Arquivo da tag: teatro braz cubas

‘Cinderela Brasileira’ leva sessões gratuitas de Bertioga a Santos

Informações da Casa3 | Foto: Rodrigo Montaldi

Uma história tradicional contada de uma maneira inusitada, com muitos causos. Assim é ‘Cinderela Brasileira’, versão do clássico Cinderela que reúne elementos da cultura nordestina. A montagem da Casa3 é co-realizada pelo Governo Estadual via ProAC.

A peça tem texto e direção de Kadu Veríssimo, que, no palco, contracena com Priscila Ribeiro, Zecarlos Gomes, Elias Tomais e Marcelo Wallez. A temporada gratuita nestes próximos dias será na Casa da Cultura de Bertioga (Av. Tomé de Souza, 130/Centro), no Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos) e no Teatro Procópio Ferreira (Av. D. Pedro 1º, 340/Guarujá).

Nessa versão que já percorreu 60 municípios com mais de 120 mil espectadores, Cinderela deixa de ser a jovem loura do vestido azul e passa a ser alguém comum, com quem o espectador se identifica. Com intenção de provocar a mudança do olhar, o espetáculo promove a quebra de estereótipo, destacando o conto e a cultura popular.

Na trama, um contador de causos apresenta personagens típicos do sertão nordestino, revelando a história de Cinderela Brasileira, a Gata Cangaceira. O clássico ganha uma nova roupagem e características amplamente conhecidas do nordeste brasileiro como sotaque arrastado, o cancioneiro e o jeito autêntico de um povo festeiro e sonhador.

 

Cinema, teatro e dança neste fim de semana em Santos

Por Secult Santos
.
‘David Lynch – A Vida de um Artista’ chega ao Cine Arte
.
Em uma jornada íntima, o documentário ‘David Lynch – A Vida de um Artista’ narra os anos que formaram a vida do cineasta responsável por filmes como ‘O Homem Elefante’. ‘Eraserhead’, ‘Veludo Azul’ e ‘Cidade dos Sonhos’, além da cultuada série ‘Twin Peaks’.
.
Desde sua criação em uma pequena cidade até a vida nas ruas escuras de Filadélfia, acompanhamos Lynch, que traça os eventos principais para a sua formação. Em cartaz de quinta-feira (30) ao próximo dia 6. Sessões às 16h, 18h30 e 21h. Cine Arte Posto 4. Orla do Gonzaga, próximo ao Canal 3. Os ingressos custam R$ 1,50 (meia) e R$ 3,00. Classificação: 12 anos.
.
Trilogia Miyamoto Musashi continua na Cinemateca
.
A Cinemateca de Santos exibe o último filme da trilogia baseada no renomado romance ‘Musashi’, escrito por Eiji Yoshikawa e publicado em capítulos no Japão, em 1935, no jornal Asashi Shimbun: ‘Samurai III: Duelo na Ilha Ganryu’. Sábado (2). 20h. Rua Xavier de Toledo, 42. Gratuito.
.
‘O Pequeno Príncipe’ é dica no Coliseu 
.
A Academia Contra Passo apresenta espetáculo inspirado na obra do escritor, ilustrador e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry. Sexta-feira (1º), sábado (2) e domingo (3), às 20h30. Teatro Coliseu (R. Amador Bueno, 237). Ingressos de R$ 60 a R$ 160.
.
‘Moana – Um Show de Aventuras’ estará em dança no Municipal
.
Montado pela Engenharia da Dança, o espetáculo é inspirado no desenho produzido pelo Walt Disney Animation Studio. Ambientado na Polinésia antiga, se desdobra quando uma terrível maldição atinge a ilha onde vive Moana. Sessões: dias 6 e 7, às 20h, e dia 8 às 20h30. Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48). Entrada a R$ 80.
.
Domingo (3) traz ‘Corcunda de Notre Dame’
.
Com interpretação da Oficina de Atores de São Paulo – Pinheiros e do Grupo TECE de Teatro Experimental, o conto de Victor Hugo traz a história do corcunda que toca os sinos da Catedral de Notre Dame, em Paris.
.
Ao se apaixonar por uma cigana, ele deve enfrentar a ira de um juiz com más intenções e o julgamento da população. A adaptação e direção são de Niveo Diegues. Domingo (3). 15h. Teatro Guarany (Praça dos Andradas). Ingressos a R$ 40.

Quatro companhias de dança se apresentam no Teatro Braz Cubas

Por Secult Santos
.
A adaptação da Academia de Dança Ludmila Freitas do balé ‘Coppélia’ narra a história de uma camponesa que fica enciumada com a presença de uma menina nova na vila. Ela e suas amigas entram na casa da rival e descobrem vários brinquedos. Mas percebem mesmo que a menina na verdade é uma boneca.
.
O espetáculo apresenta coreografias de balé clássico, jazz, sapateado americano, sapateado irlandês, contemporâneo e dança flamenca. As sessões serão nesta sexta-feira (3/nov), às 18h30 e 21h, no Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos). Ingressos de R$ 25 a R$ 50.
.
Por sua vez, o espetáculo ‘Estúdio Alessandro Cardoso e Convidados’ comemora os 20 anos do Estúdio de Dança Alessandro Cardoso. Um dos convidados a se apresentar será o apresentador, cantor e dançarino Yudi Tamashiro. A sessão será quarta-feira (1º/nov), às 20h, também no Teatro Braz Cubas. Ingressos a R$ 40.
.
Já o Studio Osíris de Dança apresenta o espetáculo ‘O Mundo Fantástico da Disney’, inspirado nos personagens criados pela companhia de animação norte-americana. A sessão será neste sábado (4/nov), às 20h30, no Teatro Braz Cubas, com entradas entre R$ 30 e R$ 60.
.
Ainda, no mesmo local, acontece o espetáculo ‘Rodas na Areia’, do Studio Las Cia de Dança, que traz bailarinos em cadeira de rodas e dança esportiva. Será neste domingo (5/nov), às 19 horas, com ingressos a R$ 15.

‘A Terra pode ser chamada de Chão’ em cartaz no Teatro Braz Cubas

Por ONG TamTam
.
Mais de 70 pessoas, entre técnicos, elenco e direção participam da nova sessão do espetáculo ‘A Terra pode ser chamada de Chão’. A peça será apresentada no dia 22/out, às 19h, no Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos). Os ingressos a R$ 15 podem ser obtidos na ONG TamTam, no mesmo endereço. Informações: 97408-7395.
.
Concebida e dirigida por Renato Di Renzo, a obra de teatro físico é pensada a partir da ‘Carta da Terra’ (Unesco/2000), refletindo sobre o fio condutor do documento internacional: “Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a Humanidade deve escolher o seu futuro.”
.
A partir do próprio figurino e objetos cênicos – completamente reutilizados -, o diretor propõe um olhar ampliado e sensível sobre a geração de uma sociedade sustentável global, baseada no respeito a natureza, nos direitos humanos universais, na justiça e na cultura da paz e da inclusão.
.
A primeira edição deste trabalho esteve no Festival Internacional de Teatro em Portugal no ano de 2009 e foi apresentada numa versão menor, com 23 participantes, sendo totalmente entendida e absorvida pelo público presente, que demonstrou emoção e sensibilidade com uma altíssima receptividade, por crianças, jovens, adultos e idosos, no Teatro São Pedro na cidade de Abrantes.
.
Ficha Técnica |  Concepção e Direção: Renato Di Renzo; Assistência: Thays Ayres; Produção: Claudia Alonso; Iluminação: Jeferson Silva; Sonoplastia e Sonorização: Genesis Robson, Sol Martinez, Luiz Arcas, Rogério Dias e Rosângela Santos; Preparação Corporal: Claudia Alonso; Maquiagem: Thays Ayres e equipe; Fotografia: Fernando Alonso e Priscilla Novaes; Técnica e Cenotécnica: Mariana Salgado, Gilvan Xavier, Jucilene Bueno, e Angela Fortes.

Instituto GPA abre inscrições para cursos musicais em Santos

Por Secult Santos

O Instituto Grupo Pão de Açúcar (GPA) abre nesta terça-feira (1º), inscrições gratuitas para o Programa de Música e Orquestra Instituto GPA. Até o dia 11 de agosto, jovens de 10 a 18 anos de idade podem se candidatar para aulas de violino, viola, violoncelo ou contrabaixo.

Interessados devem comparecer de segunda a sexta-feira, no estacionamento coberto do hipermercado Extra (Av. Dona Ana Costa, 340, Gonzaga), em frente aos caixas eletrônicos, portando RG e comprovante de residência. Menores de idade devem vir acompanhados de um responsável.

Os cursos têm duração de 2 anos, com duas aulas semanais de uma hora e meia, realizadas no mesmo local onde ocorrerá a inscrição. Não é necessário possuir nenhum tipo de conhecimento musical e o aluno não precisa ter o instrumento. Informações pelo telefone 3223-1900.

Concerto no Teatro Municipal

No próximo dia 25, às 20h, a Orquestra do Instituto GPA realiza concerto gratuito no Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). Formada em 2000, exclusivamente por jovens que passaram pelo programa de música, conta atualmente com dois grupos de musicistas, compostos por até 40 jovens cada, com idades entre 12 e 21 anos.

A proposta da Sinfônica é levar a música clássica com apresentações gratuitas e abertas. Os concertos são didáticos e o público é convidado a participar do espetáculo. Com mais de 800 concertos no currículo e um público de mais de 300 mil pessoas, a Orquestra Instituto GPA se apresenta por todo o Estado de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e também fora do Brasil. Já executou concertos na Argentina, Estados Unidos, França e Itália, sempre sob a batuta do Maestro Daniel Misiuk.

 

 

Cia. de Dança de Cubatão traz espetáculo ao Teatro Braz Cubas

Por Secult Santos

Um dos corpos estáveis de artes mantidos pela Prefeitura Municipal de Cubatão, a Cia. de dança de Cubatão apresenta o espetáculo ‘Gala’ nesta segunda-feira (15), às 20h, no Teatro Municipal Braz Cubas (2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão).

A performance, que tem a participação de convidados especiais, objetiva arrecadar recursos para financiar a viagem do grupo ao ‘Valentina Kozlova International Ballet Competition’, que ocorre no próximo mês, na cidade norte-americana de Nova York.

Oficializados por meio da Lei 3232 de 04/04/08, o grupo cubatense é composto por 24 bailarinos e, desde 2009, está sob a direção artística de Vanessa Toledo e do coreógrafo Zeca Rodrigues.

Os ingressos custam R$ 20,00. Informações sobre a venda das entradas no telefone 97406-1939 ou na página da Companhia no Facebook (https://goo.gl/1ntUjq). O Centro de Cultura Patrícia Galvão fica na Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias.

 

Festival Arte e Trabalho: ‘A Terra pode ser chamada de chão’

Por TamTam

Dentro do Festival Arte & Trabalho, o espetáculo ‘A Terra pode ser chamada de chão’, da Cia TamTam, será apresentada neste sábado (dia 6), às 20h, no Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos). A entrada é franca. A concepção e direção é de Renato Di Renzo, com assistência de Thays Ayres e produção de Maria Teresa Teixeira e Claudia Alonso.

‘A Terra pode ser chamada de chão’ é uma obra de teatro físico, intensa e poética. Pensada a partir da ‘Carta da Terra’ (aprovada pela Unesco em 2000), a peça reflete e sensibiliza sobre o fio condutor do documento: “Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a Humanidade deve escolher o seu futuro.”

Entre técnicos, direção, coreógrafo e elenco, mais de 70 pessoas entre 12 e 65 anos estão envolvidos neste novo processo, que traz à tona a discussão sobre um mundo cada vez mais interdependente e frágil, onde todos nós enfrentamos grandes problemas ao lado de grandes promessas. E, que homem criamos ou queremos criar? De que forma lidamos com as relações humanas e sua capitalização ou sua massificação?

A primeira edição deste trabalho esteve no Festival Internacional de Teatro em Portugal no ano de 2009 e foi apresentada numa versão menor, com 23 participantes, sendo totalmente entendida e absorvida pelo público presente, que demonstrou emoção e sensibilidade com uma altíssima receptividade, por crianças, jovens, adultos e idosos, no Teatro São Pedro na cidade de Abrantes.