Arquivo da tag: sesc

Feminicídio pauta programação de ‘As Mulheres Contam’ em Santos

Por Corina de Assis

Em ‘As Mulheres Contam’, um painel sobre o feminicídio na Baixada Santista e no Brasil, um grupo de contadores de história, na sua maior parte mulheres, se apropriam dos dados e relatos sobre o tema e levam ao público uma séria reflexão sobre este assunto. Recomendada para maiores de 14 anos, as atividades gratuitas ocorrerão no Sesc Santos (R. Cons. Ribas, 136, Aparecida). Os dados do próprio noticiário dão conta do quanto o número de assassinatos aumentou, mas muitos ainda são tipificados como homicídio doloso, praticados contra a mulher em razão da condição do sexo feminino.

Estes números crescentes motivaram no coletivo Contar é Preciso a decisão de mostrar através das histórias dessas mulheres a vida ceifada precocemente em razão da violência doméstica e outras violências que muitas sofrem caladas. “Achamos oportuno que no mês de março, quando lembramos o verdadeiro motivo do dia 8/mar, fazermos memória à tantas vitimas: mães, companheiras, filhas” , relatam as integrantes do Coletivo Contar é Preciso.

A partir desse olhar, elas fazem uma seleção de histórias do noticiário policial, que gerou as adaptações a serem contadas por suas integrantes. E também conduzem uma releitura dos tradicionais contos de fadas, higienizados pela cultura machista e que escondem assim a condição madura e de alerta das mulheres em questão, como a Cinderela, a Branca de Neve e a própria Rapunzel. Confira a programação:

> 13/mar | 19h | ‘A voz do medo’ | No estilo “Gil Gomes”, um personagem do jornalismo policial, as histórias de Maria da Penha e a que gerou o próprio 8/mar.
> 20/mar | 19h30 | ‘A história delas – Repaginando o noticiário policial sobre o feminicídio’ | Como a cultura machista ameniza e conta este tipo de notícia. Apresentação da Cartilha da ONU para a Imprensa e participação do grupo Comunicando contra a Violência.
> 27/mar | ‘De Rapunzel até nossos tempos’ | A análise de alguns contos clássicos que colocam a mulher dependente da boa vontade alheia. Mas nem sempre foi assim, muitas dessas obras foram transformadas no que conhecemos hoje, mas tinham um outro ponto de vista e de partida.

Coletivo Contar é Preciso

Formado por diversas mulheres contadoras e se originou na Baixada Santista, a partir de uma oficina de técnicas de contação de histórias ministrada no Sesc Santos, pelo ator e contador de histórias Ailton Guedes e de outra, ministrada no Senac Santos, por Jaci Aragão. A partir dessas formativas, elas sentiram a necessidade de pesquisar mais sobre a tradição oral e diferentes repertórios e utilizam a Contação como instrumento de reflexão e alerta sobre variados temas, como mulheres, relações de gênero, refúgio, proteção à infância, meio ambiente e idosos.

 

Sesc Santos exibe ‘Tangerine’ e ‘Uma Mulher Fantástica’ neste feriado

Informações de Corina de Assis e Felipe Veiga

Dois longas-metragens completam a programação gratuita ‘A Tela da Tarde’ neste feriado de carnaval no Sesc Santos (R. Cons. Ribas, 136/Aparecida). Nesta segunda-feira (4/mar), o espaço terá sessão ‘Tangerine’, às 16h. No mesmo horário, a terça-feira (5/mar) contará com a exibição de ‘Uma Mulher Fantástica’, recomendada para maiores de 14 anos.

Dirigida por Sean Baker, a comédia dramática ‘Tangerine’, assim que sai da prisão, a prostituta transexual Sin-Dee (Kitana Kiki Rodriguez) descobre pela sua melhor amiga (Mya Taylor) que o namorado Chester (James Ransone) está saindo com outra pessoa, uma mulher cisgênero. Sin-Dee decide encontrar os dois e puni-los pela traição. Classificação indicativa de 16 anos.

No drama ‘Uma Mulher Fantástica’, de Sebastián Lelio, a garçonete transexual Marina (Daniela Vega) passa boa parte dos seus dias buscando seu sustento. Seu verdadeiro sonho é ser uma cantora de sucesso e, para isso, canta durante a noite em diversos clubes de sua cidade. O problema é que, após a inesperada morte de Orlando (Francisco Reyes), seu namorado e maior companheiro, sua vida dá uma guinada total. Classificação: 14 anos.

 

#ManufaturaDeMonólogos: ‘Ato Solidário’ debate sobre a pornografia

Por Corina de Assis e Felipe Veiga (Sesc Santos)

A obra cênica ‘Ato Solitário’ compõe a mostra Manufatura de Monólogos, prevista para os dias 20 e 24/fev. A sessão gratuita será neste domingo (24/fev), às 21h, no Teatro do Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136/Aparecida). Não recomendado para menores de 18 anos.

Trabalhando através dos conceitos de realidade e ficção, a peça registra o isolamento de um homem subjugado ao poder da indústria pornográfica. Sua derrocada atravessa temas como suicídio, prostituição e vazamentos de vídeos íntimos em redes sociais – assuntos urgentes, mas ainda afastados de grandes debates públicos.

Direção: Ronaldo Fernandes. Dramaturgia e atuação: Bruno Fracchia. Orientação: Nelson Baskerville. Vídeos: Rodney Assunção. Figurino: Paola Caruso. Trilha sonora: Marcelo Marinho. Iluminação: Juliana Sousa. Preparação corporal: Malvina Costa. Participação em vídeo: Day Lopes e Luana Albeniz. Fotos: Bruna Quevedo.

Realizada pelo Sesc Santos, a Mostra Manufatura de Monólogos reúne 11 espetáculos inéditos e autorais, criados e desenvolvidos entre jun/18 e jan/19 por artistas da Baixada Santista. O projeto voltado para as potencialidades criativas na área teatral da classe artística local conta com a orientação dos santistas Nelson Baskerville e Luiz Fernando Marques Lubi, diretores renomados na cena teatral brasileira contemporânea. No dia 26/fev, às 20h, no Sesc Santos, os artistas e os orientadores realizam bate-papo aberto ao público, com mediação da dramaturga Dione Carlos.

 

#ManufaturaDeMonólogos: ‘O Suicídio mais bonito do mundo’ dia 24

Por Corina de Assis e Felipe Veiga (Sesc Santos) | Foto: Bruna Quevedo

A obra cênica ‘O Suicídio mais bonito do mundo’ compõe a mostra Manufatura de Monólogos, prevista para os dias 20 e 24/fev. A sessão gratuita será neste domingo (24/fev), às 19h30, no Teatro do Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136/Aparecida). Não recomendado para menores de 16 anos.

Já sentiu como se estivesse a um passo da queda? Um corpo suicidado, mas ainda em constante declínio, oscila entre identificar-se e reconhecer o outro nas dores de uma existência. ‘O Suicídio mais bonito do mundo’ torna-se um devaneio de realidades e ficções poéticas sobre mais um tabu instaurado na sociedade. Direção e operação de luz: Fabiano Di Melo. Atuação e texto: Mariana Nunes. Orientação: Nelson Baskerville. Operação de som: Luiz Guilherme.

Realizada pelo Sesc Santos, a Mostra Manufatura de Monólogos reúne 11 espetáculos inéditos e autorais, criados e desenvolvidos entre jun/18 e jan/19 por artistas da Baixada Santista. O projeto voltado para as potencialidades criativas na área teatral da classe artística local conta com a orientação dos santistas Nelson Baskerville e Luiz Fernando Marques Lubi, diretores renomados na cena teatral brasileira contemporânea. No dia 26/fev, às 20h, no Sesc Santos, os artistas e os orientadores realizam bate-papo aberto ao público, com mediação da dramaturga Dione Carlos.

 

#ManufaturaDeMonólogos: Um chá com o público em ‘A Pena de Wilde’

Por Corina de Assis e Felipe Veiga (Sesc Santos)

A obra cênica ‘A Pena de Wilde’ compõe a mostra Manufatura de Monólogos, prevista para os dias 20 e 24/fev. A sessão gratuita será neste domingo (24/fev), às 18h, no Teatro do Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136/Aparecida). Não recomendado para menores de 16 anos.

Apaixonado por Oscar Wilde desde a adolescência, quando vivia em Santos, um homem recebe o público para um chá, no intuito de abrir publicamente algo pessoal. Durante a conversa, revela como a carta que recebeu de Elizabeth II, Rainha da Inglaterra, mudou sua vida para sempre.

Dramaturgia, direção, atuação e produção: Ailton Guedes. Orientação: Luiz Fernando Marques (Lubi). Direção de arte e figurinos: Nadine Trzmielina. Cenografia e fotos: Heron Medeiros. Confecção de figurino: Waldir Correa.

Colaboração: Adbailson Cuba, Alexandre Maradei, Maurício Garcia, Dione Carlos, Lucas Sancho, Cris Raséc, Flavio Luiz Alvares, Fabíola Alves, Ipojucan Pereira, Allan Moreira, Penélope Martins, Newton Saiki, Betinho Neto, Bruno Fracchia, Jackson França, Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT) e Alexandre Guedes (in memorian).

Realizada pelo Sesc Santos, a Mostra Manufatura de Monólogos reúne 11 espetáculos inéditos e autorais, criados e desenvolvidos entre jun/18 e jan/19 por artistas da Baixada Santista. O projeto voltado para as potencialidades criativas na área teatral da classe artística local conta com a orientação dos santistas Nelson Baskerville e Lubi, diretores renomados na cena teatral brasileira contemporânea. No dia 26/fev, às 20h, no Sesc Santos, os artistas e os orientadores realizam bate-papo aberto ao público, com mediação da dramaturga Dione Carlos.

#ManufaturaDeMonólogos: Diálogos sobre universo LGBTQ+ em ‘Cartas para Satã’

Por Corina de Assis e Felipe Veiga (Sesc Santos) | Foto: Bruna Quevedo

A obra cênica ‘Cartas para Satã’ compõe a mostra Manufatura de Monólogos, prevista para os dias 20 e 24/fev. A sessão gratuita será neste sábado (23/fev), às 19h30, no Teatro do Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136/Aparecida). Não recomendado para menores de 18 anos.

O espetáculo propõe, a partir da constatação da falta de perspectiva e da incomunicabilidade, um espaço de diálogo entre público e ator sobre o universo LGBTQ+, refletindo sobre o lugar de pertencimento da personagem em relação às suas crenças e sua subjetividade.

Com direção de Cris Rocha, dramaturgia de Betinho Neto, atuação de Jackson França, orientação de Nelson Baskerville e Luiz Fernando Marques Lubi, iluminação de Pedro Augusto, trilha sonora de Túlio Crepaldi. Cris Rocha e Jackson França também assinam o figurino e o cenário, este junto de Zé Valdir.

Realizada pelo Sesc Santos, a Mostra Manufatura de Monólogos reúne 11 espetáculos inéditos e autorais, criados e desenvolvidos entre jun/18 e jan/19 por artistas da Baixada Santista. O projeto voltado para as potencialidades criativas na área teatral da classe artística local conta com a orientação dos santistas Baskerville e Lubi, diretores renomados na cena teatral brasileira contemporânea. No dia 26/fev, às 20h, no Sesc Santos, os artistas e os orientadores realizam bate-papo aberto ao público, com mediação da dramaturga Dione Carlos.

 

#Manufatura de Monólogos: No palco, ‘Nostalgia do Amor Ausente’

Por Luiz Fernando Almeida | Foto: Bruna Quevedo

A obra cênica ‘Nostalgia do Amor Ausente’ compõe a mostra Manufatura de Monólogos, prevista para os dias 20 e 24/fev. A sessão gratuita será neste sábado (23/fev), às 21h, no Teatro do Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136/Aparecida). Não recomendado para menores de 16 anos. Baseado no conto do autor gaúcho, Walmor Santos, ‘Nostalgia do Amor Ausente’ que segue integralmente o nome dado na publicação, traz à tona a reflexão sobre a ausência do amor perdido. A montagem do monólogo propõe entre a loucura e a realidade que o espectador através de seu olhar, perceba e se sinta a vontade para mergulhar de modo poético nas dores ora da personagem, ora da atriz, ora de nós mesmos.

Perdão e amor, então, são os únicos sentimentos capazes de atenuar a crítica que, inevitavelmente impiedosa, não deverá jamais ser estéril ou esterilizante. Em tempos que militamos por tantas questões óbvias, ‘Nostalgia’ busca a reflexão de quanto ainda necessário a discussão sobre o amor e suas tantas nuances se fazem presentes, mesmo que ausentes. Na linha tênue em que traz a figura de Lúcifer, completamente entregue à dor do amor perdido, se choca com a dura realidade de nós humanos vomitando suas dores reais que simbolicamente todos mesmo sem permissão emocional já sentimos ou iremos experimentar.

A peça tem direção de Déia Oliveira e tem o texto adaptado e protagonizado por Pri Calazans. Orientação de Nelson Baskerville, iluminação e sonoplastia de André Cajaíba, operação de som por Emerson dos Santos, figurino de Gisele Bilotte e maquiagem assinada por Carol Sthanke e Felipe Sthan. A coreografia e orientação corporal de Lucas Onofre, o músico convidado e a preparação vocal de Marcelo Marinho, o bonequeiro Wagner Bastos e o apoio do Sirena Salon.

Realizada pelo Sesc Santos, a Mostra Manufatura de Monólogos reúne 11 espetáculos inéditos e autorais, criados e desenvolvidos entre jun/18 e jan/19 por artistas da Baixada Santista. O projeto voltado para as potencialidades criativas na área teatral da classe artística local conta com a orientação dos santistas Nelson Baskerville e Luiz Fernando Marques Lubi, diretores renomados na cena teatral brasileira contemporânea. No dia 26/fev, às 20h, no Sesc Santos, os artistas e os orientadores realizam bate-papo aberto ao público, com mediação da dramaturga Dione Carlos.