Arquivo da tag: teatro braz cubas

Homenagens marcam entrega do Prêmio Estandarte Santista 2019

Por Prefeitura de Santos | Foto: G1 Santos

A cerimônia de premiação da 6a edição do Estandarte Santista, realizada no palco do Teatro Municipal Braz Cubas, na noite da última terça-feira (12), teve muita emoção e samba no pé. A celebração foi marcada pelo ritmo dos sambistas da Cidade e pelas homenagens a seis personalidades que fizeram história no mundo samba.

Organizado graças à parceria entre o portal de notícias G1, Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess) e Secretaria Municipal de Cultura (Secult), o Estandarte é uma votação popular na qual o público escolhe bandas carnavalescas e escolas de samba preferidas, em dez quesitos. Segundo dados do G1, mais de 252 mil votos foram computados, em mais de um mês de votação.

A Botafogo foi escolhida como a Banda Mais Querida da Cidade, com mais de 36% dos votos, seguida das bandas Bebo Mas Não Travo (15,34%) e Jaú (14,66%). Já entre as escolas de samba, a União Imperial foi a agremiação mais premiada, com três troféus, inclusive de Melhor Desfile. Coube também à verde e rosa do Marapé, bicampeã do Carnaval santista, fazer o show de encerramento da festa.

Os homenageados da noite foram Mestre Bará, J. Muniz Jr., Zinho, Michelle Mibow, Aldinho e o Rei Momo 2019, Serginho Cipó, falecido na última quinta-feira (7), vítima de uma parada cardiorrespiratória. Ainda sob forte emoção, a viúva Maria de Lourdes Vicente da Graça agradeceu a homenagem: “Ele deve estar feliz em ver o carinho que todos vocês têm por ele”.

Resultado da votação do prêmio Estandarte Santista 2019

> Banda Mais Querida da Cidade: 1. Botafogo (36,29%); 2. Bebo Mas Não Travo (15,34%); 3. Jaú (14,66%)
> Grupo 1 – Melhor Escola: 1. Bandeirantes do Saboó (40,47%); 2. Imperatriz Alvinegra (36,05%); 3. Dragões do Castelo (7,87%)
> Grupo de Acesso – Melhor Escola: 1. Mãos Entrelaçadas (36,73%); 2. Padre Paulo (33,93%); 3. Brasil (16,12%)
> Grupo Especial – Alegoria, Melhor Desfile e Destaque: União Imperial | Baianas: Real Mocidade | Bateria: Unidos dos Morros | Comissão de Frente: Vila Mathias | Melhor Intérprete: Ricardo Reis, o Jacaré (Mocidade Amazonense) | Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Daniel Vitro e Andress Simpatia (Dependente do Samba) | Rainha de Bateria: Janaína Paiva (Mocidade Amazonense) | Samba-Enredo: X-9

 

10ª Conferência Municipal de Cultura ocorre no próximo dia 16

Por Secult Santos

‘Políticas Públicas Culturais e Liberdade Artística’. Este é o tema da 10ª Conferência Municipal de Cultura de Santos, que ocorre no Teatro Municipal Braz Cubas (2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão, Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vl. Mathias) no próximo sábado (16/mar), das 13h às 18h.

O evento tem a proposta de analisar e reafirmar ações previstas no Plano Municipal de Cultura (PMC), definir ações e eleger os membros da sociedade civil para o Conselho Municipal de Cultura (Concult) para o biênio 2019/2021. Os interessados em assistir e participar do encontro podem realizar a pré-inscrição neste link. Outras informações podem ser acessadas neste evento virtual.

Conselho de Cultura

O Concult é uma instância colegiada, de caráter consultivo e deliberativo, integrante da estrutura político-administrativa do Poder Executivo, constituído por membros do Poder Público e da Sociedade Civil. Ele tem como atribuições: opinar sobre questões que lhe sejam submetidas no âmbito de sua competência, colaborar com o secretário de Cultura na execução de programas e projetos culturais, quando realizados sob a responsabilidade da Prefeitura, e elaborar propostas, projetos e planos de atividades culturais.

Conferência

Realizada a cada dois anos, a Conferência integra o Sistema Municipal de Cultura – SMC (Lei Municipal 3293/16), que reafirma um acordo da Prefeitura com o Governo Federal de manter e ampliar as políticas culturais. A lei conceitua as dimensões da cultura, e cabe à Prefeitura assegurar aos cidadãos os direitos à identidade cultural, à diversidade cultural, à liberdade de criação e expressão, ao livre acesso e circulação do fazer artístico, à participação nas decisões da política cultural.

Baseado no modelo nacional, o SMC prevê que a cultura é um direito fundamental das pessoas, um vetor de desenvolvimento humano, social e econômico e, por isso, deve ser tratada como uma área estratégica para o desenvolvimento sustentável e para a promoção da paz.

3º Festival Bravo começa neste sábado; confira programação completa

Por Prefeitura de Santos

Quem aprecia música clássica tem uma semana inteira de programação gratuita a partir deste sábado (9/fev), com a realização do 3º Bravo! Festival de Música Orquestral. A abertura do evento ocorre às 19h30, no Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico), com as apresentações do Quarteto Caiçara, Quarteto Ybirá e do violinista Bruno Robalo, vencedor do concurso de solistas da última edição do festival.

Entre os próximos dias 11 e 16 estão programadas masterclasses, abertas ao público, com os músicos Wellington Rebouças (violino), Renato Bandel (viola), Joel de Souza Filho (violoncelo) e Thiago Araújo (trompete), além do maestro Marcelo Maganha (regência).

Inspirada nos grandes eventos de música clássica, a iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) selecionou 62 músicos para integrar o corpo estudantil do festival. No próximo dia 15 está programada a realização do Concurso Jovens Solistas, a partir das 14h, no Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). O encerramento do Bravo! está marcado para o mesmo local, no dia 17, às 18h, com concerto de gala de orquestra formada pelos jovens músico do corpo estudantil do evento.

Programação

> 09/fev | Sábado | 19h30 | Teatro Guarany | Concerto de Abertura;
> 11/fev | Segunda-feira | 16h às 18h | Teatro Braz Cubas | Masterclass com Wellington Rebouças (violino);
> 12/fev | Terça-feira | 16h às 18h | Teatro Braz Cubas | Masterclass com Renato Bandel (viola);
> 13/fev | Quarta-feira | 16h às 18h | Teatro Braz Cubas | Masterclass com Joel de Sousa (violoncelo);
> 14/fev | Quinta-feira | 16h às 18h | Teatro Coliseu | Masterlcass com Thiago Araújo (trompete);
> 15/fev | Sexta-feira | 14h às 18h | Teatro Braz Cubas | Concurso de jovens solistas;
> 16/fev | Sábado | 14h às 17h | Teatro Braz Cubas | Masterclass com maestro Marcel Maganha da Alpha Cursos (regência);
> 17/fev | Domingo | 18h | Teatro Braz Cubas | Concerto de Gala.

 

Em Santos, venda dos ingressos para desfile de Carnaval inicia dia 6

Prefeitura de Santos

A venda de ingressos para o Desfile Oficial das Escolas de Samba de Santos 2019 tem início nesta quarta-feira (6/fev), a partir das 9h, no Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). O evento ocorre nos dias 22 e 23/fev, quando as 17 agremiações desfilam na Passarela Dráuzio da Cruz (Av. Afonso Schmidt, Areia Branca).

Este ano a novidade é a volta das arquibancadas. Os convites para esse setor custam R$ 10, mas quem doar 1kg de alimento não-perecível, exceto sal e açúcar, paga R$ 5. Os mantimentos serão encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade. Também há venda de ingressos para as frisas, que custam R$ 40 – e R$ 20 para quem doar alimentos. Informações sobre venda de camarotes: (13) 3226-8027, em horário comercial.

Quem levar menores de 2 anos para o desfile, deve retirar o ingresso da criança, gratuito, no ato da compra do bilhete do responsável legal. Até esta sexta (8/fev), a bilheteria do Municipal funciona das 9h às 18h. A partir de 11/fev, a venda de ingresso ocorre das 9h às 12h e das 14h às 18h. É aceito apenas pagamento em dinheiro. O limite de convites é de quatro por pessoa.

Ordem dos desfiles

A primeira noite de desfile, dia 22/fev, será aberta com as escolas do Grupo 1 na seguinte ordem: Dragões do Castelo, Unidos da Baixada, Imperatriz Alvinegra, Bandeirantes do Saboó e Império da Vila. No mesmo dia vão desfilar as agremiações do Grupo de Acesso. Confira a sequência: Unidos da Zona Noroeste, Padre Paulo, Brasil e Mãos Entrelaçadas.

Na noite do dia 23, entra na avenida a elite do samba santista, com apresentação das oito escolas do Grupo Especial. Pela ordem do sorteio, apresentam-se Mocidade Dependente do Samba, Vila Mathias, Amazonense, União Imperial (atual campeã), X-9, Unidos dos Morros, Sangue Jovem e Real Mocidade Santista.

Com Renata Sorrah no elenco, espetáculo ‘Preto’ retorna a Santos

Por Prefeitura de Santos

Com direção de Marcio Abreu e atuações de Renata Sorrah, Cássia Damasceno, Felipe Soares, Grace Passô, Nadja Naira e Rodrigo Bolzan, além da participação do músico Felipe Storino, que executa a trilha sonora ao vivo, o espetáculo ‘Preto’, que participou do último Mirada – Festival Ibero Americano de Artes Cênicas de Santos, retorna à Cidade para duas sessões no Teatro Municipal Braz Cubas (2º andar do Centro de Cultura Patrícia Galvão – Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias).

Montada pela Companhia Brasileira de Teatro, a peça mergulha na investigação e na reflexão em torno das diferenças. As apresentações ocorrem nos dias 2/fev, às 21h, e 3/fev, às 20h. Os ingressos custam R$ 15,00 e R$ 30,00. Informações e vendas no site Ingresso Digital https://goo.gl/UpFgrb.

O drama tem início a partir da fala pública de uma mulher negra, em uma espécie de conferência sobre questões que incluem racismo, a realidade dos negros no Brasil de hoje, o afeto e o diálogo, a maneira como lidamos com as diferenças e como cada um se vê numa sociedade marcada pela desigualdade. A dramaturgia, assinada por Marcio em parceria com Grace Passô e Nadja Naira, começou a ser montada em 2015, durante residências artísticas no Brasil e na Alemanha.

Entre as referências básicas que alimentaram o processo de criação estão a obra de Joaquim Nabuco, intelectual e político abolicionista brasileiro que viveu no século XIX entre o Brasil e a Europa; o livro contemporâneo A Crítica da Razão Negra, do professor e cientista político camaronês Achille Mbembe, os escritos de Frantz Fanon, a literatura de Ana Maria Gonçalves e a da poeta e professora Leda Maria Martins, entre outros pensadores.

 

4º Fórum de Ballet e Dança apresenta ‘O Lago dos Cisnes’ em Santos

Por Secult Santos

O 4º Fórum de Ballet e Dança da Especial Academia, um dos mais importantes cursos de balé clássico da América Latina, chega ao fim nesta sexta-feira (25), às 20h, com a apresentação da montagem completa de O Lago dos Cisnes, no palco do Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). Os ingressos custam R$ 40 e têm preço promocional de R$ 30 até esta quarta-feira (23), na secretaria do evento (Rua Limeira, 119, Praia Grande). Na sexta, haverá venda de ingressos na bilheteria do Braz Cubas.

Dirigido e montado por Guivalde de Almeida, o “clássico dos clássicos” traz como protagonista Jullie Pinheiro, bailarina premiada nos mais prestigiados concursos de dança do mundo, como o de Varna e Moscou. Outra convidada especial é Andreza Randisek, primeira bailarina estrela do Ballet do Teatro Municipal de Santiago, que veio para ensaiar a obra. É a primeira vez que a artista faz esse trabalho no Brasil.

O fórum de balé ocorre desde o último dia 7, em Praia Grande, e tem como foco o balé clássico e suas vertentes. São oferecidas aulas de técnica clássica, técnica masculina, pontas, pas de deux, repertório tradicional e dança caráter. Na área da Pedagogia, o curso ofereceu aulas de qualificação para professores de baby class e ballet infantil, além de curso de metodologia. Paralelamente, os participantes fazem aula de dança contemporânea e uma oficina de maquiagem cênica.

O Lago dos Cisnes

A primeira apresentação do clássico ‘O Lago dos Cisnes’ foi em 1877, sob encomenda ao compositor Tchaikovsky, infelizmente, a sessão foi um fracasso. Anos depois, o príncipe Ivan Alexandrovich, diretor do Teatro Mariinsky de São Petersburgo, homenageou o autor com regência de Riccardo Drigo e coreogras de Marius Petipa e Lev Ivanov, tornando a obra atemporal. O enredo é o romance entre um príncipe e uma rainha que será enfeitiçada enquanto cisne até a jura de amor eterno.

 

‘Cinderela Brasileira’ leva sessões gratuitas de Bertioga a Santos

Informações da Casa3 | Foto: Rodrigo Montaldi

Uma história tradicional contada de uma maneira inusitada, com muitos causos. Assim é ‘Cinderela Brasileira’, versão do clássico Cinderela que reúne elementos da cultura nordestina. A montagem da Casa3 é co-realizada pelo Governo Estadual via ProAC.

A peça tem texto e direção de Kadu Veríssimo, que, no palco, contracena com Priscila Ribeiro, Zecarlos Gomes, Elias Tomais e Marcelo Wallez. A temporada gratuita nestes próximos dias será na Casa da Cultura de Bertioga (Av. Tomé de Souza, 130/Centro), no Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos) e no Teatro Procópio Ferreira (Av. D. Pedro 1º, 340/Guarujá).

Nessa versão que já percorreu 60 municípios com mais de 120 mil espectadores, Cinderela deixa de ser a jovem loura do vestido azul e passa a ser alguém comum, com quem o espectador se identifica. Com intenção de provocar a mudança do olhar, o espetáculo promove a quebra de estereótipo, destacando o conto e a cultura popular.

Na trama, um contador de causos apresenta personagens típicos do sertão nordestino, revelando a história de Cinderela Brasileira, a Gata Cangaceira. O clássico ganha uma nova roupagem e características amplamente conhecidas do nordeste brasileiro como sotaque arrastado, o cancioneiro e o jeito autêntico de um povo festeiro e sonhador.