Arquivo da tag: usrec

Direitos Humanos e Hip Hop pautam mostra na Vila Criativa

Por Lincoln Spada

Os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos pauta o evento do Muito Prazer! Meu Nome é Hip Hop (MPMNH2). A mostra ‘Direitos Humanos sob a ótica do Hip Hop’ será nestá neste sábado (8/dez), das 15h às 21h, na Vila Criativa da Vila Nova (Praça Rui Ribeiro Couto, s/nº/Santos), com apoio da Prefeitura. A entrada é franca.

O encontro visa ressaltar a importância dos quadros elementos da cultura de rua na luta pelas liberdades fundamentais, combate à discriminação racial e desigualdade social. A abertura contará com a performance ‘Girando o Mundo’, do rapper Pedrinho da Rima (15h), seguido de bate-papo sobre o tema do evento (15h30).

A programação também terá live paint com grafiteira convidada (16h), performance da dança ‘Direto ao Assunto’, do Mad Feeling Crew (16h30), tempo poético com Slam dos Andradas e convidados (17h), duelo de rimas com MCs da região e discotecagem de Mamuth DJ (18h). Ainda, batalha de Breaking 1 x 1 com DJ Dog (18h30) e pocket show com bandas do Festival de Juventude, Fragmentes, USREC e MOÇ, além da rapper Jordana Tostes (20h).

 

Com tema ‘Trevas – A Utilização dos Espaços Públicos’, tem sarau na Vila do Teatro

Por Vila do Teatro

Com o tema ‘Trevas – A utilização dos espaços públicos’, a Vila do Teatro realiza o seu tradicional sarau neste domingo (dia 30), a partir das 17h30, na sua sede, na Praça dos Andradas. O evento tem início com a sessão do espetáculo ‘Blitz – O Império que nunca dorme’, da Trupe Olho da Rua. Seguindo a ordem e o progresso nacional, nada mais (in)conveniente que passar por uma blitz (do alemão blitzkrieg, “guerra-relâmpago”, ou ataque repentino), ou ter seus direitos violados pelo Estado.

A opressão que o brasileiro vive hoje nas ruas, seja em meio a manifestações ou indo comprar pão na esquina é levada de forma satírica e mordaz pelo grupo, seja suscitando a discussão sobre a desmilitarização da polícia e o exacerbado militarismo como resquício do período ditatorial ou como diria Brecht “um grande divertimento quanto aos tempos de barbárie”.

Após o espetáculo, às 19 horas, haverá um bate-papo com coletivos artísticos realizadores de ocupações em espaços públicos na Baixada Santista. E, às 21h30, o microfone estará aberto no sarau. Entre as presenças confirmadas, Natt Matt, Usrec – Coletivo de Rap, Raquel Rollo (com batucada poética), Corsários de la Cumbia e Litha Afrontite (Discotecagem), o bar Rabo de Galo e a exibição do curta-metragem ‘Por trás do cartão postal’.