava, além de retalhos de textos relacionados, como depoimentos, dissertações e letras de música.

Na Casa da Frontaria Azulejada, às 20 horas, é a vez de ‘{Entre}’, do Coletivo Negro. A dramaturgia é de Jé Oliveira, direção de Raphael Garcia e tem os atores-criadores Flávio Rodrigues, Jefferson Matias, Jé Oliveira e Thaís Dias. Na peça, um conjunto habitacional reúne os dramas e relações de uma mulher grávida abandonada, um pai que deseja voltar à família, um filho que busca sua identidade e um médio que retorna à cidade natal para se reencontrar com seu passado.

A programação neste dia retorna à Vila do Teatro, às 21h30, com a roda de conversa ‘Da vida ao palco: racismo e blackface no Brasil da democracia racial’. Na Mesa, estarão ativistas e artistas: André Leandro, Brenda Barbosa, Cleyton Nascimento, Débora Maria da Silva, Joyce Farias, Palloma Santos e Sandro Bueno.

Depois do bate-papo, todos serão convidados junto ao público do festival para festejar a Festa do Riscado, com o DJ Silvio Luiz e Sandro Bueno. Confira a programação em: fb.com/festivalsantistadeteatro e movimentoteatraldabaixadasantista.blogspot.com.

Tema

O FESTA 57 – Festival Santista de Teatro é o festival de artes cênicas mais antigo em atividade do Brasil, reconhecido pelo Governo Federal com a Ordem do Mérito da Cultura. Este ano, o evento conta com o tema ‘Fomento’, convide o público a refletir sobre a importância de uma lei de iniciativa popular para um Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de Santos, seguindo o modelo da capital paulista.

FESTA 57

O festival é uma realização do Movimento Teatral da Baixada Santista e da Secretaria de Estado da Cultura por meio do ProAC – Programa de Ação Cultural. O evento com apoio da Prefeitura de Santos e do Sesc além de parceria com a Cooperativa Paulista de Teatro, Movimento de Teatro de Rua de São Paulo, Rede Brasileira de Teatro de Rua, Vila do Teatro, Diário do Litoral, Escola de Samba União Imperial, Movimento Mães de Maio, Fundação Arquivo e Memória de Santos e Curta Santos.

*Lincoln Spada

 

Confira a programação do FESTA 57 – Festival Santista de Teatro

Com o tema ‘Fomento’, o mais antigo festival de artes cênicas em atividade do Brasil, o FESTA 57 – Festival Santista de Teatro abre com o espetáculo gratuito da Caravana Tonteria com a atriz e cantora Letícia Sabatella ‘De Volta ao Centro’. A caravana é o grupo formado por Paulo Braga (piano), Fernando Alves Pinto (serrote, trompete, violão e voz) e Zéli Silva (contra-baixo). A apresentação será no dia 1º de setembro, às 20 horas, no teatro do Sesc, onde as entradas podem ser retiradas a partir das 12 horas do mesmo dia (Rua Conselheiro Ribas, 136).

Contando com músicos-atores, o show carrega um elemento dramático em suas interpretações, incluindo pequenas cenas entre as canções autorais e de Chico Buarque, Kurt Weill, Duke Ellington e Colle Porter. As melodias vão de jazz ao flamenco, do tango à rumba, reforçando um ambiente de cabaré itinerante que roda pelo país.

Ativista ambiental e pelas causas indígenas, Letícia Sabatella inicia a programação do FESTA 57, que este ano, convide o público a refletir sobre a importância de uma lei de iniciativa popular para um Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de Santos, seguindo o modelo da capital paulista.

A iniciativa inspiradora possibilita a criação e manutenção de grupos com trabalhos continuados de pesquisa e produção artística e, ao mesmo tempo, melhorando o acesso da população ao teatro. Além das mostras nacional, estadual e regional, o festival também mantém shows, apresentações musicais, audiovisual, intervenções cênicas e rodas de conversa. Confira a programação em: fb.com/festivalsantistadeteatro e movimentoteatraldabaixadasantista.blogspot.com.

Programação

Dia 1º (terça-feira)
20h – Sesc-Santos (R. Cons. Ribas, 136) – Espetáculo musical ‘De Volta ao Centro’, com Letícia Sabatella e Caravana Tonteria;

Dia 2 (quarta-feira)
19h – Teatro Guarany (Praça dos Andradas) – Leitura dramática ‘A Condessa, a Cigana e o Amolador de Facas’ e curta-metragem ‘Rosinha Sinhá’ da TEP/Unisanta (Santos);
20h – Praça dos Andradas – Teatro ‘Circo do Só Eu’, do Barracão Teatro (Campinas);
23h – Vila do Teatro (Praça dos Andradas) – Show ‘O Baile é Balançante’, de Digo Maransaldi e Banda;

Dia 3 (quinta-feira)
0118h – Vila do Teatro – Teatro ‘Ispinho e Fulô de Patativa’, da Cia Teatral Carcarah Voador (Santos);
20h – Teatro Guarany – Teatro ‘Maria que Virou Jonas ou a Força da Imaginação’, da Cia
Livre (São Paulo);
22h – Quadra da Escola de Samba União Imperial – Teatro ‘Nas Quebradas do Mundaréu’, da Oficina do Imaginário e Dino Filmes (Santos);
23h – Vila do Teatro – Show ‘Visões de Severino’ (Ferraz de Vasconcelos);

Dia 4 (sexta-feira)
0416h – Rua do Comércio – Teatro ‘Hygiene’, do Grupo XIX de Teatro (São Paulo);
20h – Teatro Guarany – Teatro ‘Nepenthes’, do Projeto Antrópicos (Santos);
23h – Vila do Teatro – Festa do Coletivo Futuráfrica (Santos)
0h – Praça dos Andradas – Teatro ‘Blitz’, da Trupe Olho da Rua (Santos);

Dia 5 (sábado)
0515h30 – Fonte do Sapo – Teatro ‘Meu Quintal é Maior que o Mundo’, do Teatro Wídia;
16h30 – Fonte do Sapo – Teatro ‘A Moça da Janela’, da Animalenda (Itanhaém);
18h – Fonte do Sapo – Teatro ‘Baile do Anastácio’, do Oigalê (Rio Grande do Sul);
21h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘A História dos Ursos Pandas’, do Teatro da Vila Velha (Bahia);
22h – Vila do Teatro – Batalha Musical sobre Fomento à Cultura Local, do grupo Muito Prazer, Meu Nome é Hip Hop (Santos);

Dia 6 (domingo)
0218h – Parque Roberto Mário Santini – Teatro ‘Rua da Amargura’, do Coletivo de Artes de São Vicente;
19h – Parque Roberto Mário Santini – Teatro ‘A Exceção e a Regra’, da Cia Estável de Teatro (São Paulo);
21h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘Projeto Bispo’, do O Coletivo (Santos);
23h – Vila do Teatro – Apresentação do Diego Alencikas e Banda;

Dia 7 (segunda-feira)
16h – Escadaria do Monte Serrat – Teatro ‘Os Desclassificados’, de Os Panthanas (Santos);
20h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘Diário de uma Revolucionária’, da Cia do Feijão (São Paulo);
21h30 – Praça dos Andradas – Teatro ‘Azar do Valdemar’, da Cia dos Inventivos (São Paulo);
23h – Vila do Teatro – Apresentação de The Matuts e Aparícius Band;

Dia 8 (terça-feira)
16h – Praça do Posto 2 – Teatro ‘Essa Partida Não Será Televisionada’, da Cia do Elefante/Tescom (Santos);
19h – Vila do Teatro – Teatro ‘Barraco Número 9’, da Oficina do Imaginário (Santos);
20h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘{Entre}’, do Coletivo Negro (São Paulo);
21h30 – Vila do Teatro – Roda de conversa “Da vida ao palco: racismo e blackface no Brasil da democracia racial”;
23h – Vila do Teatro – Festa do Riscado com o DJ Silvio Luiz e Sandro Bueno;

Dia 9 (quarta-feira)
0320h – Teatro Guarany – Teatro ‘Os Sapatos que Deixei pelo Caminho’, do Teatro do Kaos (Cubatão);
21h – Praça dos Andradas – Teatro ‘Júlia’, do Cirquinho do Revirado (Santa Catarina);
23h – Vila do Teatro – Apresentação de Piratas do Maxixe e intervenções de ‘Zona in Progress 2’, de O Coletivo (Santos).

Histórico do Festival

O FESTA 57 – Festival Santista de Teatro é o festival de artes cênicas mais antigo em atividade do Brasil, reconhecido pelo Governo Federal com a Ordem do Mérito da Cultura. Criado em 1958 por Patrícia Galvão, a Pagu, o evento já despontou nomes como os dramaturgos Plínio Marcos e Carlos Soffredini, além de reunir personalidades como Regina Duarte, Paulo Goulart, Nicette Bruno, Herson Capri, Bete Mendes, Leona Cavalli, Cleyde Yáconis, Ney Latorraca, Sérgio Mamberti, Nuno Leal Maia, Alexandre Borges, Jandira Martini e Rubens Ewald Filho.

FESTA 57

O festival é uma realização do Movimento Teatral da Baixada Santista e da Secretaria de Estado da Cultura por meio do ProAC – Programa de Ação Cultural. O evento com apoio da Prefeitura de Santos e do Sesc além de parceria com a Cooperativa Paulista de Teatro, Movimento de Teatro de Rua de São Paulo, Rede Brasileira de Teatro de Rua, Vila do Teatro, Diário do Litoral, Escola de Samba União Imperial, Movimento Mães de Maio, Fundação Arquivo e Memória de Santos e Curta Santos.

*Lincoln Spada e Rafaella Martinez