Arquivo da tag: UNESCO

Itaú Cultural abre novas turmas para especializações em gestão cultural

Por Itaú Cultural

O Itaú Cultural oferece em 2019 dois cursos inteiramente gratuitos ‘Especialização em Gestão e Políticas Culturais’ e ‘Especialização em Gestão Cultural Contemporânea: da Ampliação do Repertório Poético à Construção de Equipes Colaborativas’. O primeiro curso terá inscrições de 5 a 22/fev, tendo a divulgação dos pré-selecionados em 9/abr e resultado final anunciado em 28/jun, enquanto o segundo curso terá inscrições de 12/mar a 11/abr e resultado anunciado em maio. Os editais serão publicados em: http://www.itaucultural.org.br.

> Especialização em Gestão e Políticas Culturais

Em sua 11ª turma – e em parceria com a Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Cooperação, da Universidade de Girona (Espanha) –, o curso é composto de cinco módulos presenciais na sede do instituto, além de disciplinas virtuais e entrega de trabalhos. Para realizar a inscrição, o candidato deve estar vinculado profissionalmente a uma instituição cultural, ter atuação comprovada de três anos, no mínimo, em uma instituição cultural, ser formado preferencialmente na área de ciências humanas ou sociais aplicadas ou em artes e apresentar carta da instituição onde trabalha com o compromisso de ser liberado para realizar as aulas presenciais.

> Especialização em Gestão Cultural Contemporânea: da Ampliação do Repertório Poético à Construção de Equipes Colaborativas

Com foco no embasamento poético-teórico e ênfase na arte brasileira, este curso em parceria com o Instituto Singularidades parte de uma visão abrangente das artes comparadas para discutir questões como o colaborativo, liderança e mediação de público, visando complementar a atuação do gestor. O curso, também direcionado a profissionais com experiência comprovada em atividades de gestão cultural, é formado por nove módulos, com aulas ministradas por educadores e artistas. Saiba mais em: atendimento@itaucultural.org.br.

 

‘A Terra pode ser chamada de Chão’ em cartaz no Teatro Braz Cubas

Por ONG TamTam
.
Mais de 70 pessoas, entre técnicos, elenco e direção participam da nova sessão do espetáculo ‘A Terra pode ser chamada de Chão’. A peça será apresentada no dia 22/out, às 19h, no Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos). Os ingressos a R$ 15 podem ser obtidos na ONG TamTam, no mesmo endereço. Informações: 97408-7395.
.
Concebida e dirigida por Renato Di Renzo, a obra de teatro físico é pensada a partir da ‘Carta da Terra’ (Unesco/2000), refletindo sobre o fio condutor do documento internacional: “Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a Humanidade deve escolher o seu futuro.”
.
A partir do próprio figurino e objetos cênicos – completamente reutilizados -, o diretor propõe um olhar ampliado e sensível sobre a geração de uma sociedade sustentável global, baseada no respeito a natureza, nos direitos humanos universais, na justiça e na cultura da paz e da inclusão.
.
A primeira edição deste trabalho esteve no Festival Internacional de Teatro em Portugal no ano de 2009 e foi apresentada numa versão menor, com 23 participantes, sendo totalmente entendida e absorvida pelo público presente, que demonstrou emoção e sensibilidade com uma altíssima receptividade, por crianças, jovens, adultos e idosos, no Teatro São Pedro na cidade de Abrantes.
.
Ficha Técnica |  Concepção e Direção: Renato Di Renzo; Assistência: Thays Ayres; Produção: Claudia Alonso; Iluminação: Jeferson Silva; Sonoplastia e Sonorização: Genesis Robson, Sol Martinez, Luiz Arcas, Rogério Dias e Rosângela Santos; Preparação Corporal: Claudia Alonso; Maquiagem: Thays Ayres e equipe; Fotografia: Fernando Alonso e Priscilla Novaes; Técnica e Cenotécnica: Mariana Salgado, Gilvan Xavier, Jucilene Bueno, e Angela Fortes.

Mostra de curtas Cidades Criativas seleciona 30 filmes rodados na Cidade

Por Secult Santos

Entre os dias 7 e 9 de julho, dentro da programação do Festival Santos Café 2017, a Secretaria Municipal de Cultura (Secult) realiza a 1ª Mostra Santista de Curtas Cidades Criativas. A iniciativa é voltada a realizadores residentes na Baixada Santista, que poderão apresentar suas produções audiovisuais de curta-metragem, obrigatoriamente filmadas em Santos, em sessões realizadas no Museu Pelé (Largo Marquês de Monte Alegre, 1, no Valongo). Além do conteúdo local, a programação também exibirá filmes da Mostra Internacional Cidades Criativas, com 30 produções da Rede Unesco, de países como Itália, Afeganistão, Coreia do Sul e Irlanda.

Para a mostra local serão escolhidos dez filmes, cada um com duração máxima de 15 minutos, sem necessidade de ineditismo. Os interessados em participar do projeto devem encaminhar as obras até as 18h do dia 20 de junho, em extensão .mov e resolução 1920X1080, para o e-mail cidade.criativa.audiovisual@gmail.com, com o título ‘Mostra Cidades Criativas’. Também é solicitado que os vídeos sejam inseridos nos sites You Tube ou Vimeo (preferencialmente). Caso haja senha para acesso, a mesma deverá ser encaminhada com o link. Outros dados necessários para a confirmação do cadastro são nome do filme; nome do diretor(a), com breve currículo; sinopse do filme; e ficha técnica.

A seleção dos dez trabalhos da Baixada Santista participantes da mostra será realizada por comitê curador composto por Raquel Pellegrini (Secult), Paula Quagliato (Secretaria Municipal de Governo), Júnior Brassalotti (Conselho Municipal de Cultura) e Carlos Cirne (Conselho Municipal de Cultura). O chamamento público para a Mostra Santista de Curtas Cidades Criativas foi publicado na edição desta sexta-feira (12) do Diário Oficial de Santos, na página 7, na Portaria 01/2017, da Secult.

Festival Arte e Trabalho: ‘A Terra pode ser chamada de chão’

Por TamTam

Dentro do Festival Arte & Trabalho, o espetáculo ‘A Terra pode ser chamada de chão’, da Cia TamTam, será apresentada neste sábado (dia 6), às 20h, no Teatro Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos). A entrada é franca. A concepção e direção é de Renato Di Renzo, com assistência de Thays Ayres e produção de Maria Teresa Teixeira e Claudia Alonso.

‘A Terra pode ser chamada de chão’ é uma obra de teatro físico, intensa e poética. Pensada a partir da ‘Carta da Terra’ (aprovada pela Unesco em 2000), a peça reflete e sensibiliza sobre o fio condutor do documento: “Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a Humanidade deve escolher o seu futuro.”

Entre técnicos, direção, coreógrafo e elenco, mais de 70 pessoas entre 12 e 65 anos estão envolvidos neste novo processo, que traz à tona a discussão sobre um mundo cada vez mais interdependente e frágil, onde todos nós enfrentamos grandes problemas ao lado de grandes promessas. E, que homem criamos ou queremos criar? De que forma lidamos com as relações humanas e sua capitalização ou sua massificação?

A primeira edição deste trabalho esteve no Festival Internacional de Teatro em Portugal no ano de 2009 e foi apresentada numa versão menor, com 23 participantes, sendo totalmente entendida e absorvida pelo público presente, que demonstrou emoção e sensibilidade com uma altíssima receptividade, por crianças, jovens, adultos e idosos, no Teatro São Pedro na cidade de Abrantes.

 

‘Rio-Santos Jazz Fest’ oferece shows gratuitos no Guarany

O jazz, um dos principais alicerces da música popular, ecoará no Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico) nesta sexta-feira (29) e sábado (30), durante o ‘Rio-Santos Jazz Fest 2016’, evento que reúne nomes como Edinho Godoy e Banda, Kleber Serrado, Mauricio Fernandes, Bruno Vincenzi, Ricardo Baldacci Trio, João Senise & Gilson Peranzzetta, Zeca Assumpção e Indiana Nomma & Osmar Milito Trio. Outra atração é o grupo Jazz Walkers, que, honrando o nome, se apresenta em uma caminhada pelas ruas do Centro Histórico.

Com o objetivo de trazer entretenimento para o público da Baixada Santista, o festival celebrará a Semana Municipal do Jazz (criada pela lei no. 2.973, de 14 de março de 2014). O Rio-Santos Jazz Fest também está inscrito na Unesco como evento oficial do International Jazz Day 2016, comemorado em 30 de abril e celebrado em diversas cidades do mundo.
Toda a programação é gratuita. Outras informações podem obtidas no site http://www.riosantosjazzfest.com.br.

Confira a programação:

Sexta-feira (29)
19h30 – Edinho Godoy & banda. Participação de Kleber Serrado
21h – Maurício Fernandes Quarteto. Participação de Bruno Vincenzi

Sábado (30)
12h – Abertura na Praça Mauá com a banda Jazz Walkers – cortejo pelas ruas do Centro (em caso de chuva, o evento será transferido para o foyer do Teatro Guarany, com início previsto para as 17h)
18h – Ricardo Baldacci Trio. Lançamento nacional do CD ‘Brothers in Swing’
19h30 – João Senise & Gilson Peranzzetta. Participação de Zeca Assumpção. Lançamento nacional do CD ‘João Senise Celebrando Sinatra – Ao vivo’
21h – Indiana Nomma & Osmar Milito Trio. Lançamento nacional CD ‘Unexpected’

Serviço
Rio-Santos Jazz Festival
Dias 29 e 30 de abril
Teatro Guarany
Praça dos Andradas, 100, Centro
Gratuito

*Prefeitura de Santos

 

Emergências: Ex-relator da ONU defende direitos culturais contra Facebook

Um ex-relator da ONU presidirá uma comissão do Ministério da Cultura (MinC) para a defesa dos direitos culturais na Internet. A comissão ainda não está definida, mas deverá contar com acadêmicos e intelectuais de renome do Brasil e da América Latina. O objetivo é a apresentação do relatório numa audiência pública no OEA (Organização dos Estados Americanos), nos Estados Unidos, em abril de 2016.

> Confira a cobertura do blog aqui
> Confira as notícias do site do evento

Esta iniciativa foi anunciada pela consultora jurídica do MinC, Clarice Calixto, durante o Emergências, evento realizado pela própria instituição sobre ativismo cultural global entre os dias 7 e 13 de dezembro no Rio de Janeiro.

A necessidade, segundo ela, deu-se principalmente após o Facebook bloquear por duas vezes este ano a divulgação de postagens com nudez artística. No dia 19 de abril, a página do MinC ficou 48 horas fora do ar por ter publicado uma imagem de uma família indígena nua comemorando a data. Mais recentemente, a mesma situação se repetiu quando se republicou a foto do disco de capa da cantora Karina Buhr, com nudez frontal de seus seios.

Facebook acima da Constituição?

O Ministério da Cultura entende que é inviolável o direito cultural e a liberdade de expressão para nudez artística, ainda mais sem o contexto de sexualização dos corpos. Ambos os direitos se encontram perante a Constituição. “A Constituição não é condicionada apenas na relação do Estado com os particulares, mas com os particulares entre os particulares. E se o Facebook é uma plataforma global que se instala também no Brasil, ela precisa estar sujeita às leis do País”, argumenta Clarice.

De acordo com ela, a campanha do Ministério da Cultura para liberdade de expressão e direitos culturais ganhou apoio dos ministérios do setor em um encontro latinoamericano em Cuba. Ao mesmo tempo, a ONU também abre espaço para esta discussão, ainda mais que o Facebook já se encontra com o monopólio de rede social de 1,5 bilhão de pessoas. A iniciativa rendeu uma reunião do MinC com a representação do Facebook no Brasil.

Clarice descreve que a representante alegou que faz parte da política de uso do Facebook a proibição de fotos de nudez, com exceção de imagens pós-cirúrgicas, e que por ser uma empresa norte-americana, só deve respeitar a Constituição de seu país. “Ela comentou que nos EUA, é visto como ruim esse tipo de expressão, já que o povo de lá é mais puritano. O Juca [Ferreira, ministro] respondeu: ‘o problema do puritanismo já é tema passado no Brasil. Tenho muitos problemas aqui, não me leve mais problemas de seu país. Revisem a política de uso'”.

*Lincoln Spada

 

Santos recebe título de Cidade Criativa em Cinema da Unesco

Santos entrou para o seleto grupo das ‘cidades criativas do cinema’. Neste quesito, o município é um dos oito, em todo o mundo, a integrar a Rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), ao lado de Roma (Itália), Bitola (Macedônia), Sofia (Bulgária), Galway (Irlanda), Sydney (Austrália), Busan (Coréia do Sul) e Bradford (Inglaterra). O anúncio oficial foi feito na última sexta-feira (11). Entre 47 novos integrantes, de 33 países, em sete campos criativos (cinema, artesanato e arte popular, design, gastronomia, literatura, artes de mídia e música), a Cidade foi a única eleita no Brasil.

“Este é um trabalho que vem sendo desenvolvido pela Prefeitura desde 2014. Começou em reuniões sobre o incentivo à economia criativa na Cidade, envolvendo diversos segmentos municipais. Foi quando surgiu a ideia de se pleitear o selo da Unesco, e a área do cinema teve destaque”, disse a coordenadora de Cinemas da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), Raquel Pellegrini, que participou dos trabalhos para a conquista da certificação ao lado de Tammy Weiss (Instituto Querô), Niedja de Andrade Silva (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico) e Paula Quagliato (Relações Internacionais da Prefeitura de Santos) e Paula Orsatti, da Unimonte, instituição apoiadora do projeto.

“Temos aqui uma grande produção cinematográfica, cursos de formação em Cinema, festivais como o Curta Santos, o trabalho social desenvolvido pelo Instituto Querô, a Santos Film Comission e um amplo histórico de exibições de filmes, com três salas públicas e 22 particulares, além de sessões em espaços alternativos como as tendas de verão da orla, a Concha Acústica e a Cinemateca. E em breve ainda teremos mais três salas públicas de cinema, uma na Vila Nova, no Cine Escola, gerido pelo Instituto Querô, e outras duas nos morros, nos Centros Culturais da Vila Progresso e Penha”.

Intercâmbio e incentivo à produção

De acordo com Raquel Pellegrini, o reconhecimento proporciona um importante intercâmbio com as demais cidades detentoras do título.
“Haverá esse intercâmbio internacional com as cidades da rede para troca de experiências, conhecimento e a exibição das obras dos Países contemplados. Também há contrapartidas para o município, que deve incentivar políticas públicas para o setor, fortalecer a Santos Film Comission e gerar possibilidades reais de crescimento e acesso ao Cinema”.

A Rede de Cidades Criativas foi lançada em 2004 e atualmente conta com 116 membros. O objetivo principal é promover a cooperação internacional entre os locais que investem na criatividade, por meio de um bom desenvolvimento urbano sustentável, inclusão social e vitalidade cultural. Confira mais detalhes sobre o trabalho desenvolvido em Santos no site http://www.santoscidadecriativa.com.br.

*Prefeitura de Santos