Arquivo da tag: santos

Semana da Cultura Caiçara de Santos inicia dia 16; confira a programação

Por Secult Santos

A 6ª Semana da Cultura Caiçara de Santos será aberta na sexta-feira (15/mar), às 19h30, na Pinacoteca Benedito Calixto (Avenida Bartolomeu de Gusmão, 15, Boqueirão), com apresentação do Coletivo Percutindo Mundos, Coletivo Caiçara e os
músicos Danilo Nunes, Pablo Mendoza, William Silva.

De fundamental importância para a formação da identidade nacional, o caiçara representa a gênese e o desenvolvimento de uma cultura que nasce no litoral, nos primeiros anos da colonização, por meio da miscigenação entre o indígena, o europeu e o africano, e depois expande-se pelo território brasileiro através dos bandeirantes, tropeiros e pelos diversos ciclos econômicos pelos quais o País passou.

A programação do evento, que este ano também será promovida em Guarujá e São Vicente, prevê muitas atividades com música, dança, teatro, literatura, contação de histórias, artes visuais, cinema, debates, oficinas, esportes, ecologia e turismo de base comunitária.

Esta edição marca o último ano em que as comemorações serão em março. A partir de 2020, a semana será celebrada em maio, depois da Quaresma. Inserido no Calendário da Cidade pela Lei 2920/13, o evento também faz parte das comemorações oficiais de outras cidades: Guarujá, São Vicente, São Sebastião, Cananeia, Ubatuba e Paraty. A semana é realizada pelos coletivos Imaginário Coletivo, Percutindo Mundos e Coletivo Caiçara, com apoio da Secult.

> 15/mar | Pinacoteca | 19h30 | Abertura oficial, com artistas, pesquisadores e autoridades da Região. Apresentação do Coletivo Caiçara e Percutindo Mundos, com os músicos Danilo Nunes, Pablo Mendoza, William Silva;
> 16/mar | Ponte Edgard Perdigão (Av. Bartolomeu de Gusmão, s/nº, Ponta da Praia) | 10h | Passeio e oficina fotográfica com trilhas e comunidades caiçaras, com Anak Albuquerque;
> 16/mar | Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340) | 18h – Feira Imaginária – Feira de livros de editoras independentes da Região e bate-papo com autores, como Madô Martins e Regina Alonso; 18h30, Apresentação de ‘Lendas Caiçaras’, com André Barros e Marina Machado; 19h, Sarau caiçara; 20h, Pindorama – Encontro de rap caiçara; 21h, Bailão do Santo – Músicas dançantes de autores da Região nos ritmos de samba rock, reggae, maracatu, soul, fandango, samba e pop.
> 17/mar | Centro de Visitantes do Parque Estadual Xixová-Japuí | 9h, Mar Caiçara – passeio pela trilha do parque até a Praia de Itaquitanduva, com Danilo Alves; 9h30, café comunitário; 11h, oficina sohre história e prática do surf; 12h, ação ambiental de coleta de resíduos sólidos e plantio de sementes nativas.
> 19/mar | Associação Cultural José Martí (R. Joaquim Távora, 217) | 19h, Cine Caiçara, com exibição de ‘História Oral da Gente de Santos’ e ‘Hans Staden’, seguido de bate-papo com o crítico Flávio Viegas Amoreira e o cineasta Dino Menezes;
> 20/mar | Lagoa da Saudade (Morro da Nova Cintra) | 14h, Batalha do Conhecimento, leitura e interpretação poética com Syro Damassaclan;
> 21/mar | Caruara | 10h, Batalha do Conhecimento; 14h, Leia Santos, com doação de livros e revistas;
> 22/mar | Universidade Católica de Santos (Av. Cons. Nébias, 300) | 19h30, Cátedra Gilberto Mendes com o bate-papo ‘O Brasil Caiçara’; 20h30, performance artística.

 

União dos Beats agita o Centro de Cultura Patrícia Galvão dia 17

Por Orlando Rodrigues

Os fãs do hip hop têm diversão garantida no domingo (17), no União dos Beats, encontro de beatboxs de Santos e São Paulo que ocorre a partir das 15h, no Centro de Cultura Patrícia Galvão (Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). “União dos Beats é o encontro de beatboxs de São Paulo e Santos. Queremos fomentar esta cultura, muita vezes discriminada na Baixada Santista”, destaca o produtor Orlando Rodrigues.

O beatboxer, apresentador multimídia e MC Borracha Beatbox comanda o evento, que além de diversas apresentações, presta homenagem ao artista Radjja, um dos precursores da modalidade em Santos, com participações em shows da banda Charlie Brown Jr, no elenco do filme ‘O Magnata’ e na banda Radjja & Cabongue.

A realização do evento é da Beat Box, Falantes e Sarau do Beat Box. Apoio: Secretaria Municipal de Cultura (Secult), Agência Édigital, Grilo Filmes e Projeto Muito Prazer, Meu nome é Hip Hop.

 

10ª Conferência Municipal de Cultura ocorre no próximo dia 16

Por Secult Santos

‘Políticas Públicas Culturais e Liberdade Artística’. Este é o tema da 10ª Conferência Municipal de Cultura de Santos, que ocorre no Teatro Municipal Braz Cubas (2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão, Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vl. Mathias) no próximo sábado (16/mar), das 13h às 18h.

O evento tem a proposta de analisar e reafirmar ações previstas no Plano Municipal de Cultura (PMC), definir ações e eleger os membros da sociedade civil para o Conselho Municipal de Cultura (Concult) para o biênio 2019/2021. Os interessados em assistir e participar do encontro podem realizar a pré-inscrição neste link. Outras informações podem ser acessadas neste evento virtual.

Conselho de Cultura

O Concult é uma instância colegiada, de caráter consultivo e deliberativo, integrante da estrutura político-administrativa do Poder Executivo, constituído por membros do Poder Público e da Sociedade Civil. Ele tem como atribuições: opinar sobre questões que lhe sejam submetidas no âmbito de sua competência, colaborar com o secretário de Cultura na execução de programas e projetos culturais, quando realizados sob a responsabilidade da Prefeitura, e elaborar propostas, projetos e planos de atividades culturais.

Conferência

Realizada a cada dois anos, a Conferência integra o Sistema Municipal de Cultura – SMC (Lei Municipal 3293/16), que reafirma um acordo da Prefeitura com o Governo Federal de manter e ampliar as políticas culturais. A lei conceitua as dimensões da cultura, e cabe à Prefeitura assegurar aos cidadãos os direitos à identidade cultural, à diversidade cultural, à liberdade de criação e expressão, ao livre acesso e circulação do fazer artístico, à participação nas decisões da política cultural.

Baseado no modelo nacional, o SMC prevê que a cultura é um direito fundamental das pessoas, um vetor de desenvolvimento humano, social e econômico e, por isso, deve ser tratada como uma área estratégica para o desenvolvimento sustentável e para a promoção da paz.

A premiadíssima Imara Reis ministra aula magna na EAC Wilson Geraldo

Por Secult Santos

A atriz, diretora e professora Imara Reis é a convidada da aula magna que será realizada na segunda-feira (11), na Escola de Artes Cênicas Wilson Geraldo (EAC), abrindo as atividades do Curso de Formação de Atores em 2019. O encontro é aberto ao público e ocorre no Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico), a partir das 19h.

Imara começou a fazer teatro no Colégio Santa Marcelina (RJ). Formada em Letras (UFF), onde também fez Teatro, foi integrante do Grupo Laboratório juntamente com Tonico Pereira e José Carlos Gondim. Em 1973, convidada por Tonico Pereira, passou a integrar o Grupo Chegança, de Luis Mendonça. Neste grupo participou de ‘As Incelenças’, ‘Viva o Cordão Encarnado’ e ‘Lampião no Inferno’. A atriz foi integrante também do elenco da primeira montagem de ‘Calabar’, de Chico Buarque e Ruy Guerra.

Após participar de outras produções, começou a trabalhar como atriz em peças publicitárias, participando de inúmeros comerciais. No final dos anos 1970, em viagem de estudos à Europa, fez cursos de especialização em Paris e Madri, além de ter protagonizado seu primeiro curta-metragem, Sílvia, produzido por Helena Rocha.

De volta ao Brasil, estreou na TV Tupi na novela ‘Dinheiro Vivo’, de Mario Prata. Estreou, em 1981, na TV Bandeirantes com a novela ‘Os Adolescentes’. Seu primeiro longa foi ‘Inquietações de Uma Mulher Casada’, de Alberto Salvá, e desde então trabalhou em mais de 20 filmes. Como atriz, Imara já ganhou três troféus Kikitos e três Candango, nos festivais de Gramado e de Brasília, além de outras premiações. Em 2010, foi publicada a sua biografia, ‘Van Filosofia’, pela série Perfil, da coleção Aplauso.

Fábrica Cultural abre matrículas virtuais para cursos artísticos gratuitos

Por Secult Santos

Desenvolvido pelo Departamento de Formação e Pesquisa Cultural (Deforpec), da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), o projeto Fábrica Cultural abre neste sábado (9) as inscrições para novos alunos em diversos cursos gratuitos, que oferecem mais de 2 mil vagas. As atividades ocorrem em vários pontos da Cidade, nas áreas de artes cênicas, artes visuais, artes integradas, música e dança. Os interessados devem preencher os campos obrigatórios no site https://egov.santos.sp.gov/fabricacultural, além de atender aos pré-requisitos de cada modalidade. A inscrição deve ser feita até o próximo dia 15.

Ao término do processo de inscrição digital, o site vai gerar um protocolo com o endereço do local onde o aluno deve se apresentar antes do início das aulas, que têm previsão de início a partir do próximo dia 18. Para confirmar a matrícula é obrigatório comparecer no local informado portando RG (original e cópia), comprovante de residência de Santos e uma foto 3×4.

A idade mínima e máxima para se inscrever pode variar de acordo com o curso. Para as inscrições de menores de 18 anos é necessário informar e apresentar os documentos (RG ou Certidão de Nascimento) do aluno e de seu responsável legal, que também deve comparecer à secretaria para efetivar a matrícula.

Candidatos às atividades de dança devem entregar, durante o processo de confirmação da matrícula, atestado médico que indique aptidão física para a modalidade. Não será permitido o início no curso sem a apresentação do documento. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones 3202-3568 e 3202-3570.

Cursos

Em sua primeira etapa, a programação do Fábrica Cultural 2019 oferece cursos em artes visuais (desenho e pintura); balé clássico, moderno e contemporâneo; balé para adultos e 3ª Idade; capoeira; coral canto livre; danças de salão, em cadeira de rodas, esportiva, latinas (axé retrô, ritmos brasileiros e zumba) e urbanas (dança de rua interativa infantil, K-pop e zumba); mangá; piano; teatro infantojuvenil e para adultos; teclado; viola; violão; violino.

> Centro de Cultura Patrícia Galvão (Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias)
Capoeira (150 vagas), Dança de salão (320), Danças latinas (axé retrô, ritmos brasileiros e zumba, 350), Danças urbanas (dança de rua interativa infantil, K-pop e zumba, 200)
> Centro Cultural da Zona Noroeste (Av. Afonso Schmidt, s/n°, Areia Branca)
Balé clássico (80 vagas), Balé moderno e contemporâneo (75), Balé clássico para adultos e 3ª Idade (30), Dança do ventre (50), Danças urbanas (dança de rua interativa infantil, K-pop e zumba, 30), Mangá (20), Teatro (infantojuvenil e 3ª Idade, 80)
> Centro de Atividades Integradas (Cais) Milton Teixeira (Av. Rangel Pestana, 150, Vila Mathias)
Balé clássico para adultos e 3ª Idade (110 vagas), Coral canto livre (30), Dança de salão (100), Dança em cadeira de rodas (50), Dança esportiva (50), Desenho (26), Mangá (60), Piano (20), Pintura (10), Teatro (infantojuvenil, 75, e para adultos, 60), Teclado (30), Viola (10), Violão (210), Violino (35)
> Centro Turístico, Esportivo e Cultural do Morro São Bento (Av. São Luís, s/n°)
Balé clássico (40 vagas), Violão (40)
> Biblioteca Plínio Marcos (Praça das Palmeiras, s/n°, Caruara)
Escultura (45 vagas)

 

Mostra fotográfica marca o Dia Internacional da Mulher no MISS

Por Secult Santos

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, nesta sexta-feira (8/mar), as artistas Petyta Reis e Bia Silva unem exposições fotográficas gratuitas no Museu da Imagem e do Som de Santos (MISS, Av. Pinheiro Machado, 48, térreo/Santos). As imagens, que abordam temas como a violência contra a mulher e depressão, podem ser conferidas a partir da abertura das 19h desta sexta-feira até 5/abr. Visitação de segunda a sexta-feira, das 14h às 19h. A mostra ainda traz uma vídeoinstalação.

A educadora e estudante de audiovisual Petyta apresenta ‘Pedaços que Ninguém Vê’, projeto fotográfico realizado 2016, que relata, por meio da fotografia, a depressão. Já Bia lançou seu olhar para a cotidiana agressão contra a mulher em ‘Laésio’, uma derivação do latim laesio, que significa lesão. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a depressão afeta mais de 350 milhões de pessoas e, mesmo com números tão altos, ainda há muito preconceito por parte da sociedade.

Nascida no final dos anos 1980 na pequena cidade de Itororó (BA), a pedagoga Rosi Reis, a Petyta, se expressa artisticamente por meio de múltiplas linguagens. Confecciona roupas, bolsas e acessórios pela marca SoulFrida. Também produz desfiles e é maquiadora. As fotos da exposição são frutos da aula de Fotografia do curso de Cinema da Faculdade São Judas, onde Petyta estuda. O audiovisual também é uma paixão na qual já teve a oportunidade de dirigir o clipe da cantora Mariana Degani, na música Corta Brisa, que será lançado em breve.

Com 23 anos de idade, Bia Silva nasceu em São Vicente. Professora de pintura, fotógrafa amadora e estudante de Arquitetura e Urbanismo, ela constantemente está envolvida em produções artísticas voltadas para o universo feminino. Além de desenvolver trabalhos para este mesmo público.

 

Cipó, Rei Momo do Santos Carnaval 2019, falece aos 65 anos de idade

Por Secult Santos

O mundo do samba ficou mais triste nesta quinta-feira (7) com falecimento do Rei Momo do Santos Carnaval 2019, Sergio Vicente da Graça, o Cipó, vítima de complicações cardíacas. O sambista, com 65 anos de idade, deu seus primeiros passos na folia como baliza na Escola de Samba Brasil. Passou também pela X-9 e por diversos blocos tradicionais da Cidade. Atualmente defendia as cores da Unidos da Zona Noroeste.

Cipó foi aclamado Rei Momo de Santos do último dia 19 de janeiro, após ter concorrido no concurso em outras sete edições. No dia da vitória, o sorriso marcante deu lugar às lágrimas. Já ostentando a coroa de Rei, declarou: “Se não vencesse este ano viria no ano que vem. Não iria desistir até conquistar o meu grande sonho”.

“Pensei que o coração dele não fosse aguentar aquela emoção”, declarou o filho único de Cipó, Leandro Nascimento, de 34 anos, que comentou a conquista do pai. Definindo os 46 dias de reinado de Cipó, declarou: “Foram dias de grande felicidade para ele. Era o lugar onde desejou estar a vida inteira. Agora será rei para sempre”.

Além do filho, Cipó deixa viúva e neto. O velório do Rei Momo ocorre na quadra da escola de samba Unidos da Zona Noroeste (Rua Francisco Di Domênico, s/no, no Areia Branca – próximo ao Centro Esportivo M. Nascimento) na noite desta quinta-feira, ainda sem horário de início confirmado. O sepultamento ocorre no Cemitério da Areia Branca nesta sexta-feira (8).

Paixão e carisma que farão falta ao mundo do samba

O presidente do Conselho do Samba de Santos, Carlos Alberto da Cruz (Beto, o Magistral) declarou que perdeu um amigo de longa data nesta quinta-feira. “Nós começamos no Carnaval praticamente juntos, meninos ainda. Ele na Brasil e eu na X-9. Não consigo acreditar que ele se foi”.

Já o secretário de Cultura de Santos, Rafael Leal, destacou o amor do Rei Momo pelo samba. “A paixão que ele tinha por tudo que envolvia o mundo do samba era comovente”. Já o presidente da Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess), Benedito de Andrade Fernandes, o Ditinho, afirmou que sentirá falta da espontaneidade de Cipó. “O carisma e a alegria dele foram à altura do Carnaval de Santos”.