Arquivo da tag: vanessa toledo

Censura: Prefeitura de Cubatão suspende mostra imaginária no Anilinas

Por Lincoln Spada

Exatamente há uma semana, a Prefeitura Municipal de Cubatão comunicou em nota a suspensão de uma exposição fotográfica no Galpão Cultural, prevista para 21/mar. A nota lançada na antevéspera do evento foi abordada como uma censura pelos artistas do espaço e da região nas redes sociais.

Ora 2019, ora 1964, censura tem o mesmo significado no dicionário: aprovação ou desaprovação prévia de circulação de obra artística ou informativa com base em critérios morais ou políticos. Assim, usaremos o termo. E considerando o cartaz virtual do evento reproduzindo tarjas críticas ao quadro de nudez renascentista, ‘O Nascimento de Vênus’, a metalinguagem foi aplicada na cidade da Rainha das Serras.

Ironia maior é que nenhum membro da Prefeitura analisou o conteúdo das peças antes do anúncio do cancelamento. A razão: a mostra fotográfica jamais existiu. O que já estava planejado há 20 dias e ocorreu no ‘Toda Quinta Tem‘ era poesias, música acústica, discotecagem, esquete teatral e, no máximo, desenhos em formato A5, no Galpão Cultural – ocupação artística de coletivos locais no Parque Anilinas.

O parque é gerido pela Secretaria de Turismo, mas a mostra imaginária teve o seu anúncio censurado em reunião emergencial na tarde de 19/mar a pedido da secretária municipal de Cultura a um membro do Galpão. Bailarina e diretora artística premiada no exterior, a titular da pasta estava acompanhada do secretário de Comunicação Social, ex-assessor especial do Ministério da Cultura.

Noutros anos, cancelamentos de atividades culturais por viés moralista ou político já foram repreendidos publicamente por ministros do setor. Por exemplo, Roberto Freire abordou em 2017 sobre o fechamento do ‘QueerMuseu’: “O fundamental é destacar o erro da decisão de proceder o fechamento da exposição (…). Quem fecha exposições de arte – e aqui, cabe repetir, não importando saber o juízo de valor das obras – é a ditadura”.

Em nota, o Galpão Cultural informou que “nos foi posto que a arte de promoção do evento havia causado constrangimento em uma parcela da sociedade, chegando ao conhecimento do prefeito, que solicitou que providências fossem tomadas, pondo em risco a continuidade de seu trabalho frente a secretaria”. Se é optativo gostar de Bouguereau, segundo os artistas, não houve alternativa para inserir classificação indicativa ou até retirar só as tais peças, mas excluir a suposta exposição como um todo.

A Revista Relevo solicitou informações da Prefeitura em 22/mar sobre esta mostra fotográfica (nome, autoria, quantidade de obras e razões para não ser realizada), se houve interferência direta do prefeito, e se concordava que houve um ato de censura. Considerada como suspensão, a revista questionou a data de lançamento da tal exposição. Não houve resposta.

De fato, o ‘Toda Quinta Tem’ concentrou dezenas de jovens e artistas, como também dos presidentes dos conselhos de Cultura de Cubatão e de Santos, Thiago Garcia e Júnior Brassalotti. Não houve representantes oficiais da Prefeitura para acompanhar ou esclarecer sobre as eventuais obras censuradas. Todas as ações propostas pelo Galpão Cultural ocorreram, até citando a classificação indicativa no início das atrações.

 

Condepac não pretende judicializar preservação do patrimônio cultural de Cubatão

Por Gilson Miguel (Prefeitura de Cubatão)

A nova composição do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Cubatão – Condepac assumiu o compromisso de não judicializar as questões que envolvam a preservação cultural da cidade. A mais recente reunião ordinária aconteceu nesta quinta-feira (7/fev) na presença do prefeito Ademário Oliveira. A mesa renovou a disposição de agir com muita responsabilidade para garantir desenvolvimento com oportunidades de trabalho e renda para a população.

Ao apresentar os novos conselheiros, o presidente Carlos Augusto Costa , o Buda, afirmou ao prefeito que a existência do Conselho não deve estar atrelado somente ao tombamento de bens materiais e imateriais e que essa gestão do Condepac vai trabalhar forte para preservar o patrimônio cultural, porém não para engessar a cidade, impedindo o desenvolvimento.

“Vamos implantar políticas públicas que conciliem preservação cultural com garantia de oportunidades de crescimento para nossa comunidade”, disse Buda. Explicou ainda que o Conselho está unido e que ao afirmar que não vai judicializar as questões, é porque pretende utilizar o Ministério Público como última e derradeira instância: “Nossa determinação é sempre de conversar com a secretária de Cultura, Vanessa Toledo, com todos no governo e com o próprio prefeito para que encontremos um consenso”.

Ao cumprimentar o presidente e os novos conselheiros, Ademário Oliveira reconheceu a experiência e qualidade técnica de cada um dos integrantes e, principalmente, a capacidade de manter o diálogo “sem perder a imparcialidade e a independência de ação”, segundo o prefeito. Mas, principalmente, Ademário reconheceu o espírito democrático do grupo e desejou a todos boa sorte e maior celeridade nos processos de preservação.

O vice-prefeito, Pedro Sá, que participou da reunião juntamente com o secretário de Comunicação, Fabiano Caldeira, insistiu para que o Conselho tenha a percepção da necessidade de investimentos na cidade com a criação de novos empregos. “Proponho que antes de pensar em tombamento, o Conselho pense em preservação. Mas, preservação com legislação específica e com meios seguros de manter preservado o nosso patrimônio histórico”.

Os novos conselheiros

Carlos Augusto Costa (Câmara Municipal), Welington Ribeiro Borges (Secretaria de Cultura), Amaury Barros de Souza e Gilberto Oliveira Serqueira (Secretaria de Obras), Sílvio Gomes (Secretaria de Planejamento), Ana Beatriz dos Santos (Secretaria de Assuntos Jurídicos), Patrícia Cristina dos Santos Barbosa (Secretaria do Meio Ambiente), e representantes da sociedade civil: Cláudia Dias de Castro (AEA), Fabiana Pereira dos Santos (OAB), José Carlos Rodrigues (ACIC), Leandro da Silva Alonso (Unisantos), Antônio de Pádua Maia Azevedo (ACCEC) e Leonardo Branco (IHGSV – Instituto Geográfico).

 

Cia. de Dança de Cubatão traz espetáculo ao Teatro Braz Cubas

Por Secult Santos

Um dos corpos estáveis de artes mantidos pela Prefeitura Municipal de Cubatão, a Cia. de dança de Cubatão apresenta o espetáculo ‘Gala’ nesta segunda-feira (15), às 20h, no Teatro Municipal Braz Cubas (2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão).

A performance, que tem a participação de convidados especiais, objetiva arrecadar recursos para financiar a viagem do grupo ao ‘Valentina Kozlova International Ballet Competition’, que ocorre no próximo mês, na cidade norte-americana de Nova York.

Oficializados por meio da Lei 3232 de 04/04/08, o grupo cubatense é composto por 24 bailarinos e, desde 2009, está sob a direção artística de Vanessa Toledo e do coreógrafo Zeca Rodrigues.

Os ingressos custam R$ 20,00. Informações sobre a venda das entradas no telefone 97406-1939 ou na página da Companhia no Facebook (https://goo.gl/1ntUjq). O Centro de Cultura Patrícia Galvão fica na Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias.

 

Grupos Artísticos de Cubatão reúnem mais de 200 artistas num só palco

Por Morgana Monteiro

Mais de 200 talentos dos Grupos Artísticos de Cubatão sobem no palco do Bloco Cultural do Paço Municipal no próximo sábado (8), às 20 h, em uma apresentação especial. Comemorando o aniversário de Cubatão, 68 anos de emancipação político-administrativa, o concerto reunirá todos os Corpos Estáveis da cidade. A entrada é gratuita e o Bloco Cultural fica na Praça dos Emancipadores, s/nº, Centro (entre a Prefeitura e a Câmara Municipal).

O evento tem início com a Banda Marcial de Cubatão e seu Corpo Coreográfico, interpretando “Olimpic Spirit”, de John Williams e “Ammerland”, de Jacob De Haan, com participação da bailarina Jhully Batista. A Marcial tem regência do maestro Alexandre Felipe Gomes e o Corpo Coreográfico é coordenado por Alessandra Palucci. O Coral Raízes da Serra e suas maduras vozes da Terceira Idade trazem “Azul da cor do mar”, de Tim Maia, sob a regência da Sandra Diogo Moço. A Cia de Dança da Sinfônica levará a premiada coreografia “Implexis”, de Flávia Sá. Com direção artística de Vanessa Toledo, esta montagem foi uma das selecionadas para competir no Festival Valentina Kozlova, em Nova York, em junho deste ano.

A segunda parte do concerto traz a Banda Sinfônica de Cubatão, com regência do maestro Rodrigo Vitta em “Batuque”, de Lorenzo Fernandez. Depois, em parceria com o Coral Zanzalá, a Sinfônica apresenta grandes obras da MPB como “Encontros e Despedidas”, de Milton Nascimento e arranjo confeccionado por Vitta; e “Villa-Lobos Fantasia”, uma composição de Rodrigo Vitta. O Zanzalá contará com regência de Nailse Machado e Maria Fernanda Tavares.

A noite musical será encerrada com “Fantasia Sinfônica Cubatão 2001”, de Roberto Farias. Participam desta obra, além da Banda Sinfônica de Cubatão, Coral Zanzalá, Corpo Coreográfico da Marcial, Grupo Rinascita de Música Antiga – sob a direção artística de Fabrício Leite e o Coral Infantil do Programa BEC, com orientação dos monitores Alessandro Inácio, Ruth Menezes e Alessandra Silva. Regência de Rodrigo Vitta. O músico Thiago Bilú – que já foi integrante da Sinfônica, da Marcial e monitor do Programa BEC e hoje é trompista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) – fez questão de participar da apresentação, como convidado.

Criada no início dos anos 2000, a “Fantasia Sinfônica” retrata, por meio da música, as artes em todos os seus segmentos, que se entrelaçam à história de Cubatão. “São momentos diferentes desta ‘fantasia sinfônica’ que nos leva a viajar por Cubatão e todos esses meandros artísticos que compõem tão bem nossa identidade”, disse o maestro, que hoje é coordenador geral dos Corpos Estáveis, filho de Cubatão, fundador da Banda Sinfônica (na época em que ainda era Banda Musical) e prolífico compositor.

Com esta apresentação, os Grupos Artísticos celebram a cidade de Cubatão e a Arte tão presente na vida do município. “Os Corpos Estáveis são bens culturais, bens da comunidade cubatense. A arte que produzimos é para nossos moradores. Tudo o que produzidos, ensaiamos com afinco e apresentamos com excelência pode ser resumido em um sentimento: gratidão. Gratidão à nossa cidade que nos acolhe e à comunidade que sempre nos prestigia”, completa Roberto Farias.

 

Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão tem agenda movimentada em maio

A Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão tem uma agenda movimentada neste mês de maio. São apresentações de gala, participações especiais e disputas em festivas de expressão pelo Estado. A primeira é no dia 15 de maio, às 20h, em Mongaguá. A equipe é convidada especial da Seletiva do Litoral do Salto Fest Dance, do qual a companhia já foi campeã. A apresentação será no Teatro Ronaldo Ciambroni, no Centro Cultural Raul Cortez. Os ingressos já estão à venda.

A Cia levará a coreografia “Amores crônicos”, assinada por Zeca Rodrigues. O trabalho coreográfico desenvolvido reflete uma crescente de situações. Inicialmente abre o olhar do público da força que cada um possui em alimentar em seu companheiro uma relação doentia e possessiva. Reflete, também, a força que o opressor vai criando em torno de si mesmo, se desfazendo do sentimento das pessoas envolvidas. Por fim, a cena apresenta o quanto uma relação doentia não é eterna. A montagem irá encerrar a Seletiva do Salto Fest Dance 2016 dentro do 14º Encontro Latino Americano de Danças.

Já nos dia 27 e em 29/5, a Cia participa do Fidifest 2016, em Santos, como convidado especial. Na abertura vai apresentar “Time to play”, coreografia de Natali Camolez, de dança contemporânea da melhor qualidade. Dia 29 será a montagem “Fragmentos do Nordeste”, uma homenagem à artista Glaucia Lacerda Serra. Inspirada em danças e ritmos daquela região do País, as coreografias estão na medida entre o pitoresco e a brejeirice nordestina, em estilo livre e jazz.

Também no dia 27, outro grupo de bailarinos vai para São José dos Campos, onde compete no Festidança 2016. Participa com as coreografias “Apenas…”, um duo contemporâneo; “Por quê?”, solo masculino; e “Efêmero”, um solo feminino contemporâneo, tudo assinado pela bailarina Flavia Sá.

A diretora artística da Cia, Vanessa Toledo, acredita que a grande movimentação da Cia neste mês reflete o trabalho duro dos bailarinos na busca pela excelência. “A cada apresentação especial recebemos o reconhecimento do público. A cada competição acumulamos experiências que vão se acumulando e utilizamos tudo isso em nossas coreografias. Além disso, o corpo de bailarinos é altamente qualificado, o que se reflete na maturidade artística no palco, embora muitos sejam bem jovens”, afirma.

*Morgana Monteiro

 

Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão vence mais um festival

A Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão conquista mais um festival. Desta vez foi o Bravos, na Capital. A competição aconteceu no fim de semana, no Teatro Uni Ítalo, em Santo Amaro. A equipe levou pra casa duas estatuetas: uma na categoria duo contemporâneo e outra em solo masculino contemporâneo.

As coreografias são da jovem bailarina Flávia Sá. As montagens “Apenas…”, interpretada por Yasmin Mattos e Jey Santos classificou-se em 1º lugar e “Por que?”, solo masculino, também executada por Jey Santos conquistou o 2º lugar na disputa. “Só tenho a agradecer aos dois bailarinos por me emprestarem seus talentos e confiarem no meu trabalho”, disse Flávia, após a premiação.

“É muito bom saber que nossa Cia tem dado frutos. Tanto a coreógrafa quanto os bailarinos são muito jovens em idade, porém, têm uma maturidade profissional e artística surpreendente. A diversidade de estilos por onde o Grupo tem passeado nos últimos tempos garante que possamos ir além, conquistando cada vez mais”, afirma Vanessa Toledo, diretora artística da Cia. Para ela, muito mais do que angariar troféus, as participações da equipe em festivais garante experiências artísticas e de vida a seus integrantes. “É uma questão de compromisso. A disputa estimula o artista a sempre buscar o seu melhor”, completa.

Maio, agenda movimentada

No mês que vem, a Cia de Dança participa de uma série de festivais, algumas vezes com convidada e outras, competindo por um lugar ao sol. No dia 15/5, a equipe realiza apresentação especial na seletiva do Salto Fest Dance, em Mongaguá, como grupo convidado. Será no Centro Cultural Raul Cortez. Desta vez, será apresentada a montagem “Amores Crônicos”, de Zeca Rodrigues.

No dia 27, a apresentação será no FIDIFEST 2016, em Santos, com a coreografia “Time to play”, de Natali Camolez. Neste mesmo dia, outra equipe da Cia compete no Festidança 2016, em São José dos Campos com as montagens: “Apenas…”, um duo contemporâneo; “Por que?”, solo masculino contemporâneo e “Efêmero”, solo feminino contemporâneo, todas criações de Flávia Sá. Já em 28, o Grupo participa da Mostra Estadual do Mapa Cultural Paulista, representando a Baixada Santista, com “Amores Crônicos”, de Zeca Rodrigues. Será no Teatro Sérgio Cardoso, na Capital. E no dia 29, será novamente grupo convidado do FIDIFEST, com “Fragmentos do Nordeste”, uma homenagem à bailarina e coreógrafa Glaucia Lacerda Serra.

*Morgana Monteiro

 

Projeto Música no Parque retorna ao Novo Anilinas agora em maio

A arte de qualidade dos Corpos Estáveis de Cubatão volta a ser destaque no Projeto Música no Parque – um Festival de ritmo e som. A programação que acontecerá todos os domingos, entre os meses de maio e junho, será no espaço cultural do Novo Anilinas (Av. Nove de Abril, s/nº). A entrada é franca.

A abertura do Festival nesta 2ª edição ficará por conta da Banda Marcial de Cubatão e seu repertório eclético e popular, no dia 17/5. O concerto será às 11h, contando com regência do maestro Alexandre Felipe Gomes. Em 24/5, às 11h, os Grupos Instrumentais do Programa BEC apresentam tudo o que os estudantes de música têm aprendido durante as aulas.

Em 31 de maio, às 16h, é a vez da Banda Sinfônica de Cubatão dividir a plateia com o Grupo Rinascita de Música Antiga. Em junho, no dia 14, também às 16h, o Coral Zanzalá e o Coral Raízes da Serra, da Terceira Idade, vão encantar a todos com o repertório do cancioneiro popular para canto coral.

Fechando esta edição da programação, em 21/6, às 16h, a Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão, com coreografias de Zeca Rodrigues, Natali Camolez e Edson Santos, e o Corpo Coreográfico da Banda Marcial, sob a coordenação de Alessandra Palucci, se apresentam no projeto. A direção artística será de Vanessa Toledo.

O Música no Parque acontece pela segunda vez este ano. Em fevereiro e março foram quatro apresentações, com a participação de mais de 200 artistas. De acordo com o coordenador dos Grupos Artísticos e idealizador deste programa, Roberto Farias, juntamente com a Secretaria de Cultura, a ideia é formar plateia e apresentar o trabalho realizado pelas equipes musicais.

“Reunimos um repertório diferenciado, que traz em seu contexto as mais variadas tendências estéticas. É uma ótima oportunidade das pessoas conhecerem o que os Corpos Estáveis têm realizado”, diz o maestro.

*Prefeitura de Cubatão