Arquivo da tag: secult

Coletivo faz crowdfunding e festa em prol da Paixão de Cristo de SV

Por Lincoln Spada

O Coletivo de Artes de São Vicente realiza uma festa e um crowdfunding a fim de custear a nova edição da Paixão de Cristo na Cidade. Trata-se do espetáculo ‘Via Dolorosa’, teatro de rua que traz a história de Jesus.

A vaquinha digital pretende arrecadar R$ 5 mil até o dia 12/abr, tendo em vista a compra de tecidos para confecção de figurinos, além de adereços de cena e principalmente na alimentação dos quase 80 membros do elenco, pessoas da comunidade que compõem o teatro de rua. Ajude clicando aqui.

Por sua vez, a próxima sexta-feira (29/mar), a partir das 20h, haverá uma Noite Italiana no Buffet Deusali Festas & Eventos (Av. Capitão Mor-Aguiar, 545, Centro). A entrada é a R$ 25, sendo bebidas e sobremesas à parte. Ingressos e mais informações: (13) 99129-3470 e (13) 98152-0554.

A ideia é também de colaborar com a aquisição cenográfica da peça. O evento contará com show da Banda Sant’Areia e do tenor italiano Ezio Bonini. Além do buffet, a noite conta com apoio cultural de Ao Fiel Barateiro, Casa Luanda Supermercados, Cosa Nostra Cucina Italiana e Choperia Bom Gosto.

Via Dolorosa

O teatro de rua levará à comunidade a tradicional história de Jesus: do seu nascimento à sua morte e ressurreição, mesclando linguagens cênicas e música. As sessões estão previstas para 18 a 21/abr, às 20h, na Praça Tom Jobim e nos dias 27 e 28/abr, no mesmo horário, no Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente.

 

Conheça as prioridades elencadas na 10ª Conferência de Cultura de Santos

Por Lincoln Spada

Dezenas de artistas e produtores culturais participaram das reflexões da 10ª Conferência Municipal de Cultura de Santos, que teve como tema ‘Políticas Públicas de Cultura e Liberdade Artística’. O evento ocorreu na tarde do último sábado (15/mar), no Teatro Municipal Braz Cubas.

“Acreditamos na importância de um conselho independente, que questione a administração e que sempre proponha o debate franco sobre as questões primordiais para a área cultural da Cidade. Santos valoriza a participação ativa da sociedade civil no conselho (Concult) e acredita que é por meio da união que as dificuldades atuais podem ser superadas”, disse o secretário municipal de Cultura, Rafael Leal.

A conferência também contou com a presidência do Concult, Júnior Brassalotti, que conduziu o painel com o tema do evento: “Nada foi tão intenso quanto observar em todo o País o aumento gradual de casos de censura aos nossos artistas de Santos e de outros locais diante dessa conjuntura de discurso de ódio tão vociferado nas redes sociais e nos logradouros públicos”.

O evento também contou com a secretária-adjunta de Cultura, Raquel Pellegrini, o ex-secretário de Cultura, Fabião Nunes, e a assessoria da vereadora Telma de Souza. Os munícipes presentes apresentaram 12 propostas previstas pelo Plano Municipal de Cultura que foram consideradas prioritárias para execução até 2021. Ainda, elegeram os novos representantes da sociedade civil do Concult para este biênio.

> Ações prioritárias
1. Promover ações e projetos que integrem artes e cultura no processo educativo, envolvendo escolas e universidades;
2. Formação para produtores culturais, buscando a capacitação dos envolvidos, nas leis de incentivo, editais e patrocínios, mas também na troca de práticas alternativas que busquem novas soluções par aa realidade que enfrentamos;
3. Garantir que a cultura da diversidade (ciganos, afrodescendentes, LGBTQI+, etc) seja contemplada pelos mecanismos promovidos pela Secult a partir de ações afirmativas;
4. Garantir editais públicos apra contratação de grupos e artistas locais em projetos da Secult e demais pastas;
5. Reestruturar o organograma da Secult visando o estímulo à pluralidade das linguagens artísticas em seus departamentos
6. Estabelecer parcerias com órgãos públicos, institutos de pesquisa e de ensino para criação e continuidade de indicadores culturais locais;
7. Reativar o programa munciipal de educação patrimonial e história;
8. Criar polos artesanais criativos;
9. Atualizar acervos das bibliotecas com ênfase na História de Santos;
10. Elaborar lei que destine um espaço público para montagem de lona circense;
11. Criar uma lei de fomento ao teatro para a Cidade de Santos;
12. Qualificar a formação profissional em nível técnico para o audiovisual e multimeios através da criação de uma escola livre de cinema.

> Conselheiros eleitos
Artes visuais: João Paulo Teixeira Pires (titular), Osmar de Souza Rabelo (suplente);
Artes urbanas: Julio Mad (titular), Luiz Fernando Marques Dias (suplente);
Audiovisual e multimeios: Júnior Brassalotti (titular), Carlos Cirne (suplente);
Carnaval e cultura popular: Luciana Rosalina da Cruz (titular), Tadeu Cabral Bezerra (suplente);
Cultura da diversidade: Verônica Pestana (titular), Orlando Rodrigues (suplente);
Dança e movimento: Maria Izabel Tornatore de Freitas (titular);
Literatura: Vinícius Carlos Vieira (titular), Lincoln Spada da Silva (suplente)
Música: Ailton da Silva Carvalho (titular), Diósnio Machado Neto (suplente);
Patrimônio cultural: Veruska F. Moura (titular), Jean Pierre de Morais Crété (suplente);
Produção cultural: Antonio Ramos (titular), Marina Paes (suplente);
Teatro e circo: Caio Martinez (titular), Kelly Jandaia (suplente).

 

Em São Vicente, Secult lança 1º concurso para projetos culturais independentes

Por Lincoln Spada

O primeiro edital público de projetos culturais de São Vicente foi aberto pela Secretaria de Cultura nesta última quarta-feira (13/mar). O concurso foi realizado a partir do convênio entre a Prefeitura e o Governo Estadual por meio do ProAC Municípios no montante de R$ 300 mil. Ao todo, serão 15 projetos contemplados, cada um no valor de R$ 20 mil. As inscrições seguem até 2/mai.

Serão seis montagens e circulações de espetáculos, quatro projetos de festivais de artes, feiras ou exposições itinerantes, um par de projetos audiovisuais, outra dupla de publicações de obras literárias inéditas, além de uma iniciativa que aborde a formação e a arte-educação. A contrapartida são de, pelo menos, uma apresentação pública, prevendo a doação de 5% da tiragem dos livros publicados e a gratuidade no caso de espetáculos, festivais e mostras.

A Secult nomeará uma comissão de seleção de projetos, aos moldes do ProAC, que terá como critérios de avaliação: excelência e relevância artística; experiência dos proponentes; descentralização das atividades; diversidade temática e estética; interesse público; proposta de contrapartida; viabilidade de realização do projeto. O edital prevê que o resultado final seja publicado até a primeira quinzena de julho e o período de contrato e repasse em cota única até setembro.

Os projetos devem ter duração de até 10 meses, podendo ser prorrogados. Interessados devem se inscrever somente como pessoa física ou jurídica (exceto MEI) que comprove residência e atuação cultural há mais de dois anos. Coletivos artísticos e proponentes individuais só podem concorrer com uma única proposta. Os envelopes devem ser entregues pessoalmente em dias úteis, das 10h às 12h e das 13h às 16h, na sede da Secult (R. Tenente Durval do Amaral, 72, Catiapoã). Confira o edital na íntegra aqui.

 

Último dia de inscrições virtuais para os cursos gratuitos da Fábrica Cultural

Por Secult Santos

Quem deseja fazer um dos 34 cursos de artes gratuitos disponibilizados pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult) deve correr. Nesta sexta-feira (15) termina o prazo de inscrições para novos alunos. Os interessados devem preencher os campos obrigatórios no https://egov.santos.sp.gov.br/fabricacultura, além de atender os pré- requisitos de cada modalidade. Informações: 3202-3568 e 3202-3570.

Em sua primeira etapa, a programação do Fábrica Cultural 2019 oferece cursos em artes visuais (desenho e pintura); balé clássico, moderno e contemporâneo; balé para adultos e 3a Idade; capoeira; coral canto livre; danças de salão, em cadeira de rodas, esportiva, latinas (axé retrô, ritmos brasileiros e zumba) e urbanas (dança de rua interativa infantil, K-pop e zumba); mangá; piano; teatro infanto-juvenil e para adultos; teclado; viola; violão; violino.

 

Homenagens marcam entrega do Prêmio Estandarte Santista 2019

Por Prefeitura de Santos | Foto: G1 Santos

A cerimônia de premiação da 6a edição do Estandarte Santista, realizada no palco do Teatro Municipal Braz Cubas, na noite da última terça-feira (12), teve muita emoção e samba no pé. A celebração foi marcada pelo ritmo dos sambistas da Cidade e pelas homenagens a seis personalidades que fizeram história no mundo samba.

Organizado graças à parceria entre o portal de notícias G1, Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess) e Secretaria Municipal de Cultura (Secult), o Estandarte é uma votação popular na qual o público escolhe bandas carnavalescas e escolas de samba preferidas, em dez quesitos. Segundo dados do G1, mais de 252 mil votos foram computados, em mais de um mês de votação.

A Botafogo foi escolhida como a Banda Mais Querida da Cidade, com mais de 36% dos votos, seguida das bandas Bebo Mas Não Travo (15,34%) e Jaú (14,66%). Já entre as escolas de samba, a União Imperial foi a agremiação mais premiada, com três troféus, inclusive de Melhor Desfile. Coube também à verde e rosa do Marapé, bicampeã do Carnaval santista, fazer o show de encerramento da festa.

Os homenageados da noite foram Mestre Bará, J. Muniz Jr., Zinho, Michelle Mibow, Aldinho e o Rei Momo 2019, Serginho Cipó, falecido na última quinta-feira (7), vítima de uma parada cardiorrespiratória. Ainda sob forte emoção, a viúva Maria de Lourdes Vicente da Graça agradeceu a homenagem: “Ele deve estar feliz em ver o carinho que todos vocês têm por ele”.

Resultado da votação do prêmio Estandarte Santista 2019

> Banda Mais Querida da Cidade: 1. Botafogo (36,29%); 2. Bebo Mas Não Travo (15,34%); 3. Jaú (14,66%)
> Grupo 1 – Melhor Escola: 1. Bandeirantes do Saboó (40,47%); 2. Imperatriz Alvinegra (36,05%); 3. Dragões do Castelo (7,87%)
> Grupo de Acesso – Melhor Escola: 1. Mãos Entrelaçadas (36,73%); 2. Padre Paulo (33,93%); 3. Brasil (16,12%)
> Grupo Especial – Alegoria, Melhor Desfile e Destaque: União Imperial | Baianas: Real Mocidade | Bateria: Unidos dos Morros | Comissão de Frente: Vila Mathias | Melhor Intérprete: Ricardo Reis, o Jacaré (Mocidade Amazonense) | Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Daniel Vitro e Andress Simpatia (Dependente do Samba) | Rainha de Bateria: Janaína Paiva (Mocidade Amazonense) | Samba-Enredo: X-9

 

Mostra fotográfica marca o Dia Internacional da Mulher no MISS

Por Secult Santos

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, nesta sexta-feira (8/mar), as artistas Petyta Reis e Bia Silva unem exposições fotográficas gratuitas no Museu da Imagem e do Som de Santos (MISS, Av. Pinheiro Machado, 48, térreo/Santos). As imagens, que abordam temas como a violência contra a mulher e depressão, podem ser conferidas a partir da abertura das 19h desta sexta-feira até 5/abr. Visitação de segunda a sexta-feira, das 14h às 19h. A mostra ainda traz uma vídeoinstalação.

A educadora e estudante de audiovisual Petyta apresenta ‘Pedaços que Ninguém Vê’, projeto fotográfico realizado 2016, que relata, por meio da fotografia, a depressão. Já Bia lançou seu olhar para a cotidiana agressão contra a mulher em ‘Laésio’, uma derivação do latim laesio, que significa lesão. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a depressão afeta mais de 350 milhões de pessoas e, mesmo com números tão altos, ainda há muito preconceito por parte da sociedade.

Nascida no final dos anos 1980 na pequena cidade de Itororó (BA), a pedagoga Rosi Reis, a Petyta, se expressa artisticamente por meio de múltiplas linguagens. Confecciona roupas, bolsas e acessórios pela marca SoulFrida. Também produz desfiles e é maquiadora. As fotos da exposição são frutos da aula de Fotografia do curso de Cinema da Faculdade São Judas, onde Petyta estuda. O audiovisual também é uma paixão na qual já teve a oportunidade de dirigir o clipe da cantora Mariana Degani, na música Corta Brisa, que será lançado em breve.

Com 23 anos de idade, Bia Silva nasceu em São Vicente. Professora de pintura, fotógrafa amadora e estudante de Arquitetura e Urbanismo, ela constantemente está envolvida em produções artísticas voltadas para o universo feminino. Além de desenvolver trabalhos para este mesmo público.

 

Cipó, Rei Momo do Santos Carnaval 2019, falece aos 65 anos de idade

Por Secult Santos

O mundo do samba ficou mais triste nesta quinta-feira (7) com falecimento do Rei Momo do Santos Carnaval 2019, Sergio Vicente da Graça, o Cipó, vítima de complicações cardíacas. O sambista, com 65 anos de idade, deu seus primeiros passos na folia como baliza na Escola de Samba Brasil. Passou também pela X-9 e por diversos blocos tradicionais da Cidade. Atualmente defendia as cores da Unidos da Zona Noroeste.

Cipó foi aclamado Rei Momo de Santos do último dia 19 de janeiro, após ter concorrido no concurso em outras sete edições. No dia da vitória, o sorriso marcante deu lugar às lágrimas. Já ostentando a coroa de Rei, declarou: “Se não vencesse este ano viria no ano que vem. Não iria desistir até conquistar o meu grande sonho”.

“Pensei que o coração dele não fosse aguentar aquela emoção”, declarou o filho único de Cipó, Leandro Nascimento, de 34 anos, que comentou a conquista do pai. Definindo os 46 dias de reinado de Cipó, declarou: “Foram dias de grande felicidade para ele. Era o lugar onde desejou estar a vida inteira. Agora será rei para sempre”.

Além do filho, Cipó deixa viúva e neto. O velório do Rei Momo ocorre na quadra da escola de samba Unidos da Zona Noroeste (Rua Francisco Di Domênico, s/no, no Areia Branca – próximo ao Centro Esportivo M. Nascimento) na noite desta quinta-feira, ainda sem horário de início confirmado. O sepultamento ocorre no Cemitério da Areia Branca nesta sexta-feira (8).

Paixão e carisma que farão falta ao mundo do samba

O presidente do Conselho do Samba de Santos, Carlos Alberto da Cruz (Beto, o Magistral) declarou que perdeu um amigo de longa data nesta quinta-feira. “Nós começamos no Carnaval praticamente juntos, meninos ainda. Ele na Brasil e eu na X-9. Não consigo acreditar que ele se foi”.

Já o secretário de Cultura de Santos, Rafael Leal, destacou o amor do Rei Momo pelo samba. “A paixão que ele tinha por tudo que envolvia o mundo do samba era comovente”. Já o presidente da Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess), Benedito de Andrade Fernandes, o Ditinho, afirmou que sentirá falta da espontaneidade de Cipó. “O carisma e a alegria dele foram à altura do Carnaval de Santos”.